Língua Portuguesa

175 visualizações

Publicada em

Tópicos de interfaces linguísticas

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
175
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Língua Portuguesa

  1. 1. Universidade estadual do Goiás Câmpus Posse Língua Portuguesa IV Professora: Meire Acadêmica: Maria Alice e Tatiane
  2. 2. Tópicos de interfaces linguísticas
  3. 3. Introdução
  4. 4. 1.1 A porta está aberta: um olhar sintático, lexical e semântico
  5. 5. 1.2 Entonação e olhares fonético/fonológico, semântico, sintático e discursivo
  6. 6. 1.3 Acento tônico O acento de intensidade também chamado acento tônico sinaliza um recurso estilístico (Martins, 2008) quando a sílaba que leva esse acento é pronunciada com mais intensidade e duração exagerada. Ele é lindo! Que chato! O enunciado só existe com a acentuação e entonação adequadas!
  7. 7. 1.3 Acento tônico A duração do acento não tem função fonológica, mas expressiva e pode ser marcada pela repetição de grafema. Ex: Goool Amooor Grafema: é a unidade formal mínima da escrita. Minino porque não pode ser desmembrado em dois ou mais sinais que também pode ser chamados de grafemas.
  8. 8. 1.4 Análise linguísticas a partir de fonética/fonologia, sintaxe, semântica, variação linguística e morfologia. Análise: “O português é fácil” (Revista Veja- 28/11/1990) Compreender a fonética, a sintaxe, a morfologia e a semântica a partir do texto:
  9. 9. 1.4 Análise linguísticas a partir de fonética/fonologia, sintaxe, semântica, variação linguística e morfologia. Pois é. U purtugêis é muito fáciu di aprender, purqui é uma língua que a genti escreve ixatamente cumu si fala. [...] É so pretátenção. É possível a compreensão do texto quando ativamos nossos conhecimentos em relação aos sons da oralidade (fonética) para construirmos o sentido (semântica) dessa escrita. Crítica do Jô Soares sobre a questão da oralidade e da escrita da língua portuguesa.
  10. 10. 1.4 Análise linguísticas a partir de fonética/fonologia, sintaxe, semântica, variação linguística e morfologia. O autor afirma que não escrevemos como falamos. O discurso escrito e diferente da oralidade. Refere também ao inglês, alemão, espanhol (apresentam características diferenciadas).
  11. 11. 1.4 Análise linguísticas a partir de fonética/fonologia, sintaxe, semântica, variação linguística e morfologia. Análise do texto a partir da escrita padrão e analisando o ponto de vista sonoro. Observem em que LP significa língua padrão. Pois é. U purtugêis é muito fáciu di aprender, purqui é uma língua LP : O português fácil de porque que a genti escreve ixatamente cumu si fala. [...] É so pretátenção. LP: gente exatamente como se presta atenção. Marca da oralidade(sons/fonética)
  12. 12. 1.4 Análise linguísticas a partir de fonética/fonologia, sintaxe, semântica, variação linguística e morfologia. Estrutura da sentença (sintaxe) Está adequado segundo parâmetro da língua padrão, ou seja, a mudança da escrita da palavra não alterou a forma da sentença e nem tão pouco a pontuação e o sentido. Estrutura da sentença (semântica) Compreendemos o texto é porque ele é coerente para nós. O trecho também tem coesão apesar de as palavras escritas serem diferentes da língua padrão
  13. 13. 1.4 Análise linguísticas a partir de fonética/fonologia, sintaxe, semântica, variação linguística e morfologia. Outro aspecto: Juntura intervocabular na escrita “pretátenção”, ou seja uniu as palavras prestar + atenção, escrevendo com falamos sem, no entanto , alterar o sentido semântico. Ditongação na escrita de “ei” em português, ou seja, o som [e] virou ditongo [eI], som forte [e], e depois som fraco, a semi-volaga ou glide [~I].
  14. 14. 1.4 Análise linguísticas a partir de fonética/fonologia, sintaxe, semântica, variação linguística e morfologia. Outro aspecto: Juntura intervocabular na escrita “pretátenção”, ou seja uniu as palavras prestar + atenção, escrevendo com falamos sem, no entanto , alterar o sentido semântico. Ditongação na escrita de “ei” em português, ou seja, o som [e] virou ditongo [eI], som forte [e], e depois som fraco, a semi-volaga ou glide [~I].
  15. 15. 1.5 Análise linguísticas de textos de criança em fase de alfabetização O jabuti O jabuti viu uma Mioca. Ele perguntou Você save ode tem Uma fruta dona mioca deci cei ate obrigado
  16. 16. 1.5 Análise linguísticas de textos de criança em fase de alfabetização A vovó viu uma gato ai o carro Mata o gato adepoi gato foi o rapais foi para a cadeia a vovó dici qui gato foi Ele era cabeludo a mamãe dici e Eu vi Ele na Rua adepois o carro mato Ele eu jalicatei tudo a mamãe dici ta bo a gora Eu já vó
  17. 17. 1.5 Análise linguísticas de textos de criança em fase de alfabetização Percebemos, então, que a escrita, a fonética/fonologia, semântica, a sintaxe, o discurso, a morfologia e o léxico são áreas que complementam olhares na compreensão linguística.

×