Aidademdia 120527181351-phpapp01

256 visualizações

Publicada em

CONTEÚDO 1º ANO ENSINO MÉDIO

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
256
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Neste diapositivo falar-se-á dos diferentes grupos sociais e respectivas funções na sociedade da época Primeiramente, é fundamental que se distinga grupos de classes sociais. Depois, explicar o facto de sociedade medieval se aparentar como uma pirâmide, cuja área vais estreitando da base para o vertíce. Clicar-se-á então, no primeiro grupo social – o povo – aquele que trabalha nas diferentes actividades económicas, o grupo social mais numeroso e por isso mesmo, está representado na base da pirâmide, uma vez que sustenta todo o peso da pirâmide, isto é, o peso da sociedade.
    A cima do povo e ao mesmo nível estão o clero – os que rezam – e a nobreza – os que defendem. Por serem apenas dez por cento da sociedade, ocupam um lugar intermédio na pirâmide.
    Aconselha-se que o professor vá questionando os alunos acerca das imagens, por forma a que cheguem, eles próprios, a determinadas conclusões. Por exemplo, analisar o tipo de trabalhos que o povo está a executar; o tipo de vestuário e indumentária do clero e da nobreza.
    No topo da pirâmide surge o Rei – o nobre mais nobre de todos os nobres -, cujo poder é absoluto (legislativo, executivo e judicial).
    Paralelamente à explicitação do conceito de monarquia absoluta, dever-se-á explorar o conceito de monarquia hereditária.
  • Antes de falarmos sobre a vida quotidiana nas terras senhoriais é fundamental que se explique como a sociedade na Idade Média estava organizada. Neste diapositivo a atenção deve ser centrada principalmente na figura do Rei (imagem central) e em todos os símbolos ligados ao poder real – trono, ceptro, selo régio. Será igualmente interessante chamar a atenção dos alunos para as vestes ricas e ornamentadas do Rei, como para pequenos pormenores como o crucifixo que traz ao pescoço e mão no topo do ceptro, em posição de bênção. Estes são alguns dos elementos que reforçam a ideia de que o Rei era o representante de Deus na terra e neste plano justifica-se também a relação estreita entre o Rei e a Igreja.
  • Antes de falarmos sobre a vida quotidiana nas terras senhoriais é fundamental que se explique como a sociedade na Idade Média estava organizada. Neste diapositivo a atenção deve ser centrada principalmente na figura do Rei (imagem central) e em todos os símbolos ligados ao poder real – trono, ceptro, selo régio. Será igualmente interessante chamar a atenção dos alunos para as vestes ricas e ornamentadas do Rei, como para pequenos pormenores como o crucifixo que traz ao pescoço e mão no topo do ceptro, em posição de bênção. Estes são alguns dos elementos que reforçam a ideia de que o Rei era o representante de Deus na terra e neste plano justifica-se também a relação estreita entre o Rei e a Igreja.
  • Antes de falarmos sobre a vida quotidiana nas terras senhoriais é fundamental que se explique como a sociedade na Idade Média estava organizada. Neste diapositivo a atenção deve ser centrada principalmente na figura do Rei (imagem central) e em todos os símbolos ligados ao poder real – trono, ceptro, selo régio. Será igualmente interessante chamar a atenção dos alunos para as vestes ricas e ornamentadas do Rei, como para pequenos pormenores como o crucifixo que traz ao pescoço e mão no topo do ceptro, em posição de bênção. Estes são alguns dos elementos que reforçam a ideia de que o Rei era o representante de Deus na terra e neste plano justifica-se também a relação estreita entre o Rei e a Igreja.
  • Aidademdia 120527181351-phpapp01

    1. 1. Idade MédiaIdade Média
    2. 2. IDADE MÉDIA  A Idade Média é computada de 476 d.C. até 1453, quando ocorre a conquista de Constantinopla pelos turcos otomanos e consequente queda do Império Romano do Oriente. É estudada com relação às três culturas em confronto em torno da bacia do mar Mediterrâneo. Caracterizou-se pelo modo de produção feudal.
    3. 3. FEUDALISMO CONCEITO: Modo de Produção que vigorou na Europa Ocidental durante a Idade Média e que se caracteriza pelas relações servis de produção. A Sociedade Feudal: modo de produção
    4. 4. Séc VSéc V Séc XISéc XI Séc XVSéc XV
    5. 5. BÁRBAROS Para os romanos, bárbaros eram todos aqueles que não tinham a cultura romana, que estavam fora das fronteiras do Império.
    6. 6. A Sociedade Feudal: fatores da formação do feudalismo INVASÕES BÁRBARAS GRUPOS BÁRBAROS * Tártaro-mongóis: hunos, turcos, búlgaros, húngaros(magiares). * Eslavos: russos, poloneses, tchecos, sérvios. * Germanos: visigodos, ostrogodos, hérulos, anglos, saxões, lombardos, vândalos, francos.
    7. 7. A Sociedade Feudal: as bases do sistema feudal. O Feudalismo vem da fusão de duas culturas: a Germânica e a Romana. O elemento principal da cultura Germânica era o Comitatus (susserania e vassalagem) , de onde surge a vassalagem. O elemento principal da cultura Romana era o Colonato (servilismo).
    8. 8. A CONTRIBUIÇÃO DOS POVOS GERMÂNICOS: COMITATUS
    9. 9. VILAS, UMA TRADIÇÃO ROMANA: COLONATO
    10. 10. Junta tudo Colonato Romano Comitatus Germânico
    11. 11. OS REINOS ROMANO- GERMÂNICOS: - Frágeis e efêmeros. • Reino dos Suevos. • Reino dos Visigodos. • Reino dos Borgúndios. • Reino dos Ostrogodos. • Reino dos Vândalos. • Reino dos Francos. A Sociedade Feudal: os reinos germânicos da Europa feudal.
    12. 12. A SOCIEDADE FEUDAL: O REINO FRANCO Em 772, com 30 anos, Carlos tomou o governo de todo o Reino Franco. Foi o apogeu do feudalismo.
    13. 13. A SOCIEDADE FEUDAL: COMPONENTES ECONÔMICOS E SOCIAIS. . ECONOMIA: - agrária e rural. - auto-suficiente. - feudo: unidade de produção propriedade feudal ou senhorial. - pouco uso de moeda. - comércio reduzido localizado. - baixo nível técnico. - sistema trienal de rotação de culturas: preservação do solo.
    14. 14. A SOCIEDADE FEUDAL: COMPONENTES ECONÔMICOS E SOCIAIS. Feudo: unidade de produção agrícola, amonetária e auto-suficiente.
    15. 15. A SOCIEDADE FEUDAL: COMPONENTES ECONÔMICOS E SOCIAIS. FEUDO
    16. 16. A SOCIEDADE FEUDAL: COMPONENTES ECONÔMICOS E SOCIAIS. FEUDO
    17. 17. OS GRUPOS SOCIAIS Nobres Clero Servos Não Esqueça!
    18. 18. POVOPOVO CLEROCLERO NOBREZNOBREZ AA REIREI
    19. 19. O padre reza; O nobre protege; o servo trabalha.
    20. 20. Religião - Clero Na Idade Média, a Igreja Católica dominava o cenário religioso. Detentora do poder espiritual, a Igreja influenciava o modo de pensar, a psicologia e as formas de comportamento na Idade Média. A igreja também tinha grande poder econômico, pois possuía terras em grande quantidade e até mesmo servos trabalhando. Os monges viviam em mosteiros e eram responsáveis pela proteção espiritual da sociedade. Passavam grande parte do tempo rezando e copiando livros e a bíblia. A SOCIEDADE FEUDAL: COMPONENTES ECONÔMICOS E SOCIAIS.
    21. 21. CLERO REGULAR Vive em isolamento em relação aos fiéis. CLERO SECULAR Vive em contato mundano com os fiéis. Alto Clero e Baixo Clero
    22. 22. CRIADA PELO PAPA GREGÓRIO IX NO sec. XIII Contra os hereges Uso da tortura para obtenções das confissões Tribunal da Inquisição  Meio de combate às heresias.
    23. 23. CRUZADAS  EXPEDIÇÕES MILITARES ORGANIZADAS PELA Igreja entre os séculos XI e XIII.  OBJETIVOS: libertação da Terra Santa(Jerusalém, local do sepulcro)das mãos dos infiéis muçulmanos, principalmente os turcos que haviam tomado a cidade e proibido a peregrinação cristã  OUTROS motivos:  Interesse da Igreja em conquistar os fiéis Bizantinos, que tinham Constantinopla assediada pelos turcos  Interesse comercial dos italianos, especialmente Gênova e Veneza, na reabertura do Comércio do Mediterrâneo  Interesse da nobreza sem terra em conquistar feudos no Oriente
    24. 24. PRINCIPAIS CRUZADAS  Primeira cruzada-1096-1099 –Igreja Católica ampla participação da nobreza, reconquistou temporariamente Jerusalém, organizando-a de forma feudal. CRUZADA DOS NOBRES  SEGUNDA CRUZADA 1147- 1149- igreja Ortodoxa GregaNÃO TEVE MAIORES RESULTADOS  TERCEIRA CRUZADA- 1189- 1192-IslamismoCruzada dos Reis  Quarta Cruzada- 1202-1204 Estados Cristãos do Oriente Cruzada do Comércio  Outras de caráter não oficial. Cruzada dos Mendigos . Cruzada das Crianças
    25. 25. CONSEQUÊNCIAS DAS CFRUZADAS  Empobrecimento dos senhores feudais  Fortalecimento dos reis  Alargamento do universo cultural europeu  Universidades  REABERTURA DO COMÉRCIO DAS ESPECIARIAS NO MAR MEDITERRÂNEO, sob o comando dos italianos de Gênova e Veneza(revitalização do comércio e da vida urbana na Europa feudal
    26. 26. RELAÇÕES FEUDO-VASSÁLICAS Relações vassálicas. - relações de dependência pessoal e de obrigações recíprocas. - suserania e vassalagem: nobre e nobre. - suserano: doava a terra (beneficium)  proteção. - vassalo: recebe a terra  fidelidade, auxílio nas guerras, pagamento de resgate. - homenagem (cerimônia): juramento de fidelidade. - ajuda (auxilium) e consulta (consilium) mútuas. A Sociedade Feudal: componentes econômicos e sociais.
    27. 27. A SOCIEDADE FEUDAL: COMPONENTES ECONÔMICOS E SOCIAIS. Nobres, Senhores Feudais A terra era a medida da riqueza, o senhor feudal era soberano de seu feudo, comandado o seu funcionamento e fazendo justiça segundo as tradições e o direito consuetudinário, isto é, o direito consagrado pelos costumes.
    28. 28. Senhor Feudal - Suserano
    29. 29. A SOCIEDADE FEUDAL: COMPONENTES ECONÔMICOS E SOCIAIS. OS SERVOS As terras do feudo distribuíam-se da seguinte forma: Manso senhorial – Representava cerca de um terço da área total e nela os servos e vilões trabalhavam alguns dias por semana, toda produção obtida nessa parte da propriedade pertencia ao senhor feudal. Manso servil – Área destinada ao usufruto dos servos. Parte do que era produzido ali era entregue como pagamento ao senhor feudal. Terras comunais – Era a parte do feudo usada em comum pelos servos e pelos senhores. Destinava-se à pastagem do gado, à extração de madeira e à caça, direito exclusivo dos senhores.
    30. 30. FEUDO Manso Comunal Manso Servil Manso Senhorial Manso Servil
    31. 31. DEVERES DOS SERVOSDEVERES DOS SERVOS Corvéia Trabalho gratuito de 3 a 5 dias por Semana no Manso Senhorial. Talha Dar parte da produção (3/4) ao Suserano. Banalidades Pagamento, em espécie, pela utilização de instrumentos do Feudo. Tostão De Pedro Dar 10 por cento da produção feudal para a Igreja Católica.DÍZIMO Capitação Imposto por cabeça, pessoal
    32. 32. A SOCIEDADE FEUDAL: SOCIEDADE: • estamental, hierarquizada e clerical. Três estamentos * Clero * Nobreza * Servos Apresentava pouca ascensão social e quase não existia mobilidade social. Não Esqueça
    33. 33. A SOCIEDADE FEUDAL: CONCEPÇÕES POLÍTICAS E CULTURAIS POLÍTICA: * Descentralização política: fragmentação do poder em função do parcelamento das terras. - particularismos feudais: senhores feudais - poder. - o rei exercia pouca influência. - guerras contínuas: invasões e disputas pelo poder. - direito de governar era um privilegio de todo possuidor de feudo, implicando este privilégio obrigações muito definidas, cuja violação podia acarretar a perda do feudo. - direito consuetudinário. − Monarquias Feudais: poder particularizado, laços de dependência pessoal, caráter simbólico do poder real e fragmentação político-territorial.
    34. 34. A SOCIEDADE FEUDAL: CONCEPÇÕES POLÍTICAS E CULTURAIS Educação, artes e cultura na Idade Média A educação era para poucos, pois só os filhos dos nobres estudavam. Podemos dizer que, em geral, a cultura e a arte medieval foram fortemente influenciadas pela religião. Na arquitetura destacou-se a construção de castelos, igrejas e catedrais.
    35. 35. Descentralização Economia Agrícola Sociedade Estamental Cultura influenciada pela Igreja Religião Cristã Nobreza Feudal Subsistência Poder Clerical Trevas/Ignorância Poder do Papado Não Esqueça!
    36. 36. Justiniano Justiniano CORPUS JURIS CIVILIS Heresias Monofisismo / Iconoclastia Cisma do Oriente Igreja Católica Ortodoxa Grega Arquitetura Mosaicos A SOCIEDADE FEUDAL:O IMPÉRIO ROMANO DO ORIENTE
    37. 37. Maomé HÉGIRA / ISLAMISMO Expansão JIHAD / Carlos Martel Cultura Religiosa Corão Preservação da cultura clássica Avanço científico A SOCIEDADE FEUDAL: A EXPANSÃO ISLÂMICA
    38. 38. A SOCIEDADE FEUDAL: A EXPANSÃO ISLÂMICA

    ×