Operacionalização pratica do ensino estruturado

1.457 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.457
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Operacionalização pratica do ensino estruturado

  1. 1. Ensino Estruturado
  2. 2. Ensino Estruturado <ul><li>O ensino estruturado rege-se pela filosofia do modelo TEACCH que foi desenvolvido por Eric Schopler e colaboradores na década de 1970, na Carolina do Norte (Estados Unidos). Ele surgiu na sequência de um projecto de investigação cujo objectivo era ensinar aos pais técnicas comportamentais e métodos de educação especial para ajudar as famílias a lidar com as crianças com autismo. Em Portugal a primeira experiência piloto foi numa escola publica de Coimbra em 1996. </li></ul>
  3. 3. Ensino Estruturado <ul><li>Conjunto de medidas e estratégias que, têm como base a estruturação externa do espaço, do tempo e dos materiais e actividades, com o objectivo de promover a organização interna que, por sua vez irá facilitar os processos de aprendizagem, de autonomia e ainda a melhoria dos problemas de comportamento, muito presentes nos alunos com PEA . </li></ul>
  4. 4. Ensino Estruturado <ul><li>Numa perspectiva educacional este modelo , foca-se essencialmente no proporcionar de capacidades de comunicação, organização e prazer na partilha social. Tem como base essencial as áreas fortes, encontradas frequentemente nestas crianças, o processamento visual, memorização de rotinas e interesses especiais, podendo ser adaptado a necessidades individuais e a níveis diferenciados de funcionamento. O grande objectivo é ajudar a criança com PEA a tornar-se num indivíduo autónomo. A sua flexibilidade leva a uma fácil adequação para cada criança/aluno tendo em conta a sua forma de aprender e pensar, facilitando o encontrar das estratégias mais adequadas para responder adequadamente a cada caso. </li></ul>
  5. 5. Ensino estruturado <ul><li>O ambiente é organizado tendo como base a diferenciação pedagógica e os seguintes princípios: </li></ul><ul><li>Rotinas claras e objectivas </li></ul><ul><li>Ambiente calmo e previsível </li></ul><ul><li>Conhecimento prévio do aluno no que respeita a estímulos sensoriais </li></ul><ul><li>Tarefas diárias sempre de acordo com o que o aluno é capaz de realizar </li></ul><ul><li>Promoção da autonomia </li></ul>
  6. 6. Ensino Estruturado (Organização do Espaço ) <ul><li>(1)Reunião </li></ul><ul><li>(2)Trabalho </li></ul><ul><li>(3)Brincar </li></ul><ul><li>(4)Aprender </li></ul><ul><li>(5)Computador </li></ul><ul><li>(6)Trab.grupo </li></ul><ul><li>(7)Transição </li></ul>
  7. 7. Organização do Espaço Área de Transição <ul><li>Espaço onde se encontram os horários. Estes horários orientam as actividades diárias de cada aluno através de pistas visuais. As crianças dirigem-se a esta área para saberem qual a actividade seguinte, orientando a mudança. Esta é uma forma concreta e segura de introduzir as mudanças </li></ul>
  8. 8. Organização do Espaço Área de Aprender <ul><li>Área de ensino individualizado, não deve ter estímulos distractores, onde se desenvolve a atenção e concentração, ao mesmo tempo que novas tarefas e competências são trabalhadas e consolidadas. </li></ul>
  9. 9. Organização do Espaço Área de Trabalho Individual <ul><li>Pretende-se que o aluno realize aqui de forma autónoma as actividades aprendidas.Cada criança deve ter a sua área de trabalho </li></ul>
  10. 10. Organização do Espaço Área de Reunião <ul><li>Pretende-se desenvolver nesta área a comunicação e a interacção social. A reunião pode realizar-se em vários momentos do dia, sendo necessário que estejam presentes todos ou a maioria dos alunos. </li></ul><ul><li>Exp. de Actividades: </li></ul><ul><li>Aprender e cantar canções, explorar o tempo, ouvir histórias, fazer escolhas, explorar objectos, imagens, sons, organizar e relatar experiências vividas, introduzir temas, generalizar aprendizagens etc. </li></ul>
  11. 11. Organização do Espaço Área de Trabalho em Grupo <ul><li>Poderá aqui desenvolver-se trabalhos em conjunto com o objectivo de desenvolver a interacção social. Dão–se prioridades às áreas expressivas, musicais, plásticas ou ainda jogos em grupo </li></ul>
  12. 12. Organização do Espaço Área do Brincar <ul><li>Espaço destinado a pausas e ao relaxamento. É ainda onde se ensina a brincar e se trabalha o jogo simbólico. </li></ul><ul><li>Aqui são permitidas estereotipias </li></ul><ul><li>Nesta área deve haver material específico como almofadas, cadeira, espelho e brinquedos que ajudem a acalmar as crianças </li></ul>
  13. 13. Organização do Espaço Área do Computador <ul><li>Este espaço pode ser usado autonomamente, com ajuda ou em parceria com outro colega. </li></ul><ul><li>Aprende-se a esperar, a dar a vez e a executar uma actividade partilhada. Pode ainda optimizar a utilização de meios aumentativos/alternativos de comunicação </li></ul><ul><li>Este material pode ajudar a ultrapassar dificuldades de reprodução gráfica, generalização de aprendizagens, de atenção e motivação </li></ul>
  14. 14. Organização do Tempo Horário Individual <ul><li>Organiza o tempo e é um suporte eficaz para a comunicação. Fornece ao aluno a noção de sequencia ajudando na antecipação e na previsão, mantendo-o organizado e aumentando a capacidade de aceitação da alteração da rotina </li></ul>
  15. 15. Organização do Tempo Plano de Trabalho <ul><li>O plano de trabalho indica as tarefas a realizar numa determinada área. Deve ser adaptado ao nível de funcionamento de cada aluno. Ele constitui uma rotina securizante, permitindo adquirir a noção de principio, meio e fim </li></ul>
  16. 16. Organização do Tempo Cartão de Transição <ul><li>Informa o final do plano de trabalho naquela área e que o aluno se deve dirigir de novo ao horário (área de transição) para saber o que vai fazer a seguir. </li></ul><ul><li>Este cartão de transição pode ser um objecto, o nome, o símbolo do horário ou outra pista visual desde que adequada ao nível de funcionalidade do aluno </li></ul>

×