WP2_ JAVIER CASTRO/LICINIO ROQUE_GENERAL AND PORTUGAL

281 visualizações

Publicada em

.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
281
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

WP2_ JAVIER CASTRO/LICINIO ROQUE_GENERAL AND PORTUGAL

  1. 1. El SECTOR DIGITAL EN EL SUDOE DE EUROPA: LECCIONES DESDE LA EXPERIENCIA PORTUGUESA Javier Castro Spila – Licinio Roque FECHA: 28-11- PROYECTO TRANSCREATIVA 2014
  2. 2. LA ESTRATEGIA DE INVESTIGACION Patrimonio MAPEOS Estudios comparados Sector digital El peso de las ICC en las regiones Análisis cualitativo Análisis cualitativo Análisis cuantitativo
  3. 3. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL EL SECTOR DIGITAL MAPEAR capacidades, competencias, tecnologías y en el sector digital de Aquitania, País Vasco y Coimbra.
  4. 4. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) METODOLOGIA (1) ESTUDIO CUALITATIVO : Entrevistas semi-estructuradas UNIDAD DE ANÁLISIS: Las empresas del sector digital. UNIDAD DE INFORMACIÓN: los gerentes de las empresas / personas con responsabilidad en las decisiones estratégicas de la organización.
  5. 5. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) METODOLOGIA (2) PERFIL DE LAS EMPRESAS A INVESTIGAR: TOTAL 30 (10 de por región) Video juegos (juegos lúdicos y serious games) Audiovisual (únicamente las empresas que desarrollan contenidos culturales) Software: (a) Servicio creativo digital: aplicaciones para Smart pone/tableta, realizada aumentada, animación 3D, (b) Diseño de interfaz; (c) Desarrollo de software destinado a las ICC.
  6. 6. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) METODOLOGIA (3) Dimensiones de Análisis • Contexto • Capacidades y Competencias • Innovación • Cooperación • Expectativas (Polo Creativo)
  7. 7. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) NIVEL DE ESTUDIOS DEL PERSONAL CONTRATADO - FORMACIÓN: Destaca Portugal porque posee el mayor porcentaje (79 %) de personas con educación superior en el sector - EXPERIENCIA: Destaca el PAIS VASCO en cuanto a porcentaje de personas que tienen amplia expriencia de trabajo en el sector (35% más de 10 años).
  8. 8. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) DIFICULTADES PARA INNOVAR AQUITANIA es la región que menos dificultades para innovar posse (segun los entrevistados) (53% indica no tener serias dificultades para: acceso a mercados, a financiación, a recursos humans cualificados, y a redes de conctactos.
  9. 9. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) CAPACIDADES INTERNAS PARA INNOVAR PAIS VASCO destaca como la región con mayores competencias innovadoras por parte de su personal (85%). Competencias tales como trabajar con nuevas disciplinas; desarrollar relaciones de confianza (equipos), trabajar en equipo, trabajar con datos y estadisticas, localizar problemas y soluciones ….
  10. 10. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) CAPACIDADES DE COOPERACION PORTUGAL destaca por poseer la media de socios mas alta en sus proyectos de cooperacion (5,7) respecto de sus homólogos en otras regiones Y Es la región con mayor intensidad cooperadora: solo el 9% de las empresas no possen actividades de cooperación.
  11. 11. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) EL CASO DE PORTUGAL
  12. 12. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) LECCIONES DESDE PORTUGAL Principales factores • Financiamento percebido como um problema • Barreiras legais (custo do recurso à Justiça elevado, sobretudo por demora processual) • Qualificação dos Recursos Humanos é um desafio, bons RH não são fáceis de encontrar • Networking empresarial percebido como difícil • Mercado e tecnologias acessíveis e adoptadas • Projectos (I&DT) em cooperação frequentes
  13. 13. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) Grau de importância dado às funções do PÓLO CRIATIVO Espaços de Uso Comum 5 5 Equipamento e Ferramentas Específicas Organização de Eventos Internacionais 3 3 3 Ser lugar de demonstração e teste, para profissionais Constituir Laboratórios de teste e uso Lugar de inspiração 7 6 5 4 3 2 1 0 2 1 0 0 1 1 4 1 1 2 3 2 2 2 3 5 6 3 4 1 – Não muito útil 2 – Baixa Importância 3 – Importante 4 – Muito importante 5 – Crítico/Não pode faltar Mais BAIXA (3,4 - Importante) Mais ELEVADAS (4,4 – Muito importante/Crítico)
  14. 14. TRANSCREATIVA: SECTOR DIGITAL (2) Outras Funções do PÓLO CRIATIVO Promoção de atividades efetivas de fundrainsing para um projecto (não para a empresa); alimentar spin-off Ser O local de referência para a divulgação das competências, do que é produzido e de promoção nas redes, com uma pessoa “real” afeta a esse trablaho Rede de contacto/networking bem desenvolvida, mas para o exterior, não entre as pessoas “locais” Atividades e iniciativas em contínuo, programadas e regulares, eventos de efetivo networking, com organização de eventos que divulguem portfolio e projetos em curso, para o público; que promovam projetos e o match-making entre oferta de competências e a procura de soluções. Ter “brigadas de descomplicação” de procedimentos [..] falar e sensibilização para as tecnologias e negócios, com conhecimento e overview das tendência internacionais. Ter a capacidade de head-hunting (selecção especializada de recursos humanos de acordo com necessidades específicas das empresas PMEs, em particular). Ter/constituir um fundo de financiamento próprio à produção por parte das empresas | estabelecer um programa de financiamento à produção por terceiros. Tenha uma equipa própria e competências claras na agilização e desburocratização do acesso a fundos de programas.... Ter um “protocolo” especial com as Universidades (UC, em particular) para que os estágios (ou alguns estágios) aconteçam no Pólo Criativo, permitindo o contacto dos futuros profissionais (engenheiros informáticos e designers, em concreto) mais cedo com as empresas de pequena dimensão e neste setor. juntar e unir forças para outros mercados Criação e fomento de um bom networking, com boa pratica com um orgão mediador desse netowrking que deve ser feito de forma prática. Combater a falta de centralidade (Centro e Portugal). Rede de networking que levasse a outros decisores. Organizar eventos internacionais, trazendo decisores e key players na distribuição, no acesso a networks. Stands partilhados que apresenta em feiras, colocação de recursos em feiras chave no digital setor Contactos contactos contactos: colocar meia dúzia de pessoas a par das necessidades das empresas (apesar dos pontos fortes e fracos e as necessidades não são as mesmas). Sitio onde colocar os portfolios de todos os ilustradores, com comitê de seleção e curadoria das qualidades (online ou físico) , com curadoria. Relações de mentor e mentorado: criação de relações em que se percebe que vamos aprender bastante . E proximidade de quem financia e quem usa o dinheiro. Ensino integrado que vá além do que é comum. Mais ou menos bem servidos nos centros, mas os prodígios não veem desse locais. Acesso a financiamento que não seja financiamento público. O smart money é dificil encontrar em Portugal.
  15. 15. www. transcreativa.eu 15 Eskerrik asko Gracias

×