Manualde antibioticoterapia

567 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
567
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manualde antibioticoterapia

  1. 1. Manual deAntibioticoterapiaComissão de Controle de Infecção Hospitalar –CCIH
  2. 2. 1introduçãoHá muitos antibióticos no mercado e continuamente novas marcas são lançadas. Essagrande quantidade de nomes podem assustar a alguns e frustrar nossa tentativa de acompanharos avanços sobre o tema. Costuma, assim, haver muita insegurança no momento de prescreverum antibiótico.Na realidade o tema não é tão complexo como parece e pode sersimplificado. Esta é a intenção deste guia que compilamos a partir do estudo emdiversas fontes confiáveis (algumas das quais constam de nossa sugestão debibliografia).Com o intuito de simplificar a antibioticoterapia, é necessário quetenhamos uma padronização pessoal dos antibióticos que vamos usar. Não épreciso usar todo novo antibiótico que é lançado. Nem todo antimicrobiano é aquidiscutido. Porém, é fundamental sabermos alguma coisa sobre todas asprincipais classes de antibióticos. São estes pontos fundamentais queprocuramos abordar. Escolha alguns destes antibióticos, de forma que asinfecções que você costuma tratar sejam todas cobertas, e eleja esta a suapadronização de antibióticos. Ao surgir um novo antibiótico, confirme primeiro seele acrescenta alguma coisa a sua relação.Outros pontos importantes:• A propaganda dos antibióticos é sempre baseada em que a nova droga temmenor índice de resistência que as outras; procure informações técnicas de fonteindependente, antes de abandonar o uso de uma droga que você já conhecebastante.• Antibióticos de espectro muito amplo (ticarcilina-clavulanato, piperacilina-tazobactam, cefalosporinas de quarta geração, carbapenemos) são caros e não éinteligente optar toda vez por estes antibióticos no lugar de tentar restringir aspossibilidades etiológicas do caso em questão.• Sempre, lance mão de culturas de todos os sítios que oferecerem possibilidadede diagnóstico (fezes, urina, sangue, pus, etc.).• Não se assuste com febre. Se o paciente está compensado hemodinamicamentee nenhuma fonte de infecção é evidente, faça apenas sintomáticos e investigue odiagnóstico exaustivamente.Comissão de Controle de Infecção HospitalarFundação Municipal de SaúdeDr. Kelson Nobre VerasInfectologiaMestre em Doenças InfecciosasDr. Francisco Eugênio Deusdará de AlexandriaInfectologiaDra. Ana Luiza Eulálio DantasFarmacêutica – BioquímicaNosso agradecimento aos profissionais que nos ajudaram com sua contribuição naredação deste manual:
  3. 3. 2Dra. Conceição de Maria CarvalhoPediatriaDr. Francisco Hamilton SousaPediatriaEspecialista em Nefrologia Pediátrica
  4. 4. 3índicePENICILINAS _______________________________________________________________________ 4CEFALOSPORINAS __________________________________________________________________ 6Cefalosporinas de primeira geração __________________________________________________ 6Cefalosporinas de segunda geração __________________________________________________ 6Cefalosporinas de terceira geração ___________________________________________________ 6Cefalosporinas de quarta geração ____________________________________________________ 8PENICILINAS COM INIBIDORES DE BETALACTAMASE ___________________________________ 10Amoxicilina-clavulanato ___________________________________________________________ 10Ampicilina-sulbactam _____________________________________________________________ 10Ticarcilina-clavulanato / piperacilina-tazobactam_______________________________________ 11CARBAPENEMOS __________________________________________________________________ 12Imipenen e meropenem ____________________________________________________________ 12Ertapenem_______________________________________________________________________ 12AZTREONAM ______________________________________________________________________ 12AMINOGLICOSÍDIOS ________________________________________________________________ 13MACROLÍDEOS E KETOLÍDIOS _______________________________________________________ 13CLINDAMICINA / METRONIDAZOL_____________________________________________________ 15CLORANFENICOL __________________________________________________________________ 15QUINOLONAS _____________________________________________________________________ 15Norfloxacina _____________________________________________________________________ 15Ofloxacina / pefloxacina / ciprofloxacina______________________________________________ 16Levofloxacina, lomefloxacina, moxifloxacina, gatifloxacina ______________________________ 17TETRACICLINAS ___________________________________________________________________ 17SULFAMETOXAZOL – TRIMETOPRIM __________________________________________________ 19VANCOMICINA / TEICOPLANINA ______________________________________________________ 19LINEZOLIDA _______________________________________________________________________ 19QUINUPRISTINA/DALFOPRISTINA ____________________________________________________ 19DOSES UTILIZADAS NO TRATAMENTO DAS MENINGITES BACTERIANAS __________________ 20CLASSIFICAÇÃO DOS ANTIMICROBIANOS CONFORME O ESPECTRO DE AÇÃO: ____________ 21PADRONIZAÇÃO EM ANTIBIOTICOTERAPIA____________________________________________ 22PADRONIZAÇÃO EM ANTIBIOTICOPROFILAXIA CIRÚRGICA______________________________ 29DOSES PARA ANTIBIOTICOPROFILAXIA_______________________________________________ 30NOMES COMERCIAIS _______________________________________________________________ 31BIBLIOGRAFIA CONSULTADA________________________________________________________ 37
  5. 5. 4PENICILINASAs penicilinas (exceto oxacilina e penicilinas associadas a inibidores da betalactamase) nãodão cobertura contra Staphylococcus (nem aureus, nem epidermidis).Cobrem estreptococos do grupo A (faringite, impetigo, erisipela), pneumococos e a maioriados organismos que causam infecções odontogênicas.Podem ser usados para tratar meningite causada por meningococos ou pneumococos.Fasciíte necrotizante / síndrome do choque tóxico: usar clindamicina (penicilina menoseficaz devido ao efeito inóculo)Pneumococos com resistência plena às penicilinas no Brasil (multirresistentes):Projeto SENTRY: 2,3% ; Projeto SIREVA: 1%Tratamento: vancomicina com ou sem cefotaxima ou ceftriaxonaOs enterococos (Streptococcus faecium,s Streptococcus faecalis) usualmente sãosensíveis à combinação penicilina-aminoglicosídio (por exemplo, ampicilina-gentamicina).A ampicilina/amoxicilina sozinha pode curar uma infecção urinária enterocócica leve, maspara infecções sérias, adicione o aminoglicosídio.Alguns enterococos são resistentes a vários antimicrobianos (cheque o resultado doantibiograma).Ampicilina/amoxicilina são usadas para bronquite, sinusite e otite (Haemophilus influenzae,pneumococos, Moraxella catarrhalis, Klebsiella pneumoniae).A cobertura gram-negativa da ampicilina/amoxicilina é limitada. Muitas cepas de E. coli sãoresistentes. Portanto, não use estas drogas como primeira escolha empírica para ITU (aoinvés, considere SMZ/TMP).A oxacilina é usada apenas para tratar infecções causadas por Staphylococcus aureus.A ação da oxacilina contra os estreptococos do grupo A é menor quando comparada com apenicilina G (MIC 0,05µg/mL e 0,001µg/mL, respectivamente).Nem todo S. aureus é sensível à oxacilina. As cepas resistentes são chamadas SARM(Staphylococcus aureus resistente à meticilina).SARM são resistentes a todas as penicilinas e cefalosporinas. Ignore qualquerantibiograma em contrário.Infecções sérias por SARM requerem vancomicina.POSOLOGIA:≤2000g >2000gDrogas Adultos0 a 7 dias 8 a 28 dias 0 a 7 dias 8 a 28 diasMaior que 28diasPenicilinaGcristalina12 a 4 MUa cada 4-6h EV50.000 U/kg/dia÷ de 12/12h EV75.000U/kg/dia ÷ de8/8h EV50.000U/kg/dia ÷ de8/8h EV100 milU/kg/dia ÷ de6/6h EV100 a 200mil U/kg/dia÷ de 4/4h ou6/6h EVPenicilinaG procaína400.000U a cada12h IM50.000 U/kga cada 24hIM50.000 U/kga cada 24hIM50.000 U/kga cada 24hIM50.000 U/kg acada 24h IM50.000U/kg/dia ÷ de12/12h ou24/24h3IMPenicilinaGbenzatina1,2milhõesU IM50.000 U/kgIMAmpicilina2500mg a1g de6/6hVO/EV50mg/kg/dia÷ de 12/12hVO/EV75mg/kg/dia÷ de 8/8hVO/EV75mg/kg/dia÷ de 8/8hVO/EV100mg/kg/dia÷ de 6/6h EV200mg/kg/dia÷ de 6/6hVO/EVAmoxicilina500mgde 8/8hVO30-50mg/kg/dia÷ de 8/8h VO
  6. 6. 5Oxacilina 500mg a1g acada 4-6/h EV50mg/kg/dia÷ de 12/12hEV100mg/kg/dia÷ de 8/8h EV75mg/kg/dia÷ de 8/8h EV150mg/kg/dia÷ de 6/6h EV200mg/kg/dia÷ de 4/4h oude 6/6h EV1 – meningite: crianças – 400.000 U/kg/dia ÷ de 4/4h ou 6/6h; adultos – 24 milhõesU/dia.2 – meningite: crianças – 400mg/kg/dia; adultos – 12g/dia.3 – Até 20kg pode ser feita uma vez ao dia.Observação: 1 milhão de unidades de penicilina G cristalina fornece 1,6 mEq depotássio e 1,68 mEq de sódio.
  7. 7. 6CEFALOSPORINASNenhuma cefalosporina cobre enterococos, SARM ou Staphylococcus epidermidis.Cefalosporinas de primeira geraçãoOrais: cefalexina, cefadroxil, cefradina.Parenterais: cefalotina, cefazolina, cefradina.Ativas contra bactérias gram-positivas como Staphylococcus aureus, estreptococos dogrupo A e pneumococos. Faça a escolha por uma cefalosporina oral de primeira geração eutilize em infecções leves a moderadas de partes moles (celulite). As infecções porestreptococos são melhor tratadas com penicilina.Atividade variável contra bactérias gram-negativas como Klebsiella, Escherichia coli,Proteus (necessário conferir o antibiograma).INDICAÇÕES: infecções leves a moderadas adquiridas na comunidade de partes moles outrato urinário por germes sensíveis.Não oferece cobertura contra Pseudomonas.Nunca utilize para meningite: não cruza a barreira hematoencefálica.A cefazolina é preferível à cefalotina para antibioticoprofilaxia cirúrgica devido à maiormeia-vida da cefazolina. Neste caso, a mesma deve ser restrita para esta indicação (não sedeve usar uma mesma droga para profilaxia e tratamento, com fins a preservar a droga enão selecionar resistentes).POSOLOGIA:≤2000g >2000gDrogas Adultos0 a 7 dias 8 a 28 dias 0 a 7 dias 8 a 28 diasMaior que 28 diasCefalotina 1g de 6/6h EV 40mg/kg/dia÷ de 12/12h E60mg/kg/dia÷ de 8/8h EV60mg/kg/dia÷ de 8/8h E80mg/kg/dia÷ de 6/6h EV100-150mg/kg/di÷ de 6/6h EVCEFALEXINA:• adultos – 500mg de 6/6h VO• dose pediátrica – 50 a 100mg/kg/dia ÷ de 6/6h VO; infecções leves a moderadas: 25a 50mg/kg/diaCEFADROXIL:• adultos – 500mg de 12/12h VO• dose pediátrica – 25 a 50mg/kg/dia ÷ de 12/12h VOCefalosporinas de segunda geraçãoCefaclor, cefamandol, cefprozil, cefuroxima, cefoxitina, cefonicida.Melhor espectro para gram-negativos que as cefalosporinas de primeira geração, incluindoos patógenos respiratórios (Haemophilus influenzae, Moraxella catarrhalis, K. pneumoniae),mas também não possuem ação contra Pseudomonas.São eficazes na sinusite, bronquite e otite (dar preferência ao SMZ/TMP).Utilizar em caso de intolerância, alergia, reações tóxicas ou resistência ao SMZ/TMP.Segunda escolha também na faringite aguda estreptocócica (primeira escolha penicilina) einfecções de partes moles (cefalosporina de primeira geração ou ampicilina/amoxicilina,respectivamente para etiologia estafilocócica ou estreptocócica).POSOLOGIA:CEFACLOR:• adultos – 500mg de 8/8h VO; 750mg de 12/12h• dose pediátrica – 20 a 40mg/kg/dia ÷ de 8/8h VOCEFPROZIL:• adultos – 500mg de 12/12h VO• dose pediátrica – 15 a 30mg/kg/dia ÷ de 12/12h VOCefalosporinas de terceira geraçãoParenterais: cefotaxima, ceftriaxona, ceftizoxima, ceftazidima, cefoperazona. Se seupaciente precisar usar estas medicações, ele deve estar seriamente doente.
  8. 8. 7Orais: cefixima, cefetamet-pivoxil e cefpodoxima-proxetil. Não se demonstrou vantagenscom estes agentes em infecções do trato respiratório, nariz, ouvido e garganta quandocomparados aos agentes convencionais.Espectro ampliado contra bactérias gram-negativas e melhor penetração no SNC emcomparação com as cefalosporinas de gerações anteriores.Não atuam contra Bacteroides fragilis (anaeróbio).Apenas a cefoperazona e a ceftazidima são ativas contra Pseudomonas. Sãosensivelmente menos potentes contra bactérias gram-positivas que cefotaxima eceftriaxona.Ceftriaxona e cefotaxima têm ação igual ou menor que as cefalosporinas de primeirageração contra estafilococos e estreptococos.A Ceftriaxona e cefotaxima são também usadas para meningite por cobrirempneumococos, meningococos e Haemophilus influenzae.
  9. 9. 8INDICAÇÕES:Cefotaxima & ceftriaxona:• osteomielite/artrite séptica• infecções do trato urinário• sepse de origem urinária• sepse do cateter intravascular• meningite• celulite (pé diabético)• tratamento empírico de pneumonia grave• sepse intrabdominal (associado ao metronidazol)• DIP (associado à doxiciclina)• Gonorréia (ceftriaxona 250mg IM dose única)Ceftazidima: infecções com provável participação de Pseudomonas aeruginosa naetiologia; devem ser associadas a outras drogas antipseudomonas para prevenir aseleção de cepas resistentes durante o tratamento: aminoglicosídios, quinolonas,aztreonam ou penicilina antipseudomonas(ticarcilina, piperacilina).• pneumonia nosocomial• infecções urinárias pós-instrumentação• tratamento empírico do paciente neutropênico febrilPOSOLOGIA:Parenterais≤2000g >2000gDrogas Adultos0 a 7 dias 8 a 28 dias 0 a 7 dias 8 a 28 diasMaior que 28 diasCefotaxima11-2g de 8/8hEV100mg/kg/dia÷ de 12/12hEV150mg/kg/dia÷ de 8/8hEV100mg/kg/dia÷ de 12/12hEV150mg/kg/dia÷ de 8/8hEV50-200mg/kg/di÷ de 8/8h ou6/6h EVCeftriaxona21-2g de 12/12ou 24/24h EV50mg/kgde 24/24h EV50mg/kgde 24/24h EV50mg/kgde 24/24h EV75mg/kgde 24/24h EV50-100mg/kgde 24/24h EVCeftazidima 1-2g de 8/8h E100mg/kg/dia÷ de 12/12hEV100mg/kg/dia÷ de 8/8h EV100mg/kg/dia÷ de 8/8h EV150mg/kg/dia÷ de 8/8h EV90-150mg/kg/di÷ de 8/8h EV1 – meningite: crianças – 200mg/kg/dia ÷ de 4/4h ou 6/6h; adultos – 4 a 6g/dia.2 – meningite: crianças – 100mg/kg/dia; adultos – 4g/dia.3 – meningite: crianças – 100mg/kg/dia; adultos – 6g/dia.OraisCEFIXIMA: administrar com ou sem alimentos• adultos – 400mg/dia em dose única• dose pediátrica – 8mg/kg/dia em dose únicaCEFPODOXIMA-PROXETIL: administrar junto com refeições• adultos – 100 a 200mg 12/12h• dose pediátrica – 8mg/kg/dia ÷ de 12/12h (até 200mg/dia)CEFETAMET-PIVOXIL:• adultos – 500 mg VO de 12/12h• dose pediátrica – 10mg/kg de 12/12 horasCefalosporinas de quarta geraçãoCefepima e cefpiroma.Atividade para bactérias gram-positivas comparável às cefalosporinas de primeira geraçãoe atividade para bactérias gram-negativas comparável à ceftazidima (incluindoPseudomonas aeruginosa).Não são eficazes para SARM, enterococos ou anaeróbios.Como antibióticos de amplo espectro, devem ser reservados para infecções graves cujoperfil do antibiograma não revele sensibilidade a outras drogas de gerações anteriores.INDICAÇÕES:
  10. 10. 9• Monoterapia: infecções graves por bacilos gram-negativos → infecções do SNC,pneumonia comunitária, infecções de partes moles, infecções ósseas e articulares,infecções urinárias.• Associado: infecções intrabdominais (com metronidazol ou clindamicina), pneumonianosocomial (com outra droga antipseudomônica), imunossuprimidos ou leucopênicosfebris (com outra droga antipseudomônica).
  11. 11. 10POSOLOGIA:CEFEPIMA:• adultos – 1-2g de 12/12h EV; infecções causadas por Pseudomonas aeruginosa: 2gde 8/8h.• dose pediátrica – 100-150mg/kg/dia ÷ de 12/12h ou de 8/8h EVCEFPIROMA:• adultos – 1-2g de 12/12h EV• dose pediátrica: 50mg/kg/dia 12/12hPENICILINAS COM INIBIDORES DE BETALACTAMASEOs inibidores das betalactamases (clavulanato, sulbactam, tazobactam) são adicionados àspenicilinas para melhorarem a cobertura para Staphylococcus aureus. Melhora também acobertura para Haemophilus influenzae.Contudo, a atividade contra enterococos, pseudomonas e BGN ainda são limitadas às doscomponentes antibióticos respectivos.Amoxicilina-clavulanatoCausa diarréia com freqüência.Além de cobrir tudo que a amoxicilina cobre, serve para Staphylococcus aureus eBacteroides fragilis.Atividade anaeróbia é semelhante à do metronidazol, imipenem-cilastatina e clindamicina.Não oferece cobertura contra SARM e Pseudomonas aeruginosa e tem atividade variávelcontra enterobactérias.Pode exercer efeito acentuado sobre a flora oral, levando à colonização por bacilos gram-negativos ou fungos.Serve para a maioria dos casos de infecções de pele e partes moles de gravidade leve amoderada.Melhor ação na sinusite, otite e bronquite agudas (mas SMZ/TMP é uma primeira escolhamais barata).RECOMENDAÇÕES QUANTO AO USO:• boa ação na sinusite, otite e bronquite agudas (mas SMZ/TMP é uma primeira escolhamais barata).• infecções de pele e tecidos frouxos, inclusive as mais graves: celulite associada aúlceras(pé diabético, doença vascular periférica, úlcera de decúbito.• infecções intrabdominais e ginecológicas (BGN, anaeróbios).• infecções odontogênicasPossivelmente, a única vez em que esta droga é claramente um agente de primeira linha épara infecções causadas por mordidas humanas ou animais (a boca contém uma variedadede patógenos potenciais que nenhum outro antibiótico isolado cobre).POSOLOGIA:• adultos – 500mg de 8/8h VO; 875mg de 12/12h VO; 1g de 8/8h EV• dose pediátrica – 25-50mg/kg/dia ÷ de 8/8h VO/EV(intervalos de 12/12h paracrianças de 0-3 meses e prematuros).Ampicilina-sulbactamTratamento empírico de infecções moderadas ou graves.Por via oral, suas indicações são semelhantes às da amoxicilina-clavulanato.Indicada em infecções hospitalares abdominais, pélvicas, respiratórias, urinárias, de pele epartes moles ou generalizadas, com etiologia mista (agentes aeróbios associados aanaeróbios).POSOLOGIA:parenteral: 100-300mg/kg/dia (dose máxima 12g/dia)oral:• adultos – 375mg de 12/12h
  12. 12. 11• dose pediátrica – 25-50mg/kg de 12/12hTicarcilina-clavulanato / piperacilina-tazobactamTicarcilina e piperacilina são penicilinas antipseudomônicas cujo espectro inclui também asenterobactérias.A adição do inibidor da betalactamase a estes antibiótico extende sua cobertura contraStaphylococcus aureus, H. influenzae, Moraxella catarrhalis e mais algumas bactériasgram-negativas e anaeróbios. São, portanto, antibióticos de amplo espectro e, como tal,devem ser usados muito judiciosamente.A adição do inibidor da betalactamase não oferece cobertura contra cepas dePseudomonas que são resistentes à piperacilina ou ticarcilina isoladamente.Suas indicações incluem infecções polimicrobianas graves (gram-positivos, gram-negativos, anaeróbios), como sepse abdominal, infecções de partes moles (pé diabético,úlceras de decúbito, fasciíte necrotizante), pneumonia hospitalar, infecções emimunossuprimidos, infecções crônicas de ossos e articulações, etc.
  13. 13. 12POSOLOGIA:≤2000g >2000gDrogas Adultos0 a 7 dias 8 a 28 dias 0 a 7 dias 8 a 28 diasMaior que 28 diasTicarcilina-clavulanato 3gcada4-6hEV150mg/kg/d÷ de 12/12hEV225mg/kg/d÷ de 8/8h E225mg/kg/dia÷ de 8/8h EV300mg/kg/dia÷ de 6/6h EV300mg/kg/dia÷ de 6/6h EVPiperacilina-tazobact3gde 8/8hEV300mg/kg/dia÷ de 4/4h oude 6/6h EVOBS: os fabricantes não recomendam ambos para crianças menores de 12 anos.CARBAPENEMOSImipenem, meropenem e ertapenem.Imipenen e meropenemEspectro muito amplo: bactérias gram-negativas (incluindo Pseudomonas aeruginosa),gram-positivas e anaeróbios.Não atuam em enterococos e SARM.Não usar imipenem na meningite (risco de convulsões em pacientes com insuficiênciarenal, idosos, doenças do SNC e/ou em uso de doses elevadas).Reações alérgicas cruzadas com penicilinas e cefalosporinas.INDICAÇÕES (não é primeira escolha em nenhuma destas): infecções intrabdominais epélvicas, pneumonia comunitária e nosocomial, paciente neutropênico febril, meningite(meropenem).POSOLOGIA:IMIPENEM:• adultos – 500mg de 6/6h EV; infecções por Pseudomonas aeruginosa: 1g de 6/6hEV• dose pediátrica – 60mg/kg/dia ÷ de 6/6h (máximo 4g/dia)MEROPENEM:• adultos – 500mg a 1g de 8/8h EV; meningite: 2g de 8/8h EV• dose pediátrica – 60 a 100mg/kg/dia ÷ de 8/8h EV; meningite: 120mg/kg/dia ÷ de8/8h EVErtapenemErtapenem tem atividade in vitro contra bactérias gram-positivas e gram-negativasaeróbias e anaeróbias.Ertapenem é estável contra hidrólise por uma variedade de betalactamases, inclusivepenicilinases, e cefalosporinases e betalactamases de espectro estendido.Ertapenem é indicado para o tratamento de pacientes adultos com as seguintesinfecções moderadas a severas causadas por microorganismos suscetíveis:• Infecções intrabdominais complicadas• Infecções complicadas de pele e de partes moles• Pneumonia adquirida na comunidade• Infecções urinárias complicadas, inclusive pielonefrite• Infecções pélvicas, inclusive endomiometrite pós-parto, aborto séptico e infecçõesginecológicas pós-cirúrgicasNão atua sobre Acinetobacter ou Pseudomonas.POSOLOGIA (adultos): 1g/dia EV (dose única)AZTREONAM
  14. 14. 13Aztreonam tem um excelente espectro contra gram-negativos (incluindo Pseudomonasaeruginosa).É uma alternativa útil aos aminoglicosídios (ausência de oto ou nefrotoxicidade) nasseguintes situações• infecções urinárias nosocomiais por bactérias resistentes a outros antibióticos• bacteremia por gram-negativos• pneumonias nosocomiais (associado a outro antibiótico antipseudomônico)• osteomielite e artrite séptica por gram-negativosAs cefalosporinas de terceira geração também funcionam muito bem nas mesmasindicações (pode-se, portanto, passar muito bem sem o aztreonam).POSOLOGIA:≤2000g >2000gDroga Adultos0 a 7 dias 8 a 28 dias 0 a 7 dias 8 a 28 diasMaior que 28 diasAztreonam 1-2gcada 8-12h E70mg/kg/dia÷ de 12/12h EV90mg/kg/dia÷ de 8/8h EV90mg/kg/dia÷ de 8/8h EV120mg/kg/dia÷ de 6/6h EV120mg/kg/dia÷ de 6/6h EV1 – P. aeruginosa: 2g cada 8h EV; 50mg/kg cada 6-8h EV.AMINOGLICOSÍDIOSAção em bactérias gram-negativas. A amicacina tem o melhor perfil para os bacilos gram-negativos, inclusive Pseudomonas.Têm ação sinérgica à penicilina (ampicilina/amoxicilina) contra enterococos..POSOLOGIA:≤2000g >2000gDrogas Adultos0 a 7 dias 8 a 28 dias 0 a 7 dias 8 a 28 diasMaior que 28 diasGentamicina80mgde 8/8h EV5mg/kg/dia÷ de 24/24h E5-7,5mg/kg/dia÷ de 12/12h E5mg/kg/dia÷ de 12/12h E5-7,5mg/kg/d÷ de 12/12hEV5 a 7,5mg/kg/dia÷ de 12/12hou 8/8h EVAmicacina 500mgcada 8-12EV15mg/kg/dia÷ de 12/12h E15mg/kg/dia÷ de 12/12h E15mg/kg/dia÷ de 12/12hou 8/8h EV15mg/kg/dia÷ de 12/12hou 8/8h EV15mg/kg/dia÷ de 12/12hou 8/8h EVMACROLÍDEOS E KETOLÍDIOSEritromicina, azitromicina, claritromicina, roxitromicina, diritromicina.Usualmente reservadas para infecções leves da pele e trato respiratório; a exceção são aspneumonias atípicas (Legionella, Mycoplasma, Chlamydia pneumoniae), onde osmacrolídeos costumam funcionar bem.Atuam em patógenos respiratórios: Haemophilus influenzae, Moraxella catarrhalis,estreptococos, pneumococos, podendo ser usadas na sinusite, otite e bronquite (porquenão usar uma droga mais barata, como o SMZ/TMP?).A eritromicina é indicada na faringite estreptocócica (estreptococos do grupo A) empacientes alérgicos à penicilina.Os macrolídeos têm dificuldade em matar o Staphylococcus aureus e só devem ser usadasem infecções estafilocócicas leves.Os macrolídeos não cobrem SARM ou enterococos.A eritromicina é barata, mas causa náuseas e/ou vômitos em até 1/3 dos pacientes.Em geral, a azitromicina e a claritromicina são mais ativas, melhor absorvidas e melhortoleradas que a eritromicina. São também consideravelmente mais caras.A claritromicina não deve ser usada na gestação ou na insuficiência hepática grave.A teletromicina é eficaz no tratamento de pneumonias comunitárias (incluindo as causadaspor pneumococos resistentes à penicilina e eritromicina e as causadas por germesatípicos), sinusite aguda, amigdalite, faringite e na exacerbação bacteriana aguda dabronquite crônica.
  15. 15. 14POSOLOGIA:ERITROMICINA:• adultos – 500mg de 6/6h VO• dose pediátrica – 30 a 50mg/kg/dia ÷ de 6/6h VOAZITROMICINA:• adultos – 500mg 1x dia por 3 dias VO ou 500mg/dia no primeiro dia seguido de250mg/dia por 4 dias seguidos; uretrite por clamídia: 1g em dose única• dose pediátrica – 10mg/kg/dia 1x dia por 3dias VO ou 10mg/kg/dia no primeiro diaseguido de 5mg/kg/dia 1x dia por 4 diasCLARITROMICINA:• adultos – 500mg de 12/12h VO• dose pediátrica(maiores de 6 meses) – 15mg/kg/dia ÷ de 12/12h VOROXITROMICINA:• adultos – 150mg de 12/12h ou 300mg em dose única VO• dose pediátrica – 5mg/kg/dia ÷ de 12/12h VOTELETROMICINA:• acima de 12 anos e adultos – 800mg em dose única VO por 7 a 10 dias parapneumonia e 5 dias nas demais indicações
  16. 16. 15CLINDAMICINA / METRONIDAZOLUtilize em infecções onde haja provável participação de anaeróbios, especialmente doBacteroides fragilis: infecções intrabdominais, infecções pélvicas, infecções odontogênicas,infecções pleuropulmonares (pneumonia de aspiração, abscesso pulmonar, empiema),infecções de partes moles (pé diabético, úlceras de decúbito, fasciíte necrotizante,gangrena), osteomielite, endoftalmite, abscesso cerebral (metronidazol).POSOLOGIA:CLINDAMICINA:• adultos – 600mg de 8/8h ou de 6/6h EV, infundida em 1h• dose pediátrica – 40mg/kg/dia ÷ de 8/8h ou de 6/6h EVMETRONIDAZOL:≤2000g >2000gDrogas Adultos0 a 7 dias 8 a 28 dias 0 a 7 dias 8 a 28 diasMaior que 28 diasMetronidazo500mg d8/8h EV15mg/kg/dia÷ de 24/24h E15mg/kg/dia÷ de 12/12h E15mg/kg/dia÷ de 12/12h E15mg/kg/dia÷ de 12/12h E30mg/kg/dia÷ cada 8-12/12hCLORANFENICOLÉ ativo contra várias bactérias gram-negativas, embora os padrões de sensibilidade sejamvariáveis e imprevisíveis. As Pseudomonas são geralmente resistentes, enquanto a maiorparte dos Haemophilus e Neisseria são sensíveis.O cloranfenicol tem excelente atividade contra todos os anaeróbios, incluindo Bacteroidesfragilis.É usado situações como: meningite bacteriana por germe sensível em pacientes alérgicosà penicilina, infecções graves por Haemophilus influenzae(meningite, epiglotite), tratamentoda febre tifóide (Salmonella typhi); abscessos cerebrais.Seu mais temido para-efeito é a aplasia medular, um fenômeno idiossincrático,imprevisível, que ocorre em uma freqüência de cerca de 1/40.000.Utilizar em recém-nascidos só se absolutamente necessário (risco de síndrome cinzenta:imaturidade da atividade da glucuronil-transferase hepática diminui a conjugação docloranfenicol, o que pode resultar em níveis sangüíneos prolongados e elevados quepodem causar colapso cardiovascular e morte).POSOLOGIA:• Adultos: 500mg VO de 6/6 horas; 1g EV de 6/6 horas.• Crianças: 50-100mg/kg/dia ÷ de 6/6 horas VO/EV.• Neonatos:até 1 semana: 25mg/kg/dia ÷ de 12/12h EV1 a 4 semanas: 50mg/kg/dia ÷ de 12/12h ou DE 24/24h EVQUINOLONASNorfloxacina, pefloxacina, ofloxacina, ciprofloxacina, levofloxacina, moxifloxacina,lomefloxacina, gatifloxacina.Excelente atividade para gram-negativos.Não utilize em crianças e gestantes (receio ainda não comprovado de alterações ósseas).Não servem para SARM.Norfloxacina• Seu espectro de ação consiste principalmente de bactérias gram-negativas.• Só existe na formulação oral.• Seu principal uso é nas infecções do trato urinário (SMZ/TMP é uma opção mais baratae eficaz)
  17. 17. 16• POSOLOGIA: 400mg DE 12/12h VO por 3 dias (cistite) ou 14 dias (pielonefrite não-complicada)Ofloxacina / pefloxacina / ciprofloxacina• Estas quinolonas além de melhor espectro contra bactérias gram-negativas, tambémsão eficazes contra bactérias gram-positivas como o Staphylococcus aureus.• A ciprofloxacina é a mais potente contra gram-negativos, inclusive contra Pseudomonasaeruginosa.• Possuem apresentação oral e injetável.• Suas indicações incluem: infecções do trato urinário, febre tifóide, pneumoniashospitalares, osteomielite crônica, infecções complicadas de partes moles (infecções deferidas traumáticas, infecções de tecidos profundos em diabéticos, úlceras de decúbitoinfectadas).• A ofloxacina e a pefloxacina são alternativas no tratamento de meningites pormeningococos, hemófilos ou enterobactérias sensíveis. A ciprofloxacina não atinge nívelliquórico confiável.
  18. 18. 17• POSOLOGIA:Ciprofloxacina:• Cistite: 250mg DE 12/12h VO por 3 dias• Gonorréia: 250mg VO em dose única• Osteomielite: 750mg de 12/12h VO ou 400mg de 12/12h EV• Demais indicações: 500mg de 12/12h VO; 200-400mg de 12/12h EV(de acordo coma gravidade do caso)Ofloxacina:• 200-400mg de 12/12h VO/EV (conforme a gravidade do caso)• gonorréia: 800mg em dose únicaPefloxacina:• 400mg de 12/12h VO/EVLevofloxacina, lomefloxacina, moxifloxacina, gatifloxacina• Estas quinolonas caracterizam-se por administração em dose única diária, potênciaaumentada para germes gram-positivos (incluindo pneumococos e enterococos), manteração contra gram-negativos (embora a atividade contra Pseudomonas aeruginosa sejainferior à da ciprofloxacina) e atingir Bacteroides fragilis.• Esta drogas são indicadas para pneumonia adquirida na comunidade, cobrindo ospatógenos “típicos” (pneumococos, hemófilos, estreptococos, estafilococos e Klebsiella)e “atípicos” (Mycoplasma pneumoniae, Chlamydia pneumoniae, Legionella).• Seu espectro de ação os torna opções para o tratamento de exacerbações agudas debronquite crônica, sinusite aguda, infecções do trato urinário, osteomielite e infecçõesde partes moles.• POSOLOGIA:Levofloxacina:• Cistite: 250mg cada 24h VO/EV• Demais indicações: 500mg cada 24h VO/EVLomefloxacina:• 400mg cada 24h VOMoxifloxacina:• 400mg cada 24h VOGatifloxacina:• 400mg cada 24h VO/EVTETRACICLINASTetraciclina e doxiciclina.Cobrem a maioria dos gram-positivos (incluindo estafilococos). Contudo, evite o uso detetraciclinas para infecções por Streptococcus pyogenes(estreptococo do grupo A) epneumococos, uma vez que freqüentemente resulta no desenvolvimento de resistência.A cobertura gram-negativa é limitada e inclui Escherichia coli e Haemophilus influenzae.Também cobrem Mycoplasma e Chlamydia pneumoniae, que são patógenos respiratórios.Reserve estas drogas para infecções leves como bronquite, sinusite, furúnculos. São,também, alternativas à eritromicina para as pneumonias “atípicas” (cobrem Mycoplasma eChlamydia pneumoniae).A doxiciclina é tratamento de primeira escolha para infecções causadas por Chlamydiatrachomatis (uretrite não-gonocócica, DIP).A doxiciclina tem vantagens sobre as outras tetraciclinas por sua maior absorção VO,menor toxicidade gastrointestinal, meia-vida mais longa e poder ser usada sem ajuste dedose em pacientes com insuficiência renal.As drogas deste grupo não podem ser usadas em gestantes e crianças menores de 9 anosdevido à deposição em ossos e dentes em crescimento.POSOLOGIA:
  19. 19. 18TETRACICLINA:• adultos – 500mg de 6/6h VO• dose pediátrica – 40mg/kg/dia ÷ de 6/6 VO (acima de 9 anos)DOXICICLINA:• adultos – 100mg de 12/12h VO• dose pediátrica: 2mg/kg/dia ÷ de 12/12h VO (acima de 9 anos)
  20. 20. 19POSOLOGIA:SULFAMETOXAZOL – TRIMETOPRIMEsta combinação é ativa contra uma variedade de organismos gram-positivos (inclusiveestafilococos) e gram-negativos, incluindo aqueles que causam sinusite/bronquite/otite einfecções do trato urinário.Não agem contra Pseudomonas aeruginosa, anaeróbios ou SARM.Está indicada na infecções não complicadas do trato urinário (cistite), bronquite, otite,sinusite, infecções entéricas (causadas por Shigella, Salmonella, E. coli), profilaxia deinfecção urinária recorrente.A maioria dos estreptococos do grupo A são resistentes. Portanto, não use para trataramigdalite bacteriana.POSOLOGIA:• Adultos: 1600mg SMZ e 320mg TMP ao dia ÷ de 12/12 horas• Crianças: SMZ – 40mg/kg/dia TMP – 8mg/kg/dia ÷ de 12/12 horasVANCOMICINA / TEICOPLANINAUsada para infecções gram-positivas que não podem ser tratadas por outras drogas (comoSARM, infecções causadas por S.taphylococcus epidermidis e em pacientes alérgicos àpenicilina ou cefalosporinas).Use vancomicina com prudência; para alguns organismos, como enterococosmultirresistentes e SARM, não existe outro antibiótico eficaz.A teicoplanina é uma agente similar e pode ser administrada em bolus (ao contrário davancomicina que é administrada em 30-60 minutos) e é mais cara que a vancomicina.PRECAUÇÕES:• administrar lentamente (30 a 60 minutos) em soluções diluídas• monitorar função renal, especialmente se estiver usando aminoglicosídioconcomitantementePOSOLOGIA VANCOMICINA:• Adultos: 500mg de 6/6h EV• Crianças: 40mg/kg/dia ÷ de 6/6h EV• Neonatos: até 1 semana: 30mg/kg/dia ÷ de 12/12h EV; 1 a 4 semanas: 45mg/kg/dia ÷de 8/8h EVLINEZOLIDAA linezolida é uma oxazolidinona selecionada para desenvolvimento clínico, revelouser altamente ativa contra infecções devido a muitos patógenos gram-positivoscomuns, incluindo Staphylococcus aureus meticilina-resistentes (SARM),enterococos vancomicina-resistentes (VRE), e Streptococcus pneumoniae penicilina-e-cefalosporina-resistente.Mecanismo sem igual de inibição da síntese proteica e geralmente atividade debacteriostática.A linezolida é uma alternativa para glicopeptídios e estreptograminas para tratarinfecções sérias devido a organismos gram-positivos resistentes.Interações medicamentosas induzidas pelo CYP450 não são esperadas com alinezolida.• Adultos: 600 mg EV ou VO a cada 12 horas• Crianças (> 5 anos de idade): 10 mg/kg VO a cada 12 horas até a dose máxima de 600mg de12/12hQUINUPRISTINA/DALFOPRISTINA
  21. 21. 20Recentemente autorizado para tratamento de infecções severas por enterococosvancomicina-resistentes (VRE), como por exemplo, bacteremia.É uma estreptogramina que pertence à classe de drogas dos macrolidios-lincosamidas-estreptograminas. A combinação destes dois antibióticos em uma relação de 30:70 lhesfaz sinergisticamente ativo contra muitas bactérias gram-positivas.Esta atividade é realizada pela sua ligação ao ribossoma bacteriano, inibindo a sínteseprotéica.É bacteriostático para Enterococcus faecium e bactericida para estafilococos. Ativo tambémcontra: estreptococos e corinebactérias.Estudos de sua eficácia contra casos de septicemia, infecção de tecidos moles, pneumoniae endocardite mostraram ser tão ativo quanto a vancomicina contra Staphylococcus aureus,incluindo algumas cepas meticilina-resistentes.Interações medicamentosas: inibe significativamente o citocromo P450 3A4. Drogas que sepresume possam ter suas concentrações plasmáticas aumentadas:• Antihistamínicos• Antiretrovirais• Antineoplásicos• Benzodiazepínicos• Inibidores do canal de cálcio• Redutores de colesterol• Agentes imunossupressores metilprednisolona, carbamazepina, quinidina, lidocaína,cisapridaMialgia foi bem documentada como uma reação adversa mas pode ser administradadiminuindo-se a dosagem da droga. Outros efeitos adversos incluem flebites, supressãomoderada da medula óssea e valores transitoriamente elevados em testes de funçãohepática.POSOLOGIA: 7,5 mg/kg EV a cada 8 ou 12 horas (FA com 500 mg da mistura deantibióticos).DOSES UTILIZADAS POR VIA ENDOVENOSA NO TRATAMENTO DAS MENINGITES BACTERIANASRECÉM-NASCIDOSANTIMICROBIANO ADULTOS CRIANÇAS< 1 SEMANA 1-4 SEMAAmpicilina 3g de 6/6h 400mg/kg/dia (6/6 100mg/kg/dia (12/ 200mg/kg/dia (6/6Oxacilina 3g de 6/6h 300mg/kg/dia (6/6 100mg/kg/dia (12/ 200mg/kg/dia (6/6Penicilina G cristalin4milhões Ude 4/4h250.000 U/kg/dia(4/4h)150.000 U/kg/dia(12/12h(200.000 U/kg/dia(8/8h)Cefotaxima 1g de 6/6h 200mg/kg/dia (6/6 100mg/kg/dia (12/ 200mg/kg/dia (6/6Ceftriaxona 2g de 12/12 100mg/kg/dia (12/Ceftazidima 2g de 8/8h 150mg/kg/dia (8/8 60mg/kg/dia (12/1 90mg/kg/dia (8/8hAmicacina15mg/kg/dia(12/12h)15 a 30mg/kg/dia(12/12h)15 a 20mg/kg/dia(12/12h)20 a 30 mg/kg/dia(12/12h)Gentamicina5mg/kg/dia(8/8h)7mg/kg/dia (8/8h) 6mg/kg/dia (12/12 7mg/kg/dia (8/8h)Cloranfenicol 1g de 6/6h 100mg/kg/dia (6/650mg/kg/dia (12/1Prematuros =25mg/kg/dia50mg/kg/dia (12/1Prematuros =25mg/kg/diaVancomicina 1g de 6/6h40 a 60mg/kg/dia(6/6h)20mg/kg/dia (12/1 30mg/kg/dia (8/8h
  22. 22. 21CLASSIFICAÇÃO DOS ANTIMICROBIANOS CONFORME O ESPECTRO DE AÇÃO:DROGAS ANTIANAERÓBIAScloranfenicol, imipenem, metronidazol, combinação de betalactâmico c/ inibidor dabetalactamase, clindamicina, cefoxitinaDROGAS PARA GRAM-POSITIVOS:vancomicina, teicoplanina, linezolida, quinupristina/dalfopristinaDROGAS PARA GRAM-NEGATIVOS:aztreonam, ceftazidima, aminoglicosídios, quinolonasDROGAS PARA GERMES CAUSADORES DE PNEUMONIAS “ATÍPICAS”tetraciclina, doxiciclina, macrolídeos, aminoglicosídios, cloranfenicol, quinolonas de terceirae quarta geraçõesDROGAS DE AMPLO ESPECTRO:carbapenemos, cefalosporinas de quarta geração, penicilinas + inibidores dabetalactamase
  23. 23. 22PADRONIZAÇÃO EM ANTIBIOTICOTERAPIAUtilizar estas recomendações apenas como tratamento empírico inicial. Culturas detodos os sítios possíveis são imprescindíveis, pois o resultado do antibiograma é quedefinirá o esquema definitivo de tratamento.Na ausência de resposta ao tratamento empírico inicial, são sugeridos esquemas desegunda escolha. Contudo, nestas situações é aconselhável solicitar parecer aomédico infectologista da CCIH para discussão do caso.Algumas síndromes clínicas, como endocardite, meningite, pneumonia, osteomielitee sepse requerem avaliação de diversas variáveis para escolha da antibioticoterapiaempírica inicial, devendo, portanto, receber consultoria da CCIH tão logo quantopossível.Intervenção cirúrgica é necessária em muitas síndromes infecciosas, não sendo aantibioticoterapia suficiente.Antes e durante o uso, avaliar, conforme a necessidade a função renal e hepática erealizar os ajustes das doses conforme as orientações do fabricante.As doses são as descritas no texto. Quando as doses forem diferentes do usual,estarão explicitadas na tabela. Exceto quando indicado, a via de administração dosesquemas aqui listados é endovenosa.O tratamento iniciado por via parenteral devido à gravidade do quadro pode sersubstituído por antibiótico via oral com o mesmo espectro de ação, quando o estadodo paciente permitir um tratamento ambulatorial.Sítio Anatômico 1ªEscolha AlternativaDuração doTratamentoDST•Cancro mole Doxiciclina outetraciclina oueritromicinaAzitromicina 1g VOou Ceftriaxona250mg IM1aescolha: 7 a 10diasAlternativas: doseúnica•Gonorréia Ampicilina 3,5g ouamoxicilina 3g(ambos VO eprecedidos porprobenecide 1g VO)Ceftriaxona 250mgIM ou ciprofloxacina500mg VO ouazitromicina 1g VODose única•Donovanose(granulomainguinal)Doxiciclina outetraciclina oueritromicina2 a 4 semanas•LinfogranulomavenéreoDoxiciclina outetraciclina oueritromicinaAzitromicina 1g VO 1aescolha: 3 a 4semanasAlternativa: doseúnica; repetir com 10dias•Uretrite/cervicitenão-gonocócicaDoxiciclina outetraciclina oueritromicinaAzitromicina 1g VO 1aescolha: 7 a 10diasAlternativa: doseúnica•Sífilis1.Recente (primária,secundária oulatente)Penicilina benzatina2.400.000 UI IM de7/7 diasTetraciclina oueritromicina oudoxiciclina (todosVO)Penicilina: primária,dose única;secundária e latente,2 dosesAlternativas: 15 dias2.Tardia Penicilina benzatina2.400.000 UI IM de7/7 diasTetraciclina oueritromicina oudoxiciclina (todosVO)Penicilina: 3semanasAlternativas: 30 dias
  24. 24. 233.Neurossífilis Penicilina GcristalinaCeftriaxona 14 dias4. CongênitaLCR normal Penicilina cristalina100.000 U/Kg/dia EVdividido em 2 ou 3vezes ouPenicilina Gprocaína 50 mil UI/kgIM 1x ao dia7 a 10 dias10 a 14 diasLCR anormal Penicilina G.Cristalina 150.000U/Kg/dia EV em 2 ou3 vezes14 diasEndocardite•Valva nativa Penicilina (ouampicilina)+ oxacilina (oucefalotina)+ gentamicinaVancomicina +gentamicina4 semanas(5 dias para oaminoglicosídio)•Valva Protética Vancomicina +gentamicina +rifampicinaVancomicina +gentamicina +cefalosporinaterceira geraçãoMínimo: 6 semanas(aminoglicosídio por2 semanas)InfecçõesOdontogênicasClindamicina oucloranfenicol EV/VOAmoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactamEV/VO7 a 10 diasMama•Mastite pós-parto(com ou semabscesso)Oxacilina oucefalotinaClindamicina 10 dias•Abscesso nãopuerperalCefalotina Clindamicina 10 diasOssos e Articulações•Osteomielite1. RN Oxacilina +gentamicinaVancomicina +ceftriaxona oucefotaximaMínimo: 3 semanas2. Crianças ≤ 5anosOxacilina +ceftriaxonaVancomicina ouclindamicina+ ceftriaxonaMínimo: 3 semanas3. Crianças > 5anos e adultosOxacilina oucefalotinaVancomicina Mínimo: 3 semanas4. AnemiafalciformeOxacilina +cloranfenicolCeftriaxona(ou ciprofloxacina)Mínimo: 3 semanas•Artrite Séptica1. RN Cefalotina +amicacinaVancomicina +cefotaxima ouceftriaxonaMínimo: 3 semanas2. Crianças Cefalotina +gentamicinaVancomicina +ceftriaxonaMínimo: 3 semanas3. Adultos Cefalotina + Vancomicina + Mínimo: 3 semanas
  25. 25. 24gentamicina ceftriaxona4. Gonocócica Ceftriaxona 7 a 10 dias5. Próteses Vancomicina + amicacina (ouciprofloxacina)4 a 6 semanas6. Usuários dedrogas EVCeftazidima +oxacilinaCiprofloxacina +oxacilinaMínimo: 3 semanas7. Imunodeprimidos, diabéticos,doençasdebilitantes,pacientes comartrite reumatóideOxacilina +ceftriaxonaOxacilina +ciprofloxacinaMínimo: 3 semanasOuvido•Otite média aguda Amoxicilina ouSMZ/TMP (ambosVO)Amoxicilina/clavulanato, cefaclor,cefixima,fluorquinolona,claritromicina,azitromicina (todosVO)5 a 10 dias•Mastoidite agudacomunitáriaAmoxicilina ou SMZ/TMP(ambos VO)10 dias•Mastoidite agudahospitalarCeftriaxona oucefotaximaCiprofloxacina ouamoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactam10 diasPele e Partes Moles•Impetigo Penicilina benzatinaIM ou eritromicinaVO ou cefalexina VODose única10 dias•Furúnculo SMZ/TMP VO Cefalexina oucefadroxil VO14 dias•Celulite e erisipela1.Casos leves Penicilina procaínaIM, eritromicina VO,amoxicilina VO,cefalexina VOCefaclor, cefadroxil,claritromicina,azitromicina10 dias2.Casos graves Penicilina Gcristalina ouoxacilinaVancomicina 14 dias•Fasciítenecrotizante/Gangrenagasosa/Síndromede FournierDebridamento cirúrgico imediatoClindamicina + ceftriaxona ou cefotaxima14 a 21 dias•Piomiosite Oxacilina oucefalotinaVancomicina 10 a 14 dias•“Pé diabético” Clindamicina oucefalotina +gentamicinaClindamicina +ceftriaxona ouciprofloxacina10 a 14 diasPneumonias Comunitárias•TratamentoAmbulatorial1.RN até os 3 mesesVer tratamento hospitalar
  26. 26. 252.> 5 anos Penicilina Gprocaína IM ouamoxicilina VO ouSMZ/TMP VO oueritromicina VOAmoxicilina/clavulanato ou cefaclor oucefixima oufluorquinolona ouclaritromicina ouazitromicina (todosVO)10 dias3.Adultos até 60anosPenicilina procaínaIM ou amoxicilinaVO ou SMZ/TMPVOAmoxicilina/clavulanato ou cefaclor oucefixima oufluorquinolona ouclaritromicina ouazitromicina (todosVO)7 a 14 dias4.> 60 anos ou comdoençasassociadas (ICC,diabetes, DPOC,etilismo,insuficiência renalou hepática)Eritromicina VO,SMZ/TMP VO ouamoxicilina VOAmoxicilina/clavulanato ou cefaclor oucefixima oufluorquinolona ouclaritromicina ouazitromicina (todosVO)14 dias•TratamentoHospitalar1.RNTratar como sepse neonatal2.28 dias a 5 anos Oxacilina +cloranfenicolCefotaxima ouceftriaxona10 a 14 dias3.> 5 anos Penicilina cristalinaou ampicilinaCefotaxima ouceftriaxona10 a 14 dias4.Adultos Penicilina cristalinaou ampicilina oucefalotinaCeftriaxona +eritromicina VO10 a 14 diasPneumoniasNosocomiaisAssociação de dois destes: amicacina,ceftazidima, ciprofloxacina14 a 21 diasPneumoniaAspirativa com ousem AbscessoPulmonarPenicilina GcristalinaClindamicina 14 diasSepse1. RN (1 a 4semanas)Ampicilina +amicacinaVancomicina +cefotaxima10 a 14 dias2. Criança Cefotaxima ouceftriaxonaAmoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactam10 a 14 dias3. Adultos Oxacilina +gentamicina +metronidazolAmoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactamou vancomicina +amicacina (ouciprofloxacina ouceftriaxona)10 a 14 dias4. EsplenectomizadosCefotaxima ouceftriaxonaAmoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactam10 a 14 diasSNC•Abscesso Cerebral Penicilina G + 4 semanas
  27. 27. 261. Primário oucontigüidademetronidazol Ceftriaxona oucefotaxima +metronidazol2. Pós-cirúrgicoou pós-traumáticoOxacilina +ceftriaxona oucefotaximaVancomicina +ceftriaxona oucefotaxima4 semanas•Meningite1. RNAmpicilina +gentamicinaAmpicilina +cefotaxima ouceftriaxona ouamicacina14 a 21 dias2. Crianças (1 a 3meses)Ampicilina + cefotaxima ou ceftriaxona 7 a 14 dias3. Crianças (3meses a 5 anos)Ampicilina +cloranfenicolCeftriaxona oucefotaxima7 a 14 dias4. > 5 anos eadultosPenicilina ouampicilinaCeftriaxona oucefotaxima7 a 14 dias5. Pós-cirúrgica oupós-traumaOxacilina Vancomicina +ceftazidima21 a 28 dias6. Pacientes comderivaçãoOxacilina +ceftriaxonaVancomicina +ceftriaxona21 a 28 dias7. Imunodeprimidos, etilistas, otitemédia crônicaCeftriaxona ouceftaximaVancomicina +ceftazidima21 diasTrato Digestivo•Diarréia formadisentéricaSMZ/TMP VO/EV FluorquinolonaVO/EV3 a 5 dias•Peritonite Gentamicina +metronidazolCeftriaxona ouciprofloxacina +metronidazol14 dias•Abscesso hepático Metronidazol +amicacinaMetronidazol +ceftriaxona ouciprofloxacina14 dias•Colangite,colecistite, sepsebiliarAmpicilina +gentamicina +metronidazolCeftriaxona +metronidazol ouAmpicilina/sulbactamem monoterapia14 diasTrato Reprodutor Feminino•Amnionite / abortosépticoAmpicilina (2g de 6/6horas) +cloranfenicol (ouclindamicina)Amoxicilina/clavulanato ou cefoxitina (2gde 6/6 horas) ouimipenem/cilastatina10 a 14 dias
  28. 28. 27•Endometrite /tromboflebitepélvica supurativaAmpicilina (2g de 6/6horas) +cloranfenicol (oumetronidazol ouclindamicina)Amoxicilina/clavulanato monoterapia oucefoxitina (2g de 6/6horas) monoterapiaou clindamicina +ceftriaxona10 a 14 dias•Doençainflamatória pélvica1. TratamentoAmbulatorialAmpicilina 3,5g VO (oupenicilina procaína 4,8milhões UI IM, ambos emdose única, antecedidospor probenecide 1g VO)+ doxiciclina VOCeftriaxona 250mgIM em dose única+ doxiciclina VO 10 a 14 dias2. TratamentoHospitalarPenicilina G atémelhora clínicaseguido poramoxicilina ouampicilina VO atécompletar otratamento.Clindamicina +gentamicina até 48hapós melhora,seguido dedoxiciclina paracompletar otratamento10 a 14 diasTrato Reprodutor Masculino•Epididimorquite1. < 35 anos Ceftriaxona 250 mgIM + tetraciclina VOCiprofloxacina 500mg VODose única14 dias2. > 35 anosCiprofloxacinaVO/EVAmoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactamVO/EV10 a 14 dias•Prostatite1. Aguda< 35 anos> 35 anosCeftriaxona 250 mgIM+ tetraciclina VOCiprofloxacinaVO/EVCiprofloxacina 500mg VOAmoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactamVO/EVDose única14 dias10 a 14 dias2. Crônica SMZ/TMP VO Ciprofloxacina 500mg VOCiprofloxacina: 4semanasSMZ/TMP: 1 a 3mesesTrato Urinário•Cistite SMZ/TMP VO Norfloxacina VO 3 dias•Pielonefrite1.TratamentoAmbulatorialSMZ/TMP VO Norfloxacina VO 14 dias2.TratamentoHospitalarGentamicina Ceftriaxona ouciprofloxacina14 diasVias Aéreas Superiores
  29. 29. 28•FaringiteexsudativaPenicilina benzatinaIM ou amoxicilina VOou eritromicina VODose única10 dias•Angina de Vincent Clindamicina oucloranfenicolAmoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactam7 a 14 dias•Epiglotite Cloranfenicol ouSMZ/TMPAmoxicilina/clavulanato ouampicilina/sulbactamou ceftriaxona oucefotaxima7 a 14 dias•Sinusite Amoxicilina ouSMZ/TMP (ambosVO)Amoxicilina/clavulanato, cefaclor,cefixima,fluorquinolona,claritromicina,azitromicina (todosVO)14 dias•Exacerbação debronquite crônicaSMZ/TM oudoxiciclina oueritromicina (todosVO)Amoxicilina/clavulanato, cefaclor,cefixima,fluorquinolona,claritromicina,azitromicina (todosVO)7 a 10 dias
  30. 30. 29PADRONIZAÇÃO EM ANTIBIOTICOPROFILAXIA CIRÚRGICAProcedimento Indicações e observações Primeira escolha AlternativaCirurgia GeralEsofágica cefazolinaclindamicina +gentamicinaGastroduodenalNeoplasia, obstrução, úlceragástrica, hemorragia, alteraçãoda motilidade, gastrostomiapercutâneacefazolinaclindamicina +gentamicinaTrato biliar e pâncreasIdade > 70 anos, colecistiteaguda, icterícia obstrutiva,coledocolitíase, cirurgia deurgência, cirurgia endoscópicacefazolinaclindamicina +gentamicinaApendicectomiaManter por 3 a 5 dias em casode perfuração ou gangrenametronidazol +gentamicinagentamicina +cloranfenicol ouclindamicinaColorretalUsar por mais 24 horas;associar à limpeza mecânicado cólonmetronidazol +gentamicinagentamicina +cloranfenicol ouclindamicinaTrauma abdominalpenetranteEm caso de perfuração devíscera oca, usar por 3 a 5diasmetronidazol +gentamicinagentamicina +cloranfenicol ouclindamicinaNeurocirurgiaDerivaçãoventriculoperitonealUsar por mais 24 horassulfametoxazol +trimetoprimvancomicinaCraniotomia Reexploração, microcirurgia cefazolina vancomicinaCirurgia transesfenoidal outranslabirinticaUsar por mais 24 horas cefazolina clindamicinaLaminectomia Com fusão espinhal cefazolina vancomicinaCirurgia OrtopédicaColocação de prótese oumaterial de osteossínteseUsar por mais 24 horas cefazolina clindamicinaFratura com fixação externa Usar por 3 dias cefazolinaclindamicina +gentamicinaFratura expostaMenos de 6 horas: usar por 3diascefazolinaclindamicina +gentamicinaCirurgia CardíacaImplante de prótese valvar Usar por mais 24 horas cefazolina vancomicinaRevascularização domiocárdioUsar por mais 24 horas cefazolina vancomicinaInserção de MP cefazolina vancomicinaCirurgia de Cabeça ePescoçoCirurgia de grande porte comabordagem pela mucosa oralou faríngeacefazolinaclindamicina +gentamicinaCirurgia OftalmológicaSomente com colocação delente intraoculargentamicina (tópica)Cirurgia TorácicaPneumectomia oulobectomiaUsar por mais 24 horas cefazolina clindamicinaMediastino emediastinoscopiaUsar por mais 24 horas cefazolina clindamicinaCirurgia vascularAorta abdominal, extremidadesinferiores, amputação, prótesevascularcefazolina vancomicinaCirurgia UrológicaProstatectomia abdominal,nefrectomia, litotomia,nefrostomia com moldeuretral, derivação urinária,prótese penianacefazolina norfloxacinaTransplante renal Usar por mais 24 horas cefazolina gentamicina
  31. 31. 30GinecologiaHisterectomia abdominal ouvaginalcefazolina vancomicinaVulvectomia, fístulasginecológicas, colpectomia,prolapso de cúpula vaginal,neovaginaNas cirurgias de fístulasretovaginais, colpectomias eneovagina é necessário alimpeza mecânica prévia docóloncefazolina +metronidazolvancomicina +metronidazolMastectomiaNão indicada nasquadrantectomias,agulhamentos, cirurgia paraginecomastia e exérese denódulo mamáriocefazolina vancomicinaObstetríciaAborto 1° trimestre penicilina cristalinaclindamicina +gentamicinaAborto 2° trimestre cefazolinaclindamicina +gentamicinaCesáreaCirurgia de emergência,cirurgia em gestantes de altorisco, rotura de membranaspor mais de 6 horas e trabalhode parto prolongado (mais de12 horas)cefazolina vancomicinaAs cirurgias que não estão acima relacionadas não necessitam de antibioticoprofilaxia.DOSES PARA ANTIBIOTICOPROFILAXIAAntibiótico Dose adulto Dose pediátricacefazolina 1 g 50 mgclindamicina 600 mg 7,5 mg/kgcloranfenicol 1 g 50 mg/kggentamicina 80 mg 1,5 mg/kgmetronidazol 1 g 7,5 mg/kgnorfloxacina 800 mg (via oral) não indicadopenicilina cristalina 2 milhões de unidades ⎯sulfametoxazol + trimetoprim 800 mg/160mg 5 mg/kg (trimetoprim)vancomicina 1 g 15 mg/kgAs doses acima descritas referem-se a uma dose única endovenosa do antibióticoadministrada durante a indução anestésica. Doses adicionais serão empregadasapenas quando assim indicado.Nas cesáreas, o antibiótico é administrado após o clampeamento do cordão.Para paciente com peso ≥ 80 kg, a dose da cefazolina deve ser de 2g.Em caso de perda maciça de sangue ou quando a duração do procedimento seprolongue por mais de 3 horas, doses adicionais de cefazolina devem seradministradas no intraoperatório.Mesmo em situações de contaminações acidentais, o prolongamento da profilaxianão está associado a um melhor resultado clínico.
  32. 32. 31NOMES COMERCIAISAmpicilinaAMPIFAR – suspensão: 250mg/5ml; cápsulas : 500mg, 1gAMPLACILINA – suspensão: 250mg/5ml; cápsulas: 250mg, 500mg, 1g; injetável: 500mg,1gAMPLOFEN – suspensão: 250mg/5ml; cápsulas: 500mgBINOTAL – cápsulas e injetável: 500mg, 1gAmpicilina-sulbactamUNASYN – comprimidos: 375mg; injetável: 1,5g e 3gAmoxicilinaAMOXIFAR – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml, 500mg/5ml; cápsulas: 500mgAMOXIL – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml, 500mg/5ml; cápsulas: 500mgAMOXIL BD – suspensão de 200mg/5ml e 400mg /5ml; comprimidos: 875mgAMOXI-PED – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml, 500mg/5mlHICONCIL – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml, 500mg/5ml; cápsulas: 500mgNOVOCILIN – suspensão: 250mg/5ml; cápsulas: 500mg. Administração de 12/12h:suspensão de 200mg/5ml e 400mg /5ml e comprimidos de 875mgVELAMOX – suspensão: 250mg/5ml, 500mg/5ml; cápsulas: 500mg, 1g; injetável: 1gAmoxicilina-clavulanatoCLAVOXIL – suspensão: 125mg/5ml; 250mg/5ml; cápsulas: 500mgCLAVULIN – suspensão: 125mg/5ml; 250mg/5ml; cápsulas: 500mg; injetável: 500mg, 1gCLAVULIN BD – suspensão: 200mg/5ml e 400mg /5ml ; comprimidos: 875mgCLAVULPEN – suspensão: 125mg/5ml; 250mg/5ml; cápsulas: 500mgNOVAMOX – suspensão 250mg/5ml; comprimidos: 500mg.NOVAMOX 2X – suspensão:400mg /5ml; comprimidos: 875mgAmicacinaNOVAMIN – injetável: 100mg, 250mg, 500mgAztreonamAZACTAM – injetável: 500mg, 1gCefaclorCECLOR – suspensão: 250mg/5ml e 375mg/5ml; drágeas: 375mg, 500mg e 750mgCefadroxilCEFAMOX – suspensão: 250mg/5ml; cápsulas: 500mg, 1gDROCEF – suspensão: 250mg/5ml; cápsulas: 500mgCefalexinaCEFAPOREX – suspensão: 250mg/5mlCEPOREXIN – comprimidos: 500mgKEFLEX – suspensão: 250mg/5ml e 500mg/5ml; gotas: 5mg/gota; drágeas: 500mg, 1gCefalotinaCEFALOT – injetável: 500mg, 1gKEFLIN – injetável: 250mg, 500mg, 1g, 2gCefazolinaCEFAMEZIN – injetável: 500mg, 1gKEFAZOL – injetável: 250mg, 500mg, 1gCefepimaMAXCEF – injetável: 500mg, 1g, 2g
  33. 33. 32Cefetamet-pivoxilGLOBOCEF – suspensão: 250mg/5ml; comprimidos: 500mgCefiximaCEFIXIN – suspensão: 100mg/5ml; cápsulas: 400mgPLENAX – suspensão: 100mg/5ml; cápsulas: 400mg
  34. 34. 33CefotaximaCEFOTAX – injetável: 500mg e 1gCLAFORAN – injetável: 250mg, 500mg, 1gCefpiromaCEFROM – injetável: 1g, 2gCefpodoxima-proxetilORELOX – comprimidos: 100mg, 200mg; suspensão: 8mg/mlCefprozilCEFZIL – suspensão: 250mg/5ml; comprimidos: 500mgCeftazidimaCETAZ – injetável: 1gEFTAZIN – injetável: 1g, 2gFORTAZ – injetável: 1g, 2gKEFADIN – injetável: 1gTAZIDEM – injetável: 1gCeftriaxonaCEFTRIAX – injetável: 250mg, 500mg, 1gROCEFIN – injetável: 250mg, 500mg, 1gTRIAXIN – injetável: 250mg, 500mg, 1gCiprofloxacinaCIFLOX – comprimidos: 250mg, 500mgCIPRO – comprimidos: 250mg, 500mg; injetável: 200mg, 400mgPROFLOX – comprimidos: 250mg, 500mg, 750mgQUINOFLOX – comprimidos: 250mg, 500mg; injetável: 100mg e 200mgPROCIN – comprimidos: 250mg, 500mg; injetável: 200mgClaritromicinaCLAMICIN – comprimidos: 250mg, 500mgKLARICID – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml; comprimidos: 250mg e 500mgKLARICID UD – comprimidos 500mgKLARITRON – comprimidos 250mgClindamicinaDALACIN C – cápsulas: 300mg; injetável: 300mg, 600mg, 900mgCloranfenicolQUEMICETINA – xarope: 250mg/5ml; cápsulas: 250mg, 500mg; injetável: 250mg, 500mg,1gDoxiciclinaVIBRAMICINA – comprimido solúvel ou drágeas: 100mgEritromicinaERITROBIOTIC – suspensão: 125mg/5ml; cápsulas: 250mg, 500mgERITRIN – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml, 500mg/5ml; cápsulas: 500mgILOBRON – suspensão: 250mg/5ml; drágeas: 500mgILOCIN – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml; drágeas: 500mgILOSONE – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml; gotas: 5mg/gota; cápsulas: 250mg;drágeas: 500mgPANTOMICINA – suspensão: 125mg/5ml, 250mg/5ml; drágeas: 250mg, 500mgErtapenemINVANZ – injetável: 1g
  35. 35. 34GatifloxacinaTEQUIN – comprimidos: 400mg; injetável: 400mgGentamicinaGENTAMICINA – injetável: 10mg, 20mg, 40mg, 60mg, 80mg, 160mg, 280mgImipenemTIENAM – injetável: 500mgLevofloxacinaLEVAQUIN – comprimidos: 250mg, 500mg; injetável: 250mg, 500mgTAVANIC – comprimidos 250mg, 500mg; injetável: 500mgLinezolidaZYVOX – injetável: bolsas de 300 ml com 2 mg/ml; suspensão: 20mg/ml;comprimidos: 600 mgLomefloxacinaMAXAQUIN – comprimidos: 400mgMeropenemMERONEM – injetável: 500mg, 1gMetronidazolFLAGYL – injetável: 500mgMoxifloxacinaAVALOX – comprimidos: 400mg; injetável: 400mgNorfloxacinaFLOXACIN – comprimidos: 400mgFLOXINOL – comprimidos: 400mgRESPEXIL – comprimidos: 400mgURITRAT – comprimidos: 400mgUROFLOX – comprimidos: 400mgOfloxacinaFLOXSTAT – comprimidos: 200mg, 400mg; injetável: 400mgOFLOXAN – comprimidos: 200mgOxacilinaSTAFICILIN-N – injetável: 500mgPiperacilina-tazobactamTAZOCIN – injetável: 2g, 4gPefloxacinaPEFLACIN – comprimidos: 400mg; injetável: 400mgQuinupristina/DalfopristinaSYNERCID – injetável: 500 mg (quinupristina 150 mg + dalfopristina 350 mg)RoxitromicinaROTRAM – comprimidos: 50mg, 100mg e 300mgSulfametoxazol-trimetoprimBACTRIN – comprimidos: 400mg SMZ , 80mg TMP; suspensão: 200mg SMZ, 40mg TMPem 5ml; injetável: 400mg SMZ, 80mg TMP
  36. 36. 35BACTRIN F – comprimidos: 800mg SMZ , 160mg TMP; suspensão: 400mg SMZ, 80mgTMP em 5mlDIENTRIN – comprimidos: 400mg SMZ , 80mg TMP; suspensão: 200mg SMZ, 40mg TMPem 5mlESPECTRIN – comprimidos: 400mg SMZ , 80mg TMP; suspensão: 200mg SMZ, 40mgTMP em 5mlINFECTRIN – comprimidos: 400mg SMZ , 80mg TMP; suspensão: 200mg SMZ, 40mg TMPem 5mlINFECTRIN F – comprimidos: 800mg SMZ , 160mg TMP; suspensão: 400mg SMZ, 80mgTMP em 5mlTRIMEXAZOL – comprimidos: 400mg SMZ, 80mg TMPTRIMEXAZOL 800 – comprimidos: 800mg SMZ, 160mg TMPTRIMEXAZOL PEDIÁTRICO – suspensão oral: 200mg SMZ, 40mg TMP em 5ml
  37. 37. 36TeicoplaninaTARGOCID – injetável: 200mg, 400mgTeletromicinaKETEK – comprimidos: 400mgTicarcilina-clavulanatoTIMENTIN – injetável: 3gVancomicinaVANCOCINA – injetável: 500mg e 1g
  38. 38. 37BIBLIOGRAFIA CONSULTADA1. BARROS E. Antimicrobianos: consulta rápida. 3 ed. Artmed, 2002.2. CORRÊA JC. Antibióticos no dia a dia. 2 ed. Rubio, 2002.3. COUTO RC, PEDROSA TMG, NOGUEIRA JM. Infecção Hospitalar – Epidemiologia eControle. 2 ed. MEDSI, 1999.4. CUNHA BA. Terapia antimicrobiana I. Clínicas Médicas da América do Norte. Volume 3,Interlivros, 1995.5. CUNHA BA. Terapia antimicrobiana II. Clínicas Médicas da América do Norte. Volume 4,Interlivros, 1995.6. FARHAT CK, CARVALHO EDS, CARVALHO LHFR, SUCCI RC. Infectologia Pediátrica. 2ed. Atheneu, 1999.7. FERNANDES AT, FERNANDES MOV, RIBEIRO FILHO N. Infecção Hospitalar - suasinterfaces na área de saúde. Atheneu, 2000.8. GALVÃO FP. Prática Pediátrica de Urgência. 4 ed. MEDSI, 1991.9. GILBERT DN, MOELLERING JÚNIOR RC, SANDE MA. The Sanford Guide to AntimicrobialTherapy. 31 ed. 2001.10.PAN AMERICAN HEALTH ORGANIZATION. Meeting of the Task Force on Surveillance forEmerging and Reemerging Infectious Diseases. Communicable Diseases Program Divisionof Disease Prevention and Control. World Health Organization, 1997.11.PETER G, GIEBINK GS, HALL CB, PLOTKIN SA. Red Book. Doenças Infecciosas emPediatria. 20 ed. Editorial Médica Panamericana, 1990.12.REESE RE, BETTS RF. Manual de Antibióticos. MEDSI, 2002.13.SCHECHTER M, MARANGONI DV. Doenças Infecciosas: conduta diagnóstica eterapêutica. 2 ed. Guanabara-Koogan, 1998.

×