Dilatação e escalas calor

256 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
256
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • EQUAÇÃO DA CONTINUIDADE
  • EMPUXO
  • PRICIPIO DE BERNOULLI
  • EQUAÇÃO DE TORRICELLI
  • VAZÃO
  • Dilatação e escalas calor

    1. 1. REVISÃO DE TRANFORMAÇÃO DE ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO DOS SÓLIDOS PROFA.: MIRIAN
    2. 2. DILATAÇÃO LINEAR  ∆𝑳 = 𝑳𝒊 𝛂 ( 𝑻𝒇 − 𝑻𝒊)  𝑳 = 𝑳𝒊 [ 𝟏 + 𝛂 𝑻𝒇 − 𝑻𝒊 ]  ∆𝑳 – variação de comprimento (m ou cm)  𝑳𝒊 – comprimento inicial (m ou cm)  𝛂 – coeficiente de dilatação linear (°C-1)  𝑻𝒇 - temperatura final (°C)  𝑻𝒊– temperatura inicial (°C)  𝑳 – comprimento final (m ou cm)
    3. 3. DILATAÇÃO SUPERFICIAL  ∆𝑨 = 𝑨𝒊 𝛃 ( 𝑻𝒇 − 𝑻𝒊)  𝑨 = 𝑨𝒊 [ 𝟏 + 𝛃 𝑻𝒇 − 𝑻𝒊 ]  ∆𝑨 – variação de superfície (área) (m² ou cm²)  𝑨𝒊 – superfície (área) inicial (m² ou cm²)  β – coeficiente de dilatação superficial (°C-1)  β=2 ⦁ α  𝑻𝒇 - temperatura final (°C)  𝑻𝒊– temperatura inicial (°C)  𝑨 – superfície (área) final (m² ou cm²)
    4. 4. DILATAÇÃO VOLUMÉTRICA  ∆𝑽 = 𝑽𝒊 ϒ ( 𝑻𝒇 − 𝑻𝒊)  𝑽 = 𝑽𝒊 [ 𝟏 + ϒ 𝑻𝒇 − 𝑻𝒊 ]  ∆𝑽 – variação de volume (m³ ou cm³)  𝑽𝒊 – volume inicial (m³ ou cm³)  ϒ– coeficiente de dilatação volumétrica (°C-1)  ϒ= 3 ⦁ α  𝑻𝒇 - temperatura final (°C)  𝑻𝒊– temperatura inicial (°C)  𝑽 – volume final (m³ ou cm³)
    5. 5. QUANTIDADE DE CALOR
    6. 6. TROCA DE CALOR  𝑸 𝑨 + 𝑸 𝑩 = 𝟎  𝑸 𝑨 = 𝐦 ⦁ 𝐜 ⦁ ( 𝐓𝐟 − 𝐓𝐢)  𝑸 𝑩 = 𝐦 ⦁ 𝐜 ⦁ ( 𝐓𝐟 − 𝐓𝐢)
    7. 7. Um tubo tem na sua seção principal uma área A1 = 0,5 m² por onde a água escoa com v1 = 3,6 m/s e seção secundária área A2 = 0,25 m². Calcule v2. A1 = 0,5 m² V1 = 3,6 m/s A2 = 0,25 m² V2 = ?
    8. 8. Uma esfera é mergulhada em um líquido de densidade 350 kg/m³, sofrendo um empuxo de 450 N. Sabendo que a aceleração da gravidade é 10 m/s². Calcule o valor do volume da esfera. E = 450 N D = 350 Kg/m³ g = 10 m/s² V = ? E = d . V . g 450 = 350 . V . 10 450 = 3500 . V 𝟒𝟓𝟎 𝟑𝟓𝟎𝟎 = V V = 0,128 m³
    9. 9. Determinada tubulação foi projetada para que a pressão P2 no ponto 2 seja menor que a pressão P1 no ponto 1. O fluido ideal que escoa pela tubulação tem densidade 265 kg/m³ e passa pelos pontos 1 e 2 sabendo que h1 = h2 velocidades v1 = 3,4m/s e v2 = 6,5 m/s, determine P1 no ponto 1. sabendo que P2 = 5000 Pa
    10. 10. P1 + d . v1 2 / 2 = P2 + d . v2 2 / 2 P1 = P2 + d . v2 2 / 2 - d . v1 2 / 2 P1 = P2 + d . ( v2 2 / 2 - v1 2 / 2 ) P1 = 5000 + 265 . ( 6,52 / 2 - 3,42 / 2 ) P1 = 5000 + 625 . ( 42,25/ 2 - 11,56 / 2 ) P1 = 5000 + 625 . 15,345 P1 = 5000 + 4051,425 P1 = 9066,425 Pa
    11. 11. Um grande reservatório sofreu uma perfuração na sua base. Sabendo que a altura do nível da água ao fundo é de 3,5 m e que a área do furo é 0,05 m², usando g = 10m/s², calcule: a) a vazão b) o volume que escoa em 30 minutos. h = 3,5 m A = 0,05 m² g = 10 m/ s² V = 2 . 𝑔 . ℎ V = 2 .10 . 3,5 V = 70 ≈ 8,3 m/s 70 = 8,3 8,3 X8,3 249 664+ 68,89
    12. 12. a) Ø = ? Ø = A . V Ø = 0,05 . 8,3 Ø = 0,415 m³/s b) ∆𝒗 = ? Em: ∆𝒕 = 30 min = 1800 s Ø = ∆𝒗 ∆𝒕 0,415 = ∆𝒗 1800 ∆𝒗 = 0,415 . 1800 ∆𝒗 = 747 m³ 1800 X 0,415 9000 1800 7200 0000 + 0747,000 0,05 X 8,3 015 040+ 0,415

    ×