Introduçao a sociologia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Introduçao a sociologia

em

  • 442 visualizações

 

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
442
Visualizações no SlideShare
438
Visualizações incorporadas
4

Actions

Curtidas
0
Downloads
19
Comentários
0

1 Incorporado 4

http://www.slideee.com 4

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

CC Attribution-ShareAlike LicenseCC Attribution-ShareAlike License

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Introduçao a sociologia Presentation Transcript

  • 1. Prof. MARCELO FREITAS
  • 2. Introdução à Sociologia Prof. MARCELO FREITAS NASCIMENTO DA SOCIOLOGIA Revolução Industrial Revolução Francesa Instalação do capitalismo
  • 3. A Inglaterra de 1780 a 1860 Cidades, indústrias, fim da sociedade servil, maciça migração para a cidade. Jornadas de 12hs, sem férias.
  • 4. Manchester no século XIX: aumento assustador da prostituição, suicídio, alcoolismo, infanticídio, criminalidade, violência, tifo, cólera, miséria
  • 5. A Sociologia é uma resposta intelectual às novas situações colocadas pela revolução industrial.
  • 6. Francis Bacon (1561-1626) Recusou a teologia como base explicativa DOGMATISMO CAMPO CIENTÍFICO
  • 7. Ideólogos da burguesia, contra os privilégios da sociedade feudal.
  • 8. Nascimento da Sociologia AUGUSTE COMTE: Busca pelas leis universais Não há crítica ao capitalismo
  • 9. Comte: Iluministas eram “doutores em guilhotina” Reconciliação entre “ordem e progresso”.
  • 10. O século XIX Estado Laico Sociologia Darwinismo Explicação da realidade através da observação dos fatos Psicanálise
  • 11. Servindo a dominação burguesa Positivismo Impedia novas revoluções Instrumento da burguesia Ordem e Progresso Darwinismo Social Aplicação do darwinismo nas explicações sociais Diferenças seriam raciais Sociedades evoluiriam
  • 12. Parte 5. Clássicos Positivista Funcionalista E. DURKHEIM *Vida Coletiva gerida acima e fora dos indivíduos *Consciência coletiva Materialismo Histórico Dialético Marx & Engels *Domínio de uma classe sobre a outra Compreensiva MAX WEBER *Ação individual como ponto de partida
  • 13. 1858-1918 Transformou a sociologia em CIÊNCIA Metodologia e objetivos de estudo
  • 14. Indivíduo Permite a organização social Indivíduo Indivíduo Consciência Coletiva Indivíduo Indivíduo Consciência Individual (Submissa à Coletiva)
  • 15. 1. Coerção: Força sobre as pessoas. Fato Social 2. Exterioridade: Mecanismos prontos independente da vontade do indivíduo. 3. Generalidade: Aplicado a todos ou à maioria deles. “Os fatos sociais consistem em maneiras de agir, de pensar e de sentir exteriores ao indivíduo, dotadas de um poder de coerção”
  • 16. Como as pessoas se mantém unidas?
  • 17. Solidariedade Mecânica (Unidade) Solidariedade Orgânica (Não há unidade) Valores religiosos Códigos de conduta: Direito
  • 18. Tudo que força o indivíduo a contar com o seu próximo Uma crise moral gerava uma instabilidade perigosa
  • 19. Parte 6. Durkheim Grupo profissional ou a corporação Responsável pela MORAL das novas sociedades “um poder moral capaz de conter os egoísmos individuais, de manter no coração dos trabalhadores um sentimento mais vivo de solidariedade comum, de impedir que a lei do mais forte se aplique”
  • 20. Fim do equilíbrio e solidariedade entre as pessoas
  • 21. Clima Enfermidade Mental Fundo Étnico Fundo Racial Para Durkheim, a causa é sociológica
  • 22. Suicídio egoísta: acontece sob condições de isolamento excessivo. Suicídio altruístico: acontece sob condições de apego excessivo
  • 23. Suicídio anômico: acontece quando há ausência de normas (ANOMIA) Suicídio fatalista: acontece em sociedades onde há alto grau de controle sobre as emoções e motivações.
  • 24. - Capitalismo desenvolvido - Estado Unificado - Ideal de universalidade - Desenvolvimento das CIÊNCIAS - Unificação Tardia - Diversidade nacional - Ideal da DIVERSIDADE POSITIVISMO IDEALISMO CIÊNCIAS HUMANAS Busca pela universalidade, realização de comparações e generalizações CIÊNCIAS NATURAIS CIÊNCIAS HUMANAS Busca pela diversidade, entendimento de casos específicos CIÊNCIAS NATURAIS
  • 25. Papel da Sociologia: "a captação da relação de sentido" da ação humana Ação social é fruto da comunicação do indivíduo com seus demais
  • 26. O Papel do Sociólogo Quanto mais racionais, mais previsíveis Criar modelos racionais Existência de “desvios”: Irracionalidade, emoção, equívocos, obstáculos Não há neutralidade científica
  • 27. Ação racional com relação a um objetivo Ação racional com relação a um valor Conhecimentos + Meios possíveis Idéia de honra, valor interno
  • 28. Ação emocional ou afetiva Ação tradicional Consciência ou humor Crenças, hábitos, costumes
  • 29. Estado exista  População deve obedecer à uma autoridade, reconhecida como legítima. Racional-legal Tradicional Carismática
  • 30. O que explica o desenvolvimento do capitalismo no Ocidente? “A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo”
  • 31. Trabalho = Maldição Trabalho = Benção Desprendimento material Vocação = Profissão Sacrifício e renúncia Contrário ao Ócio
  • 32. 1818-1883 Judeu – Classe Média “Alemanha” Governo Prussiano: Revoluções do Século XIX Filósofo, jornalista, historiador, economista, sociólogo.
  • 33. ◊ Influência de Aristóteles : Sociedade é conduzida pelos homens ◊ Influência de Hegel: Movimento da História - Dialética ◊ Influência de Feuerbach: Nega a intervenção divina
  • 34. ◊ Influência de Saint-Simon, Fourier e Owen: Crítica ao capitalismo ◊ Influência dos economistas ingleses: Estudo do capitalismo
  • 35. “Os filósofos não tem feita nada a não ser interpretar o mundo de diferentes maneiras: o que importa é transformá-lo”.
  • 36. A) Relações de trabalho: Escravidão Servidão Trabalho assalariado Propriedade Também não é livre Vende o trabalho No capitalismo, o trabalho transforma-se em MERCADORIA
  • 37. B) Alienação: Perda de algo, privação O Operário é um apêndice da máquina Forma máxima de alienação Propriedade Privada
  • 38. C) Mais Valia: “Aumento de valor” Trabalho não remunerado pelo patrão Como ampliar a mais valia? Aumento de tecnologia e/ou de jornada de trabalho
  • 39. D) Classes sociais: Proletariado: Não detentores dos meios de produção Burguesia: Donos dos meios de produção
  • 40. E) Materialismo histórico-dialético: Teoria de Marx O que move as sociedades? Contradições “Luta de Classes”
  • 41. COMUNISMO Socialismo Capitalismo “Luta de Classes” Feudalismo Escravismo Modo de Produção Asiático Comunismo Primitivo
  • 42. “. Os comunistas não se rebaixam a dissimular suas opiniões e seus fins. Proclamam abertamente que seus objetivos só podem ser alcançados pela derrubada violenta de toda a ordem social existente. Que as classes dominantes tremam à idéia de uma revolução comunista! Os proletários nada têm a perder a não ser suas algemas. Têm um mundo a ganhar PROLETÁRIOS DE TODO O MUNDO, UNI-VOS!”