O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera

573 visualizações

Publicada em

Jorge Amado, O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
573
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Primavera

  1. 1. O GATO MALHADO E A ANDORINHA SINHÁ UMA HISTÓRIA DE AMOR Português – 8.º Ano Prof.ª Margarida Santos
  2. 2. SOBRE O AUTOR Jorge Amado nasceu a 10 de agosto de 1912, na fazenda Auricídia, a sul do Estado da Bahia. Filho do fazendeiro de cacau João Amado de Faria de Eulália Leal Amado. Formou-se pela Faculdade Nacional de Direito, com a licenciatura, no Rio de Janeiro, em 1935. Militante comunista, foi obrigado a exilar-se na Argentina e no Uruguai entre 1941 e 1942, período em que fez longa viagem pela América Latina. Ao voltar, em 1944, separou-se de Matilde Garcia Rosa, com quem tinha casado.
  3. 3. SOBRE O AUTOR Em 1945, foi eleito membro da Assembleia Nacional Constituinte, pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB), tendo sido o deputado federal mais votado do Estado de São Paulo. Jorge Amado foi o autor da lei, ainda hoje em vigor, que assegura o direito à liberdade de culto religioso. Nesse mesmo ano, casou-se com Zélia Gattai.
  4. 4. SOBRE O AUTOR Em 1947, ano do nascimento do seu filho João Jorge, o PCB foi declarado ilegal e os seus membros perseguidos e presos. Jorge Amado teve que se exilar com a família em França, onde ficou até 1950, quando foi expulso. Em 1949, morreu no Rio de Janeiro a sua filha Lila (do 1.º casamento). Entre 1950 e 1952, viveu na Checoslováquia, onde nasceu a sua filha Paloma. De volta ao Brasil, Jorge Amado afastou-se, em 1955, da militância política, sem, no entanto, deixar o Partido Comunista. Dedicou-se, a partir de então, inteiramente à literatura. Morreu em S. Salvador da Baía, no dia 6 de agosto de 2001, tendo a sua morte sido noticiada pelos jornais de todo o mundo.
  5. 5. SOBRE O AUTOR A obra literária de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão. Os seus livros foram traduzidos em 55 países, em 49 línguas.
  6. 6. PREFÁCIO A história de amor do Gato e da Andorinha Sinhá foi escrita com o objetivo de ser oferecida ao filho João Jorge, quando este completasse um ano de idade, para que a lesse, quando conseguisse. O autor nunca pensou em publicá-la, mas quando o livro foi encontrado em 1976, tendo sido dado a ler ao famoso artista Carybé, este ilustrou-o com belas imagens que levaram Jorge Amado a aceder à publicação.
  7. 7. DEDICATÓRIA A quem é dedicada a obra? • Ao seu filho: João Jorge • Ao resto da família: mulher, afilhado, netos • A Carybé • A um leitor anónimo • Aos seus leitores espalhados por todo o mundo
  8. 8. POEMA / TROVA DE ESTÊVÃO DA ESCUNA «O mundo só vai prestar Para nele se viver No dia em que a gente ver Um gato maltês casar Com uma alegre andorinha Saindo os dois a voar O noivo e sua noivinha Dom Gato e dona Andorinha.» Segundo a sua mensagem, quando é que o mundo valerá a pena? E o que significa isso para os seres humanos?
  9. 9. POEMA / TROVA DE ESTÊVÃO DA ESCUNA Segundo a mensagem do poema, o mundo só valerá a pena quando for possível ultrapassar todos os preconceitos e juntar, naturalmente, espécies de raças diferentes. Moralidade da história
  10. 10. PARÊNTESIS Indica a intencionalidade deste capítulo. Este capítulo tem como objetivo dar aos leitores algumas informações: Os narradores e os narratários VENTO MANHÃ SAPO NARRADOR MANHÃ/SAPO TEMPO NARRADOR LEITORES
  11. 11. A estação da primavera
  12. 12. “Quando a primavera chegou, vestida de luz,…” 1. Quem é a primeira personagem que aparece neste capítulo? A primeira personagem é o Gato Malhado. O ANTI-HERÓI: aquele que é a causa de todos os males e que, no fim, se transforma em HERÓI. Personagem que atrai os leitores porque é o marginal, o provocador (vontade inconsciente de sermos diferentes e prevaricadores). CARACTERIZAÇÃO FÍSICA Um gato feio, gordo, forte, às riscas amarelas e negras, gato de meia-idade, com olhos que transmitiam maldade, e tinha grandes bigodes. CARACTERIZAÇÃO PSICOLÓGICA Solitário, egoísta, mal humorado, antipático, desagradável, convencido e insensível. TIPO DE CARACTERIZAÇÃO Direta.
  13. 13. “Do Gato Malhado ninguém se aproximava” O Gato era a causa de todo os males acontecidos no parque: • “as flores fechavam-se se ele vinha em sua direção” por ele ter derrubado “um tímido lírio branco”; • Os pássaros fugiam dele, pois constava que tinha roubado o pequeno sabiá do seu ninho; • Matou para comer “a mais linda pomba-rola do pombal” • As galinhas ensinavam os filhos a evitá-lo, pois já matara pintos e roubara ovos para comer. Nenhum destes factos estava provado… Apenas a Coruja costumava dizer que o gato não era tão mau assim, talvez isso tudo não passasse de incompreensão geral…
  14. 14. “O Gato Malhado dormia quando a primavera irrompeu, repentina e poderosa.” O Gato acorda, espreguiça-se e sorri, provocando espanto, de tal modo que: • O Pato Negro quase caiu • A Pata Branca pôs a mão no coração • A Galinha Carijó desmaiou • O Galo D. Juan engasgou-se SILÊNCIO TOTAL NO PARQUE • O Gato sorri de novo e todos os animais fogem • O Gato não percebe por que motivo fogem dele, mas é-lhe indiferente Será que a Cobra voltou, como da outra vez, e foi ela que cometeu todos os crimes? O Gato, apresentado como VILÃO, aparece agora como o HERÓI que defende os outros.
  15. 15. “Todos haviam fugido. Não, todos não.” A Andorinha não fugiu como os outros, lá estava ela num ramo a sorrir. INOCENTE DESAFIO CONTRA A DISCRIMINAÇÃO. “De longe os seus pais a chamavam em gritos nervosos. E, dos seus esconderijos, todos os habitantes do parque miravam espantados a Andorinha que sorria para o Gato Malhado.” É aqui que o milagre se dá, talvez trazido pela primavera: O Gato abandonado e desprezado por todos encontra alguém capaz de enfrentar o desafio. O AMOR ACONTECE À REVELIA DE TUDO E DE TODOS!
  16. 16. Exercícios 1. Indica se são verdadeiras ou falsas as afirmações seguintes: Frases (A) A primavera chegou triste e sombria. (B) O Gato Malhado continuou a dormir. (C) O Gato era mal visto pelos habitantes do parque. (D) Todos se afastavam do Gato com medo dele. (E) Não havia provas das malvadezas do gato. (F) A velha Coruja não gostava do Gato Malhado. (G) Com a chegada da primavera, o gato sorriu para tudo e todos. (H) Os outros habitantes alvoroçaram-se ao vê-lo sorrir. (I) O gato não compreendeu o motivo da debandada geral. (J) A Andorinha não fugiu e sorriu-lhe. F F V V V F V V F V
  17. 17. Exercícios 2. Dos vários sentimentos, escolhe os que o Gato inspirava nos outros habitantes do parque: Medo e antipatia 3. Qual terá sido a intenção do narrador ao encaixar na narrativa o episódio ocorrido entre o Gato e a Goiabeira? O narrador pretendia demonstrar que o Gato Malhado nunca se tinha apaixonado por ninguém. orgulho respeito curiosidade medo antipatia indiferença ternura simpatia amizade
  18. 18. Exercícios 4. Por que razão as opiniões da Coruja eram muito respeitadas pelos habitantes do parque? As opiniões da Coruja eram muito respeitadas devido à sua idade e sabedoria que dela advém. 5. Por que razão não teria a Andorinha Sinhá fugido como os outros? A Andorinha Sinhá gostava dele e não concordava com as opiniões e as atitudes dos outros habitantes do parque. Além disso, ela esperava uma oportunidade para falar com o Gato e para conhecê-lo melhor.
  19. 19. Exercícios 6. Indica as várias sensações presentes nos excertos seguintes: EXCERTOS (A) “(...) vestida de luz, de cores e de alegria, olorosa de perfumes sutis, desabrochando as flores e vestindo as árvores de roupagens verdes...” (B) “ (...) um belo espetáculo, a vida em torno, agitada ou mansa. Botões que nasciam perfumados (...) flores radiosas (...) trinados alegres (...) água clara do lago.” (p. 30) (C) “ Cores alegres, aromas de entontecer, sonoras melodias.” Visuais Olfativas Olfativas Visuais Auditivas Visuais Olfativas Auditivas
  20. 20. NOVO PARÊNTESIS PARA APRESENTAR A ANDORINHA SINHÁ
  21. 21. NOVO PARÊNTESIS • Justamente, por ser um parêntesis, surge graficamente entre parêntesis e em itálico. OBJETIVO DESTE CAPÍTULO: Apresentar e caracterizar a heroína desta história - Bela CARÁTER EXCECIONAL - Gentil - Simpática “No dizer geral não existia, em - Sorridente nenhum dos parques por ali - Jovem espalhados, andorinha tão - Inocente bela nem tão gentil quanto a - Suscita paixões Andorinha Sinhá.” - Romântica
  22. 22. NOVO PARÊNTESIS • Por onde passava suscitava paixões e “não havia pássaro em idade casadoira que não suspirasse”. • A Andorinha dava-se com todos mas não amava nenhum, nem mesmo o Rouxinol que vinha “ao clarão da lua cantar à sua janela.” Temos então duas personagens, ANDORINHA e GATO, aparentemente distantes um do outro pelas distintas personalidades e pela própria natureza, e que, num momento de magia, se encontram para viverem uma realidade feliz, vestida de fantasia.
  23. 23. CONTINUAÇÃO DA ESTAÇÃO DA PRIMAVERA
  24. 24. “Em torno era a primavera, sonho de um poeta” • O Gato Malhado, afinal, é um poeta: - É herói romântico - Sensível, imaginativo, inadaptado à vida - Modifica-se pelo amor e, regenerado, vive pelo sonho e emoção Salienta-se a irreverência da Andorinha face a uma personagem que era temida por todos.
  25. 25. “A própria Andorinha sentiu que exagerara…” A Andorinha desafia a autoridade familiar e social na sua atitude provocadora: • O Reverendo papagaio temeu e rezou pela alma da Andorinha Sinhá • Os pais interromperam a conversa e levaram-na consigo, “ralhando com ela” • Mas a maior provocação e o maior desafio foi feito ao Gato, chamando-lhe tolo e feio, o que o ofendeu na medida em que “se achava lindo”
  26. 26. “(…) resta-me apenas suspender mais uma vez a ação e voltar atrás.” O narrador lembra-se de que ainda não apresentou nenhum dado referente à Andorinha e, por conseguinte, vai fazê-lo agora, suspendendo a ação e voltando atrás. TEMPO DA NARRATIVA: momentos em que decorre a ação. ANALEPSE PROLEPSE recuo no tempo avanço no tempo
  27. 27. CAPÍTULO INICIAL, ATRASADO E FORA DO LUGAR
  28. 28. “A Andorinha Sinhá, além de bela, era um pouco louca.” • O atrevimento da Andorinha em enfrentar o Gato é explicado pelo facto de ser “um pouco louca”. • Algo ensombra a sua felicidade: o facto de nunca ter conseguido falar com o Gato. Há muito que o perseguia, voando ares fora ou escondendo-se nas árvores, pregando-lhe partidas. • A Vaca Mocha, figura importante do parque e em tempos injuriada pelo Gato, dá lições de compostura social: OS GATOS NÃO PODEM ESTABELECER RELAÇÕES COM ANDORINHAS, pois isso contaria a LEI. Além disso, muitas andorinhas já tinham sucumbido às garras de felinos como aquele…
  29. 29. “- É um gato, e ainda por cima, malhado!” • A Andorinha jurou à Vaca Mocha que nunca mais atiraria gravetos ao gato, mas jovem como era, a proibição só lhe suscitou mais curiosidade. • A jura cumpriu-a: nunca mais atirou gravetos.. Contudo, de espírito aventureiro, continuou a espiá-lo até que as palavras se soltaram, mais fortes que todas as convenções do mundo, num bulício de juventude e atiçadas ao vento pela chegada da primavera. Foi assim que se deu aquele diálogo entre a Sinhá e o Malhado.
  30. 30. Exercícios 1. Identifica quem poderia afirmar as seguintes frases: (A) Os meus pais não me deixam sair sozinha à noite. ANDORINHA SINHÁ (B) O vento adora brincar e pregar partidas. Já aprendi a não correr atrás dele para me vingar. GATO MALHADO (C) Na catequese ensino o que aprendi no seminário. REVERENDO PAPAGAIO (D) No parque, quem eu mais detesto é o Gato Malhado. VACA MOCHA (E) Eu apenas desejava conversar com o Gato Malhado. ANDORINHA SINHÁ (F) Uma Andorinha não pode estabelecer qualquer tipo de relação com gatos. VACA MOCHA (G) Eu prometo nunca mais provocar o Gato. ANDORINHA SINHÁ
  31. 31. Exercícios 2. Completa a caracterização da Vaca Mocha, recorrendo a elementos do texto: A Vaca Mocha era __(1)__ , __(2)__ e descendente de um __(3)__ argentino. De temperamento __(4) __, era brusca e de __(5)__ __(6)__. Era dada à __(7)__. Falava __(8)__ e __(9)__ com uma voz __(10)__ e __(11)__. SOLUÇÕES: (1) tranquila (6) variável (2) respeitada (7) português (3) touro (8) português (4) vingativo (9) espanhol (5) humor (10) empostada (11) nobre
  32. 32. Exercícios 3. Na tua opinião, qual seria o objetivo do narrador ao descrever a conversa entre a Vaca Mocha e a Andorinha? O narrador pretendia relembrar a impossibilidade da relação entre a Andorinha e o Gato, servindo-se da Vaca Mocha, uma das figuras mais prestigiadas e solenes do parque, para transmitir as opiniões de todos os habitantes, ou seja, de toda a sociedade. 4. “Mas juramento de andorinha não vale muito, não se lhe deve dar crédito exagerado. Muito menos a juramento de andorinha jovem, de cabeça ardente e espírito um pouco aventureiro.” Como interpretas estas afirmações? A Andorinha era decidida, corajosa e deixava-se guiar pelo seu coração. A sua juventude ajudava a uma certa rebeldia relativamente ao cumprimento de normas e regras. Por isso o narrador indicia o reatar do relacionamento entre ela e o Gato.
  33. 33. FIM DA ESTAÇÃO DA PRIMAVERA FIM DA ESTAÇÃO DA PRIMAVERA
  34. 34. “Assim aconteceu na primavera.” • Os pais de Sinhá ralham com ela pela sua imprudência e proíbem-na de o fazer de novo. • Esta proibição faz com que a jovem sinta mais vontade de o rever. • O Gato, impressionado com a Andorinha e tendo sonhado com ela nessa noite, sentia-se febril estava APAIXONADO. • Algo viera perturbar a sua paz: a Andorinha. Não consegue sossegar, procura-a na árvore onde pousara no dia anterior mas, como ela não aparecera, resolve caminhar até ao outro lado do parque onde ela mora. Os pais não estavam – pretexto suficiente para retomarem o diálogo.
  35. 35. “_ Não me diz bom dia, seu mal-educado?” • Ao princípio, o gato irrita-se com a Andorinha, que insiste em chamar- -lhe feio. • Depois, ambos suavizam a conversa e o Gato já se ri, contente por falar com aquela linda adolescente palradora. • Quando o pai dela chega, Sinhá marca um encontro na ameixoeira e o gato afasta-se, recordando aquele diálogo e perspetivando o encontro futuro. Este foi o primeiro de muitos encontros de amor entre o gato e a Andorinha que, primavera fora, descobriram a alegria da natureza em consonância com a harmonia da sua relação. Sonhavam um com o outro e riam, riam muito…
  36. 36. Exercícios 1. Indica o recurso presente na frase seguinte e refere qual a sua expressividade: “O Gato fez a cara mais triste do mundo.” O recurso expressivo presente na frase é a hipérbole e pretende reforçar a grande tristeza sentida pelo Gato Malhado ao deparar-se com a incompatibilidade natural entre ambas as raças. Talvez se tenha apercebido da iminente e irremediável separação. 2. Classifica as orações subordinadas presentes nas frases: (A) “Ia alta a noite quando conseguiu dormir.” Oração subordinada adverbial temporal
  37. 37. Exercícios (B) “(…) até teve vontade de correr com os cães. E teria feito, com certeza, se os cachorros não se houvessem afastado.“ Oração subordinada adverbial condicional (C) “Deitado, como sempre, ao comprido para que o sol gostoso da primavera o envolva por inteiro.” Oração subordinada adverbial final (D) “Eu não te conto o meu porque sonhei com uma pessoa muito feia.” Oração subordinada adverbial causal (E) “Quero acrescentar, finalmente, que já não se tratavam de você.” Oração subordinada substantiva completiva

×