Resultados 2T12Rio de Janeiro | Agosto de 2012
AVISO LEGALEsta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a ...
1DESTAQUES
DESTAQUES 2T12 & EVENTOS SUBSEQUENTESTeste de formação no poço OGX-88 (Bom Jesus) na Bacia do Parnaíba concluído em 36metr...
2PROJETOS GREENFIELD
VENTOS: 1.200 MW EM ÁREA COM MAIOR POTENCIAL PARAA GERAÇÃO EÓLICA NO BRASILAtivo greenfield diferenciado no Nordeste do Br...
3UTE PARNAÍBA E UNIDADE DETRATAMENTO DE GÁS
COMPLEXO PARNAÍBAE&P de Gás e Usinas Termelétricas em Construção (UTE Parnaíba)UTE Parnaíba Montagem eletromecânica de 4 t...
UTE PARNAÍBAProgresso das atividades                           9
UTE PARNAÍBAProgresso das atividades                           10
UTE PARNAÍBAProgresso das atividades                           11
UTE PARNAÍBAProgresso das atividades                           12
PARNAÍBA E&P               13
PARNAÍBA E&P               14
4 TÉRMICAS A CARVÃOUSINAS
TAKEOVER DAS OBRASGestão eficaz nas UTEs Pecém I & II e ItaquiEm julho de 2012, MPX e EDP anunciaram aquisição da MABE, co...
ETAPAS PARA INÍCIO DE OPERAÇÃO COMERCIALPlantas a Carvão em Construção                                              Pecém ...
PECÉM I & IIVisão Geral               18
PECÉM I & IIVisão Geral               19
ITAQUIVisão Geral              20
ITAQUIVisão Geral              21
5DESTAQUES FINANCEIROS
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDAReceita Operacional Líquida Consolidada (R$ milhares)                                          ...
DESPESAS OPERACIONAISDespesas Operacionais                          Controladora                       Consolidado*(R$ mil...
RESULTADO FINANCEIROResultado Financeiro                     Consolidado(R$ milhares)                  2T12          2T11 ...
POSIÇÃO DE CAIXA CONSOLIDADA                                                                                    Caixa & Va...
DÍVIDA CONSOLIDADA                                                                                                        ...
Para mais informações, entre em contato com:         Relações com Investidores              (55 21) 2555-9215             ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação de Resultados 2T12

1.581 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.581
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.060
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação de Resultados 2T12

  1. 1. Resultados 2T12Rio de Janeiro | Agosto de 2012
  2. 2. AVISO LEGALEsta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas daCompanhia e de sua administração a respeito de seu plano de negócios. Afirmações prospectivas incluem, entre outras, todas as afirmações quedenotam previsão, projeção, indicam ou implicam resultados, performance ou realizações futuras, podendo conter palavras como "acreditar","prever", "esperar“, "contemplar", "provavelmente resultará" ou outras palavras ou expressões de acepção semelhante.Tais afirmações estão sujeitas a uma série de expressivos riscos, incertezas e premissas. Advertimos que diversos fatores importantes podem fazercom que os resultados reais divirjam de maneira relevante dos planos, objetivos, expectativas, estimativas e intenções expressos nestaapresentação.Em nenhuma hipótese a Companhia ou suas subsidiárias, seus conselheiros, diretores, representantes ou empregados serão responsáveis perantequaisquer terceiros (inclusive investidores) por decisões ou atos de investimento ou negócios tomados com base nas informações e afirmaçõesconstantes desta apresentação, e tampouco por danos consequentes, indiretos ou semelhantes.A Companhia não tem intenção de fornecer aos eventuais detentores de ações uma revisão das afirmações prospectivas ou análise das diferençasentre as afirmações prospectivas e os resultados reais.Esta apresentação e seu teor constituem informação de propriedade da Companhia, não podendo ser reproduzidos ou divulgados no todo ou emparte sem a sua prévia anuência por escrito. 2
  3. 3. 1DESTAQUES
  4. 4. DESTAQUES 2T12 & EVENTOS SUBSEQUENTESTeste de formação no poço OGX-88 (Bom Jesus) na Bacia do Parnaíba concluído em 36metros de net pay, sustentando o desenvolvimento futuro da acumulaçãoAquisição, através da JV com a E.ON, de 1.200 MW em projetos eólicos greenfield noNordeste do Brasil363,2 MW de geração a gás e 158,7 MW de geração eólica registrados para os Leilões A-3e A-5 de 2012Takeover das obras das Usinas Termelétricas Pecém I & II e Itaqui Aporte de caixa de R$ 421 milhões pelos controladores do consórcio EPC Aceleração das obrasE.ON AG adquire 11,7% da MPX através de aumento de capital de R$ 1,0 bilhão, setornando investidor estratégico na companhia 4
  5. 5. 2PROJETOS GREENFIELD
  6. 6. VENTOS: 1.200 MW EM ÁREA COM MAIOR POTENCIAL PARAA GERAÇÃO EÓLICA NO BRASILAtivo greenfield diferenciado no Nordeste do Brasil Capacidade Total: 600 MW + opção de compra de 600 MW adicionais João Câmara Fator de Capacidade Estimado: 48% (P50) Localização: Rio Grande do Norte, NE do Brasil RN Conexão com a rede básica a 30 km Direitos fundiários assegurados 158,7 MW cadastrados para leilões de energia de 2012 Licenciamento ambiental em andamento 6
  7. 7. 3UTE PARNAÍBA E UNIDADE DETRATAMENTO DE GÁS
  8. 8. COMPLEXO PARNAÍBAE&P de Gás e Usinas Termelétricas em Construção (UTE Parnaíba)UTE Parnaíba Montagem eletromecânica de 4 turbinas, de um total de 6 4 turbinas no site e 2 adicionais (Fase II) serão embarcadas para o Brasil no final do 3T12E&P de Gás Natural Teste de formação no poço OGX-88 (primeiro poço de delimitação da acumulação Bom Jesus)demonstrou potencial para desenvolvimento futuro:  36 metros de net pay  Baixa razão de gás condensado (RGC), indicando gás seco, similares aos resultados do Campo de Gavião Real. Campo de Gavião Real: 14 poços produtores perfurados Comissionamento da UTG esperado para 4T12 e produção comercial para janeiro/2013 Plano de Desenvolvimento de Gavião Real revisado, suportando cadastramento de 363,2 MW nos LeilõesA-3 e A-5 de 2012 8
  9. 9. UTE PARNAÍBAProgresso das atividades 9
  10. 10. UTE PARNAÍBAProgresso das atividades 10
  11. 11. UTE PARNAÍBAProgresso das atividades 11
  12. 12. UTE PARNAÍBAProgresso das atividades 12
  13. 13. PARNAÍBA E&P 13
  14. 14. PARNAÍBA E&P 14
  15. 15. 4 TÉRMICAS A CARVÃOUSINAS
  16. 16. TAKEOVER DAS OBRASGestão eficaz nas UTEs Pecém I & II e ItaquiEm julho de 2012, MPX e EDP anunciaram aquisição da MABE, consórcio formado pela Tecnimonte Efacec, assumindo gestão das obras das UTEs Pecém e ItaquiComo parte do acordo:  Tecnimont e Efacec aportaram R$421MM na MABE + R$185MM em caixa retido pelos empreendimentos, e quitaram os passivos anteriores a 30 de abril de 2012  Garantias de desempenho inalteradas  Eliminados claims e ações judiciais pendentes PECÉM I PECÉM II ITAQUI TOTAL Injeção de caixa na MABE 196 110 115 421 Caixa Retido 100 47 38 185 Garantias de Desempenho 200 104 107 411 Garantias para claims e contingências 83 42 41 166 16
  17. 17. ETAPAS PARA INÍCIO DE OPERAÇÃO COMERCIALPlantas a Carvão em Construção Pecém I: Unidade #1 Reparar mancais da turbina e a máquina de rotor de turbina Ramp-up de Capacidade (MW) Reiniciar a unidade  primeira sincronização  testes de carga elétrica  Declaração de Operação Comercial (DCO). 1.445 Itaqui Sopragem de vapor  recomposição  operação de by-pass  1.080 365 vapor para turbina  testes elétricos  primeira sincronização  testes de carga elétrica  DCO. 360 Pecém I: Unidade #2 Comissionamento a frio  primeiro acendimento  sopragem 360 de vapor  recomposição  operação de by-pass  vapor para turbina  testes elétricos  primeira sincronização  testes de360 carga elétrica  DCO.3T12 4T12 1T13 Pecém II Conclusão da construção  comissionamento a frio  primeiroPecém I #1 Pecém I #2 Itaqui Pecém II acendimento  sopragem de vapor  recomposição  operação de by-pass  vapor para turbina  testes elétricos  primeira sincronização  testes de carga elétrica  DCO. 17
  18. 18. PECÉM I & IIVisão Geral 18
  19. 19. PECÉM I & IIVisão Geral 19
  20. 20. ITAQUIVisão Geral 20
  21. 21. ITAQUIVisão Geral 21
  22. 22. 5DESTAQUES FINANCEIROS
  23. 23. RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDAReceita Operacional Líquida Consolidada (R$ milhares) 141,609 Crescimento da receita operacional líquida, resultante principalmente do aumento do volume de energia vendida pela MPX 84,491 83,788 Comercializadora de Energia 57,023 41,431 1S10 2S10 1S11 2S11 1S12 Obs: A MPX Comercializadora de Energia foi totalmente transferida para a JV no final de abril e, portanto, os números consolidados apresentados refletem apenas 50% dos resultados da unidade para maio e junho. 23
  24. 24. DESPESAS OPERACIONAISDespesas Operacionais Controladora Consolidado*(R$ milhares) 2T12 2T11 % 2T12 2T11 % Pessoal (16,316) (19,571) -16.6% (25,252) (28,906) -12.6% Serviços de terceiros (15,320) (10,288) 48.9% (21,090) (16,266) 29.7% Arrendamentos e aluguéis (2,187) (1,976) 10.7% (2,262) (2,512) -10.0% Outras despesas (2,782) (2,172) 28.1% (4,906) (3,651) 34.4% Total (36,604) (34,008) 7.6% (53,510) (51,335) 4.2%Depreciação e amortização (395) (253) 56.0% (803) (375) 113.9% Total (36,999) (34,261) 8.0% (54,313) (51,711) 5.0%* excluindo CCX Redução nas despesas de Pessoal na controladora: • Transferência de funcionários para os projetos da Companhia • Despesas menores com planos de opções de ações Crescimento nas despesas com Serviços de Terceiros: • Consultorias de engenharia, financeira e jurídica relacionadas à conclusão da transação com a E.ON, à cisão da CCX e ao takeover da construção das UTEs Pecém I & II e Itaqui. 24
  25. 25. RESULTADO FINANCEIROResultado Financeiro Consolidado(R$ milhares) 2T12 2T11 % Aumento das despesas financeiras devido ao Derivativos (Hedge) 7.302 (44.685) -116,3% pagamento de juros e custos relativos às Valor Justo – Debêntures 49.555 - - debêntures conversíveis (R$ 101,6 milhões): Juros – Debêntures (20.065) - -  Juros: R$ 20,1 milhões Custo – Debêntures (81.465) - -  Custo: R$ 81,5 milhões Outros (30.809) 1.004 -3167,2%RESULTADO FINANCEIRO (75.482) (43.681) 72,8%* excluindo CCX 25
  26. 26. POSIÇÃO DE CAIXA CONSOLIDADA Caixa & Valores Mobiliários 394,5 78,9 78,8 610,9 178,0 14,8 686,4 445,0 151,9 1.325,1 1.113,3Caixa e Valores Mobiliários (1T12) Receitas de Garantias Bancárias do EPC & SG&A Execução OPEX & CAPEX Resultado Financeiro Desembolso Contribuição de Capital da E.ON de Dívida Caixa Transferido para CCX Cisão* Depósitos Vinculados Caixa e Valores Mobiliários (2T1 * Caixa retido nos projetos transferidos para a JV (50%) e CCX (100%) 26
  27. 27. DÍVIDA CONSOLIDADA Dívida (R$ milhões)Dívida Bruta Consolidada Total: R$ 5.103,8 milhões 1.662 Curto prazo: R$ 1.662,2 milhões (33%) 3.442  Empréstimo-ponte de R$ 825 milhões para Parnaíba I e R$ 325 (67%) milhões para Parnaíba II => a serem pagos com o desembolso do financiamento de longo prazo, esperado para 2S2012  Com a conclusão da cisão, R$ 422,5 milhões em dívidas de curto Curto Prazo Longo Prazo prazo foram transferidas para a CCX Perfil de Maturação da Dívida 2,803.7 (R$ milhões) Longo prazo: R$ 3.441,6 milhões  Prazo de Amortização: 14 anos 1,288.8 1,113.2 541.9 262.0 228.5 Custo médio da dívida: 9,4% Prazo médio: 5,6 anos Caixa e Valores Mobiliários 2012 2013 2014 2015 De 2016 até o vencimento *Values incorporate principal + capitalized interest + charges and exclude outstanding convertible debentures; ** R$ 258,7 milhões em 2012 e R$ 1.168,4 milhões em 2013 correspondem ao empréstimo-ponte para o Parnaíba, a serem pagos com o desembolso do financiamento de longo prazo, esperado para 2S2012. 27
  28. 28. Para mais informações, entre em contato com: Relações com Investidores (55 21) 2555-9215 ri.mpx@mpx.com.br

×