Projeto par apresentação reduzida

173 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
173
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto par apresentação reduzida

  1. 1. Projeto PAR - Psicologia de Alto Rendimento Era uma vez duas ciências (Psicologia e Pedagogia) que convidaram três esportes (tênis de campo, futebol e futsal) para visitarem seus campos de atuação. Dessa união, nasceu o...
  2. 2. O simples talento não traz rendimento, quanto mais o desenvolvimento. É preciso muito mais! Projeto PAR: eficiente sofisticado moderno arrojado. Enfim, completo!! Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR
  3. 3. Para acabar com uma lenda que se tornou comum no ambiente do futebol - delegar à sorte ou azar a responsabilidade dos resultados - a única saída é investir no campo científico. O Projeto PAR abriu duas frentes pouco exploradas ao longo da história do futebol: o comportamento e o movimento. Afinal, o que mobiliza o atleta dentro do campo na busca dos seus objetivos individuais? De que maneira suas habilidades pessoais podem favorecer a performance coletiva da equipe? Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR
  4. 4. Para o psicólogo e pedagogo Mario Rodrigues, o alto rendimento pode ser alcançado por todos os atletas por meio dos recursos do pensamento. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Isto se justifica pela ocorrência de tantos acontecimentos negativos nos jogos (desentendimentos por disputa de bola, faltas excessivas, falhas individuais não aceitas pelos demais membros da equipe, etc). “Os atletas pouco pensam quando estão na prática".
  5. 5. Em 1987, Mario Rodrigues, ex-atleta de tênis de campo, futebol, futsal, formado em psicologia e pedagogia, criou no Santos Futebol Clube o 1º Centro de Estudos e Pesquisas sobre o Comportamento e Rendimento do Atleta de Futebol, uma iniciativa inédita na época e ainda nos dias atuais, visto que a área do comportamento ainda é pouco explorada, haja visto sua importância na performance de um atleta ou equipe. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR
  6. 6. A iniciativa na época o premiou com uma medalha condecorativa do clube. Posteriormente, a convite do presidente do Orange F.C. ( Los Angeles-USA ), realizou os primeiros estudos científicos em atletas norte-americanos para comprovar e desenvolver conclusões científicas atuais sobre a regularidade de rendimento. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR
  7. 7. Após retorno dos EUA, Mario Rodrigues iniciou a divulgação do Projeto PAR em jornais, programas esportivos de rádio, TV, palestras e apresentações em clubes. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Programa Radar Esportivo
  8. 8. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Diante das divulgações em mídia, o ex-atleta Jonas Eduardo Américo, o Edu, ponta-esquerda do Santos F.C. e da Seleção Brasileira, se interessou pelo conteúdo e oficializou seu apoio ao Projeto PAR. Entre 2010 e 2012 o Projeto PAR foi apresentado ao Santos FC, que considerou um conteúdo ousado e revolucionário. Outros clubes também registraram grandes elogios pelo conteúdo do Projeto PAR.
  9. 9. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Base científica do Projeto PAR 1º Projeto Gestor de Rendimento Unificado 1. Lei dos Antagonismos 2. Princípio da Previsibilidade 3. Pensamento é móvel, não existe concentração
  10. 10. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Polaridade e Unidade – qual é a importância destes dois aspectos para o Projeto PAR? EU + TU = NÓS Ao dizer “eu”, o atleta se separa de tudo aquilo que percebe como “não-eu, como tu” ( oponente ). A consciência do atleta divide tudo em pares de opostos, que se tornam conflitantes. Isto ocorrendo o atleta é forçado a decidir, fazer uma escolha. Para obter a harmonia, a unidade, o atleta tem que entender e aprender com os dois lados. Não é possível conhecer e aprender sem a polaridade. (Ex.: acerto e erro, vitória e derrota, minha atuação e atuação do oponente. Exemplo prático de polaridade: INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO = Quem se recusar a expirar não poderá mais inspirar. Um polo depende do outro.
  11. 11. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR A psicologia da Gestalt, também conhecida como psicologia da forma ou psicologia da percepção. Não vemos partes isoladas, mas relações em um todo; percebemos uma parte na dependência de outra.
  12. 12. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O que é o pensamento para o PAR? = ESTRUTURA DE UM EDIFÍCIO ESTRUTURA DO PENSAMENTO (PAR) (estímulos do ambiente – entender, querer, imaginar, sentir)
  13. 13. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Inteligência, Vontade e Pensamento “ A INTELIGÊNCIA faz as escolhas para as nossas reais necessidades, a VONTADE gera a força para edificar e conquistar o que a inteligência escolheu e o PENSAMENTO cria a condição ideal para a realização .” Pesquisa nos EUA 40% - preocupações com fatos que jamais acontecerão 30% - situações que já aconteceram 12% - questões de saúde 10% - assuntos insignificantes 8% - preocupações com base real Fonte bibliográfica: “Ninguém Tropeça em Montanha” Tadashi Kadomoto
  14. 14. O Projeto PAR – Psicologia de Alto Rendimento se baseia no estudo, análise e utilização dos recursos do pensamento, integrando-se com a Pedagogia. Trabalha com 3 eixos fundamentais no exame observatório do pensamento: Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR AMBIENTABILIDADE revelam o universo no qual o atleta está inserido FUNCIONABILIDADE observa os modos de ser constituídos pelo atleta a partir das vivências relatadas em seu histórico REACIONABILIDADE as formas que o atleta possui para lidar com a relação emoção x raciocínio
  15. 15. O Projeto PAR é um projeto gestor de alto rendimento, que vai além da psicologia tradicional e trata a regularidade de resultados integrando os conceitos práticos do futebol com a psicologia e a pedagogia, estabelecendo em suas diretrizes a adoção do Princípio da Previsibilidade durante a prática. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR “Não abordamos a técnica, a tática e o condicionamento físico e sim o que está por trás de tudo isso”
  16. 16. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Os resultados práticos alcançados por treinamentos tradicionais estão aquém da necessidade de se atingir regularidade e alto rendimento, devidamente comprovados no dia-a-dia. A realidade mostra a necessidade de mudanças.
  17. 17. A simples mudança de comando técnico que os clubes habitualmente fazem não surtem os efeitos positivos que dirigentes e torcedores esperam. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Pode ser benéfica no início, pois cada atleta quer buscar um espaço, aquele que já tem quer manter e aquele que não tem quer conquistar.
  18. 18. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Mas durante o processo torna-se imprescindível acompanhar a dinâmica de relacionamento dos atletas, que é diferente a cada dia e pode levar a contínuas oscilações de rendimento caso não seja acompanhada com intervenção individual e coletiva.
  19. 19. O PAR é um projeto que transita desde as primeiras categorias até a categoria profissional, capacitando atletas e treinadores a atuarem dentro de uma linha científica, proporcionando a capacitação dos atletas dentro de um perfil funcional padrão de alto rendimento. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR
  20. 20. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Nosso objetivo é aperfeiçoar a técnica através de melhor exploração dos recursos no pensamento. Os atletas utilizam menos de 1/3 de seus recursos provenientes do pensamento.
  21. 21. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PAR considera que o alto rendimento está ligado diretamente ao relacionamento de atletas, as falhas estão ligadas à mobilidade natural do pensamento, que vai para o passado e para o futuro inúmeras vezes e também pela deficiente percepção de movimentos na prática.
  22. 22. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Afinal, se o atleta de futebol conhece a técnica, qual a causa real da oscilação de rendimento?
  23. 23. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Simples. 1) O atleta não domina a técnica; 2) O atleta não controla a pressão e a ansiedade porque é exigido dele a obrigação de vencer ou não perder; 3) O atleta não consegue atuar no estágio de tempo da previsibilidade / pós-presente; 4) O atleta não "mede forças" com o oponente com as estratégias corretas.
  24. 24. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Abre-se duas frentes nunca exploradas cientificamente: o comportamento e o movimento. Por meio de cinco experiências (3 práticas e 2 teóricas), criou o Princípio da Previsibilidade no futebol, dividida em três áreas: Afetiva Cognitiva Espaço-corporal
  25. 25. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR Explica o domínio da técnica através dos recursos do pensamento: Princípio da Previsibilidade Afetiva prever acontecimentos no jogo Princípio da Previsibilidade Cognitiva prever movimentos de si próprio e do outro Princípio da Previsibilidade Espaço-Corporal percepção do espaço que ocupa
  26. 26. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PRINCÍPIO DA PREVISIBILIDADE AFETIVA Prevê a identificação das consequências dos atos dos atletas no campo prático (relacionamento com colegas da equipe, oponentes e arbitragem, que constituem os três pontos de conflito durante a prática).
  27. 27. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PRINCÍPIO DA PREVISIBILIDADE AFETIVA Por isso, os atletas tem obrigatoriamente que se situarem no pós- presente, que é o estágio da previsibilidade, para alcançar o alto rendimento na prática. A parte funcional do pensamento exerce uma grande influência na atividade. O pensamento é móvel e flutuante e sofre a interferência das emoções. O atleta perde em vários momentos sua capacidade de atenção e raciocínio durante a prática, o que ocasiona as falhas no decorrer do jogo.
  28. 28. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PRINCÍPIO DA PREVISIBILIDADE COGNITIVA Diz respeito à identificação dos movimentos do oponente. O Projeto PAR orienta sobre os tipos básicos de movimentos dos membros inferiores que identificam a trajetória do oponente, garantindo um maior domínio sobre o poder de desarme, além de tornar o atleta mais eficaz nos passes, dribles e chutes e aproximando-se mais da perfeição e do alto rendimento.
  29. 29. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PRINCÍPIO DA PREVISIBILIDADE COGNITIVA Cabe destacar que este princípio cognitivo não desmerece o atacante, pois para ele improvisar sua arte ele necessita da previsibilidade, ou seja, o atacante precisa antever situações para mostrar a sua arte, funcionando como a criação mental de várias cenas no pensamento, mais ou menos como histórias em quadrinhos. A imprevisibilidade é ilimitada e requer uma infinidade de exercícios criativos de cenas.
  30. 30. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PRINCÍPIO DA PREVISIBILIDADE ESPAÇO-CORPORAL Trata da utilização do recurso físico em benefício próprio, acompanhando mais o oponente ao invés de cometer faltas desnecessárias, além do desenvolvimento da percepção espaço-corporal, aprimorando no atleta sua capacidade visual de perceber-se no espaço, evitando, com isso, choques corporais e posicionamentos incorretos, pois 100% dos gols sofridos por uma equipe são originários da incapacidade dos atletas - deficiente percepção espaço-viso-corporal.
  31. 31. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PRINCÍPIO DA PREVISIBILIDADE ESPAÇO-CORPORAL Dentre as atividades desenvolvidas pelo Projeto PAR destacam-se o atendimento individual aos atletas, acompanhamento da dinâmica de relacionamento das atividades de treinos e jogos, aplicação de exercícios de percepção espaço-corporal ( garante à equipe não sofrer gols ) e exercícios de observação de movimentos (favorece o desarme e a retomada da bola).
  32. 32. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PRINCÍPIO DA PREVISIBILIDADE ESPAÇO-CORPORAL Além disso, o Projeto PAR ainda conta com a aplicação e mensuração do teste TPL-PAR, que identifica o perfil psicológico ideal para o alto rendimento, modelos de liderança e a dinâmica de relacionamento e postura dos atletas em diferentes situações de jogo favorável no resultado, desfavorável no resultado, pressão do oponente, conflitos com oponente ). Conta igualmente com o teste TMOP-PAR, que mede a oscilação do pensamento durante a prática..
  33. 33. Fundamentação Científica da Metodologia do Projeto PAR O PRINCÍPIO DA PREVISIBILIDADE ESPAÇO-CORPORAL Todo plano tático depende da congruência das habilidades individuais dos atletas, ou seja, necessitam atuar em harmonia, não apenas individualmente, como, principalmente, colaborar em atender uma necessidade coletiva.
  34. 34. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Apresentação do Projeto PAR para os atletas, informando sobre as diretrizes e objetivos do PAR ( slides ). Acompanhar, dentro de atividades específicas, os atletas de todas as categorias, segundo critério de prioridades. O Projeto PAR visa formar o atleta dentro de um perfil desejado de alto rendimento, não faz nenhuma distinção entre atletas e não impõe nenhuma exigência de características / habilidades esportivas para a formação e enquadramento no perfil adotado;
  35. 35. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Atendimento individual aos atletas, quando a situação exigir;
  36. 36. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Garantir a adaptação dos atletas nas atividades, acompanhamento à dinâmica de relacionamento dos atletas em treinos e jogos, identificando e controlando resíduos emocionais de véspera de treinos e jogos para não gerarem oscilação de rendimento ou conflitos nos mesmos, como também favorecer a integração das habilidades pessoais e características de personalidades dos atletas dentro da dinâmica de treinos e jogos, de maneira a garantir a unidade do grupo; dinâmica de grupo pré e pós-jogos, sempre quando houver necessidade, para debater expectativas e instabilidades;
  37. 37. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Acompanhamento e atendimento aos atletas do Depto. Médico, observando as condições emocionais de cada atleta em relação aos estágios individuais de recuperação;
  38. 38. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Aplicação periódica de exercícios de percepção espaço-corporal dentro da programação dos treinamentos ( aprimoramento da capacidade da equipe de não sofrer gols );
  39. 39. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Aplicação periódica de exercícios de observação de movimentos – em dupla, dentro da programação dos treinamentos ( favorecer e aprimorar o desarme e a retomada da bola );
  40. 40. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Aplicação e mensuração do teste TPL-PAR, que identifica o perfil psicológico ideal para o alto rendimento, modelos de liderança e a dinâmica de relacionamento / postura dos atletas em diferentes situações de jogo ( favorável no resultado, desfavorável no resultado, pressão do oponente, conflitos com oponente ) e do teste TMOP-PAR, que mede a oscilação de pensamento do atleta na prática;
  41. 41. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Acompanhar e controlar o antagonismo superioridade x inferioridade presente na atividade, principal fator de desequilíbrio de uma equipe; aprimorar a condição de “servir para ser servido”, característica psicológica fundamental para a preservação da unidade psicológica do grupo; a distinção, de atletas como também entre atletas, em suas características pessoais e esportivas comprometem a performance coletiva de uma equipe;
  42. 42. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Controle periódico do trabalho baseado na performance dos eixos centrais do pensamento (Eixo Ambientabilidade, Eixo Funcionabilidade e Eixo Reacionabilidade ) e dos índices de evolução da previsibilidade atuante na atividade ( afetiva, cognitiva e espaço-corporal );
  43. 43. Projeto de atuação do PAR Explorar a estrutura do pensamento dos atletas como elemento da área psicológica e determinante do alto rendimento, aprimorando os aspectos inseridos no Princípio da Previsibilidade: Afetividade identificação dos comportamentos que prejudicam o alto rendimento – relação com colegas do grupo, oponentes e arbitragem Cognitividade explicar o funcionamento do pensamento na assimilação dos tipos de movimentos existentes e orientação quanto a maneira correta de se manter num nível alto de previsibilidade, raciocínio e memória, de forma a desenvolver a atuação prática no estágio pós-presente utilizando a parte cognitiva do pensamento como referência, orientar os atletas quanto ao aprimoramento da percepção espaço-corporal e da capacidade visual de perceber-se no espaço, evitando choques e posicionamentos incorretos Ocupacionalidade
  44. 44. Projeto de atuação do PAR DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES O Projeto PAR fica responsável por uma equipe intermediária entre a profissional e a Sub-20, de modo a prepará-la no perfil funcional específico da metodologia desenvolvida. O sistema de trabalho é descendente, inicia e acompanha a equipe profissional e a intermediária. A metodologia é aplicada no Sub-20 e vai gradativamente sendo introduzida nas categorias abaixo, sub-17, sub-15, sub-13 e sub-11.
  45. 45. Mario Rodrigues CRP 06/23956-7 projetoPAR@outlook.com (13) 98850-0560 ᴪ Clube em que foi criado e desenvolvido os primeiros conceitos do Projeto PAR: Santos FC – 1987/1988 ᴪ Clube em que o Projeto PAR desenvolveu suas atividades: Orange FC ( Los Angeles-USA ) – 1989 ᴪ Apresentações pontuais em alguns clubes no Brasil. Mario Rodrigues é ex-atleta de tênis de campo, tendo atuado dos 4 aos 13 anos de idade pelo Clube Internacional de Regatas (Santos-SP). Posteriormente foi atleta da base do Santos FC, atuando como centroavante e meia-atacante. Durante o período universitário, foi atleta de futsal do Citrosuco Paulista, atuando como ala e pivô. É graduado em Psicologia e Pedagogia pela UNISANTOS (1985 / 1994) , além de ser pós-graduado em Marketing pela ESPM-SP (1989). www.slideshare.com/projetoPAR “ A verdadeira viagem de descobrimento não consiste em procurar novas paisagens, e sim em ter novos olhos. “ Marcel Proust

×