A grande família

503 visualizações

Publicada em

Palestra sobre interprisões familiares na gestão de empresas e a importância de implantar um processo de governança corporativa

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
503
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A grande família

  1. 1. Malcon A TafnerMauro C Fistarol
  2. 2. A Proposta A proposta dessa palestra é apimentar o debateconhecido sobre as dificuldades deimplantação da governança corporativa emuma empresa familiar com toda a suacomplexidade das questões interpessoais(interprisão)
  3. 3. A visão que se tem de umaEmpresa Familiar
  4. 4. O que se fala da EmpresaFamiliar… NA AMÉRICA “Shirtsleeves to shirt sleeves in three generations.” “De mangas arregaçadas para mangas arregaçadas em três gerações.” NA ITÁLIA “Dalle stalle alle stelle alle stalle.” “Dos estábulos para as estrelas e de volta para os estábulos.” NO MÉXICO “Padre bodeguero, hijo milionario, nieto pordiosero.” “Pai mercante; Filho milionário; Neto mendigo.” NA CHINA 富不过三代 (fu bu guo san dai) “Você não pode ser rico por três gerações.” NO BRASIL “Pai rico, filho nobre, neto pobre.”
  5. 5. Mas… O que é afinal umafamília ? A família é unidade básica da sociedadeformada por indivíduos com ancestrais emcomum ou ligados por laços afetivos.
  6. 6. Mas… O que é afinal umafamília ? Toda a família bem sucedida exerce virtudes: Verdade, moral, generosidade, solidariedade e compaixão Enfim, existe um componente “espiritual” de berço entre os seusmembros Nenhuma família obtém êxito em preservar a si própria se oseu sistema de valores fracassar
  7. 7. E como surgem essasempresas ? A empresa familiar surge quando um indivíduo, ou mais amigos, sepropõem a empreender um negócio. Assim, essa pessoa, ou mais amigos, juntam capital e trabalham paradesenvolver uma atividade econômica (comercial, industrial ou deprestação de serviços). No entanto, dada as condições iniciais, o(s) fundador(es) acabaconvocando o auxílio de membros familiares, ou ainda, um pequenonúmero de colaboradores como forma de viabilziar o negócio. Importante: empreender um negócio passa pela fase de subsistência doempreendedor e da família. Neste cenário, é fácil compreender que a maior parte das empresas nomundo nasceu como empresas familiares.
  8. 8. Interprisão? Essa mesma condição, que no começo, porcomodidade, financeira ou de confiança se mostrou comoalgo positivo, pode, ao longo do tempo, se tornar umainterprisão intangível. Essa nova condição não significa necessariamente quecomeçou errado, pois naquele momento inicial, de algumaforma, e dentro dos processos existentes, se mostrou importantepara os envolvidos, ou até mesmo necessária.
  9. 9. Interprisão? As pessoas, em suas relações, possuem um tipo de livro-caixa, em que “anotam as transações” Se alguém lhe faz feliz você anota como crédito. Se alguém lhe ofende você anota como débito. A forma como lidamos com os ressentimentos na famíliaempresária terá influência direta sobre o andamento doprocesso sucessório e do equilíbrio da empresa.
  10. 10. Então o que é umaEmpresa Familiar? Embora existam diversas definições sobre o que é umaempresa familiar, adotaremos a seguinte definição: Empresa familiar é a organização em que tanto a gestãoadministrativa quanto a propriedade são controladas, na sua maiorparte, por uma ou mais famílias, e dois ou mais membros da famíliaparticipam da força de trabalho, principalmente sendo integrantesda execução do negócio.
  11. 11. Estatística não faz mal aninguém… Representatividade 30% das 500 maiores empresas do mundo são familiares No Brasil, dos 300 maiores grupos privados, 270 são empresasfamiliares Considerando os países industrializados, 75% das empresas sãofamiliares As empresas familiares empregam 55% da força de trabalho nomundo 15% das empresas de grande porte no mundo tem seu capital damão de famílias 65% do PIB brasileiro está nas mãos de empresas familiares
  12. 12. Estatística não faz mal aninguém… Longevidade A vida média de empresas familiares no Brasil é de 9 anos, contra 12anos de empresas “não familiares” A vida média de empresas familiares nos EUA é de 24 anos, contra45 anos de empresas “não familiares” Apenas 30% das empresas familiares são continuadas na 2aG Apenas 15% das empresas familiares são continuadas na 3aG Apenas 4% das empresas familiares são continuadas na 4aG
  13. 13. Ainda sobre as EFs… Vantagens de Liderança Numa EF as decisões e sua operacionalização costumam ser maisrápidas O proprietário empreendedor acorda de manha com a idéia e assumetodas as responsabilidades da sua execução Na maioria das vezes não discute e não divide o problema A liderança dentro da EF é mais consolidada por conta dos laçosconstruídos, tanto no passado, quanto por conta da representatividadesocial da família na comunidade (funcionários são “seguidores”) Importante: decisões estratégicas em EFs organizadas para aperpetuação tem visão de longo prazo
  14. 14. Ainda sobre as EFs… Vantagens de Velocidade A velocidade de mobilização da empresa dentro de um novoprocesso possui a vontade política do fundador A mobilização dos funcionários acompanham o empenho daliderança no timing
  15. 15. Ainda sobre as EFs… Vantagens Sociais (em especial nas IES) A família, por conta das raízes na comunidade, tende a ter umarepresentatividade social muito forte Por conta da representatividade, também possuem maior participaçãosocial (muitas vezes investindo diretamente na comunidade) Normalmente existe uma proximidade muito forte com a comunidadede uma maneira geral Fiat Dei voluntas Em empresas “não familiares” essa situação tende a ser diferente, pois osvalores e os objetivos são diferentes, além da própria distância de ondeas decisões são tomadas perante a comunidade
  16. 16. A questão social emempresas “não Familiares”… Em empresas “não familiares” a proximidade com acomunidade tende a ser diferente Esse fato ocorre uma vez que os valores e os objetivos estãodissociados dos interesses da comunidade As decisões são lentas, impessoais, distantes da comunidade esem compromisso
  17. 17. Abre “O Exemplo de 2008 O Vale do Itajaí foi acometido com um grandedesastre ecológico Desbarrancamentos Centenas de mortes Prejuízos somados em 1 Bilhão de reais Na ocasião Veículos à disposição Abastecimento 600 mil litros de água 90 mil pães produzidos e distribuídos(parceria) Medicamentos distribuídos (parceria) 8 mil fraldas distribuídas (parceria) Brinquedos (parceria) Equipe de 80 voluntários trabalhando durante3 semanas
  18. 18. O Exemplo de 2011Fecha ” Em 2011 fomos atingidos 3 IES foram atingidas, mais de 20 m2 ficaramdebaixo de água Mais de 600 voluntários socorreram asIES durante 2 semanas
  19. 19. Continuando… Não existem empresas sem nenhum tipo de vínculo familiar Por trás de quase todos os grandes grupos econômicos há umgrupo familiar no controle, mesmo que temporário Todos tem problemas… Uma empresa de um grupo econômico “não familiar”também tem problemas, assim como as empresas familiares A forma de lidar com o problema será diferente por contadas relações internas “não familiares”
  20. 20. Gestão Familiar XGovernança Corporativa Muito do material “técnico” de gestão aborda a presença dafamília em uma gestão empresarial como forma “delicada” O conceito de “Empresa Familiar” é visto como pejorativo emmuitos casos Afinal… existem problemas? Sim, todos os relacionamentos da interprisão podem se transformarem problemas diante de situações de conflito em qualquertempo, pois estão acima dos interesses da organização
  21. 21. Porque implantar uma GCem uma EF ??? A perpetuidade da empresa, de uma forma ou deoutra, dependerá de um processo de governança implantadoe operacional em tempo A necessidade de se reorganizar e “profissionalizar” não é umfato bom… nem ruim… é simplismente uma necessidade
  22. 22. Porque implantar uma GCem uma EF ??? Garantir os valores Constituem a história da empresa e o norte das decisões A mantença dos valores ajudará muito o processo de implantaçãoda GC Precisam ser preservados dentro da empresa em seusprincípios, protocolos, conselhos e atitudes
  23. 23. Porque implantar uma GCem uma EF ??? Garantir os valores em uma GC? No final, a GC, junto com o controle familiar, é quem preservará osvalores da empresa Manter a história da família deverá fazer parte do processo de GC Muitas empresas não sobrevivem a troca do comando de umageração para outra por conta da mudança dos valores da novageração
  24. 24. Dificuldades da GC nas EFs As dificuldades para implantar uma condição de GC em umaEF são inúmeras Essas dificuldades transcendem a lógica adminstrativa, pois osinteressem nem sempre são financeiros ou de poder, sãotambém familiares O processo de GC corre o risco de não ser implantado devidoa composição acionária da EF E… implantado a GC… é importante ter em mente que a asustentação da GC é a boa relação relação interfamiliar … o processo pode recuar
  25. 25. Dificuldades da GC nas EFs Implantar um processo de Governança Corporativa em umaEmpresa Familiar é uma situação que possui grandes desafios: Conflitos financeiros Necessidades da empresa x necessidades da família Profissionalização dos acionistas Profissionalização de membros da família Rivalidade entre os pretensos sucessores Transferência de patrimônio de uma geração para outra Transição de poder de uma geração para outra ENFIM… TODAS AS FAMÍLIAS SÃO IGUAIS… E SE VOCÊ TEM UMA FAMÍLIA..VOCÊ JÁ TEM PROBLEMAS
  26. 26. Agora, vamos ver os valoresde novo…Família EmpresariaisInclusão MéritoEspontaneidade PlanejamentoPerdão ResponsabilizaçãoIgualdade SuperioridadeVoluntariado Trabalho recompensadoPaciência Capacidade de decisão
  27. 27. Como fazer a GC nas Efs ? Vejam como é fácil… é só… Definir regras de relacionamento da(s) famila(s)com a empresa Definir critérios de sucessão Definir regras de remuneração Definir regras de distribuição de dividendos Implantar um Conselho de Administração e umConselho de Família
  28. 28. Então… Quais são osPROBLEMAS ? Dificuldades para afastar funcionários antigos que trabalham naempresa são reais Muitos ajudaram nos momentos mais difíceis Dificuldades para afastar membros da família que trabalham naempresa são reais “Ele é da família…” Dificuldades para afastar pessoas ligadas à família que trabalhamna empresa são reais “É como se ele fosse da família…” Questões familiares tornam as decisões mais difíceis, pois elas irãotransceder o ambiente de trabalho “…em casa a gente conversa !
  29. 29. Então… Quais são osPROBLEMAS ? Preocupação em manter os valores da família na “nova”empresa “Vai mudar tudo… e os nossos valores?” A figura forte do fundador sempre estará presente “Se ele (o fundador) estivesse aqui isso não aconteceria” A influência das decisões podem vir de qualquer lugar e dequalquer pessoa O pintor ou o motorista podem ser “conselheiros” invisíveis As relações familiares não possuem “freio social” Se conhecem muito há muito tempo… e nem tudo podeestar “acertado”
  30. 30. Então… Quais são osPROBLEMAS ? Sócios que não se escolheram podem ter visões diferentes sobre o futuroda empresa Todos querem a mesma empresa? A visão da família sobre o negócio tem muita força Não importa o “certo” ou o “errado”, importa o que a família quer Transição do “poder” de uma geração à outra sempre é um ponto deconflito Quem será o sucessor? Quase metade das EFs não discutem sobre esse assunto… Sempre é umbarril de pólvora O foco do poder em torno do fundador Falar das regras… (Caio)
  31. 31. Falando de sucessãofamiliar… Os filhos não herdarão uma empresa… Os filhos herdarão uma sociedade… não serão donos… sãosócios Os filhos querem ser sócios entre sí ? Os primos querem ser sócios entre sí ? Todos se dão bem e comem churrasco no domingo juntos ? Os futuros sócios estão preparados para serem sócios entre sí? Todos queriam ser sócios da empresa ? Todos querem mandar em alguém ? Quem vai mandar em quem ? O legado que os “filhos” recebem e a dificuldade de suceder o sucesso
  32. 32. FamíliaPatrimônioComo implantar umaGC?Primeiro Passo… Proteger o patrimônio... ouseja, separar Empresa, Família ePatrimônio Inclusive dentro do quinhãofamiliar, se possível Esse conceito pode parecersimples… mas não é A família tem que se prepararpara praticar esseconceito, principalmente osfundadoresEmpresa
  33. 33. Como implantar umaGC?Segundo Passo… Estabelecer políticas de relacionamento dos familiares com aempresa, podendo ser:ConselhosProtocolosAssembléiasAcordos Deve haver um modo de relação diferente do “Almoço deDomingo”, que seja formal, protocolar (por escrito e devidamenteacordado)
  34. 34. Mas ANTES !!!Um “Meio Passo”… O mais importante Ter “vontade política” dos fundadores é o verdadeiro “primeiropasso” Sim… eles serão os melhores mediadores entre as duas gerações Mesmo que injustos Sim… sem eles… tudo tenderá a ser mais difícil Sim… a 1aG tem que confiar na 2aG Sim… eles precisam estar vivos...
  35. 35. Mas ANTES !!!Um “Meio Passo”… IGUALMENTE importante Deverá haver um intermediador de confiança externo com trânsito nafamília A negociação será o verdadeiro paradigma do processo Nem todos irão ceder… LOGO… alguém deverá ceder Porque ceder ???? Se você é um membro da família, efetivamente preocupado comela, você quer sair da interprisão, e esse passo será importante paraproporcionar essa ação futura
  36. 36. Para pensar na cama…Joelmir Beting Se a família fosse uma corrente… qual ELOpoderia ceder sem comprometer a corrente ? O mais fraco ou o mais forte ? Não pensem que ceder é ser fraco !!! Pensem …
  37. 37. E ANTES do Segundo Passo… Conscientizar todos da família sobre a importância do processo Principalmente os mais envolvidos Negociar os processos entre todos (procurar a profilaxia) “Todos” tem que participar ou acompanhar de alguma formapara sustentar o futuro da GC Na prática: acomodar os principais interesses O diálogo tem que estar aberto nesse momento… é umaoportunidade para resolver a interprisão
  38. 38. Importantíssimo… Dependendo do caso… afastar a família não é solução paranada !!! E dependendo do caso… afastar a família é solução para tudo!!!Segredos
  39. 39. Falando em dinheiro… A família acionista tem que compreender que ela cresce mais rápidoque o patrimônio O sentimento de que um grande patrimônio que sustentará a todoscom segurança é falso Portanto, devem-se criar mecanismos para proporcionar a saída dosmembros familiares
  40. 40. A família e os coelhos…Fundadores2a G3a G
  41. 41. Vamos fazer contas…Fundadores 42a Geração 103a Geração 8Total 22Balanço Familiar4 Fundadores5 Filhos4 “Agregados” dos filhos1 “Agregado” do “Agregado”4 Netos4 “Agregados” dos netos
  42. 42. Balanço da Familia Onde os valores que fundaram a empresa estão presentes: 4 Fundadores 5 Filhos Onde os valores não faziam parte: 4 “Agregados” dos filhos 1 “Agregado” do “Agregado” Os “agregados” surgem do nada, se tornam sócios, e trazemculturas e valores diferentes dos que criaram a empresa Onde os valores precisam ser cultivados: 4 Netos 4 “Agregados” dos netos
  43. 43. Mas falando em poder…Fundadores2a G3a G12,5%25%25%25%25%12,5%12,5% 12,5% 25% 8,3%4,1% 4,1%50% 50%8,3%8,3% 8,3%8,3%8,3% 8,3%2% 2%2% 2%
  44. 44. Voltando ao Balanço daFamilia… Passivo Internos : Riscos como morte, divórcio, vícios, credores,relacionamentos complexos e outros “segredos” Externos: Inflação, administração deficiente, gestão patrimonialdeficiente, mudanças no sistema político Patrimônio Líquido Como fica a realização pessoal das pessoas? O capital humano e intelectual da família está crescendo? A família está se preservando/preparando para o futuro? A família está consciente do futuro?
  45. 45. A família e a empresa Com o devido tempo, poderão haver as seguintes situações dentro docontexto da diversidade familiar e da empresa: Membros da família que não são acionistas e que não trabalham na empresa Membros da família que não são acionistas e trabalham na empresa Membros da família que são acionistas e trabalham na empresa Membros da família que são acionistas e não trabalham na empresa Acionistas que não são membros da família e não trabalham na empresa Acionistas que não são membros da família e que trabalham na empresa
  46. 46. O futuro da EF… A probabilidade de uma Empresa Familiar secomplicar de alguma forma da 1a G para a 2a G émuito grande Apenas 30% conseguem A probabilidade de uma Empresa Familiar secomplicar de alguma forma da 2a G para a 3a G émaior ainda Apenas 4% conseguem LOGO… o futuro é…fazer o que deve ser feito ou desaparecer
  47. 47. O futuro da EF… É fato que a Empresa Familiar poderádesaparecer apenas por conflitos de interessesfamiliares não resolvidos e transferidos paradentro da empresa Ou o contrário, problemas da empresatransferidos para dentro de casa A maior parte dos conflitos não terão origem nasaúde financeira da empresa, mas nos processosinterpessoais da interprisão
  48. 48. As opções da EmpresaFamiliar… A Empresa não tem opção de futuro a não ser que se descole doprocesso familiar A Empresa precisa se reorganizar dentro de um processo deGovernança Corporativa para sua longevidade e perpetuidade…mantendo o controle do grupo familiar A Família tem que se profissionlizar para manter o controle daempresa na condição de acionistas A Família precisa criar instrumentos internos para afastar as relaçõesinterpessoais da gestão direta da empresa
  49. 49. As opções da EmpresaFamiliar… Vender para outro grupo ? Mas atenção... Quem comprar: Ou ainda vai passar por isso… Empresa vive o momento da gestão familiar (fundadores nocontrole) Ou já já passou por isso e está organizado… Empresa já descolada da família ou com as açõespulverizadas Mas certamente controlada por alguma família
  50. 50. A pior opção… Fechar a Empresa depois de diversas brigas internas dentro da família Como consequência as relações familiares ficarão abaladas… vai aumentar a interprisão… ao menos “nessa vida”
  51. 51. Mandem lembranças à Família…Malcon A. Tafner – malcontafner@me.comMauro C. Fistarol – mauro.fistarol@gmail.com

×