CORONELISMO E POLÍTICA DOS
GOVERNADORES
Profa Margareth Franklin – Cefet MG
O federalismo, implantado no país pela Carta
de 1891, que concedeu ampla margem de
autonomia aos estados, criou um novo at...
Os governadores passaram a ser eleitos a
partir da máquinas dos partidos estaduais.
( c– 1894)
Campos Sales (1898-1902) criou a
política dos governadores garantindo a
permanência das grandes famílias (ricas
e poderosa...
O presidente
apoiava os
governadores
estaduais e
seus aliados e
em troca eles
garantiam a
eleição para o
Congresso
Naciona...
Com a política dos governadores,
fortaleceu-se o coronelismo.
O chefe político local, grande proprietário utilizava-se de
jagunços e agregados para manter e ampliar seus
"currais eleit...
Jagunços do Contestado/SC
Havia ainda as disputas entre os coronéis,
envolvendo terras ou o controle político no estado.
Coronéis na região do Carir...
As eleições
eram fraudadas.
Para tanto, dois
mecanismos
foram
constantemente
utilizados: o
“bico de pena” e
a “degola”.
Os coronéis
controlavam o
voto.
O poder
público
alimentava o
poder local dos
chefes políticos
com uma
autonomia
extra-lega...
O voto não era secreto(bico-de- pena), o que tornava o
voto de cabresto e a fraude eleitoral práticas comuns.
A aceitação dos
resultados das
eleições dependia
da Comissão de
Verificação (degola)
formada por
deputados que
recebiam as...
A partir daí a fraude
eleitoral passava a
ser feita pela
própria Comissão
de Verificação, que
podia determinar
quem devia ...
As sucessões presidenciais eram disputas
controladas. Na Primeira República, só havia
partidos políticos estaduais.
A Campanha Civilista, 1910 , do candidato Rui Barbosa contra o militar apoiado pelo
governo - Hermes da Fonseca ,além de r...
A política do café-
com-leite foi um
desdobramento
da política dos
governadores.
Revezavam-se
no poder
representantes
de S...
Coronelismo e politica dos governadores
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Coronelismo e politica dos governadores

392 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
392
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Profa Margareth Franklin – Cefet MG / Leopoldina - 2012
  • Palácio da Liberdade- BH
  • Coronéis na região do Cariri- CE
  • Coronelismo e politica dos governadores

    1. 1. CORONELISMO E POLÍTICA DOS GOVERNADORES Profa Margareth Franklin – Cefet MG
    2. 2. O federalismo, implantado no país pela Carta de 1891, que concedeu ampla margem de autonomia aos estados, criou um novo ator político - os governadores, Campos Sales Rodrigues Alves
    3. 3. Os governadores passaram a ser eleitos a partir da máquinas dos partidos estaduais. ( c– 1894)
    4. 4. Campos Sales (1898-1902) criou a política dos governadores garantindo a permanência das grandes famílias (ricas e poderosas) no poder. Palácio da Liberdade- BH
    5. 5. O presidente apoiava os governadores estaduais e seus aliados e em troca eles garantiam a eleição para o Congresso Nacional dos candidatos a deputado federal, (Bolsa do café- Santos – 1920)
    6. 6. Com a política dos governadores, fortaleceu-se o coronelismo.
    7. 7. O chefe político local, grande proprietário utilizava-se de jagunços e agregados para manter e ampliar seus "currais eleitorais", influenciando a vida política estadual. mandatários da região de Ribeirão Preto
    8. 8. Jagunços do Contestado/SC
    9. 9. Havia ainda as disputas entre os coronéis, envolvendo terras ou o controle político no estado. Coronéis na região do Cariri- CE
    10. 10. As eleições eram fraudadas. Para tanto, dois mecanismos foram constantemente utilizados: o “bico de pena” e a “degola”.
    11. 11. Os coronéis controlavam o voto. O poder público alimentava o poder local dos chefes políticos com uma autonomia extra-legal em troca do voto
    12. 12. O voto não era secreto(bico-de- pena), o que tornava o voto de cabresto e a fraude eleitoral práticas comuns.
    13. 13. A aceitação dos resultados das eleições dependia da Comissão de Verificação (degola) formada por deputados que recebiam as atas eleitorais dos estados (livros de votação dos eleitores). Pinheiro Machado
    14. 14. A partir daí a fraude eleitoral passava a ser feita pela própria Comissão de Verificação, que podia determinar quem devia ser reconhecido como vencedor das eleições. Angelo Agostini
    15. 15. As sucessões presidenciais eram disputas controladas. Na Primeira República, só havia partidos políticos estaduais.
    16. 16. A Campanha Civilista, 1910 , do candidato Rui Barbosa contra o militar apoiado pelo governo - Hermes da Fonseca ,além de representar a luta pela consolidação da ordem civil no Brasil, mostrou o desejo de uma participação política mais efetiva da sociedade naquele contexto de domínio político de tradicionais oligarquias. ...
    17. 17. A política do café- com-leite foi um desdobramento da política dos governadores. Revezavam-se no poder representantes de SP e MG, estados que controlavam as eleições.

    ×