Auto da barca do inferno quadro-síntese

26.038 visualizações

Publicada em

Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente
quadro-síntese, caracterização das personagens

Publicada em: Educação
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.038
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.436
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
517
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Auto da barca do inferno quadro-síntese

  1. 1. AUTO DA BARCA DO INFERNO
  2. 2. PERSONAGENS FIDALGO SÍMBOLOS CÉNICOS PAJEMexploração do povo CADEIRA – poder MANTO - vaidade CLASSES OU GRUPOS SOCIAIS/ PROFISSIONAIS Nobreza PECADOS/VIRTUDES ARGUMENTOS DE DEFESA 1) de natureza social 2) de natureza religiosa PERCURSOS CÉNICOS   Diabo Anjo 1)Vida de prazer Passado genealógico Tirania 2) Falsa vivência da religião 1) “Sou fidalgo de solar” 2) “Que leixo na outra vida/ Quem reze sempre por mi” Inferno “ilha perdida” “para a infernal comarca” ONZENEIRO Bolsão – ambição - avareza Grupo profissional: empréstimo de dinheiro a juros Avarento usurário Deixou todo o dinheiro em terra PARVO Não tem porque não representa nenhum grupo social, classe ou vício Avental formas A sua função é obter efeitos cómicos a coberto da irresponsabilidade Simplicidade “por malícia não erraste” (Anjo) Grupo profissional: artesãos Desonestidade, roubou na sua profissão, má consciência religiosa, morreu excomungado Acusa o Diabo, insultando-o: Cornudo, excomungado nas igrejas Confessado e comungado, missas assistidas, dinheiro dado à igreja, orações pelos defuntos Moça, broquel, espada, capacete, capelo, hábito Clero “sou cortesão” Vida mundana, devasso, amancebado, má consciência religiosa SAPATEIRO FRADE DESTINOS ATRIBUÍDOS No convento fazem outro tanto; o hábito não me vale? Um padre tão namorado e dado a virtude; com tanto salmo rezado; foi da pessoa (muito importante) Paraíso “Lago dos danados” Condenação do frade e da moça O Anjo não lhe responde. O Parvo critica-o.
  3. 3. AUTO DA BARCA DO INFERNO – ALCOVITEIRA JUDEU CORREGEDOR e PROCURADOR 600 virgos postiços, 3 arcas de feitiços, 3 armários de mentir, 5 cofres de enleios, furtos, jóias Bode – símbolo da libertação do povo judeu Feitos e vara QUADRO-SÍNTESE Denúncia da prostituição, impostura, roubo, feitiçaria, má consciência religiosa Mentia, enganava as raparigas, vivia descaradamente dessa profissão escandalosa Vida de mártir e de dedicação aos outros: Uma mártir sem igual, criava as meninas para os cónegos da Sé Inferno Grupo social marginalizado – os judeus Apego ao dinheiro Fanatismo religioso (religião judaica) Não guardava abstinência, profanava as igrejas Presunçoso. justiça corrupta; má prática religiosa: Corregedor falsidade, confissão pecaminosa; Procurador – não se confessou, não quis saber de Deus Crime, ignorância religiosa, não ouviu Deus, Passagem pela prisão do Limoeiro, deixou-se manobrar, condenação à morte por enforcamento Deram a vida em defesa da Fé Cristã “Passai-me por meu dinheiro” Parvo “Por que não irá o Judeu onde vai Brízida Vaz?” Vai à toa, rebocado na Barca do Diabo. Quer fazer valer a sua posição social Julgou imparcialmente (diz); Parvo Inferno Magistratura - Justiça Livros ENFORCADO Baraço (corda) Criminosos CAVALEIROS Cruz de Cristo Espadas, escudos Cruzados Não confessou tudo para não ter de devolver Crédulo – os que morrem confessados são livres de Satanás “morremos nas partes d’além por Jesus Cristo” Inferno: Terra dos demos Lago dos cães Terra dos danados Condenado em vida à forca Depois de morto ao Inferno Paraíso

×