Definicao de inteligencia

5.154 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.154
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
469
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Definicao de inteligencia

  1. 1. InteligênciaDefinição de Inteligência (Texto 1)A palavra “inteligência” vem do latim inteliggentia, que significa “compreensão”, “faculdadede compreender”. A inteligência pode ser definida tendo em conta os seguintes traços:capacidade de adaptação a situações novas e resolução de problemas, capacidade de pensarabstractamente e capacidade aprender. Estas três capacidades são indissociáveis,complementares, nenhuma delas pode ser analisada de forma independente. Estãointerligadas, constituindo diferentes tipos de inteligência. A inteligência é um sistemacomplexo.Thorndike distinguiu três tipos de inteligência que interagem de forma constante aconstrutiva segundo o tipo de exigências a que estamos sujeitos.• Inteligência prática – tipo de inteligência que recorre a acções e representações perceptivas para resolver problemas. A inteligência prática permite resolver, de forma concreta, problemas práticos do quotidiano.• Inteligência social – tipo de inteligência que se manifesta na vida relacional e social e na resolução de problemas interpessoais, recorrendo predominantemente à intuição.• Inteligência conceptual ou abstracta – tipo de inteligência que se manifesta na capacidade de resolver problemas recorrendo à linguagem e a outros sistemas simbólicos. Manifesta-se em capacidades de compreensão, raciocínio, na resolução de problemas e tomadas de decisão.Concepção factorial (Spearman) – defende a existência de uma inteligência geral (factor G)que estaria subjacente a todas as funções intelectuais, aos factores específicos – factores S.Concepção multifactorial (Thurstone) – composta por vários factores, negando assim aexistência de um inteligência geral.Segundo Thurstone, a inteligência não é uma capacidade constituída por uma estrutura única:é composta por vários factores que designa por aptidões mentais primárias.• Visualização espacial – capacidade de visualizar e compreender formas e relações espaciais;• Rapidez perceptiva – capacidade para reconhecer rapidamente pormenores, semelhanças e diferenças entre objectos;• Compreensão verbal – capacidade para compreender as ideias expressas através de palavras;• Fluência verbal – capacidade para produzir e compreender rapidamente a linguagem oral e escrita;• Memória – capacidade para reter e recordar a informação;• Raciocínio – capacidade para resolver problemas lógicos;• Aptidão numérica – capacidade para resolver problemas aritméticos, fazer cálculos.Guilford distinguiu pensamento convergente de pensamento divergente:Pensamento convergente – é a existência de uma resposta ou conclusão que surge comoúnica: o pensamento é orientado em direcção a essa resposta que surge como a melhor. É umpensamento dominado pela lógica e objectividade.Pensamento divergente – é caracterizado por uma exploração mental de soluções várias,diferentes e originais para um mesmo problema. 1
  2. 2. A criatividade está intimamente ligada ao pensamento divergente pois é a capacidade quepermite fazer algo de novo, lidar com uma situação de modo inédito e original.Algumas características do pensamento criativo são: 1) A originalidade – produção de algo de novo, descoberta de novas soluções… 2) Fluidez – capacidade para imaginar e descobrir várias respostas para um problema; 3) Flexibilidade – permite um pensamento versátil, flexível e a mudança de estratégia na resolução de um problema.A inteligência depende de vários factores:• Hereditariedade – há uma componente genética na determinação da inteligência de um indivíduo. Ainda que a informação hereditária não defina as capacidades intelectuais de uma pessoa, estabelece os limites de desenvolvimento e a expressão destas capacidades em interacção com o meio.• Meio Social – o meio social é um factor que influencia, estimulando ou dificultando, o desenvolvimento da inteligência. O meio, proporcionando condições para o desenvolvimento físico, psicológico e social, tem um papel decisivo no modo como a componente genética se manifestará. A família, a escola e o contexto social mais alargado podem favorecer ou dificultar o desenvolvimento da capacidade de ser inteligente. Assim, um meio que assegura as necessidades fundamentais e rico em estímulos facilita o desenvolvimento das capacidades intelectuais. Os factores sociais são determinantes na modelação do potencial genético que pode ser ou não desenvolvido.• Expectativas – os indivíduos têm tendência a responder de acordo com as expectativas, positivas ou negativas, que são feitas pelas pessoas mais significativas: família, professores e amigos. Se as expectativas são negativas as capacidades intelectuais podem ser bloqueadas; se são positivas podem ser estimuladas. O que os outros esperam de um indivíduo influencia a sua auto-estima e motivação, o que se reflectirá na sua capacidade intelectual.A escala Métrica de Binet e Simon foi o primeiro instrumento a medir, através de testes, ascapacidades mentais.O quociente de Inteligência (QI) é a razão entre a idade mental (IM), avaliada pela aplicaçãode testes, e a idade cronológica (IC).Limitações que se colocam à aplicação de testes de QISão várias as limitações que se colocam à aplicação dos testes de inteligência:• A situação de avaliação é artificial podendo por isso afectar os resultados. Por outro lado, o estado do sujeito no momento em que realiza os testes pode afectar os resultados.• Os testes só avaliam determinadas aptidões e capacidades intelectuais. Sendo a inteligência uma faculdade tão complexa, multifacetada e abrangente, os testes só medem alguns dos seus aspectos.• A forma como os resultados dos testes são interpretados e utilizados podem conduzir a deturpações especialmente se se partir do pressuposto fornecem de forma objectiva o nível de inteligência de uma pessoa.• Os testes só podem ser aplicados aos indivíduos que se enquadram nas características da população para a qual foram construídos. Quando esta norma não é respeitada os resultados obtidos podem, por exemplo, prejudicar pessoas de origem e condição social mais baixa podendo provocar levar à discriminação. No passado os testes de inteligência não tinham em conta o contexto sociocultural dos indivíduos que os realizavam. Ao serem utilizados incorrectamente, de forma redutora e abusiva conduziram e justificaram a discriminação social e racial. 2
  3. 3. (Texto 2)A inteligência possibilita a ultrapassagem de várias limitações, permitindo aos seres humanosfalar, cultivar os campos, domesticar animais, construir cidades, produzir teorias que tornamo mundo mais compreensível. Justificou classificações que distinguiam de forma radical osnormais dos anormais, os inteligentes dos menos inteligentes, justificando preconceitos queconduziram à exclusão de muitos seres humanos. A palavra inteligência tem origem no latim,e quer dizer compreensão, faculdade de compreender. A definição desta faculdade è bemmais difícil de enunciar do que a sua etimologia. Não há uma definição universal, o termointeligência è utilizado com significados muito diversos, encontrando-se várias definições.Inteligência prática, manifesta-se empiricamente pela invenção, fabrico e uso de objectos,estando na base de respostas concretas aos problemas do quotidiano. Revela-se ao nível daactividade concreta, manipulando os objectos. Recorre na resolução dos problemas, àcapacidade de mobilização ou manipulação de representações perceptivas e às acções.Inteligência social, manifesta-se na vida social e relacional e no resolver de problemasinterpessoais, recorrendo à intuição. Está na base dos comportamentos de relação social.Inteligência conceptual, também chamada de racional e abstracta, pressupõe o recurso dalinguagem e de outros sistemas simbólicos. Manifesta-se nas capacidades de raciocínio,tomada de decisões, resolução de problemas e compreensão. Na capacidade simbólica everbal.Quociente de Inteligência ( QI), è usado pela primeira vez na Alemanha com Stern. Oquociente de inteligência determina a relação entre a idade mental e a idade cronológica.Para calcular o QI, dividiu a idade mental, obtida numa bateria de testes, pela idadecronológica, multiplicando o resultado por 100.Teoria das inteligências múltiplas, existem diferentes tipos de inteligência, como, ainteligência lógica- matemática, onde tem aptidão para raciocinar, formular e validarhipóteses; inteligência linguistica, tem aptidão verbal, mais as subtilezas de significado.Concretamente a linguagem verbal e escrita; inteligência espacial, aptidão para representarespaço, reconhecer ou até desenhar relações espaciais; inteligência musical, para cantar,tocar, compor uma musica; inteligência corporal- cinestésica, para controlar movimentos deforma adequada, como dançar, fazer atletismo; inteligência interpessoal, para compreendere responder adequadamente a outras pessoas e por fim, a inteligência intrapessoal, para secompreender a si próprio.Factores de inteligência, são a hereditariedade, factores sociais, idade, expectativas. Ainteligência está relacionada com a herança genética, a hereditariedade. Existe umcontributo da hereditariedade no nível das capacidades intelectuais. Mas a hereditariedadeestá relacionada com os factores sociais, o meio sociocultural da família influencia odesenvolvimento da inteligência. As condições económicas, o nível de instrução dos pais, umambiente estimulante ou até a sua profissão afectam o desenvolvimento das capacidadesintelectuais das crianças. A idade è também um importante factor. Aos diferentes estádioscorrespondem diferentes expressões de inteligência. A inteligência manifesta-se de formadiversa segundo o desenvolvimento e a idade. Todos somos influenciados pelas expectativas,positivas ou negativas, sobretudo pelas pessoas mais chegadas como os pais, amigos, outrosfamiliares. Tendemos a ajustarmo-nos às expectativas pelo facto de estas influenciarem oautoconceito, motivação para aprender, persistência na realização de tarefas.Pensamento convergente è o mundo normal. È a existência de uma resposta ou conclusão quesurge como única, o pensamento È orientado em direcção a essa resposta que è a melhor. Èum pensamento dominado pela objectividade e pela lógica. Dirige-se para um ponto comum,para o mesmo fim. 3
  4. 4. Pensamento divergente, è um pensamento diferente, discordante, oposto. È totalmentediferente do habitual. Caracterizado por uma exploração mental de soluções várias e originaispara um mesmo problema. uma pessoa que tem um pensamento divergente è uma pessoaartística e criativa.A criatividade è uma forma especial de resolver problemas com elementos novos ouraramente usuais. Prefere a complexidade e a novidade, acentua valores teóricos e estéticosao mesmo tempo. A criatividade apresenta três aspectos fundamentais, a fluidez, aflexibilidade e a originalidade. A fluidez consiste na capacidade de encontrar múltiplassoluções, espontaneidade. A flexibilidade, è a capacidade para mudar de estratégia naresolução de um problema, aptidão para várias coisas ou aplicações . A originalidade,caracteriza-se pelo encontro de novas formas para resolver problemas, tem haver com asingularidade, extravagância e a excentricidade, è a principal característica da criatividade.As pessoas criativas têm uma fluência de ideias imaginativas, uma flexibilidade que as tornacapazes de aprenderem relações, não visíveis, existentes nos problemas. 4

×