Livro Salvação e Serviço

57 visualizações

Publicada em

- Resumo do Livro salvação e Serviço

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
57
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro Salvação e Serviço

  1. 1. Salvação e Serviço • O desafio do ministério jovem
  2. 2. • Nosso principal objetivo é a salvação dos jovens por meio de Jesus Cristo.
  3. 3. Nossas tarefas: Levar o jovem a se conscientizar de seu valor, à descoberta de seus dons e habilidades; Capacitação a uma vida de serviço; Integração da juventude em todos os aspectos da vida e da liderança da igreja.
  4. 4. Mensagem de Elias (Malaquias 4:5 e 6) • Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR; E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição.
  5. 5. O que é a mensagem de Elias? • Em Primeiro lugar: Uma mensagem profética;A mensagem para um tempo específico (exatamente antes da vinda do Senhor – agora);Objetiva edificar e unir a igreja;Uma mensagem de esperança e advertência que precisa ser apresentada. (a mesma de apocalipse 14); • Em segundo lugar: Uma mensagem completa, não é parcial;Restaurará as verdades de Deus;Precisamos pregá-la em uma totalidade ou faremos injustiça à verdade de Deus; • Em terceiro lugar: Para ser eficaz, a mensagem de Elias deve se destinar também aos jovens;Deve ser centrada na juventude;
  6. 6. • Esta igreja e seu ministério jovem encontram-se na linha profética do povo remanescente de Deus. É ao povo que guarda os mandamentos de Deus e tem o testemunho de Jesus que a mensagem diz respeito.
  7. 7. • Nosso ministério possui uma base bíblica e abrange a salvação de nossa juventude e a aceitação da responsabilidade da igreja para com aquela.
  8. 8. • Somos um povo distinto, temos uma mensagem distinta e ministério distinto. Temos uma mensagem e um movimento ordenados por Deus para salvar nossos jovens.
  9. 9. Permeando nosso ministério em favor dos jovens, estão valores espirituais eternos e, em seu âmago, está a mensagem de Elias. Temos uma base bíblica e histórica para nosso ministério
  10. 10. • O ministério jovem, em sua totalidade, foi dirigido por Deus com um único propósito: salvar a juventude
  11. 11. Nosso ministério não é: • Um programa de entretenimento; • Uma instituição para atender crianças; • Órgão de serviço comunitário
  12. 12. O que devemos fazer? • 1) Captar e estimular a atenção dos jovens; • 2) Buscar o interesse e o envolvimento dos jovens para aprofundar o relacionamento com Deus e focalizar a atenção rumo ao alvo do adventismo.
  13. 13. • Se perdermos de vista os objetivos reais de nosso ministério, os resultados serão apostasia e perda de muitos de nossos jovens. • O verdadeiro ministério jovem terá um enfoque básico na espiritualidade e no serviço visando ao compromisso e ao interesse dos jovens
  14. 14. • A filosofia de nosso movimento deve se centralizar na salvação de nossa juventude (alvo e desafio).
  15. 15. Fundamento bíblico • Não seguimos fábulas. Nosso fundamento é a palavra de Deus. Esta foi escrita por homens inspirados pelo Espírito santo. Não é a palavra de um homem ou grupo de homens a nossa base. É a palavra do Senhor. Nosso alicerce é um” assim diz o Senhor”.
  16. 16. 2 Pedro 1:16 • Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade.
  17. 17. • Estamos em meio a uma batalha e nossa luta é pelas almas dos nossos jovens. Para enfrentarmos tal conflito, nossa base é e deve ser somente a palavra do Senhor Nosso Deus.
  18. 18. Isaías 54:13 • “Todos os teus filhos serão ensinados do Senhor, e será grande a paz de teus filhos.”
  19. 19. Esta é uma mensagem de esperança para o remanescente. • É um texto para a igreja hoje. Tal redenção está próxima. É um texto para nós, não é para outros. Somos pais e mães espirituais dos jovens de nossa igreja. “Teus filhos” refere-se aos jovens que estão na igreja de Deus hoje.
  20. 20. O que acontecerá aos jovens? • Serão ensinados nos caminhos do Senhor e por Ele. Essa é a nossa base de nosso ensino e de nossa mensagem. É o porquê de nossa mensagem ser diferente.
  21. 21. Mensagem de Elias:Malaquias 4:5-6 • Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR; E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição.
  22. 22. Mensagem de Elias: a) Coração dos filhos se volta para os pais; b) Coração dos pais se volta para os filhos; c) Corações de ambos os se voltam para Deus.
  23. 23. • Nossa filosofia (adventista) do ministério jovem é a salvação dos nossos jovens e a aceitação, pela igreja, da sua responsabilidade para com eles.
  24. 24. • É necessário assumir que somos responsáveis por esses jovens e oferecer-lhes uma mensagem que traga paz à alma.
  25. 25. Instruções Bíblicas para o Ministério Jovem:
  26. 26. Deuteronômio 6:4-7 • Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.
  27. 27. A quem Deus se dirige nesses versos? • A igreja é Israel espiritual. Israel somos nós, é o povo remanescente do Senhor. Quando Deus se dirige ao povo de Israel, está falando a toda a igreja. Fala a todos nós.
  28. 28. Salmo 119:11 • Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.
  29. 29. Salmo 119:105 • Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.
  30. 30. • A mensagem de Elias, que converte os corações dos pais aos filhos, dos filhos aos pais, e de ambos a Deus, é a mensagem na qual precisamos acreditar e ensinar diligentemente em nossa Igreja. Ensinar aos nossos jovens.
  31. 31. • Não podermos ter uma igreja que realmente quer pregar a mensagem ao mundo e, ao mesmo tempo, esquece-se de seus jovens e juvenis.
  32. 32. • A nossa tarefa, como movimento que busca a salvação de nossos jovens, é levá-los a uma intimidade com os estatutos, mandamentos, conselhos e advertências provenientes da palavra de Deus.
  33. 33. Nosso trabalho necessita de empenho real e dedicação (diligência e esforço) do que se faz. São nos dados, em Cristo, energia e poder necessários ao trabalho eficaz em prol dos nossos jovens.
  34. 34. • Não podemos ter uma Igreja vacilante quanto à mensagem de Elias e seu ministério em favor dos jovens.
  35. 35. • A diligência reflete-se em todos os aspectos da vida – trabalho, escola, lazer, amizades, relacionamentos, igreja, clube. • Todos os momentos, tarefas, esferas e aspectos da vida do jovem devem ser aproveitados como oportunidades de ensinar e promover a salvação e o serviço.
  36. 36. O que deve ser ensinado? • Temor ao Senhor e seu real significado (Deuteronômio 6:13); • Mandamentos e Estatutos de Deus (Deuteronômio 6:17-18);
  37. 37. A mensagem e os ensinamentos precisam ser vivos e proporcionar uma ação contínua em favor da salvação e serviço, da caridade e boas ações (Tiago 2:14-26):
  38. 38. • Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai- vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?
  39. 39. O apoio aos jovens deve vir de adultos moldados por um estilo de vida cristão e viável, uma conduta prática que satisfaça as necessidades da vida diária.
  40. 40. • Não podemos pautar nossos ensinamentos e estilo de vida por meio de uma teoria estéril, cheia de proibições e restrições.
  41. 41. Quais as três maravilhosas e frutíferas ordens que o Senhor dá à nossa igreja em relação aos jovens?
  42. 42. • Ensinar nossos filhos nos estatutos e na Palavra de Deus (Deuteronômio 6:6-7) - INSTRUIR; • Recordar-lhes como o Senhor nosso Deus conduziu as coisas no passado (Deuteronômio 6:20-23) – FAZER LEMBRAR; • Desafia-los a viver de acordo com a Palavra do Altíssimo (Deuteronômio 6:24) – DESAFIAR.
  43. 43. Falhar nesses princípios é deixar as portas abertas para a apostasia de muitos de nossos jovens. • Não podemos comprometer tais princípios. Devemos balizar nossas ações, projetos, programas, em suma, nosso ministério nestes três princípios: INSTRUIR, FAZER LEMBRAR e DESAFIAR.
  44. 44. • Não podemos nos esquecer de passar aos nossos jovens os fundamentos bíblicos de nossos valores. A marca de nossas ações e discursos deve ser “ASSIM DIZ O SENHOR”.
  45. 45. Somente teremos algo relevante a dizer aos jovens para justificar nossas crenças, ações, atos e hábitos enquanto tivermos um argumento com base bíblica. • “Este é o caminho no qual Deus nos instruiu. É o que Sua palavra diz”.
  46. 46. A outra face de nosso discurso virá na frase “Agora os desafiamos a aceitar Sua palavra e viver segundo os seus princípios a partir de hoje”. • Ao portarmo-nos desta maneira, apresentaremos um ministério jovem com base na palavra de Deus. Precisamos de outro alicerce?
  47. 47. Quando devemos fazer isso? Ano que vem? Na próxima semana de oração? Na próxima Campal? Próximo Campori? Quando a nossa organização determinar? Ao soar o decreto dominical? Quando começar a perseguição? • Queridos e amados irmãos, preciosos líderes, o momento é agora. O dia é hoje.
  48. 48. Pra que? O resultado será um presente de Deus, a justiça. Deus lutará as nossas guerras, enfrentará nossos inimigos de todos os dias. O resultado será a salvação. • Nosso ministério pautar-se-á única e somente no mote: Salvar do pecado para guiar no serviço - SALVAÇÃO E SERVIÇO.
  49. 49. • Temos apenas um alvo: a salvação. O Senhor Nosso Deus agraciou-nos com o ministério que tem tal finalidade.
  50. 50. Joel 2 e o ministério em favor dos jovens. • E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito. E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR. E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o SENHOR, e entre os sobreviventes, aqueles que o SENHOR chamar. JL 2:28-32
  51. 51. • Uma mensagem para Sião. Uma mensagem para Jerusalém. Uma mensagem para o povo de Deus. Uma mensagem para nós.
  52. 52. Nossa identificação como povo de Deus é fundamental para que tenhamos o foco correto em nosso ministério. • Precisamos nos conscientizar de que somos “a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo eleito para anunciar com poder as grandezas dAquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz.” I Pedro 2:9
  53. 53. Somos um povo peculiar, com uma mensagem peculiar, um alvo peculiar e o grandioso Deus como escudo e fortaleza.
  54. 54. Tocai a trombeta em Sião, e clamai em alta voz no meu santo monte; tremam todos os moradores da terra, porque o dia do SENHOR vem, já está perto; JL 2:1 • Ao dizer filhinhos, há uma clara referência aos jovens e juvenis. Parafraseando “reuni os jovens”
  55. 55. • O trabalho com eles é consistente. Não podemos fazer uma obra vacilante ou sem base real ou sólida. O salário para um trabalho inconsistente é o fracasso ao tentar alcançar os objetivos da missão global.
  56. 56. Falar a sério da igreja requer levar a sério a mensagem a ela direcionada: “reuni os jovens”. • Por quê? Porque devemos santificar ao Senhor, separá-los para uma atividade sacra. Asseguremo-nos de que eles estejam preparados para sair ao encontro de seu (nosso) Deus. Apelar a eles à luz da eminente volta do Senhor é nossa maior responsabilidade.
  57. 57. Apelar a eles à luz da eminente volta do Senhor é nossa maior responsabilidade.
  58. 58. Necessidades da Juventude Ser desafiada com uma mensagem relevante que supra suas necessidades. Ver essa mensagem exemplificada na vida da igreja. Ser levada por preceito e exemplo a adotar um estilo de vida que permita desfrutar da presença de Deus.
  59. 59. Essa é a mensagem e esse é o ministério junto aos nossos jovens. “Reuni os jovens”. • Assegurar a salvação dos jovens e fazê- los participar do trabalho em favor da própria juventude e do mundo são os objetivos bíblicos do ministério jovem adventista. Um ministério realizado em favor dos jovens e por meio deles.
  60. 60. Nós, o povo remanescente, que aceitamos a salvação, recebemos o Espírito Santo para estarmos de pé naquele Grande Dia. • Os jovens, com discernimento do Espírito, proclamarão poderosamente este evangelho. A entrega do coração ao Senhor e a aceitação da influência do Espírito Santo levarão nossos jovens a um trabalho efetivo e poderoso em favor da mensagem.
  61. 61. Uma obra feita por jovens nascidos em Cristo e convencidos no espírito e no poder de Elias serão os frutos do verdadeiro ministério em seu favor. • A conseqüência será a adoção de um estilo de vida que permita desfrutar da presença de Deus na terra com prosseguimento nas cortes celestiais.
  62. 62. Nossos jovens estão inclusos na grandiosa comissão evangélica (Mateus 28:19), na verdade, como imitadores de Cristo, tal comissão é um privilégio e responsabilidade • Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
  63. 63. Nossos jovens fazem parte do grupo de I Pedro 2:9 e, como tal, são testemunhas do Senhor (Isaías 43:10). • Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia. • Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.
  64. 64. • O convite se insere na linha de tempo relacionada ao povo de Deus. A comissão evangélica abrange o remanescente até a maravilhosa Volta de Jesus, Nosso Senhor e Salvador.
  65. 65. O ministério jovem deve incluir a responsabilidade da igreja de desafiar sua juventude para o serviço e prepará-la. A igreja deve auxiliar os jovens proporcionando oportunidades de ação.
  66. 66. a) Consciência do potencial de seus jovens; b) Consciência da parte que o Senhor espera que cada um desempenhe em sua missão A igreja precisa de:
  67. 67. O jovem deve entender o serviço como: • Uma alegria; • Um privilégio; • Uma responsabilidade.
  68. 68. Nossos jovens não podem ser entendidos como mais um grupo dos muitos que há no mundo. Eles são preciosas jóias para a coroa de Cristo • São o presente e o futuro de nossa igreja e são comissionados a levar ao mundo a única mensagem digna de trazer paz ao mundo.
  69. 69. Há uma grande necessidade também de a igreja observar os líderes de nossos jovens e auxiliá-los • Nossos líderes devem buscar, com todas as suas forças, ser imitadores de Cristo (Efésios 5:1). • “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;”
  70. 70. Seremos seus imitadores e como alguém que dEle nasceu. Na verdade, somos nascidos de novo em Cristo. • Haverá limites para tal ministério?
  71. 71. Efésios 5 cita os elementos que não podem fazer parte da vida de nossos líderes (impureza, imoralidade, zombaria, conversação leviana, brincadeiras inconvenientes, piadas maliciosas). • Tais características não nos pertencem porque não fazem parte do reino de Deus
  72. 72. Não podemos ser participantes com os que procedem assim. Não somos no mundo. Somos filhos da Luz e, como tais, não temos comunhão com as trevas • Não há possibilidade de sermos líderes do ministério em favor dos jovens e, ao mesmo tempo, sermos filhos da Luz e das trevas (querer servir a dois senhores)
  73. 73. Nosso galardão não está aqui, nossa nacionalidade não é esta. Somos cidadãos dos Céus e nosso lugar é com o Senhor desde agora. • Não há espaço em nossa mente para a contemplação dos pecados do mundo. Contemplação é o passo para a participação.
  74. 74. Devemos ter em mente que somos mordomos do Senhor e responsáveis pelo que fazemos com tudo que é colocado em nosso domínio. • Tempo, energia, inteligência, oportunidades, relacionamentos e recursos são dádivas de Deus de que devemos cuidar e administrar (verdadeira mordomia).
  75. 75. Tudo isso é uma bênção e devemos ter consciência de que, com ela, virá a responsabilidade.
  76. 76. . Nossos jovens são o nosso rebanho e daremos contas ao Senhor a respeito do nosso ministério. •“Onde está o teu rebanho, o teu lindo rebanho”.

×