Componente individual do professor Estatística das actividades sectoriais desenvolvidas no  1º período , atendendo ao perí...
Mantém-se a estratégia adoptada nos anos anteriores relativa aos registos. É necessário poupar no tempo gasto a realizar r...
Imagem de écrã do sítio do perfil Google
A partir deste perfil é possível perceber o que leio, o que publico de cariz pessoal e dos interesses pessoais, para a pro...
Apresenta-se uma análise estatística à actividade desenvolvida no período escolar, pelo professor, tendo em linha de conta...
Levantamento do 1º período lectivo:
o que representa:
 
com uma média de horas semanal:
em que, por sector, temos uma média horária semanal:
o que representa:
 
assim, o peso relativo de cada sector é:
 
então as horas em excesso serão:
 
 
Eis-nos chegados aos custos indirectos da actividade desta componente individual que são prejuízo directo da prática, não ...
 
Convém referir que este tipo de relatório não pretende mais do que um balanço dos registos efectuados ao longo do período ...
fim
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

2011 2012 1º período relatório da componente individual do professor

1.831 visualizações

Publicada em

relatório do 1º período de 2011 - 2012 relativo à componente individual do professor

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.831
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
107
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2011 2012 1º período relatório da componente individual do professor

  1. 1. Componente individual do professor Estatística das actividades sectoriais desenvolvidas no 1º período , atendendo ao período lectivo. 2011 - 2012 relatório
  2. 2. Mantém-se a estratégia adoptada nos anos anteriores relativa aos registos. É necessário poupar no tempo gasto a realizar registos, não perdendo o fito e a qualidade dos mesmos, reorientando o facto de a multi-tarefa ser um factor cada vez mais presente na minha actividade, nomeadamente a que decorre da maior presença online e que se vai desenvolvendo quer na área de apoio às disciplinas leccionadas quer no apoio à profissionalidade docente. A questão colocou-se quando verifiquei que o tempo dedicado às plataformas electrónicas corresponde a mais de 50 % do tempo legal da componente individual do professor e que o mesmo reflecte não só a disponibilização de documentos próprios e d’outrém na rede, como da pesquisa e manipulação de documentos relacionados com a profissionalidade docente como com a área das artes visuais, essencialmente, e destinados à preparação de aulas. Isto pode ser comprovado pela consulta que pode ser realizada a partir do meu perfil no Google em https://profiles.google.com/crespo.de.carvalho/about . Não se considerou no presente relatório o corte de vencimento processado a partir de Janeiro de 2011 por tal ser desvalorizador do valor imputável à componente individual e não reflectir os custos reais, mesmo que de poupança do ME à custa do trabalho ‘escravo’ do professor, deste ou d’outro qualquer.
  3. 3. Imagem de écrã do sítio do perfil Google
  4. 4. A partir deste perfil é possível perceber o que leio, o que publico de cariz pessoal e dos interesses pessoais, para a profissionalidade docente, para os alunos, para a gestão e administração escolar, da formação específica e académica, assim como da exposição pública dos trabalhos realizados pelos alunos. Esta estratégia iniciou-se em 2007 com a abertura de disciplinas na plataforma Moodle do programa Ciência na Escola, da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa. Neste momento a abertura é maior e passa pela disponibilização de sítios dedicados, conforme se pode comprovar nas consultas possíveis, como por alojamento em sítios de terceiros, quer de textos quer de imagens. A base de trabalho de recolha e registo mantém, contudo, a mesma estrutura, por questões de comodidade e de possibilidade de comparação com os relatórios anteriores, quer os parcelares quer os anuais, quer ainda os de férias. Não deixa de continuar a ser um objectivo central deste tipo de relatório o demonstrar que a actividade docente é realmente objecto de um esbulho, financeiro, económico e de saúde mental [ não contabilizável ] quando fixa em, somente, 11 horas a componente individual do professor, onde ainda estão ‘incluídas’ [embutidas, à força] 2 horas para reuniões ocasionais. É preciso lutar contra este estado de coisas…
  5. 5. Apresenta-se uma análise estatística à actividade desenvolvida no período escolar, pelo professor, tendo em linha de conta os registos diários elaborados com base em sectores de actividade e horas a eles dedicadas, objectivando uma abordagem que pretende esclarecer que os limites legais de 11 horas para esta componente são ridiculamente curtos e quais os custos indirectos que o excesso de horas de actividade representa de prejuízo pessoal e monetário, gerando como contrapartida uma “receita” do Ministério da Educação, pois assim a devemos considerar. Sectores de actividade considerados: actualização dos descritores
  6. 6. Levantamento do 1º período lectivo:
  7. 7. o que representa:
  8. 9. com uma média de horas semanal:
  9. 10. em que, por sector, temos uma média horária semanal:
  10. 11. o que representa:
  11. 13. assim, o peso relativo de cada sector é:
  12. 15. então as horas em excesso serão:
  13. 18. Eis-nos chegados aos custos indirectos da actividade desta componente individual que são prejuízo directo da prática, não remunerada, do professor. E estes são: Com base no seguinte:
  14. 20. Convém referir que este tipo de relatório não pretende mais do que um balanço dos registos efectuados ao longo do período lectivo. Todas as análises que se pretendam realizar podem-no fazer cruzando a evolução registada, ao longo de um ano lectivo, nos relatórios parcelares que vão sendo conhecidos. Cabe ao relatório anual produzir uma reflexão sobre estas práticas e apresentar um balanço inteligível da evolução da componente individual do professor, dentro do espaço do ano lectivo, como comparando com os registos globais dos anos anteriores. É ideia do subscritor vir a realizar um estudo que permita, graficamente, acompanhar a evolução estatística dos registos ao longo do ano lectivo, num suporte amigo do utilizador e, um outro, de comparação com as evoluções anuais. Como sempre, será possível a consulta online do presente relatório. Para seguir o meu blogue : http://arseteducatio.blogspot.com/
  15. 21. fim

×