AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA

201.369 visualizações

Publicada em

Material produzido pela Professora Sílvia Cláudia Marques Lima

Publicada em: Educação
11 comentários
91 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
201.369
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.195
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6.781
Comentários
11
Gostaram
91
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA

  1. 1. Objetivo: Expor, argumentar oudesenvolver uma tema proposto,analisando-o sob um determinadoponto de vista e fundamentando-ocom argumentos convincentes, emdefesa de nossas posições.Texto Dissertativo-Argumentativo
  2. 2. Dissertar é tratar com desenvolvimento umassunto. É discorrer sobre um ponto de vista,opinando ou persuadindo.
  3. 3.  procuramos justificativas:para a elevação dos preços;para o aumento da violência;para o desemprego. estamos preocupados com:os descasos com a Amazônia;as guerras;a AIDS;a natureza: a poluição, os desmatamentos, o aquecimentoglobal, etc.DISSERTAR é um ato que desenvolvemos todosos dias, quando:
  4. 4. Defendemos nossos pontos de vista em relação:à nossa liberdade;ao futebol;à música;ao aborto;às minorias;às injustiças sociais;ao avanço da tecnologia;à genética.
  5. 5. O TEXTO DISSERTATIVO é aquele que expressa uma TESE(um ponto de vista) sobre determinado ASSUNTO, apoiadaem dados, fatos (exemplos), fundamentações; enfim, emARGUMENTOS (informações que comprovem sua tese).Em suma, dissertação implica em discussão de ideias,argumentação, raciocínio, organização de pensamento,defesa de pontos de vista, descoberta de soluções.Significa refletir sobre o mundo que nos cerca.
  6. 6. ESTRUTURAUm texto dissertativo precisa ter uma estrutura bemorganizada. Nesse sentido, os maiores problemas de umtexto dissertativo são:- Expor as ideias desordenadas no papel;- falta de uma linha de raciocínio (coerência);- não relacionar uma ideia com outra (coesão);- não provar absolutamente nada.
  7. 7. => As partes da dissertação devemestar bem definidas e intimamenteligadas.=> O modo de se estruturar a redaçãoé o que mais se valoriza para ainteligibilidade do texto.
  8. 8. 1 – Introdução: apresentação da ideia principal outese.2 – Desenvolvimento: apresentação de argumentosque sustentam a ideia principal.3 – Conclusão: apresentação de um resumo da ideiaprincipal ou de uma sugestão para a resolução doproblema.O texto dissertativo - argumentativo organiza-seem três partes:
  9. 9. INTRODUÇÃO – normalmente apresenta-se a ideiacentral a ser discutida, de modo que o leitor saiba deque o texto vai tratar. Corresponde, geralmente, aum parágrafo.
  10. 10. A Introdução deve: Apresentar a ideia núcleo do texto Apontar o que o texto tratará no desenvolvimentoTransmitir a mensagem de modo que fique clara eobjetiva para o leitor.
  11. 11. DESENVOLVIMENTO – Parte encarregada pelodesdobramento da ideia central. Corresponde àexposição dos argumentos que comprovam oponto de vista contido na introdução. Podehaver mais de um parágrafo, dependendo daquantidade de linhas disponíveis.
  12. 12. •Parte que se discorre sobre o assuntoabordado pela tese;•Utiliza-se de fatos e de exemplos;•Fatos e argumentos fazem com que oconteúdo ideológico da tese sejaplenamente desenvolvido, levando auma conclusão.Desenvolvimento
  13. 13. ConclusãoSíntese das ideias.Apontamento da solução para asquestões abordadas no desenvolvimento.
  14. 14. CONCLUSÃO: É o acabamento da redação, parte que“amarra” o texto. Não deve ser iniciada abruptamente, comotambém não pode ser acabada de súbito.Pode funcionar de três maneiras:Retomada da ideia central, a fim de confirmá-la;Resumo das ideias principais apresentadas e discutidas;Sugestão de soluções para a resolução da problemáticaabordada.
  15. 15. Observações:1 – A linguagem tende à impessoalidade, por isso os verbose os pronomes são empregados na 3ª pessoa do singular.2 – A variedade linguística predominante é a padrão.3 – Os verbos são empregados predominantemente nopresente do indicativo.
  16. 16.  Em resumo: a linguagem do texto dissertativoA linguagem neste tipo de texto é denotativa, isto é,preocupada com a informação. Deve ser uma linguagemimpessoal e objetiva, com emprego da forma culta eformal da língua (padrão).
  17. 17.  Deve-se ter como preocupação persuadir o leitor e transmitirinformações que se pretende como conhecimentos verdadeiros, edessa forma se tornar convincente. Diante do tema, o autor deve se posicionar acerca do assunto e,através dos seus argumentos, demonstrar conhecimento de mundo:Com clareza, domínio da língua, seleção de conteúdos pelos seusvalores reais, organizando-os de forma coesa e coerente entre osassuntos, os quais serão fechados na conclusão, completandoassim, o ponto de vista inicial.Argumentação nos textos dissertativos
  18. 18. EXEMPLOS DE TEXTOSDISSERTATIVO - ARGUMENTATIVOSGêneros predominantes:EditorialArtigoCríticaMonografiaTese
  19. 19. Tipos de argumentos aos quais podemosrecorrer:Argumento com base em citação – Fundamenta-se mediante acitação de uma frase ou pensamento de uma autoridade ouespecialista no assunto. Promove credibilidade ao texto; Enriquece o texto com informações a respeito dos trabalhos desenvolvidosna área foco; Fornece exemplos de pontos de vista semelhantes ou divergentes sobre oassunto objeto de sua pesquisa.
  20. 20.  Citação diretaAo identificar o conceito de atividade, Leontiev, Especialistaem Psicopedagogia, afirma que “por esse termo designamosapenas aqueles processos que, realizando as relações dohomem com o mundo, satisfazem uma necessidadeespecial correspondente a ele”. Citação indiretaAo identificar o conceito de atividade, Leontiev, Especialistaem Psicopedagogia, afirma que pelo termo mencionado épossível designar apenas aqueles processos relativos às relaçõesdo homem com o mundo, e que satisfazem uma necessidadehumana específica.
  21. 21. Fundamenta-se nas ideias voltadas para princípiose valores que são reconhecidamente partilhadospela maioria das pessoas de uma sociedade.Refere-se a conceitos considerados irrefutáveis,partilhados.Argumento com base no senso comum
  22. 22.  São aqueles fatos que comprovam a tesee confirmam crédito ao texto (dados,estatísticas, pesquisas, informaçõescomprovadamente científicas, ou seja, defontes sérias).Argumento com base em evidências
  23. 23. Estabelece uma relação de causa e consequência,para que não se prejudiquem a sequência ordenadados parágrafos nem o sentido geral do texto.Mantém a coesão e coerência entre palavras eentre parágrafos.Argumento com base no raciocínio lógico
  24. 24. A IMPORTÂNCIA DOS EXEMPLOS Os exemplos dão vida ao texto. Esclarecem o raciocínio. Iluminam a compreensão. Intensificam o processo de persuasão, expondoas ideias de modo concreto. Não só ilustram o texto, mas levam o leitor a sentir,a pensar, a viver.
  25. 25.  Apresentação do tema e do ponto de vista. Exemplos a, b, c (do passado, apresentados nasequência). Exemplo d (do presente). Apresentação dos porquês. Reafirmação do ponto de vista.Leia uma proposta de redação da FUVEST e uma dissertaçãoque obteve nota máxima. Observe como o texto foi desenvolvido.
  26. 26. Há um conto de H. G. Wells, chamado A terra doscegos, que narra o esforço de um homem com visãonormal para persuadir uma população cega de que elepossui um sentido do qual ela é destituída; fracassa, eafinal a população decide arrancar-lhe os olhos paracurá-lo de sua ilusão. Discuta a ideia central do conto, comparando-a com ado ditado popular “Em terra de cego quem tem umolho é rei”. Em sua opinião essas ideias são antagônicasou você vê um modo de conciliá-las?TERRA DE CEGOS
  27. 27. A AUDÁCIA DE ENXERGAR À FRENTEA capacidade de estar à frente de seu tempo quase nunca confere aoseu possuidor alguma vantagem. A dureza das sociedades humanas emaceitar certas noções desmente, não raro, o ditado popular que diz que “Emterra de cego quem tem um olho é rei”.Exemplos, a história é pródiga em nos apresentar. Sócrates foi obrigado,pela sociedade ateniense, a tomar cicuta, em razão de suas ideias. GiordanoBruno, que concebeu a terra como um simples planeta, tal como sabemos hoje, foichamado herege e queimado. Darwin debateu-se contra a incompreensão econdenação de suas ideias, mais tarde aceitas.Ainda hoje, temos exemplos de procedimentos similares. Oscar Arias,presidente da Costa Rica e prêmio Nobel da Paz, ainda há pouco tempo sedebatia contra a sociedade de seu país, que teimava em colocar obstáculos à suaatuação. Em tempo: o mérito de Oscar Arias nem era o de estar à frente de seutempo, mas simplesmente o de analisar os problemas do presente.Esse mal não será curado tão cedo. Isso porque as pessoas queconseguem enxergar à frente apresentam ao homem o que ele odeia desdetempos imemoriais: a necessidade de rever as próprias convicções. Enquantoesse ódio – ou será medo – não for superado, a humanidade continuarámandando outros “Giordano Bruno” para a fogueira da incompreensão e doisolamento. E, ignorando as pessoas de visão, continuará cega para o futuroe para si mesma.
  28. 28. Vamos partir do princípio de que escrever écomunicar, é transmitir uma mensagem aoleitor. Portanto, quem quer comunicar e serbem compreendido precisa ser claro, bemorganizado nos seus atos de comunicação.
  29. 29. ALGUMAS FORMAS DE SEINICIAR UMA DISSERTAÇÃO
  30. 30. Definição: Pode-se começar a dissertarfazendo uma definição do tema, paraatribuir maior clareza e objetividadeao texto.Violência consiste em...A violência se caracteriza como....Um ato é violento quando...Existe violência se...
  31. 31.  Comparação: Tem-se também a opção decomeçar, buscando uma definição do tema porcomparação.Atribui-se a violência como...A violência torna-se semelhante a...A violência parece-se com..., lembra...
  32. 32.  Citação: Pode-se ainda iniciar o texto com umacitação relativa ao tema. Uma frase interessante,um verso, um fragmento...O ideal é que a citação seja feita do modo clássico:entre aspas, reproduzindo exatamente as palavrasdo autor e com indicação da fonte de onde foiretirada.Em seguida, faz-se uma pequena análise, um brevecomentário a respeito da opinião citada, expondo,ao mesmo tempo, o seu ponto de vista sobre oassunto.
  33. 33.  Histórico: no início do texto pode fazer um histórico, umaexplanação rápida do tema através dos tempos, dando ao temauma abordagem temporal.Antes, a violência era “X”; agora é...Ontem, a violência era “X”; hoje é “Y”; amanhã será...Depois do histórico, apresenta-se a IDEIA CENTRAL e inicia-sea argumentação.
  34. 34.  Exemplo: Pode-se também escolher um fato-exemploexpressivo para iniciar o texto. Em seguida, faz-se umaanálise interpretativa desse exemplo – que poderá ou nãoser retomado mais adiante – , revelando nossa visão sobreo tema.Iniciar uma dissertação a partir de um exemplo dáconcretude e comunicabilidade ao texto.
  35. 35.  Estatística: Pode-se começar a redação pelaapresentação de um dado estatístico esclarecedorsobre o tema. O procedimento é praticamenteidêntico ao de iniciar o texto pela exemplificação. Resumo: Um resumo daquilo que se pensa sobre oassunto da redação é uma das possibilidades de início.O começo da dissertação funcionaria, assim, comouma espécie de índice, de sumário do texto, em que seapresentaria de modo sintético o tema, o ponto devista e a argumentação.
  36. 36. É possível afirmar que, desde 2004, alguns eleitores desinformadosvêm sendo confundidos, principalmente, por causa de falsos e-mails quecirculam pela Internet. Essas mensagens, de autoria desconhecida,transmitem uma informação incorreta sobre o voto nulo e acabamconvencendo os cidadãos insatisfeitos com os políticos a anular seu voto.Porém muitos eleitores não sabem que o único voto capaz de anular aeleição é o voto que é anulado decorrente de algum acontecimento queprejudica o processo eleitoral, como, por exemplo, a falsificação de votos, acompra de votos ou o furto de urnas.Assim, o voto nulo é apenas uma manifestação direta da pessoa que vota,muitas vezes, pensando que pode anular a eleição e ter, comoconsequência, a substituição dos candidatos, sendo aparentemente algovantajoso.
  37. 37. Então, em alguns casos, quando uma pessoa vota nulo, visando aprovocar uma nova eleição, ela está sendo, muitas vezes, enganada por falsasinformações que recebeu na Internet ou que ouviu de alguém, o que faz comque o eleitor desperdice um dos nossos direitos mais valiosos, o direito deescolher um candidato para representá-lo politicamente.Assim, antes de uma pessoa votar, além de pensar qual será omelhor candidato para votar, deve ter o cuidado de não se enganar cominformações incorretas , procurando sempre confirmar essas informaçõese verificar se as fontes são confiáveis, pois, assim, os eleitores estarãovalorizando o seu voto.Redação de um aluno do Ensino Médio
  38. 38. A linguagem dissertativa Adequação: A redação deve obedecer à norma culta escrita,evitando-se repetições inexpressivas, gírias, vocabulárioimpreciso... Clareza: Deve-se evitar ambiguidade e obscuridade. Concisão: Evitar redundâncias, prolixidade. Coesão: Evitar frases e períodos desconexos. Expressividade: Evitar as frases feitas e os lugares-comuns.

×