Ecos do racismo no brasil

434 visualizações

Publicada em

Pretende-se com a presente apresentação evidenciar ao interlocutor que a questão do racismo e preconceito no Brasil possui bases históricas e compreendê-la, é o primeiro passo para a considerarmos o valor histórico e social que tem a cultura africana.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
434
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ecos do racismo no brasil

  1. 1. OBJETIVOS E PUBLICO ALVO   A PRESENTE APRESENTAÇÃO TEM COMO OBJETIVO, EVIDENCIAR AS BASES HISTÓRICAS DO RACISMO NO BRASIL.
  2. 2. Por que entender o racismo no Brasil?  O Brasil é segundo País com o maior número de população negra no mundo.
  3. 3. A CHEGADA DOS NEGROS AO BRASIL   OS NEGROS CHEGARAM AO BRASIL NA ÉPOCA COLONIAL. FORAM TRAZIDOS COMO MERCADORIA PELOS PORTUGUESES.
  4. 4. ESCRAVIZADOS, OS AFRICANOS ERAM TRAZIDOS PARA AS ILHAS DO ATLANTICO: MADEIRA, SÃO TOMÉ, CABO VERDE, AÇORES. A MÃO DE OBRA ERA UTILIZADA NOS CANAVIAIS E, COMO A AÇUCAR ESTAVA EM ALTA, CULTIVOU-SE A CANA-DE- AÇUCAR NA COLONIA.
  5. 5. OS NAVIOS NEGREIROS ERAM EMBARCAÇÕES COM CONDIÇÕES SUBUMANAS. OS AFRICANOS FICAVAM AMONTOADOS EM CONDIÇÕES PRECÁRIAS, NO MESMO LUGAR EM QUE DORMIAM, ERA TAMBÉM O BANHEIRO. FEZES E URINA EM LOCAL FECHADO, EM CONTATO COM CRIANÇAS, JOVENS E ADULTOS, GERAVAM INUMERAS CONTAMINAÇÕES.
  6. 6. OS NEGROS ERAM OS PRINCIPAIS MOVIMENTADORES DA ECONOMIA DO BRASIL, ERAM COMERCIALIZADOS PARA DESENVOLVER OS TRABALHOS NAS AREAS DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E SERVIÇOS DOMÉSTICOS. REFÉNS DA ESCRAVIDÃO, VITIMAS DE MAUS TRATOS, E DEVIDO A PÉSSIMA QUALIDADE DE VIDA, MUITOS FUGIAM DOS ENGENHOS E CRIAVAM SOCIEDADES CLANDESTINAS, AS QUAIS ERAM CHAMADAS DE QUILOMBOS. OS CAPITÃES DO MATO SAIAM EM BUSCA DOS DESERTORES.
  7. 7. SOMENTE DEPOIS DO SÉCULO XIX, A INGLATERRA QUESTIONOU A ESCRAVIDÃO NO BRASIL. ASSIM FOI PUBLICADA A LEI BILL ABERDEEN, EM 1845, QUE PROIBIA O TRÁFICO NEGREIRO. COM A PRESSÃO IMPOSTA PELOS INGLESES, FOI APROVADA A LEI EUSÉBIO DE QUEIROS (1850) PARA ACABAR COM O TRÁFICO NEGREIRO. APENAS EM 1871 FOI APROVADA A LEI DO VENTRE LIVRE, DANDO A LIBERDADE AOS FILHOS DE ESCRAVOS QUE NASCERIAM APÓS A APROVAÇÃO DA LEI. EM 1885 FOI ACEITA A LEI DOS SEXAGENÁRIOS, TORNANDO LIVRES OS ESCRAVOS MAIORES DE 60 ANOS.
  8. 8. OS NEGROS SÓ FORAM TER LIBERDADE EM 1888, ATRAVÉS DE UM DOCUMENTO ASSINADO PELA PRINCESA ISABEL EM 13 DE MAIO. A LEI FICOU CONHECIDA COMO A LEI ÁUREA. OS NEGROS ENTÃO PASSARAM DAS SENZALAS, PARA AS SARJETAS. CONTINUARAM SE SUJEITANDO A CONDIÇÕES PRECÁRIAS DE SOBREVIVENCIA, SEM CASA, SEM TRABALHO. MARGINALIZADOS PELA SOCIEDADE ARISTORATA DA ÉPOCA.
  9. 9. OS NEGROS FORAM DECLARADOS LIVRES DE SUA CONDIÇÃO DE ESCRAVO, PORÉM NÃO CONSIDEROU-SE A NECESSIDADE DE PROPORCIONAR-LHES MEIO DE SOBREVIVÊNCIA, COMO POSSE DA TERRA PARA SUA FIXAÇÃO. SUPONDO-OS SEM DIREITO A MESMA, DEU-SE O PRIMEIRO PASSO PARA A MARGINALIZAÇÃO E DESFAVORECIMENTO DA POPULAÇÃO NEGRA NO BRASIL.
  10. 10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS www.revistahistoria.com.br www.youtube.com www.akatu.org.br www.google.com.br

×