A ALTA IDADE MÉDIA
A RECONFIGURAÇÃO DO MUNDO EUROPEU
1- FRAGMENTAÇÃO POLÍTICA
IDADE MÉDIA
2- Substituição da unidade político-juridica
(antigo Império Romano) pela
fragmentação política (reinos bárbaros e
feudos)...
3- Economia: ruralização; a falta de
escravos transformou vários contingentes
de trabalhadores em servos; decadência do
co...
O REINO CRISTÃO DOS FRANCOS
1- REIS MEROVÍNGIOS:
1.1 – Iniciada por Meroveu líder guerreiro.
1.2 – Clóvis : força militar ...
2- OS REIS CAROLÍNGIOS:
2.1– Retorno da unidade territorial e da
autoridade real, fim do governo dos
“indolentes”.
2.2 - A...
2.4 - O reinado de Carlos Magno:
a)O Estado franco foi estruturado por Carlos Magno:
devido à criação de uma burocracia es...
E- RENASCENÇA CAROLÍNGIA: escolas e
universidades – pra quê???
T
R
A
T
A
D
O
D
E
V
E
R
D
U
N
Feudo
Principais atividades: Agricultura e pecuária
Objetivo: a auto-suficiência
Principal fonte de riqueza: terra
A mão d...
SOCIEDADE
FEUDAL
Relação de
suserania e
vassalagem
Tipicamente
estamental
A IGREJA CATÓLICA:
1- A Igreja adotou os princípios
administrativos do império romano: padres
(dioceses); bispos (provínci...
4- Voto de pobreza, castidade, silêncio
e obediência ao papa.
5- Monopólio do saber: mosteiros, bibliotecas;
universidades...
2013 Alta Idade Média
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

2013 Alta Idade Média

792 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
792
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2013 Alta Idade Média

  1. 1. A ALTA IDADE MÉDIA A RECONFIGURAÇÃO DO MUNDO EUROPEU 1- FRAGMENTAÇÃO POLÍTICA IDADE MÉDIA
  2. 2. 2- Substituição da unidade político-juridica (antigo Império Romano) pela fragmentação política (reinos bárbaros e feudos) A- A adoção do direito consuetudinário, ou seja, concepção do costume/tradição como fonte das leis. B- A difusão da idéia de obrigações recíprocas entre rei e guerreiros (Comitatus).
  3. 3. 3- Economia: ruralização; a falta de escravos transformou vários contingentes de trabalhadores em servos; decadência do comércio. 4- Fortalecimento do cristianismo, sobretudo após a conversão de vários monarcas bárbaros a nova religião, sobretudo o reis francos. 5- Substituição do latim pelas línguas bárbaras, e a posterior formação das línguas neolatinas.
  4. 4. O REINO CRISTÃO DOS FRANCOS 1- REIS MEROVÍNGIOS: 1.1 – Iniciada por Meroveu líder guerreiro. 1.2 – Clóvis : força militar e conversão ao cristianismo. 1.3 – Os reis francos tornaram-se defensores do papado. 1.4 – A inabilidade dos filhos possibilitou a ascensão da figura do prefeito do palácio.
  5. 5. 2- OS REIS CAROLÍNGIOS: 2.1– Retorno da unidade territorial e da autoridade real, fim do governo dos “indolentes”. 2.2 - A vitória sobre os árabes muçulmanos na batalha de Poitiers (732), sob a liderança do prefeito do palácio Carlos Martel, “sujeitou” a Igreja Católica à influência franca.
  6. 6. 2.4 - O reinado de Carlos Magno: a)O Estado franco foi estruturado por Carlos Magno: devido à criação de uma burocracia estatal. b) Concessões de terras aos nobres que lutavam as suas guerras eram os condados (condes) e as marcas (marqueses). c) O dirigente da Igreja não poderia criticar o poder temporal e os bispos deveriam se subordinar ao chefe temporal. d) Tentativa de reconstrução do antigo Império Romano do Ocidente.
  7. 7. E- RENASCENÇA CAROLÍNGIA: escolas e universidades – pra quê???
  8. 8. T R A T A D O D E V E R D U N
  9. 9. Feudo Principais atividades: Agricultura e pecuária Objetivo: a auto-suficiência Principal fonte de riqueza: terra A mão de obra servil A rotação de culturas.
  10. 10. SOCIEDADE FEUDAL Relação de suserania e vassalagem Tipicamente estamental
  11. 11. A IGREJA CATÓLICA: 1- A Igreja adotou os princípios administrativos do império romano: padres (dioceses); bispos (províncias); arcebispos (capitais das províncias) e os patriarcas (bispos das principais cidades do império romano) 2- Poder temporal (terras) e poder espiritual. 3- A divisão em clero secular e clero regular
  12. 12. 4- Voto de pobreza, castidade, silêncio e obediência ao papa. 5- Monopólio do saber: mosteiros, bibliotecas; universidades, escolas; “copistas”. 6- Combate as heresias e o Cisma do Oriente (1054) 6.1- Arianismo: negava a divindade de Cristo 6.2- Montanistas: eram contrários a riqueza da Igreja e pregavam a rápida vinda de Cristo para julgar o mundo

×