Seminário

224 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
224
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário

  1. 1. SESE
  2. 2. DISCENTES: MARIA LÚCIA, DÉBORA CARDOSO, IONESACRAMENTO, MARIA NEUZA, GEILDA IRINEU , SOLANGESOARES E JOSÉ CARLOSDOCENTE: VIVIANE DIAS UESC –PARFOR PEDAGOGIA I 2012
  3. 3.  OS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL, CEGOS OU COM VISÃO SUBNORMAL, COMPÕEM UM GRUPO QUE NECESSITA DE ALGUNS RECURSOS DIDÁTICOS E ADAPTAÇÕES CURRICULARES PARA QUE POSSAM PARTICIPAR ATIVAMENTE DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM.
  4. 4.  PRODUZIR O MATERIAL PEDAGÓGICO ADAPTADO ÀS NECESSIDADES EDUCACIONAIS DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL.
  5. 5.  O CONTEÚDO CURRICULAR DEVE SER O MESMO PARA TODOS OS ALUNOS; O PROFESSOR DEVE PRIMAR PARA QUE AS EXPLICAÇÕES SEJAM DESCRITIVAS E CONCRETAS E, SEMPRE QUE POSSÍVEL, POSSIBILITAR QUE O ALUNO CEGO MANIPULE OBJETOS E MATERIAIS QUE SEJAM OS MAIS PRÓXIMOS POSSÍVEIS DO REAL E QUE FACILITEM A COMPREENSÃO E PARTICIPAÇÃO NAS ATIVIDADES.
  6. 6.  NÃO É NECESSÁRIO APENAS QUE SE DEIXE O ALUNO ESCUTAR, CHEIRAR, TOCAR E EXPLORAR AS COISAS, OS OBJETOS, MAS QUE O ENSINE A OUVIR, CHEIRAR, A TOCAR, PARA O QUAL É IMPRESCINDÍVEL A EDUCAÇÃO DESTES SENTIDOS. ISTO É IMPORTANTE PARA TODAS AS CRIANÇAS, PORÉM ADQUIRE MAIOR RELEVÂNCIA NO CASO DAS CRIANÇAS CEGAS OU COM BAIXA VISÃO DEVIDO À UTILIDADE DOS SENTIDOS REMANESCENTES NA RELAÇÃO COM OS OBJETOS, COISAS E PESSOAS (SILVA, 2006) .
  7. 7.  SEGUNDO CERQUEIRA E FERREIRA( 2000) RECURSOS DIDÁTICOS SÃO TODOS OS RECURSOS FÍSICOS, UTILIZADOS COM MAIOR OU MENOR FREQUÊNCIA EM TODAS AS DISCIPLINAS, ÁREAS DE ESTUDO OU ATIVIDADES, SEJAM QUAIS FOREM AS TÉCNICAS OU MÉTODOS EMPREGADOS, VISANDO AUXILIAR O EDUCANDO A REALIZAR SUA APRENDIZAGEM MAIS EFICIENTE, CONSTITUINDO-SE NUM MEIO PARA FACILITAR, INCENTIVAR OU POSSIBILITAR O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM.
  8. 8.  NA EDUCAÇÃO ESPECIAL DE DEFICIENTES VISUAIS OS RECURSOS DIDÁTICOS PODEM SER ATRAVÉS DA ELABORAÇÃO DE MATERIAIS SIMPLES, TANTO QUANTO POSSÍVEL, DEVE SER FEITO COM PARTICIPAÇÃO DO PRÓPRIO ALUNO. É IMPORTANTE RESSALTAR QUE MATERIAIS DE BAIXO CUSTO OU DE FÁCIL OBTENÇÃO PODEM SER FREQUENTEMENTE EMPREGADOS, COMO : PALITOS DE FÓSFOROS, CONTAS, CHAPINHAS, BARBANTES, CARTOLINAS, BOTÕES E OUTROS.
  9. 9.  É INDISPENSÁVEL QUE OS RECURSOS DIDÁTICOS POSSUAM ESTÍMULOS VISUAIS E TÁTEIS QUE ATENDA ÀS DIFERENTES CONDIÇÕES VISUAIS. O MATERIAL DEVE APRESENTAR CORES CONTRASTANTES, TEXTURAS E TAMANHOS ADEQUADOS PARA QUE SE TORNE ÚLTIL E SIGNIFICATIVO.
  10. 10.  A DISPONIBILIDADE DE RECURSOS QUE ATENDAM AO MESMO TEMPO ÀS DIVERSAS CONDIÇÕES VISUAIS DOS ALUNOS PRESSUPÕE A UTILIZAÇÃO DOS SISTEMA BRAILLE, DE FONTES AMPLIADAS E DE OUTRAS ALTERNATIVAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM ( SÁ, CAMPOS E SILVA,2007)
  11. 11.  “EU PERCEBI QUE O QUE ME INCOMODAVA NÃO ERA A CEGUEIRA. O QUE ME INCOMODAVA ERA A DEPENDÊNCIA. EU ACHO DEPENDÊNCIA PIOR QUE A CEGUEIRA. SER DEPENDENTE HUMILHA, ARRASA, ACABA COM A PESSOA. SER CEGO NÃO.”( ANTONY MORAES- Documentário: Sentidos à Flor da Pele, 2008)
  12. 12.  CERQUEIRA, J.B. e FERREIRA, M. A. Os recursos didáticos na educação especial. Rio de Janeiro: Revista Benjamin Constant, 15. ed., abril de 2000. SÁ, Elizabet Dias de Sá; CAMPOS; Izilda Maria de; SILVA, Myriam BeatrizCampolina Silva. Atendimento Educacional Especializado: deficiência visual. São Paulo: MEC/SEESP, 2007.

×