Funcoes sintacticas ml

299 visualizações

Publicada em

Funções sintáticas de acordo com o DT

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
299
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Funcoes sintacticas ml

  1. 1. Funções sintáticas
  2. 2. Funções sintáticas ao nível da frase Sujeito Vocativo Predicado Modificadorda frase
  3. 3. Sujeito  O Miguel trabalhou.  Nós trabalhámos.  Tu trabalhaste.  Eles trabalharam.  Elas trabalharam.  Isso é o trabalho de casa. * O Miguel trabalharam. * Nós trabalhaste. * Tu trabalhámos. * Eles trabalhei. * Elas trabalhou. Sujeito: - função sintática exercida pelo grupo nominal; - pode ser substituído pelo pronome pessoal com função de sujeito ou, nalguns casos pelo pronome demonstrativo (isto, isso, aquilo); - concorda em pessoa e número com o verbo.
  4. 4. Sujeito simples e composto  Constituído por um só grupo nominal, um pronome ou mesmo uma oração: O Miguel comeu o bolo. Tu comeste o bolo. É possível que ele tenha comido o bolo.  Constituído por dois ou mais grupos nominais, pronomes ou orações: O Miguel e o João comeram o bolo. Tu e a Maria comeram o bolo. Eu e tu comemos o Sujeito simples Sujeito composto
  5. 5. Sujeito nulo  Sujeito expletivo  (não existe sujeito com formas verbais que se referem a fenómenos da natureza e ainda com o verbo have r quando significa “existir”)  Sujeito subentendido  (não está explícito, mas é facilmente identificável pelo contexto)  Sujeito indeterminado ( ) Choveu muito hoje. ( ) Há muito que não chove. (Nós) Queremos sair daqui. O Miguel foi para a praia. (O Miguel - ele) Nadou e (o Miguel - ele) apanhou sol. Disseram que estavas
  6. 6. Vocativo  Meninos, vamos para casa!  Queres ir ao cinema, Miguel?  Maria, estou farta de te avisar! Vocativo: - função sintática que representa o nome ou a entidade a quem nos dirigimos; - surge muitas vezes em frases interrogativas, imperativas e exclamativas; - surge em diferentes locais da frase, isolado por vírgulas.
  7. 7. Sujeito e vocativo  Nunca se coloca uma vírgula entre o sujeito e o predicado.  O Miguel quer ir ao cinema.  O sujeito concorda em pessoa e número com o verbo.  O Miguel vai ao cinema.  O Miguel e a Maria vão ao cinema.  Surge sempre entre vírgulas.  Miguel, queres ir ao cinema?  O Vocativo não concorda em pessoa e número com o verbo.  Miguel, vamos ao cinema? Sujeito Vocativo
  8. 8. Predicado  O Miguel trabalhou.  O Miguel comeu um bolo.  O Miguel escreveu um livro.  O Miguel está em casa.  O Miguel tem trabalhado.* Predicado - função sintática desempenhada pelo grupo verbal, cujo núcleo é o verbo. Este pode apresentaruma só forma ou ser um complexo verbal(verbo principal e verbos auxiliares)*
  9. 9. Funções sintáticas internas ao grupo verbal Complemento Complemento direto Complemento indireto Complemento oblíquo Complemento agente da passiva Predicativo Predicativo do sujeito Predicativo do complemento direto Modificadordo grupo verbal
  10. 10. Complemento direto Complemento directo: - complemento seleccionado pelo verbo; - tem a forma de um grupo nominal ou de uma oração. OMiguel comeu o bolo. O Miguel viu o cão. O Miguel viu o cão. O Miguel e o Pedro viram o cão. O Miguel diz que viu um cão. O Miguel diz que viu um cão.
  11. 11. Complemento indireto Complemento indireto: - complemento selecionado pelo verbo; - tem a forma de um grupo preposicional, iniciado, geralmente, pela preposição a. OMiguel escreveu ao João. O Miguel falou ao Pedro. O Miguel Falou ‘’’’ ao Pedro.
  12. 12. Complemento direto e indireto  O Miguel comeu um bolo.  O Miguel comeu-o.  O Miguel escreveu uma carta.  O Miguel escreveu-a.  O Miguel comprou os livros.  O Miguel comprou-os.  O Miguel baralhou as cartas.  O Miguel baralhou-as.  O Miguel diz que viu um cão.  O Miguel diz isso.  O Miguel escreveu ao Pedro.  O Miguel escreveu-lhe.  O Miguel escreveu ao Pedro e ao João.  O Miguel escreveu-lhes.  O Miguel escreveu-me uma carta.  O Miguel escreveu-te.  O Miguel escreveu-nos.  O Miguel escreveu-vos. Complemento direto Complemento indireto
  13. 13. Complemento direto e indireto  É selecionado pelo verbo (transitivo direto).  Tem a forma de grupo nominal ou oração.  Pode ser substituído pelos pronomes pessoais o, a, os, as ou pelos pronomes demonstrativos o, isso, isto, etc.  É selecionado pelo verbo (transitivo indireto).  Tem a forma de grupo preposicional.  Pode ser substituído pelos pronomes pessoais me, te, lhe, nos, vos, lhes. Complemento direto Complemento indirecto
  14. 14. Complemento oblíquo  O Miguel foi para casa.  O Miguel mora aqui.  O Miguel gosta de bolos.  O Miguel rompeu com os amigos.  O Miguel implicou com o seu colega.  O Miguel mudou de casa. * O Miguel foi. * O Miguel mora. * O Miguel gosta. * O Miguel rompeu. * O Miguel implicou. * O Miguel mudou. Complemento oblíquo: - complemento selecionado pelo verbo; - pode ter a forma de grupo preposicional ou adverbial ou ambos em coordenação; - se for retirado da frase, esta fica incorreta ou de sentido incompleto.
  15. 15. Complemento indireto e oblíquo  O Miguel escreveu ao Pedro.  O Miguel escreveu- lhe.  O Miguel escreveu ao Pedro e ao João.  O Miguel escreveu- lhes.  O Miguel foi a casa. * O Miguel foi-lhe.  O Miguel gosta de bolos. * O Miguel gosta-lhes. Complemento indireto Complemento oblíquo
  16. 16. Complemento indireto e oblíquo  É selecionado pelo verbo (transitivo indireto).  Tem a forma de grupo preposicional  Pode ser substituído pelo pronome pessoal “lhe”, “lhes”  É selecionado pelo verbo (transitivo indirecto).  Tem a forma de grupo preposicional ou de grupo adverbial  Não pode ser substituído pelo pronome pessoal Complemento indireto Complemento oblíquo
  17. 17. Complemento agente da passiva  Os cavalos puxam a carroça.  A carroça é puxada pelos cavalos.  A carroça é puxada. Complemento agente da passiva: – função sintática que é selecionada pelo verbo ; – está presente nas frases passivas; – corresponde ao sujeito da frase na voz ativa; – tem a forma de grupo preposicional, habitualmente iniciado pela preposição por (contraída ou não). Voz AtivaVoz Passiva
  18. 18. Predicativo do sujeito  O Miguel é um rapaz.  O Miguel ficou contente.  O Miguel está em casa.  O Miguel continua aqui.  A festa é amanhã. Predicativo do sujeito: - atribui uma propriedade, uma característica ou uma localização ao sujeito; - Completa o sentido dos verbos copulativos (ser, estar, ficar, parecer (como em "parecer doente"), permanecer, continuar (como em "continuar calado"), tornar-se e revelar-se. ) - - pode ter a forma de um grupo nominal, de um grupo adjetival, de um grupo preposicional ou de um grupo adverbial.
  19. 19. Complemento direto e Predicativo do sujeito  É selecionado por um verbo transitivo direto.  Não atribui uma propriedade, característica ou localização ao sujeito.  Tem sempre a forma de grupo nominal.  É seleccionado por um verbo copulativo: ser, estar, ficar, parecer, permanecer, continuar, tornar-se, revelar-se  Atribui uma propriedade, característica ou localização ao sujeito.  Pode ter a forma de grupo nominal, adjectival, preposicional e adverbial Complemento direto Predicativo do sujeito
  20. 20. Predicativo do complemento direto  O povo elegeu o presidente deputado.  Ninguém acha a Joana simpática. Predicativo do complemento direto: - complemento selecionado pelo verbo transitivo (predicativo); - predica algo acerca do complemento direto; - tem a forma de um grupo nominal, adjetival ou preposicional
  21. 21. Modificadordo grupo verbal  O Miguel trabalhou de manhã.  O Miguel correu bem.  O Miguel lia no quarto.  O Miguel trabalhou.  O Miguel correu.  O Miguel lia. Modificador: – função sintática que não é selecionada pelo verbo, mas que se relaciona com ele; – pode ter a forma de grupo preposicional ou adverbial; -- transmite frequentemente noções de tempo, lugar, modo, etc.; -- pode ser eliminado da frase, a qual não perde correção ou coerência.
  22. 22. Complemento oblíquo e modificador  É selecionado pelo verbo (transitivo indireto).  É indispensável ao sentido da frase.  Tem a forma de grupo preposicional ou adverbial.  Não é selecionado pelo verbo, mas relaciona-se com ele.  É dispensável ao sentido da frase.  Tem a forma de grupo preposicional ou adverbial. Complemento oblíquo Modificador
  23. 23. Modificadorda frase  Infelizmente perdemos o avião.  Na verdade, perdemos o avião.  O avião já tinha partido, quando chegámos ao aeroporto.  Perdemos o avião.  O avião já tinha partido. Modificador da frase: - não é selecionado por nenhum dos constituintes da frase; - pode ser dispensado; - pode ter a forma de grupo adverbial ou preposicional e incide sobre a frase; –– pode ser uma oração (subordinada adverbial) e, neste caso, modifica a oração subordinante;
  24. 24. Modificadordo grupo verbal e modificadorda frase  Não é selecionado pelo verbo, mas relaciona-se com ele.  É dispensável ao sentido da frase.  Tem a forma de grupo preposicional ou adverbial;  Podem ser interrogados ou negados ou ocorrer com só ou ape nas . O Miguel partiu hoje. Foi hoje que o Miguel partiu? O Miguel partiu só hoje. O Miguel partiu apenas hoje  Não é selecionado por nenhum dos constituintes da frase.  É dispensável ao sentido da frase.  Tem a forma de grupo preposicional ou adverbial ou oração (subordinada adverbial)  Não podem ser interrogados ou negados ou ocorrer com só ou ape nas . Infelizmente o Miguel partiu. Foi infelizmente o Miguel que partiu? * Foi só infelizmente o Miguel que partiu? Foi apenas infelizmente o Miguel que Modificadordo grupo verbal Modificadorda frase
  25. 25. Funções sintáticas internas ao grupo nominal Complemento do nome Modificador Restritivo Apositivo
  26. 26. Complemento do nome  A ideia de que o carro do Miguel está avariado é absurda.  O carro do Miguel está avariado.  Os açorianos dedicaram- se durante anos à pesca baleeira.(pescaram baleias)  A ideia é absurda.  O carro está avariado.  Os açorianos dedicaram-se durante anos à pesca. Complemento do nome: – função sintática que é selecionada pelo nome , mas tem carácter opcional; – pode ter a forma de grupo preposicional (oracional ou não) ou, menos frequentemente, um grupo adjetival(constituído por um adjetivo derivado de um nome, sendo o nome que o seleciona derivado de um verbo); – um nome pode selecionar mais do que um complemento.
  27. 27. Modificadordo Nome  A maioria dos países que pertencem à união europeia adotaram o euro.  A maioria dos países adotaram o euro.*  Maria adora flores frescas.  Maria adora flores.*  O Prémio Nobel da Literatura foi atribuído a Alice Munro em 2012.  O Prémio Nobel foi atribuído a Alice Munro em 2012.*  A Inglaterra, que faz parte da União Europeia, não adotou o euro.  A Inglaterra não adotou o euro.  A Maria, de quem sou muito amiga, adora flores.  A Maria adora flores.  Saramago, Prémio Nobel da Literatura, é um dos meus autores preferidos.  Saramago é um dos meus autores preferidos. Modificadorrestritivo Modificadorapositivo
  28. 28. Modificadordo Nome  Limita a informação dada sobre o nome, atribuindo- lhe uma propriedade que o distingue  É indispensável ao sentido da frase.  Não pode ser separado do nome por vírgulas.  Tem a forma de grupo adjetival ou preposicional ou oração adjetiva relativa restritiva.  Acrescenta informação ao nome.  É dispensável ao sentido da frase.  Surge separado do nome por vírgulas.  Tem a forma de grupo nominal ou oração adjetiva relativa explicativa. Modificadorrestritivo Modificadorapositivo
  29. 29. Modificadordo nome e Predicativo do complemento direto  É selecionado pelo nome  Não pode deslocar-se para a posição de adjacente à direita do verbo, dado que altera ou retira o sentido à frase. Maria adora estas flores frescas. Maria adora frescas estas flores.*  É selecionado pelo verbo (transitivo predicativo)  Pode deslocar-se para a posição de adjacente à direita do verbo. O povo elegeu o Sr. Fernandes deputado. O povo elegeu deputado o Sr. Fernandes . Ninguém acha a Joana simpática. Ninguém acha simpática a Joana . Modificadordo nome Predicativo do complemento direto
  30. 30. Funções sintáticas internas ao grupo adjetival Complemento do adjetivo
  31. 31. Complemento do adjetivo  O Miguel está contente por te ver.  O Miguel está contente com o carro.  O Miguel está contente. Complemento do adjetivo: – função sintática que é selecionada pelo adjetivo , mas tem carácter opcional; – tem a forma de grupo preposicional (oracional ou não)

×