Apresentação Novo Acordo Ortográfico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Apresentação Novo Acordo Ortográfico

on

  • 2,967 visualizações

Apresentação sobre o Novo Acordo Ortográfico retirada de http://novuacordo.blogs.ua.sapo.pt/460.html

Apresentação sobre o Novo Acordo Ortográfico retirada de http://novuacordo.blogs.ua.sapo.pt/460.html

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
2,967
Visualizações no SlideShare
2,569
Visualizações incorporadas
398

Actions

Curtidas
0
Downloads
40
Comentários
0

1 Incorporado 398

http://cms.ua.pt 398

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Adobe PDF

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Apresentação Novo Acordo Ortográfico Presentation Transcript

  • 1. Carlos MoraisMaria Fernanda BraseteRosa Lídia CoimbraDepartamento de Línguas e CulturasUniversidade de Aveiro
  • 2. I.A evolução da escrita
  • 3. Etimologia vs. Fonética• Primeira fase - puramente fonética• Segunda fase - ortografia etimológica • aborrecer grafava-se abhorrescer (de ab-horreo). • grafias divergentes: filosofia, philosophia, filosophia, philosofia...
  • 4. Séculos XVI a XIXOrtografia etimológica Imagem de um anúncio publicitário do século XIX. Disponível em: http://altinopolisminhaterra.blogspot.com/.
  • 5. Séculos XVI a XIXOrtografia etimológica Texto que descreve um acahado arqueológico no Cadaval.
  • 6. Placa que se encontra numa das ruas da cidade do Porto.Foto de Manuel de Sousa, disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Placa_pre-1911_(Porto).jpg
  • 7. Terceira fase - ortografia fonética Séculos XX-XXI Acordos ortográficos Ortografia fonética 1911 1945-1973 1990
  • 8. Os acordos ortográficos…• …não alteram a pronúncia de nenhuma palavra.• …não têm a ver com variações de uso ou significado de palavras.• …não estabelecem regras de sintaxe.LOGO:- As 2 variedades do Português (Europeu e Brasileiro) continuarão a existir.
  • 9. II.A HISTÓRIA DO ACORDO
  • 10. Séculos XX-XXIAcordos ortográficos19111. eliminação dos dígrafos • ‘th’ > ‘t’ (theologia > teologia) • ‘ph’ > ‘f’ (pharmacia > farmácia; phosphoro > fósforo) • ‘ch’ > ‘c’ (echzemas > eczemas) • ‘rh’ > ‘r’ (rhetorica > retórica)2. y > i (lyrio > lírio)3. eliminação das consoantes dobradas, com exceção de rr e ss (castello, offender);4. eliminação de consoantes mudas (auctor > autor; phleugma > fleuma);5. regularização da acentuação gráfica (introdução do acento gráfico nas esdrúxulas. Ex.: patriótico)
  • 11. Contestação à reforma de 1911Teixeira de Pascoaes:Na palavra lagryma, (...) a forma da y é lacrymal;estabelece (...) a harmonia entre a sua expressãographica ou plastica e a sua expressão psychologica;substituindo-lhe o y pelo i é offender as regras daEsthetica. Na palavra abysmo, é a forma do y quelhe dá profundidade, escuridão, mysterio... Escrevel-a com i latino é fechar a boca do abysmo, étransformal-o numa superficie banal.
  • 12. Contestação à reforma de 1911Teixeira de Pascoaes:[...]A palavra Phantasma, por exemplo,Escrita com F perde todo o seuAspecto espectral e misterioso;Theologia escrita só com T,Perde o seu sinal deTranscendência divina.Mas já não acontece o mesmoNas palavras Teatro, Fotografia...;Aquelas são complexas e profundas,Estas são simples e claras.[...] In, A Águia
  • 13. Contestação à reforma de 1911Fernando Pessoa:Não tenho sentimento nenhum politico ou social. Tenho,porém, num sentido, um alto sentimento patriotico. Minhapatria é a lingua portugueza. Nada me pesaria queinvadissem ou tomassem Portugal, desde que não meincommodassem pessoalmente, Mas odeio, com odioverdadeiro, com o unico odio que sinto, não quemescreve mal portuguez, não quem não sabe syntaxe, nãoquem escreve em orthographia simplificada, mas apagina mal escripta, como pessoa propria, a syntaxeerrada, como gente em que se bata, a orthographia semipsilon, como escarro directo que me enojaindependentemente de quem o cuspisse.
  • 14. ORTOGRAFIA - EVOLUÇÃOAquelle psalmo evoca Aquele salmo evocaadmiràvelmente os lyrios que na admiràvelmente os lírios que napróxima Primavera hão-de nascer próxima Primavera hão-de nascerno meu jardim predilecto. no meu jardim predilecto. Ortografia correta do séc. XIX. Ortografia correta depois da primeira reforma ortográfica de 1911.Aquele salmo evoca Aquele salmo evocaadmiravelmente os lírios que na admiravelmente os lírios que napróxima Primavera hão-de nascer próxima primavera hão de nascerno meu jardim predilecto. no meu jardim predileto. Ortografia correta a partir de 1945-1973. Ortografia correta segundo o novo acordo ortográfico (1990).
  • 15. ACORDO DE 1990Entrada em vigor:Seguindo o disposto numa reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), realizada em julho de 2004 em São Tomé e Príncipe, ficou decidido que, para o novo acordo entrar em vigor, bastaria que três países o ratificassem.O Brasil em outubro de 2004, Cabo Verde em abril de 2005 e São Tomé e Príncipe em novembro de 2006 ratificaram o acordo, estando assim reunidas as condições para a implementação do novo acordo ortográfico.Em Portugal, este acordo foi ratificado pelo Governo a 6 de março de 2008.A implementação do acordo ortográfico entrou imediatamente em vigor, seguindo-se um período de 6 anos de adaptação, em que são permitidas as duas ortografias.
  • 16. ACORDO DE 1990 Objetivos: • Unificar a ortografia da língua portuguesa que, atualmente, é o único idioma do ocidente que tem duas grafias oficiais — a do Brasil e a de Portugal”; •Resolver 97% das diferenças ortográficas; •Facilitar a circulação de materiais, como documentos oficiais e livros; •Unificar a língua de cerca de 230 milhões de falantes; •Defender a língua portugue- sa e o seu prestígio inter- nacional.
  • 17. III.ACORDO ORTOGRÁFICO DE 1990 Síntese das mudanças
  • 18. ALFABETOO alfabeto passa a ser constituído por 26 letras• são introduzidas mais três consoantes: ‘k’ (capa ou cá) - kantiano ‘w’ (dâblio ou dáblio) - Wagner ‘y’ (ípsilon ou i grego) - York
  • 19. Letra HEm português europeu o ‘h’ inicial usa-se: 1. por respeito à etimologia Ex.: haver; hélice hera; hoje; hora; homem. 2. por convenção Ex.: Hum!; Hã?; Hem?.NOTA: O ‘h’ inicial suprime-se : a) quando, apesar da etimologia, a sua supressão está inteiramente consagrada pelo uso; Ex.: erva e não herva (ervanário; herbáceo) b) em posição interior, quando sujeito ao processo de aglutinação com o elemento anterior. Ex.: reabitar; desumano.
  • 20. Consoantes Mudasaproximação da grafia à fonética se as consoantes são pronunciadas na línguapadrão, não se suprimem: Ex.: pacto; impacto; convicto; ficção; adepto; rapto; erupção. se as consoantes não são pronunciadas na línguapadrão, suprimem-se • ‘cç’ > ‘c’ • ‘cç’ > ‘ç’ • ‘ct’ > ‘t’ • ‘pc’ > ‘c’ • ‘pç’ > ‘ç’ • ‘pt’ > ‘t’
  • 21. Consoantes Mudas ‘cc’ → ‘c’ ‘cç’ → ‘ç’ ‘ct’ → ‘t’Accionar – acionar Acção – ação Actual – atualColeccionar – colecionar Colecção – coleção Colectivo – coletivoDireccional – direcional Direcção – direção Directo – diretoFraccionar – fracionar Fracção – fração Electricidade – eletricidadeLeccionar – lecionar Injecção – injeção Factor – fatorProteccionismo - Objecção – objeção Objectivo – objetivoprotecionismo Selecção - seleção Projecto – projetoMas, mantêm-se:Faccioso Convicção BactériaFiccional Ficção CompactoOccitânico Sucção Pacto
  • 22. Consoantes Mudas ‘pc’ → ‘c’ ‘pç’ → ‘ç’ ‘pt’ → ‘t’Adopcionismo – adocionismo Acepção – aceção Adoptar – adotarConcepcional – concecional Adopção – adoção Baptizar – batizarDecepcionar – dececionar Decepção - deceção Contraceptivo – contracetivoExcepcional – excecional Excepção – exceção Egipto – EgitoPercepcionar – percecionar Intercepção – interceção Óptimo – ótimoRecepcionista - rececionista Recepção - receção Susceptível - suscetívelMas, mantêm-se:Egípcio Corrupção AptoNúpcias Erupção EucaliptoOpcional Opção Rapto
  • 23. Consoantes MudasCom o desaparecimento do p, o m > n ‘mpc’ > ‘nc’ assumpcionista / assuncionista ‘mpç’ > ‘nç’ assumpção / assunção ‘mpt’ > ‘nt’ peremptório / perentório
  • 24. Consoantes MudasDUPLA GRAFIA• ct ou t: característico / caraterístico; sector / setor• cc ou c: infeccioso / infecioso; perfeccionista / perfecionista• cç ou ç: intersecção / interseção• pc ou c: decepcionar / dececionar; excepcional / excecional• pç ou ç: concepção / conceção• pt ou t: apocalíptico / apocalítico; conceptual / concetual
  • 25. ACENTUAÇÃOSupressão do acento1. Formas verbais terminadas em – êem > – eem (3.ª pessoa do plural) crêem > creem descrêem > descreem lêem > leem relêem > releem vêem > veem revêem > reveem
  • 26. ACENTUAÇÃOSupressão do acento2. palavras graves com ditongo tónico: ‘ói’ > ‘oi’ asteróide > asteroide heróico > heroico espermatozóide > espermatozoide jibóia > jiboia jóia > joia paranóico > paranoico
  • 27. ACENTUAÇÃOSupressão do acento3. Formas verbais de arguir e redarguir: ‘ú’ > ‘u’ argúis > arguis argúem > arguem argúam > arguam redargúem > redarguem redargúam > redarguam
  • 28. ACENTUAÇÃOSupressão do acento4. palavras graves que perdem o acento pára > para péla > pela pélo, pêlo > pelo pólo > polo côa > coa pêra > pera
  • 29. ACENTUAÇÃODUPLA GRAFIA1.ª pessoa do plural do pretérito perfeito (1.ª conjugação) amámos ou amamos (ontem) passeámos ou passeamos (ontem) viajámos ou viajamos (ontem)
  • 30. HÍFENUSA-SE O HÍFEN1. Nas palavras derivadas, quando o radical começa por h Ex.: anti-herói, anti-humano (cf. desumano)2. Quando a última letra do prefixo é igual à primeira do radical Ex.: contra-ataque (cf. contraespionagem), inter-racial, hiper-realista (cf. hipermercado)EXCEÇÃO:Com o prefixo co-, (tal como acontecia com re-, pre-, pro-) elimina- se sempre o hífen co-piloto > copiloto (cf. coordenador) co-autor > coautor reeducar preencher proactivo > proativo (cf. pró-ativo)
  • 31. HÍFENUSA-SE O HÍFEN3. Com os prefixos pré-, pró-, pós-, ex-, vice-, aquém, além- e recém- pré-seleção, pré-operatório pró-ativo (cf. proativo), pró-reitor pós-graduação, pós-concecional ex-aluno, ex-selecionador vice-diretor, vice-coordenador aquém-Pirinéus além-mar recém-nascido4. Com os prefixos circum- e pan- (quando a palavra seguinte começa por vogal, h, m ou n) circum-navegação (cf. circunscrito) pan-africano pan-helénico
  • 32. HÍFENUSA-SE O HÍFEN5. Nas palavras compostas que designam espécies botânicas couve-flor abóbora-menina andorinha-do-mar6. Nas palavras compostas, sem formas de ligação e com autonomia ano-luz azul-escuro guarda-chuva segunda-feira decreto-lei7. Na ênclise e na tmese dou-te dar-te-ei
  • 33. HÍFENUSA-SE O HÍFEN8. Em todos os compostos com os advérbios bem e mal, quando se segue um radical começado por vogal ou por ‘h’. Ex.: bem-aventurado; bem-humorado; mal-afortunado; mal-estar; mal-humorado.Nota:O advérbio bem e mal podem, no entanto, aglutinar-se com radicais começados por consoante Ex.: benfazejo; benfeitor; benquerença; malvisto; malfeitor; malnascido (cf. bem-nascido).
  • 34. HÍFENNÃO SE USA O HÍFEN1. nas formas monossilábidas do verbo haver hei de (cf. haveria de) hás de (cf. haverias de) há de (cf. haveria de) hão de (cf. haveriam de)2. em algumas locuções fim de semana cor de vinho cão de guardaNOTA: Excluem-se formas já consagradas pelo uso, como: água- de-colónia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé- de-meia, ao deus-dará, à queima-roupa.
  • 35. HÍFENNÃO SE USA O HÍFEN3. Em palavras em que se perdeu a noção de composição mandachuva paraquedas4. Nas palavras formadas por prefixos terminados em vogal diferente da que inicia o radical agroindustrial antiaéreo extraescolar infraestrutura hidroelétrico5. Nas palavras com sufixo terminado por vogal e radical iniciado por r ou s, duplicam-se estas consoantes antirreflexo minissaia contrarrelógio ultrassecreto
  • 36. MAIÚSCULAS / MINÚSCULASPASSAM A SER ESCRITAS COM MINÚSCULA1. Os meses: janeiro, março, abril…2. As estações: outono, verão, primavera, inverno3. Os pontos cardeais e colaterais: norte, sudoeste (mas não nas abreviaturas: SW, N, S)4. As palavras fulano, beltrano e sicrano
  • 37. MAIÚSCULAS / MINÚSCULASÉ OPCIONAL O USO DE MAIÚSCULA OU DE MINÚSCULA1. Nas formas de tratamento: professor /Professor, santa Cecília / Santa Cecília, cardeal D. Policarpo / Cardeal D. Policarpo2. Nas palavras que designam lugares ou edifícios: avenida da Liberdade /Avenida da Liberdade, rua Direita / Rua Direita, palácio da Ajuda / Palácio da Ajuda3. Nos nomes de domínios de saber, cursos e disciplinas: português / Português, matemática / Matemática, engenharia eletrónica e de telecomunicações /Engenharia Eletrónica e de Telecomunicações4. Nos títulos: Manhã Submersa / Manhã submersa (a primeira palavra é sempre maiúscula)
  • 38. MAIÚSCULAS / MINÚSCULASA LETRA MAIÚSCULA INICIAL MANTÉM-SE1. nos antropónimos, mitónimos e topónimos: António, Lisboa, Tejo, Vénus2. nos nomes que designam instituições: Segurança Social; Governo Civil.3. nos nomes de festas e festividades: Natal; Páscoa; Ramadão; Todos os Santos.4. em siglas, símbolos ou abreviaturas: FAO; NATO; ONU; CO2; Sr.; V. Ex.ª.
  • 39. NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO≠
  • 40. NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO NA WEB• Portal da Língua Portuguesa – Vocabulário em Mudança: http://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=novoac ordo&act=list&version=all• Lince - conversor para a nova ortografia (Portal da Língua Portuguesa) http://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=lince• Conversor de texto – Porto Editora http://www.portoeditora.pt/acordo-ortografico/conversor- texto/• Blogue novUAcordo http://novuacordo.blogs.ua.sapo.pt/
  • 41. Bibliografia • Acordo Ortográfico – O Que Muda, As Novas Regras, Todas as Palavras que Mudam. Porto: Porto Editora. • Guia do Acordo Ortográfico. Brasil: Editora Moderna, LTDA. • Guia Prático para Perceber o Acordo Ortográfico. Visão. In, http://aeiou.visao.pt/guia- pratico-para-perceber-o-acordo-ortografico=f543282 (Consultado em: 31.03.2011). • KRESS, Gunther (1979). “The Social Values of Speech and Writing”. FOWLER et al., 46-62. • CRUZ-FERREIRA, M. (1999). “Portuguese (European)”. In Handbook of the International Phonetic Association. Cambridge University Press. pp. 126-130 (apud: Silva, Susana Capitão (2007). Traços Acústicos e Perceptivos de Sons Não Verbais e da Fala. Dissertação de Mestrado, Universidade de Aveiro).Webgrafia História da Escrita, http://www.suapesquisa.com/artesliteratura/historiadaescrita.htm História da Escrita, http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_escrita Origem do Alfabeto, http://www.pesquisasnota10.hpg.ig.com.br/portu/41.htm Ortografia brasileira, http://www.radames.manosso.nom.br/gramatica/ortografia/grafemas.htm Santos, A. http://www.amigosdolivro.com.br/lermais_materias.php?cd_materias=5666 Wikipédia. Reforma Ortográfica de 1911. In, http://pt.wikipedia.org/wiki/Reforma_Ortogr%C3%A1fica_de_1911
  • 42. Universidade de Aveiro | Departamento de Línguas e Culturas