Apresentacaoeducacaoinfantil

295 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
295
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacaoeducacaoinfantil

  1. 1. A GESTÃO DAEDUCAÇÃO INFANTIL NO BRASIL
  2. 2. Equipe Fundação Carlos Chagas Coordenação Maria M. Malta Campos Pesquisadores Estatísticas Yara Esposito Míriam Bizzocchi Eliana Bhering Raquel Valle Nelson Gimenes Beatriz Abuchaim Diagramação Fabiana Fernandes Adriano Moro Bruna Ribeiro Heloísa Padula ColaboradoraMarisa Vasconcelos Ferreira
  3. 3. Equipes Locais Catarina de Souza Moro Edna Lopes Nascimento Eliza Bartolozzi Ferreira Eloísa Helena Teixeira FortkampFatima Maria Araújo Saboia Leitão Gizele de Souza Jodete Bayer Gomes Fullgraf Mércia de Figueiredo N. Pinto Ordália Alves de Almeida Regina Aparecida M. de Souza Sandro Coelho Costa Silvia Helena Vieira Cruz Telma Vitória Valdete Côco
  4. 4. OBJETIVOS DA PESQUISA Caracterizar as políticas de gestão da Educação Infantil nas redes municipais de ensino. Caracterizar o perfil dos gestores escolares da Educação Infantil. Identificar os mecanismos de gestão das unidades de Educação Infantil associados à qualidade dos serviços oferecidos pelas instituições. Investigar as relações entre indicadores de gestão e indicadores com estimativas de qualidade das instituições.
  5. 5. DESENVOLVIMENTO DO ESTUDO Revisão bibliográfica. Elaboração de instrumentos. Reunião com equipes de pesquisadores locais. Contatos com Secretarias Municipais. Realização do trabalho de campo nas unidades. Entrevistas nas Secretarias Municipais. Tratamento e análise dos dados. Realização de seminário com especialistas. Elaboração da versão definitiva do relatório técnico final. Reunião final com pesquisadores locais.
  6. 6. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Objetivos: • Apontar tendências na produção acadêmica sobre a gestão educacional e escolar no Brasil. • Compreender as abordagens sobre a gestão da Educação Infantil no Brasil. • Identificar características da gestão da Educação Infantil em referências estrangeiras.
  7. 7. GESTÃO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Referências nacionais Referências estrangeiras  Poucos estudos sobre a  Foco no diretor. gestão da Educação  Estudos sobre o papel Infantil. da liderança.  Foco em estudos de caso e reflexões sobre  Compreensão do experiências localizadas. trabalho do gestor no plano pedagógico e  Escassa produção sobre a administrativo. gestão da unidade.
  8. 8. GESTÃO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Características identificadas na literatura como orientações neoliberais são velhas conhecidas na educação da criança pequena no país: • Terceirização, convênios. • Captação de recursos a cargo da comunidade atendida. • Pessoal leigo, trabalho voluntário. • Focalização da oferta. • Vouchers (por exemplo, vale-creche). O que era apresentado como solução de emergência, agora ressurge como busca de eficiência e competitividade.
  9. 9. DEFINIÇÃO DA AMOSTRA Instituições por município e dependência administrativa Município Municipal Conveniada Total A 18 2 20 B 19 0 19 C 14 24 38 D 40 13 53 E 15 5 20 F 26 4 30 Total 132 (73%) 48 (27%) 180 (100%)
  10. 10. PERCENTUAL DE INSTITUIÇÕES POR MUNICÍPIO EETAPAS DE ENSINO Municípios Somente EI EI+EF A 70,0% 30,0% B 100,0% - C 63,2% 36,8% D 69,8% 30,2% E 100,0% - F 56,7% 43,3% Total 72,8% 27,2%
  11. 11. INSTRUMENTOS Roteiro para entrevistas nas Secretarias Municipais de Educação. Questionários para diretores, coordenadores pedagógicos e professores. Questionários para as famílias.
  12. 12. NÚMERO DE QUESTIONÁRIOS RESPONDIDOS Questionários N Diretor 171 Coordenador pedagógico 142 Professores 281 Famílias 85 Total 679
  13. 13. METODOLOGIAPROCEDIMENTOS DE ANÁLISE Análise descritiva • Entrevistas realizadas nas Secretarias: - Transcrição das entrevistas. - Coleta de documentos. • Questões “abertas”: - Procedimentos de análise qualitativa. - Tabulação da frequencia de respostas por categoria. • Questões “fechadas”: - Cálculo das distribuições de frequência das respostas por alternativa e por subgrupos de interesse. Cálculo das estimativas do indicador de qualidade Construção de indicadores de gestão
  14. 14. GESTÃOMUNICIPAL
  15. 15. POPULAÇÃO E INDICADORES SOCIAIS POR CAPITAL População % IDEB % População 2009 IBGE 2010 População IDHM IDI 2004 Município 0 a 5 pais (em até 6 anos 2000 UNICEF 4ª série analfabetos milhões) IBGE 2010 municipal A 0,9 9,3 20,7 0,739 0,605 3,8 B 0,3 7,2 4,3 0,856 0,897 4,8 C 2,4 6,8 3,8 0,839 0,744 5,3 D 1,8 7,4 2,3 0,856 0,746 5,7 E 0,4 6,5 2,1 0,875 0,801 5,2 F 0,8 8,7 3,9 0,814 0,759 5,2 G 2,4 8,3 12,3 0,786 0,713 3,9
  16. 16. TAXAS DE ESCOLARIZAÇÃO POR FAIXA ETÁRIA EMUNICÍPIO
  17. 17. PORCENTAGEM DE UNIDADES DIRETAS ECONVENIADAS, POR QUATRO CAPITAIS
  18. 18. AS REDES MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL As equipes não se baseiam em um diagnóstico sobre a cobertura da EI no município. Seu horizonte são as unidades sob responsabilidade do município. Critérios de matrícula: • Focalização para creche e/ou para tempo integral. • Uso de sorteio para unidades com listas de espera. Planos de expansão decididos em outras instâncias da prefeitura.
  19. 19. GESTÃODAS UNIDADES
  20. 20. DIRETORESCARACTERÍSTICAS
  21. 21. DIRETORESCARGA HORÁRIA E REMUNERAÇÃO
  22. 22. DIRETORESÁREA TEMÁTICA DA PÓS-GRADUAÇÃO
  23. 23. COORDENADORES PEDAGÓGICOSCARACTERÍSTICAS
  24. 24. COORDENADORES PEDAGÓGICOSFUNÇÃO, CARGA HORÁRIA E REMUNERAÇÃO
  25. 25. PROFESSORESCARACTERÍSTICAS
  26. 26. PROFESSORESFORMAÇÃO 46,8 A distância, IES privada 7,7 0,0 A distância, IES pública 1,0 8,5Semipresencial, IES privada 6,7 Conveniada 6,4 MunicipalSemipresencial, IES pública 5,1 23,4 Presencial, IES privada 49,7 14,9 Presencial, IES pública 29,7 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0
  27. 27. PROFESSORESEXPERIÊNCIA DOCENTE40 36,835 31,9 30,9 30,33025 21,620 18,4 15,7 14,5151050 Até 4 anos 5 a 10 anos 11 a 15 anos Há mais de 15 anos Municipal Conveniada
  28. 28. PROFESSORESCARGA HORÁRIA E SALÁRIO BRUTO
  29. 29. FAMÍLIAS 85 questionários respondidos. 4 unidades no município E, sendo uma conveniada. 61% das mães com escolaridade até o Ensino Fundamental completo. 81% trabalham fora. 60% possuem de um a 20 livros em casa e 22% não possuem nenhum. Maioria expressa opiniões positivas sobre a unidade de EI – mais pelo sentimento de gratidão, e menos por uma percepção de seus direitos. Maior número de sugestões sobre calendário e horário de funcionamento diário.
  30. 30. INDICADORES DE QUALIDADE
  31. 31. ECERS-R – EARLY CHILDHOOD ENVIRONMENT RATING SCALE – REVISED EDITION (1998) ECERS-R – Escala de Avaliação de Ambientes de Educação Infantil Edição revisada (utilizada em pesquisa anterior)Autores: Thelma Harms, Debby Cryer e Richard M. CliffordFaixa etária de 2 anos e 7 meses a 5 anos43 itens, agrupados em 7 sub-escalas Espaço e mobiliário. Rotinas de cuidado pessoal. Linguagem e raciocínio. Atividades. Interação. Estrutura do programa. Pais e equipe.
  32. 32. INDICADORES DE QUALIDADEESTIMATIVAS DAS NOTAS (0-10) NA ESCALA ECERS-R, POR MUNICÍPIO
  33. 33. INDICADORES DE QUALIDADEESTIMATIVAS DAS NOTAS NA ESCALA ECERS-R, POR DEPENDÊNCIAADMINISTRATIVA
  34. 34. INDICADORES DE QUALIDADEESTIMATIVAS DAS NOTAS NA ESCALA ECERS-R, POR MODALIDADE DEATENDIMENTO
  35. 35. INDICADORES DE GESTÃO
  36. 36. INDICADORES DE GESTÃO Conhecimentos Conhecimentos  Gestão financeira. Gestão pedagógica  Projeto pedagógico.  Gestão democrática. Recursos humanos  Relação com os pais e a comunidade.  Gestão de recursos humanos.  Currículo e Educação Infantil. Família  Legislação da Educação.  Fundamentos da Educação. Materiais Avaliação Postura
  37. 37. INDICADORES DE GESTÃO Conhecimentos Gestão Pedagógica  Elaboração projeto pedagógico (se Gestão pedagógica construído coletivamente, ou elaborado pela direção e equipe Recursos humanos técnica).  Grau de autonomia na definição de metas pedagógicas. Família  Dificuldades enfrentadas: garantir elaboração do planejamento pedagógico por parte dos professores; Materiais acompanhar a execução das atividades pedagógicas e promover formação continuada. Avaliação  Avaliação dos professores e estratégias utilizadas na avaliação interna da instituição. Postura
  38. 38. INDICADORES DE GESTÃO Conhecimentos Recursos Humanos  Professores em número suficiente. Gestão pedagógica  Quadro estável de professores.  Conselho escolar ativo.  Integrantes do conselho escolar: Recursos humanos diretor, professores, funcionários, pais e outros representantes da Família comunidade.  Nenhuma dificuldade em: fazer cumprir regras e normas pela equipe; Materiais manter um clima de colaboração entre a equipe; criar oportunidades de participação das famílias na instituição; Avaliação conquistar e manter o respeito e a confiança da equipe. Postura
  39. 39. INDICADORES DE GESTÃO Conhecimentos Família  Familiares sentem-se bem recebidos e Gestão pedagógica tratados com respeito.  Horário de funcionamento e calendário atendem às necessidades da família. Recursos humanos  Critérios de matrícula são amplamente discutidos.  Informações da ficha de matrícula são Família consideradas.  Diretor atende os pais individualmente.  Os horários de atendimento são agendados Materiais  previamente. Familiares de crianças novatas permanecem na instituição até que as crianças se sintam seguras. Avaliação  Familiares de crianças com deficiência são bem acolhidos.  As queixas das famílias em relação à Postura instituição são acolhidas com receptividade.
  40. 40. INDICADORES DE GESTÃO Conhecimentos Materiais Gestão pedagógica  Livros.  Materiais pedagógicos.  Brinquedos. Recursos humanos Família Materiais Avaliação Postura
  41. 41. INDICADORES DE GESTÃO Conhecimentos Avaliação Gestão pedagógica  Avaliação do desempenho dos professores.  Uso dos Indicadores de Qualidade da Recursos humanos Educação Infantil (MEC).  Emprego de procedimentos e/ou processos coletivos de autoavaliação Família institucional. Materiais Avaliação Postura
  42. 42. INDICADORES DE GESTÃO Conhecimentos Postura Gestão pedagógica  Funcionários.  Professores.  Pais dos alunos. Recursos humanos Família Materiais Avaliação Postura
  43. 43. DISTRIBUIÇÃO DO PERCENTUAL DE INSTITUIÇÕES, SEGUNDOINTERVALOS DA ESCALA DE NOTAS NO INDICADOR GERAL DE GESTÃO 25% 22% 20% 18% 15% 14% 14% 15% 10% 10% 7% 5% 0% Até 30 31 a 32 33 a 34 35 a 36 37 a 38 39 a 40 41 ou mais Total de pontos
  44. 44. INVESTIGAÇÃO DAS RELAÇÕES EXISTENTES ENTRE O INDICADOR DEGESTÃO E O INDICADOR DE QUALIDADE
  45. 45. Diagrama – 1 Grupo Total Grupo 0 Média 4,254 n 144 % 100 Município A; C; F D B; E Grupo 1 Grupo 2 Grupo 3 Média 3,924 Média 4,203 Média 4,968n 67 % 46,5 n 43 % 29,9 n 34 % 23,6 Avaliação Materiais 0 1 0 1 Grupo 4 Grupo 5 Grupo 6 Grupo 7 Média 3,990 Média 4,529 Média 5,183 Média 4,369 n 26 % 18,1 n 17 % 11,8 n 25 % 17,4 n 9 % 6,2 Postura 0 1 Grupo 8 Grupo 9 Média 3,639 Média 4,341 n 13 % 9,0 n 13 % 9,0
  46. 46. Diagrama – 2 Instituições Públicas Grupo 0 Média 4,383 n 110 % 100 Município A; C; F D B; E Grupo 1 Grupo 2 Grupo 3 Média 3,956 Média 4,315 Média 5,137n 48 % 43,6 n 32 % 29,1 n 30 % 27,3 Postura 0 1 Grupo 4 Grupo 5 Média 4,042 Média 4,588 n 16 % 14,5 n 16 % 14,5 Avaliação 0 1 Grupo 6 Grupo 7 Média 3,706 Média 4,473 n 9 % 8,2 n 7 % 6,4
  47. 47. Diagrama – 3 Instituições Conveniadas Grupo 0 Média 3,84 n 34 % 100 Avaliação 0 1 Grupo 1 Grupo 2 Média 3,68 Média 4,29n 25 % 73,5 n 9 % 26,5
  48. 48. CONSIDERAÇÕES FINAIS E RECOMENDAÇÕES
  49. 49. GESTÃO MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL Diferenças marcantes entre as seis capitais quanto a: • Suas histórias. econômicos, culturais. • Contextos sociais, • Configurações políticas. • Orientaçõeseducacionais. administrativas. • Prioridades das redes. • Organização • Perfil dos profissionais.
  50. 50. DIFERENÇAS ENTRE AS REDES DE EDUCAÇÃO INFANTIL Cobertura. Tipos de estabelecimento. Períodos de atendimento parcial ou integral. Importância relativa dos convênios. Diferenças entre oferta de vagas para 0-3 e 4-5 anos. Autonomia das unidades. Política de pessoal.
  51. 51. DIRETORES Fizeram pós-graduação na área de Educação Infantil 19% de diretores nas unidades municipais e 42% nas conveniadas. Tiveram formação na área de gestão escolar 84% de diretores nas unidades municipais e 40% nas conveniadas. 54% dos diretores municipais foram selecionados por eleição. 76% das unidades municipais têm conselho escolar. Pouca autonomia de decisão quanto à seleção da equipe.
  52. 52. DIRETORES Mais de 40% sentem dificuldade com contabilidade e conhecimento pedagógico dos professores. Mais de 70% sentem dificuldade em contar com quadro de pessoal completo e com a manutenção do prédio, equipamentos e materiais. Principais desafios da EI: política efetiva; recursos humanos; dimensão pedagógica. Sugestões para a secretaria com ênfase em recursos humanos e infraestrutura. Opiniões sobre a Educação Infantil no município: 43% positivas, 35% positivas com restrições e 13% negativas.
  53. 53. COORDENADORES PEDAGÓGICOS Apenas 23% fizeram pós-graduação na área de Educação Infantil. Dificuldades mais apontadas: colaboração das famílias e faltas de professores. Sugestão para unidade: gestão democrática. Sugestões para a secretaria com ênfase na formação continuada e maior apoio às unidades (28%). Opiniões mais críticas do que professores sobre gestão municipal.
  54. 54. PROFESSORES Diferenças de percepção de condições positivas ou negativas na unidade. Professores municipais são mais críticos que os da rede conveniada. 70% citam motivos ligados a uma visão positiva da EI para opção profissional. Sugestões para a unidade com ênfase na qualidade da equipe gestora (18%). Sugestões para a secretaria com ênfase na formação continuada (33,9%). Opiniões divergentes, porém majoritariamente positivas, sobre a educação infantil no município.
  55. 55. RECOMENDAÇÕES PARA: Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Poder Executivo Municipal. Conselho Municipal de Educação. Secretarias Municipais de Educação. Equipes gestoras das instituições de EI. Agências e instituições de pesquisa.
  56. 56. RECOMENDAÇÕES QUANTO: Transparência e controle social. Gestão democrática. Capacitação no uso de dados para diagnóstico e planejamento. Definição de critérios e procedimentos para monitoramento e supervisão. Formação de profissionais. Integração intersetorial.
  57. 57. Desenhos infantis:Fotos de mural de creche de Florianópolis
  58. 58. Para mais informações sobre este e outrosEstudos e Pesquisas da Fundação Victor Civita,acesse:www.fvc.org.br/estudos

×