LÍNGUA PORTUGUESA 
PROFESSOR: MARCOS FELICIANO
GÊNEROS LITERÁRIOS
Definição de gêneros 
literários 
Para facilitar o agrupamento dos textos literários, 
seu estudo e sua classificação, org...
Não é tão simples classificar os textos dentro 
desses três gêneros, uma vez que a 
aproximação dos textos no que diz resp...
Gênero Lírico 
 É fortemente marcado pela expressão de 
sentimentos, emoções e percepções, 
sensações e recordações; 
 O...
 É bastante divulgado entre os jovens, 
principalmente na forma de música 
pop; 
 Mesmo rodeado de muitos exemplos 
de e...
Recursos formais do poema - 
Verso 
 Conjunto de sílabas que compõem uma 
unidade rítmica e melódica, uma linha, 
geralme...
2. Estrofe 
 Conjunto de versos. A composição das 
estrofes pode variar: um verso, dois versos 
(dístico), três (terceto)...
3. Métrica 
 Medida do verso. Escansão: contagem das 
sílabas poéticas (diferentes de sílaba 
gramatical) – juntam-se as ...
Exemplo de métrica: 
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 
Tu|do| de a|mor| que e|xis|te em| mim| foi| 
da|do. 
1 | 2 ...
4. Rima 
 Recurso de musicalidade, empregado nos versos; 
 Pode ocorrer no final ou no interior dos versos; 
 Classific...
Classificação das rimas 
 Cruzadas ou alternadas – abab 
 Emparelhadas – aabb 
 Interpoladas ou opostas – abba 
 Mistu...
5. Ritmo 
 Efeito de musicalidade que pode ser 
produzido pela alternância de sílabas 
poéticas átonas e tônicas (métrica...
Formas poéticas tradicionais 
fixas 
a) Soneto: poema composto por quatro estrofes: 
dois quartetos e dois tercetos. 
b) E...
Gênero narrativo 
 Objetivo principal: contar uma história. 
 Teve sua origem nas epopeias gregas; 
 O gênero épico, co...
Elementos característicos do 
gênero narrativo 
 De modo geral, não se manifesta por 
meio de versos, mas sim pela prosa,...
1. Narrador 
 É a voz que conta a história, já que o 
ambiente literário é ficcional. 
 Pode ser onisciente – sabe tudo ...
2. Foco Narrativo 
 O autor escolhe de qual ponto de 
vista, de qual ângulo de visão o 
narrador vai contar a história; 
...
3. Personagens 
 São os seres que desenvolvem os 
fatos da história. 
Podem ser: 
 Planos: simples, descritas 
essencial...
Personagens redondas 
Complexas, imprevisíveis, com atitudes 
bem próximas às de pessoas reais. 
Não há apresentação forma...
4. Enredo 
 É a própria trama da narrativa, ou seja, o 
desenrolar dos acontecimentos. Como o próprio 
nome indica, enred...
 2 – Complicação: é a parte do 
enredo em que as ações e os conflitos 
são desenvolvidos, conduzindo o 
enredo ao clímax....
5. Tempo 
 Refere-se ao momento em que a ação 
acontece – é o quando. 
 Pode ser: Cronológico (marcado pelo 
relógio) ou...
5. Tempo 
 O tempo pode seguir um fluxo linear e 
apresentar-se em uma sequência de 
fatos, ou romper com isso. Nesse 
ca...
6. Espaço 
 Refere-se ao lugar, cenário, ambiente 
em que os fatos ocorrem – é o onde. 
 Pode ser externo ou interno, 
d...
7. Discurso 
 É a expressão do pensamento das 
personagens, das ideias que elas 
apresentam em relação aos fatos 
narrado...
7. Discurso 
 Discurso direto – personagens falam 
diretamente ao leitor. 
 Discurso indireto – o narrador conta 
o que ...
Manifestações mais comuns do 
gênero literário narrativo 
 Romance 
 Novela 
 Conto 
 Crônica 
 Memória / diário 
 A...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gêneros Literários

703 visualizações

Publicada em

Todo o repertório de produção literária é dividida em três grandes grupos: lírico, narrativo e dramático.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
703
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
80
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gêneros Literários

  1. 1. LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR: MARCOS FELICIANO
  2. 2. GÊNEROS LITERÁRIOS
  3. 3. Definição de gêneros literários Para facilitar o agrupamento dos textos literários, seu estudo e sua classificação, organizou-se, desde a Antiguidade Clássica, na Grécia, todo o repertório de produção literária em três grandes grupos (lírico, narrativo e dramático), a que chamaremos de gêneros literários. Os textos são agrupados de acordo com o estilo de escrita e a estrutura textual.
  4. 4. Não é tão simples classificar os textos dentro desses três gêneros, uma vez que a aproximação dos textos no que diz respeito à forma e conteúdo é prática comum.
  5. 5. Gênero Lírico  É fortemente marcado pela expressão de sentimentos, emoções e percepções, sensações e recordações;  O homem expressava seu universo íntimo por meio de poemas, acompanhados por instrumentos musicais, dentre os quais, a lira. Daí o nome do gênero, lírico;  Desvinculou-se a poesia da música a partir do século XV, mantendo estrutura e melodia;
  6. 6.  É bastante divulgado entre os jovens, principalmente na forma de música pop;  Mesmo rodeado de muitos exemplos de expressões líricas, não significa que tenha qualidade literária;  Eu lírico = eu poético # autor;  A forma mais comum de expressão de gênero lírico é o poema.
  7. 7. Recursos formais do poema - Verso  Conjunto de sílabas que compõem uma unidade rítmica e melódica, uma linha, geralmente do poema. Sendo assim, podemos dizer que o fragmento abaixo tem 4 versos: Tudo de amor que existe em mim foi dado. Tudo que fala em mim de amor foi dito. Do nada em mim o amor fez o infinito Que por muito tornou-se escravizado. MORAES, Vinícius de. Livro de Sonetos. (fragmento)
  8. 8. 2. Estrofe  Conjunto de versos. A composição das estrofes pode variar: um verso, dois versos (dístico), três (terceto), quatro (quarteto), etc.
  9. 9. 3. Métrica  Medida do verso. Escansão: contagem das sílabas poéticas (diferentes de sílaba gramatical) – juntam-se as vogais átonas numa única sílaba e se conta até a sílaba tônica da última palavra.  Quanto ao número de sílabas, o verso pode ser: monossílabo, dissílabo, trissílabo, polissílabo.  Nomes especiais: redondilha menor (5 sílabas métricas), redondilha maior (7); decassílabos (10) e alexandrinos (12).
  10. 10. Exemplo de métrica: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | Tu|do| de a|mor| que e|xis|te em| mim| foi| da|do. 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |10| Tu|do |que |fa|la em |mim |de a|mor| foi |di|to. Obs.: Contamos apenas até a sílaba tônica da última palavra.
  11. 11. 4. Rima  Recurso de musicalidade, empregado nos versos;  Pode ocorrer no final ou no interior dos versos;  Classificamos as rimas com as letras iniciais do alfabeto. A Tudo de amor que existe em mim foi B dado. Tudo que fala em mim de amor foi dito. B Do nada em mim o amor fez o infinito A Que por muito tornou-se escravizado. MORAES, Vinícius de. Livro de Sonetos. (fragmento)
  12. 12. Classificação das rimas  Cruzadas ou alternadas – abab  Emparelhadas – aabb  Interpoladas ou opostas – abba  Misturadas – ababcb  Rima perdida ou órfã – outras letras do alfabeto.
  13. 13. 5. Ritmo  Efeito de musicalidade que pode ser produzido pela alternância de sílabas poéticas átonas e tônicas (métrica); pela repetição de sons (consonantais ou vocálicos) ou de palavras; alternância de termos e palavras nos versos e nas estrofes.
  14. 14. Formas poéticas tradicionais fixas a) Soneto: poema composto por quatro estrofes: dois quartetos e dois tercetos. b) Elegia: poema que trata de temas tristes, de sofrimento, de morte. c) Écloga: poema de tema pastoril, bucólico, que fala sobre a vida campestre; d) Idílio: poema bucólico, mas que contém diálogos; e) Ode: poema de exaltação; f) Canção: poema escrito para ser cantado e acompanhado por instrumentos musicais; g) Hino: poema que glorifica a pátria. É também cantado.
  15. 15. Gênero narrativo  Objetivo principal: contar uma história.  Teve sua origem nas epopeias gregas;  O gênero épico, como assim era chamado, esteve presente até os séculos XV e XVI, período de grandes descobertas marítimas;  São histórias narradas em versos, nas quais os heróis (quase deuses), que têm muitas qualidades morais, representavam o valor e o ideal de um povo
  16. 16. Elementos característicos do gênero narrativo  De modo geral, não se manifesta por meio de versos, mas sim pela prosa, atualmente.
  17. 17. 1. Narrador  É a voz que conta a história, já que o ambiente literário é ficcional.  Pode ser onisciente – sabe tudo o que acontece;  Observador – não conhece todos os fatos que se propõe a contar.
  18. 18. 2. Foco Narrativo  O autor escolhe de qual ponto de vista, de qual ângulo de visão o narrador vai contar a história;  O ponto de vista pode ser:  de primeira pessoa (eu) – o narrador é sempre um personagem da história, muitas vezes, é a personagem principal;  de terceira (ele) – ponto de vista mais distante em relação aos fatos; é o narrador onisciente.
  19. 19. 3. Personagens  São os seres que desenvolvem os fatos da história. Podem ser:  Planos: simples, descritas essencialmente por suas características físicas, são previsíveis e não tendem a ter mudanças drásticas em sua conduta ao longo da história.
  20. 20. Personagens redondas Complexas, imprevisíveis, com atitudes bem próximas às de pessoas reais. Não há apresentação formal por parte do narrador; a personagem vai desvendando-se por si mesma ao longo da narrativa.
  21. 21. 4. Enredo  É a própria trama da narrativa, ou seja, o desenrolar dos acontecimentos. Como o próprio nome indica, enredar significa “tecer, entrelaçar os fatos”.  O enredo divide-se em quatro partes: 1- Apresentação: é a parte do texto em que são apresentados alguns personagens e expostas algumas circunstâncias da história, como o momento e o lugar em que a ação se desenvolverá. Cria-se um cenário e uma marcação de tempo para os personagens iniciarem suas ações. Nem todo texto narrativo tem essa primeira parte; há casos em que já de início se mostra a ação em desenvolvimento.
  22. 22.  2 – Complicação: é a parte do enredo em que as ações e os conflitos são desenvolvidos, conduzindo o enredo ao clímax.  3 – Clímax: é o ponto em que a ação atinge seu momento crítico, momento de maior tensão, tornando o desfecho inevitável.  4 – Desfecho: é a solução do conflito produzido pelas ações dos personagens.
  23. 23. 5. Tempo  Refere-se ao momento em que a ação acontece – é o quando.  Pode ser: Cronológico (marcado pelo relógio) ou psicológico (tempo interno da personagem, que, geralmente, não coincide com o tempo interno, porque revela sensações, reflexões, pensamentos, etc.)
  24. 24. 5. Tempo  O tempo pode seguir um fluxo linear e apresentar-se em uma sequência de fatos, ou romper com isso. Nesse caso pode ocorrer uma retomada de tempo, por meio de flashback ou ainda seguir o fluxo mental, psicológico, da personagem.
  25. 25. 6. Espaço  Refere-se ao lugar, cenário, ambiente em que os fatos ocorrem – é o onde.  Pode ser externo ou interno, dependendo do narrador, do tempo e das personagens.
  26. 26. 7. Discurso  É a expressão do pensamento das personagens, das ideias que elas apresentam em relação aos fatos narrados.  Isso se materializa pelo registro de suas falas e seus pensamentos.
  27. 27. 7. Discurso  Discurso direto – personagens falam diretamente ao leitor.  Discurso indireto – o narrador conta o que a personagem falou, já que narra fatos transcorridos, usa-se a 3ª pessoa.  Discurso indireto livre – o narrador mescla a sua fala com a das personagens, sem marcações que as distingam.
  28. 28. Manifestações mais comuns do gênero literário narrativo  Romance  Novela  Conto  Crônica  Memória / diário  Apólogo  Fábula  Parábola

×