Referencias culturais arturos

178 visualizações

Publicada em

As referências sobre os Arturos, finaliza a I etapa do Projeto de “Inventário para fins de Registro da Comunidade dos Arturos”, executado pela GPI do IEPHA/MG em conjunto com a FUNDAC de Contagem/MG. No trabalho foram identificadas 564 referências em 332 fontes, em em mais de 18 acervos. A documentação é constituída por jornais, revistas, teses, dissertações, monografias, textos técnicos, videos, fotos, áudio, revistas e outros, que ratificam a importância da Comunidade dos Arturos e sua dimensão dentro do cenário artístico, político, acadêmico, cultural e social. É importante ressaltar que o levantamento é um trabalho contínuo que deve ser atualizado de tempos em tempos. A pesquisa serve como instrumento de valorização, identificação e memória das produções já elaboradas pela Comunidade. Pretende-se também que todo esse acervo seja paulatinamente localizado e entregue aos Arturos, cumprindo o papel, de devolver aos detentores as produções sobre eles realizada.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
178
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Referencias culturais arturos

  1. 1. 2013 DPM-IEPHA/MG Página Gerência de Patrimônio Imaterial - GPI 0 Referências Culturais – Comunidade dos Arturos
  2. 2. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Expediente GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Antonio Augusto Anastasia Governador SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA Eliane Parreiras Secretária de Estado de Cultura INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS Fernando Viana Cabral Presidente Ângela Maria Ferreira Diretora de Proteção e Memória Dirceu Alves Jácome Júnior Diretor de Planejamento, Gestão e Finanças Renato César José de Souza Diretor de Conservação e Restauro Marília Palhares Machado Diretor de Promoção Luis Gustavo Molinari Mundim Gerente de Patrimônio Imaterial Coordenação Geral do Projeto “Inventário para fins de Registro da Comunidade dos Arturos” DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  3. 3. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Ficha Técnica IEPHA/MG FUNDAC COORDENAÇÃO GERAL DO PROJETO Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Luis Gustavo Molinari Mundim Carolina Dellamore Batista Scarpelli Gerente de Patrimônio Imaterial Coordenação Ailton Batista da Silva Fabiele Cristina Costa Leonardo Freitas Luis Gustavo Molinari Mundim Adebal de Andrade Júnior Alexandra Ponsá Carolina Dellamore Batista Scarpelli Analistas Analistas Ana Carolina Fernandes Bárbara Magalhães Hugo Rocha Mariana Rabêlo de Farias Estagiários Ana Rita Andrade Carmem Guimarães Isabela Fernanda Gomes Oliveira Paulo Ricardo Silva Rodrigues Estagiários DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  4. 4. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Sumário Apresentação 04 Acervos 08 Referências Teses e Dissertações 10 Videos 25 Fotos e Artes 31 Gravação Sonora 32 Livros 35 Publicações Seriadas 52 Textos 130 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  5. 5. Apresentação As referências culturais coletadas referentes a Comunidade dos Arturos, correspondem a finalização da I etapa do Projeto de “Inventário para fins de Registro da Comunidade dos Arturos”, executado pela Gerência de Patrimônio Imaterial do IEPHA/MG em conjunto com Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural da FUNDAC de Contagem/MG. Nesse trabalho foram identificadas 564 referências em 332 fontes, a pesquisa foi realizada em mais de 18 acervos com características diversas. A documentação é constituída por jornais, revistas, teses, dissertações, monografias, textos técnicos, videos, fotos, aúdio, revistas e outros, que ratificam a importância da Comunidade dos Arturos e sua dimensão dentro do cenário artístico, político, acadêmico, cultural e social. É importante ressaltar que apesar de extensa, esse levantamento não pretende ser fim em si mesmo, é um trabalho contínuo que deve ser atualizado de tempos em tempos, pois certamente muitos outros já falaram sobre os Arturos. Além disso, a pesquisa serve como instrumento de valorização, identificação e memória das produções já elaboradas pela Comunidade. Pretende-se também que todo esse acervo de informações seja paulatinamente localizado e entreque aos Arturos, cumprindo o papel, quase nunca observado, de devolver aos detentores as produções sobre eles realizada. A partir da análise dos dados apresentado no levantamento foi possível tomar uma série de decisões que determinaram o escopo das outras etapas do projeto. Tais como quais seriam os bem a inventariar, os contatos, os suportes mais utilizados, os tipos de bens culturais entre outros. A identificação das Referências Culturais (Gráfico – 01) apresentou os seguinte dados: Comunidade dos Arturos (234), Festa da Abolição (61), Congado (47), Festa do Rosário (37), Página 4 Filhos de Zambi (20), Guardas de Congo e Moçambique (16) Folia de Reis (15), Artur Camilo Silvério (11), Candombe (12), Festa João do Mato (7).
  6. 6. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Página Gráfico 01 – Identificação dos Bens Culturais da Comunidade dos Arturos 5 INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS
  7. 7. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Os levantamentos por Tipo de Bem Cultural apresentou os seguintes dados. (Gráfico – 02) TIPO BEM CULTURAL Agentes Ritos e Celebrações Estruturas Arquitetônicas 02 155 09 Lugares 214 Mestre 24 Não se Aplica 01 Saberes 13 TOTAL 549 6 133 Gráfico 02 – Refêrencias Culturais por tipo DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Página Formas de Expressão
  8. 8. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Os suportes tiveram as seguintes características: REFERÊNCIAS CULTURAIS POR SUPORTE Gravação Sonora 14 Livros 50 Pequenos Impressos 01 Publicações Seriadas 372 Registro Áudio Visual 04 Teses e Dissertações 15 Textos 59 Vídeos 33 TOTAL 549 7 01 Gráfico 03 – Referencias Culturais por suporte DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Página Fotos e Artes Visuais
  9. 9. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Acervos COD ACERVOS ENDEREÇO MUNICÍPIO RESPONSÁVEL CARACTERÍSTICA A1 Google Livros http://books.google.com.br Não se aplica Barbara Livros on-line A6 PUC Minas Coração Eucarístico Belo Horizonte Casa Cultura Livros, Fotos, Vídeos. A7 Centro de Contagem Contagem Casa Cultura Diverso: livros, fotos, revistas, vídeos. A8 Casa Cultura Contagem Jornal Regional www.jornalregionalcontagem.com.br Não se aplica Casa Cultura Jornais Digitalizados A9 Google Vídeos Não se aplica Luis Vídeos A12 Folha de Contagem Sede da Folha de Contagem Contagem Ana Rita, Carmem Jornais A13 Jornal Contagem Sede do Jornal Contagem Contagem Jornais A14 Jornal Diário da Tarde Belo Horizonte Ana Rita, Carmem, Carolina Luis A15 O Tempo Contagem www.otempo.com.br Não se aplica Luis Jornais A16 Youtube www.youtube.com Não se aplica Hugo Vídeos Página 8 Jornais DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  10. 10. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS A17 Google www.google.com Não se aplica Hugo Diverso A18 www.jornalregionalcontagem.com.br Não se aplica Casa Cultura Jornais Digitalizados A19 Jornal Regional Contagem O Diário de Contagem www.diariodecontagem.com.br Contagem Hugo Jornais Digitalizados A21 IEPHA/MG Rua dos Aimorés, Funcionários Belo Horizonte Luis Textos técnicos, fotos, livros. A23 Biblioteca Digital da UFMG Biblioteca Digital da USP CNFCP www.bibliotecadigital.ufmg.br Não se aplica Luis Teses e Dissertações www.teses.usp.br Não se aplica Luis http://www.cnfcp.gov.br Não se aplica Mariana Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP Notícias e Reportagens Referentes ao Folclore e Cultura Popular Acervo Folha de São Paulo http://acervo.folha.com.br/ Não se aplica Mariana A27 Acervo de Reportagens, Notícias e Notas. 9 A26 Página A25 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  11. 11. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Teses e Dissertações CLAYTON, Martin. Experience and meaning in music performance, The Open University.Arturos ’ 1 2 Identificação Comunidade dos Arturos Comunidade dos Arturos Descrição Monografia apresenta um estudo sobre a cultura da Comunidade Negra dos Arturos, como um exemplo de remanescente de quilombo brasileiro. O objetivo foi traçar um panorama da comunidade através da observação participante e entrevistas com os descendentes, a fim de perceber as estratégias utilizadas para a permanência da comunidade ao longo dos anos, contribuindo para a compreensão da cultura afrodescendente brasileira, importante fator na estruturação da nossa identidade. O estudo dos depoimentos dos descendentes nos indica como a Comunidade dos Arturos conseguiu se estabelecer e continuar o legado paterno, tornando-se um patrimônio cultural intangível, na cidade de Contagem, em Minas Gerais. Fez parte deste estudo a análise dos códigos de Comunicação e suas aplicabilidades na comunidade, ao determinar como os Arturos operam suas resistências frente ao mundo contemporâneo. The major research project Experience and meaning in music performance, directed by Dr Martin Clayton, investigates musical performance of several kinds, experience and meaning construction. The research DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Bem cultural Onde encontrar Acervo Lugar Assunto Acervo Disponíve l no Link <http://w ww.amde .ufop.br/t ccs/Lafaie te/Lafaiet e%20%20Paulo %20Almei da.pdf> A17 Lugar Acervo Disponíve l em <http://w A17 todo Todo 10 ALMEIDA, Paulo. Comunidade Negra dos Arturos: Modelo de Quilombo Brasileiro. Monografia de especialização em Gestão de Políticas Públicas com foco em raça e gênero. UFOP; UAB. Conselheiro Lafaiete. 2012. 43p. Item Página Referência, título ou localizador.
  12. 12. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS 3 ww.open. ac.uk/Art s/experie nce/abou t.htm> todo Congado DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Expressão Biblioteca da UFMG - Acervo Escola de Ed. Física, Fisioterap ia e T.O . Número de Referênci a: M1035g C972h 2003 GRAD A6 11 CUNHA, Ana Carolina Rodrigues. História e tradição do congado na Comunidade dos Arturos [manuscrito]. Monografia do Curso de Educação Física da UFMG. Belo Horizonte, 2003." concerns the role of "entrainment" (i.e. the synchronisation of musicians and listeners to musical rhythms); gestural communication and movement; and the relationships between these psycho-physiological processes, and processes of meaning construction. By correlating musicological description, ethnography and analysis of the movement of both performers and listeners, members of the project team investigate how the evidence of bodily movement relates to the formal analysis of music, and how both of these articulate with verbal reports on musical experience and with accounts of musical meaning. The central thread of the project comprises our work on north Indian raga performance: other threads include studies of jazz (Mark Doffman), posthardcore rock (Andy McGuiness), Cuban popular music (Adrian Poole) and Afro-Brazilian Congado (with Brazilian scholar Glaura Lucas). Página Moçambique - August 1997, Belo Horizonte, Minas Gerais (photo: Tereza Marinho) Experience and meaning in music performance ... Arturos ’ Moçambique - August 1997, Belo Horizonte, Minas Gerais
  13. 13. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS FERNANDES, Ana Carolina Araújo. Pôr Sentido no Patrimônio: Notas sobre o processo de registro da Comunidade dos Arturos- MG. Belo Horizonte, 2013. 5 6 Celebração A7 e A17 Comunidade dos Arturos Este estudo tem como base a geografia cultural, adotando uma abordagem filosófica, fenomenológica e Saber: humanística. Seu objetivo é analisar como se dão as Benzeção, relações entre a Comunidade dos Arturos e a sociedade pg. 40 envolvente no município de Contagem/MG. Lugar Casa da Cultura. Páginas 193. Disponíve l no link: http://go o.gl/IWsjy A7 e A17 Comunidade dos Arturos Neste trabalho apresento reflexões sobre patrimônio cultural e comunidades quilombolas. Para analisar esse tema, parto da observação de um caso em processo: o registro da Comunidade dos Arturos, comunidade negra e quilombola mineira, que está sendo inventariada para ser registrada como um patrimônio imaterial de Minas Gerais no livro de registro dos lugares. No decorrer da análise, apresento um panorama histórico das políticas de patrimônio no Brasil, e situo as discussões sobre o patrimônio negro, tratando a partir disso, o caso da Comunidade dos Arturos através dos pontos de vista dos três principais agentes envolvidos nesse processo: O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais-IEPHA; a Casa da Cultura de Contagem-Nair Lugar Acervo GPI A21 Benzeção Este estudo tem como base a geografia cultural, adotando uma abordagem filosófica, fenomenológica e Saber: humanística. Seu objetivo é analisar como se dão as Benzeção, relações entre a Comunidade dos Arturos e a sociedade pg. 40 envolvente no município de Contagem/MG. DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Todo 12 FARIA, Júnio Eustáquio de Sousa. A Comunidade dos Arturos: um estudo sobre suas relações de pertencimento ao lugar e de suas interações com a sociedade envolvente. 2007. 93f. Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto de Geociências, 4 Casa da Cultura. Páginas 193. Disponíve l no link: http://go o.gl/IWsjy Página FARIA, Júnior. Eustáquio de Sousa. A Comunidade dos Arturos: um estudo sobre suas relações de pertencimento ao lugar e de suas interações com a sociedade envolvente. 2007. 93f. Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto de Geociências,
  14. 14. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Bello; e a Comunidade dos Arturos. Comunidade Quilombola LUCAS, Glaura. Música e tempo nos rituais do congado mineiro dos Arturos e do Jatobá. 2005. Tese (Doutorado em Música) – Programa de Pós-Graduação em Música, Centro de Letras e Artes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. 8 Congado DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Todo Lugar todo Expressão Acervo GPI A21 A21 13 7 Página FERNANDES, Ana Carolina Araújo. Pôr Sentido no Patrimônio: Notas sobre o processo de registro da Comunidade dos Arturos- MG. Belo Horizonte, 2013. Neste trabalho apresento reflexões sobre patrimônio cultural e comunidades quilombolas. Para analisar esse tema, parto da observação de um caso em processo: o registro da Comunidade dos Arturos, comunidade negra e quilombola mineira, que está sendo inventariada para ser registrada como um patrimônio imaterial de Minas Gerais no livro de registro dos lugares. No decorrer da análise, apresento um panorama histórico das políticas de patrimônio no Brasil, e situo as discussões sobre o patrimônio negro, tratando a partir disso, o caso da Comunidade dos Arturos através dos pontos de vista dos três principais agentes envolvidos nesse processo: O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais-IEPHA; a Casa da Cultura de Contagem-Nair Bello; e a Comunidade dos Arturos. A tese resulta de um estudo etnográfico cujo objetivo foi analisar como a música incessante organiza e/ou traduz o tempo ritual da tradição religiosa afro-brasileira do Congado (Reinado de Nossa Senhora do Rosário), nas irmandades de Contagem e do Jatobá, em Minas Gerais. Primeiramente, foram identificadas as funções da massa sonora típica que emoldura o tempo ritual, composta de cantos e ritmos variados, mas executados simultaneamente pelos diversos grupos participantes. O caráter cíclico não só da música congadeira como também de outros processos rítmicos do Reinado motivou uma reflexão teórica acerca das noções de permanência e de mudança, sobretudo à luz da literatura
  15. 15. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Comunidade dos Arturos DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural todo Lugar A21 14 9 Página LUCAS, Glaura. Música e tempo nos rituais do congado mineiro dos Arturos e do Jatobá. 2005. Tese (Doutorado em Música) – Programa de Pós-Graduação em Música, Centro de Letras e Artes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. antropológica. Procedeu-se, então, a uma análise do comportamento dos fluxos musicais de cada grupo – Congo, Moçambique e o ritual do Candombe – com o objetivo de demonstrar como esses criam dinâmicas variadas no espaço-tempo. O estudo revelou que tais dinâmicas são conformadas às funções rituais que cada grupo desempenha, às diversas etapas rituais, aos momentos da performance durante as cerimônias, aos espaços que os grupos ocupam e aos locais por que passam, às necessidades ou sentimentos dos integrantes, e mesmo à faixa etária e grau de iniciação de quem conduz cantos e ritmos. A tese resulta de um estudo etnográfico cujo objetivo foi analisar como a música incessante organiza e/ou traduz o tempo ritual da tradição religiosa afro-brasileira do Congado (Reinado de Nossa Senhora do Rosário), nas irmandades de Contagem e do Jatobá, em Minas Gerais. Primeiramente, foram identificadas as funções da massa sonora típica que emoldura o tempo ritual, composta de cantos e ritmos variados, mas executados simultaneamente pelos diversos grupos participantes. O caráter cíclico não só da música congadeira como também de outros processos rítmicos do Reinado motivou uma reflexão teórica acerca das noções de permanência e de mudança, sobretudo à luz da literatura antropológica. Procedeu-se, então, a uma análise do comportamento dos fluxos musicais de cada grupo – Congo, Moçambique e o ritual do Candombe – com o objetivo de demonstrar como esses criam dinâmicas variadas no espaço-tempo. O estudo revelou que tais dinâmicas são conformadas às funções rituais que cada grupo desempenha, às diversas etapas rituais, aos
  16. 16. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Comunidade dos Arturos DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Todo Lugar A17 15 10 Página LUCAS, Glaura. Os sons do rosário um estudo etnomusicológico do congado Arturos e Jatobá. 1999. Tese (Mestrado) - Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. momentos da performance durante as cerimônias, aos espaços que os grupos ocupam e aos locais por que passam, às necessidades ou sentimentos dos integrantes, e mesmo à faixa etária e grau de iniciação de quem conduz cantos e ritmos. Pes isamos a m sica da tradição reli iosa do on ado einado de ossa en ora do os rio da com nidade dos rt ros e da Irmandade do ato am as localizadas na e ião etropolitana de elo Horizonte, abordando a m sica como m dos c di os que trad zem sim olicamente aspectos da isão de m m ndo de se s praticantes tra al o de campo incl i o acompan amento de festas ra aç es e filma ens entre istas a las e seç es espec ficas de ra ação nfocando os aspectosr tmico-temporais in estimos como a m sica sada no c mprimento dos atos rit ais e para a com nicação e e pressão dos congadeiros. Analisamos os elementos de uma paisagem sonora significativa que dimensiona os rituais temporal e espacialmente spectos formais foram a ordados e os padr es r tmicos de cada r po - on o oçam i e e andom e - foram identificados tendo por refer ncia o car ter din mico e fle el dessa m sica en anto tradição oral e s a nat reza transc lt ral s ntese do contato entre africanos e e rope s partir de transcriç es por n s ela oradas o comportamento dos padr es r tmicos ao lon o das e ec ç es foi analisado em relação aos mecanismos de ariação a e são submetidos, conforme sua f nção rit al e o espaço tempo de s a e ec ção o processo de transcrição moti o ainda m e ame dos elementos formadores desses padr es no e se refere as d raç es
  17. 17. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS 11 Reinado Pes isamos a m sica da tradição reli iosa do on ado einado de ossa en ora do os rio da com nidade dos rt ros e da Irmandade do ato am as localizadas na e ião etropolitana de elo orizonte a ordando a m sica como m dos c di os que traduzem simbolicamente aspectos da isão de m m ndo de se s praticantes tra al o de campo incl i o acompan amento de festas ra aç es e filma ens entre istas a las e seç es espec ficas de ra ação nfocando os aspectosr tmico-temporais in estimos como a m sica sada no c mprimento dos atos rit ais e para a com nicação e e pressão dos congadeiros. Analisamos os elementos de uma paisagem sonora significativa que dimensiona os rituais temporal e espacialmente spectos formais foram a ordados e os padr es r tmicos de cada r po - on o oçam i e e andom e - foram identificados tendo por refer ncia o car ter din mico e fle el dessa m sica en anto tradição oral e s a nat reza transc lt ral s ntese do contato entre africanos e europeus. A partir de transcriç es por n s ela oradas o comportamento dos padr es r tmicos ao lon o das e ec ç es foi analisado em relação aos mecanismos de ariação a e são submetidos, conforme sua f nção rit al e o espaço tempo de s a e ec ção o processo de transcrição moti o ainda m e ame dos elementos formadores desses padr es no e se refere as d raç es das s di is es internas das p lsaç es ssociamos o DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Todo Celebração A17 16 LUCAS, Glaura. Os sons do rosário um estudo etnomusicológico do congado Arturos e Jatobá. 1999. Tese (Mestrado) - Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. ssociamos o Página das s di is es internas das p lsaç es comportamento ritual
  18. 18. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS comportamento ritual Congo DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Todo Expressão A17 17 12 Página LUCAS, Glaura. Os sons do rosário um estudo etnomusicológico do congado Arturos e Jatobá. 1999. Tese (Mestrado) - Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Pes isamos a m sica da tradição reli iosa do Congado/Reinado de Nossa Senhora do os rio da com nidade dos rt ros e da Irmandade do ato am as localizadas na e ião etropolitana de elo orizonte a ordando a m sica como m dos c di os que trad zem sim olicamente aspectos da isão de m mundo de seus praticantes. O trabal o de campo incl i o acompan amento de festas ra aç es e filma ens entre istas a las e seç es espec ficas de ra ação nfocando os aspectosr tmico-temporais in estimos como a m sica sada no c mprimento dos atos rituais e para a comunicação e e pressão dos congadeiros. Analisamos os elementos de uma paisagem sonora significativa que dimensiona os rituais temporal e espacialmente spectos formais foram a ordados e os padr es r tmicos de cada r po - on o oçam i e e Candombe - foram identificados tendo por refer ncia o car ter din mico e fle el dessa m sica en anto tradição oral e s a nat reza transc lt ral s ntese do contato entre africanos e e rope s partir de transcriç es por n s ela oradas o comportamento dos padr es r tmicos ao lon o das e ec ç es foi analisado em relação aos mecanismos de ariação a e são submetidos, conforme sua f nção rit al e o espaço tempo de s a e ec ção o processo de transcrição motivou ainda um exame dos elementos formadores desses padr es no e se refere as d raç es das s di is es internas das p lsaç es ssociamos o
  19. 19. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS comportamento ritual Moçambique DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Todo Expressão A17 18 13 Página LUCAS, Glaura. Os sons do rosário um estudo etnomusicológico do congado Arturos e Jatobá. 1999. Tese (Mestrado) - Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Pes isamos a m sica da tradição reli iosa do on ado einado de ossa en ora do os rio da comunidade dos Arturos e da Irmandade do ato am as localizadas na e ião etropolitana de elo orizonte a ordando a m sica como m dos c di os que trad zem sim olicamente aspectos da isão de m m ndo de se s praticantes tra al o de campo incl i o acompan amento de festas ra aç es e filma ens entre istas a las e seç es espec ficas de ra ação nfocando os aspectosr tmico-temporais in estimos como a m sica sada no c mprimento dos atos rit ais e para a com nicação e e pressão dos congadeiros. Analisamos os elementos de uma paisagem sonora significativa que dimensiona os rituais temporal e espacialmente spectos formais foram a ordados e os padr es r tmicos de cada r po - on o oçam i e e andom e - foram identificados tendo por refer ncia o car ter din mico e fle el dessa m sica en anto tradição oral e s a nat reza transc lt ral s ntese do contato entre africanos e e rope s partir de transcriç es por n s ela oradas o comportamento dos padr es r tmicos ao lon o das e ec ç es foi analisado em relação aos mecanismos de ariação a e são submetidos, conforme sua f nção rit al e o espaço tempo de s a e ec ção o processo de transcrição moti o ainda m e ame dos elementos formadores desses padr es no e se refere as d raç es das s di is es internas das p lsaç es ssociamos o
  20. 20. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS comportamento ritual Candombe DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Todo Expressão A17 19 14 Página LUCAS, Glaura. Os sons do rosário um estudo etnomusicológico do congado Arturos e Jatobá. 1999. Tese (Mestrado) - Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Pes isamos a m sica da tradição reli iosa do on ado einado de ossa en ora do os rio da com nidade dos rt ros e da Irmandade do ato am as localizadas na e ião etropolitana de elo orizonte a ordando a m sica como m dos c di os que trad zem sim olicamente aspectos da isão de m m ndo de se s praticantes tra al o de campo incl i o acompan amento de festas ra aç es e filma ens entre istas a las e seç es espec ficas de ra ação nfocando os aspectosr tmico-temporais in estimos como a m sica sada no c mprimento dos atos rit ais e para a com nicação e e pressão dos congadeiros. Analisamos os elementos de uma paisagem sonora significativa que dimensiona os rituais temporal e espacialmente spectos formais foram a ordados e os padr es r tmicos de cada r po - on o oçam i e e andom e - foram identificados tendo por refer ncia o car ter din mico e fle el dessa m sica en anto tradição oral e s a nat reza transc lt ral s ntese do contato entre africanos e e rope s partir de transcriç es por n s ela oradas o comportamento dos padr es r tmicos ao lon o das e ec ç es foi analisado em relação aos mecanismos de ariação a e são submetidos, conforme sua f nção rit al e o espaço tempo de s a e ec ção o processo de transcrição moti o ainda m e ame dos elementos formadores desses padr es no e se refere as d raç es das s di is es internas das p lsaç es ssociamos o
  21. 21. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS comportamento ritual Congado DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Todo Expressão A17 20 15 Página LUCAS, Glaura. Os sons do rosário um estudo etnomusicológico do congado Arturos e Jatobá. 1999. Tese (Mestrado) - Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Pes isamos a m sica da tradição reli iosa do on ado einado de ossa en ora do os rio da com nidade dos rt ros e da Irmandade do ato am as localizadas na e ião etropolitana de elo orizonte a ordando a m sica como m dos c di os que trad zem sim olicamente aspectos da isão de m m ndo de se s praticantes tra al o de campo incl i o acompan amento de festas ra aç es e filma ens entre istas a las e seç es espec ficas de ra ação nfocando os aspectosr tmico-temporais, in estimos como a m sica sada no c mprimento dos atos rit ais e para a com nicação e e pressão dos congadeiros. Analisamos os elementos de uma paisagem sonora significativa que dimensiona os rituais temporal e espacialmente. Aspectos formais foram a ordados e os padr es r tmicos de cada r po - on o oçam i e e andom e - foram identificados tendo por refer ncia o car ter din mico e fle el dessa m sica en anto tradição oral e s a nat reza transc lt ral s ntese do contato entre africanos e e rope s partir de transcriç es por n s ela oradas o comportamento dos padr es r tmicos ao lon o das e ec ç es foi analisado em relação aos mecanismos de ariação a e são submetidos, conforme sua f nção rit al e o espaço tempo de s a e ec ção o processo de transcrição moti o ainda m e ame dos elementos formadores desses padr es no e se refere as d raç es das s di is es internas das p lsaç es ssociamos o
  22. 22. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS comportamento ritual SANTOS, Erisvaldo Pereira. Religiosidade, identidade negra e educação. O processo de construção da subjetividade de adolescentes dos Arturos. 1997. 17 Irmandade do Rosário 18 Comunidade dos Arturos 19 Comunidade dos Arturos Estudo sobre a Irmandade do Rosário de Contagem, 1867-1973, onde são discutidos temas como o seu surgimento tardio, sua forma de organização, as suas finalidades, a composição de seus membros, a inconstância de suas atividades, a construção Igreja do Rosário Comunidade dos Arturos Camilo Silvério Arthur Camilo Silvério Carmelinda Maria. Busca descrever a comunidade camponesa negra com sua cultura e mostrar alguns dos efeitos do avanço progressivo do capitalismo sobre ela e sua cultura, principalmente, no seu processo de transformação em mercadoria para atender o mercado de consumo de bens. Esta dissertação é resultado de uma pesquisa realizada com adolescentes da comunidade dos arturos, no município de contagem, Minas Gerais. O foco da investigação foi a transmissão dos saberes tradicionais para as novas gerações e a adesão às práticas socioculturais intra e extra comunitárias pelos(as) adolescentes. Como pano de fundo, procedeu-se com DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural todo todo todo Todo Lugar Casa da Cultura. Páginas 45-58. A7 Agente Casa da Cultura. Páginas 45-58. A7 Lugar Casa da Cultura. Páginas 1310. A7 e A6 Lugar Localizaçã o: FAE – UFMGRef erência: 1997 S237r T Ceale A17 21 SABARÁ, Romeu. A Comunidade Negra dos Arturos: o drama do campesinato negro no Brasil. 1997.310f. 16 Comunidade dos Arturos Estudo sobre a Irmandade do Rosário de Contagem, 1867-1973, onde são discutidos temas como o seu surgimento tardio, sua forma de organização, as suas finalidades, a composição de seus membros, a inconstância de suas atividades, a construção Igreja do Rosário Comunidade dos Arturos Camilo Silvério Arthur Camilo Silvério Carmelinda Maria. Página RABELLO, Kelly. . A manutenção da fé ao rosário em Contagem: Irmandade de Nossa Senhora do Rosário - 1867 a 1973. (Monografia). Pontifícia Universioda de católica de Minas Gerais -PUC Minas, Belo Horizonte, 2010. RABELLO, Kelly. . A manutenção da fé ao rosário em Contagem: Irmandade de Nossa Senhora do Rosário - 1867 a 1973. Monografia. Pontifícia católica de Minas Gerais - PUC Minas, Belo Horizonte, 2010.
  23. 23. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Comunidade dos Arturos DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Várias Páginas Lugar A17 22 20 https://re positorio. ufba.br/ri /bitstrea m/ri/105 95/1/diss ertacao% 20Carolin e%20Sant 'anna.pdf Página SANT'ANNA, Caroline Vieira. A fotografia contemporânea no Brasil. apresentação da história e dos conteúdos originais dos arturos, herdeiros de tradições engendradas no contexto escravagista Brasileiro. Tal herança consiste na devoção dos negros a nossa senhora do rosário, através das guardas de congo e de Moçambique e do candomblé. Essa constituiu-se num amálgama de práticas socioculturais e mágico-religiosas, as quais foram vivenciadas pelo negro Arthur Camilo Silvério e transmitidas para seus filhos e filhas os arcturos. Em vista da compreensão do processo, das tensões e dos conflitos dos adolescentes com relação ao modo como os Arturo de primeira linha estão transmitindo os saberes tradicionais e à experiência de adesão a esses e a outros conteúdos socioculturais, utilizou-se da observação participante, de entrevistas diretivas e não diretivas e da análise de condições de produção do discurso. Os dados, após submetidos à análise do discurso, constituíram-se num corpo discursivo que manifesta tanto os conflitos e as tensões decorrentes da forma de transmissão oral, quanto o papel socializador das práticas socioculturais da comunidade. O presente trabalho apresenta uma leitura das séries fotográficas Máscaras de Punição (2003), Boa Aparência (2005) e Arturos (1994), do fotógrafo mineiro Eustáquio Neves, cuja obra se expressa dentro do conceito contemporâneo de Fotografia Expandida para tratar do tema da identidade étnico-racial e cultural do negro no Brasil, numa relação direta com o seu passado escravista. Como ponto de partida, configuramos a expansão fotográfica brasileira, tomando como marco a década de 60, momento de efervescência cultural e política no país, até o início da década de 2000, época em que a
  24. 24. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS fotografia mostra a explícita interferência da tecnologia digital e de outras mídias e meios artísticos, delineandose como uma imagem pósfotográfica. No percurso traçado por este breve panorama, buscamos apresentar nomes e imagens de fotógrafos que se inscrevem nas vertentes da nova fotografia documental e da fotografia expandida, cujas representações fotográficas dialogam com a temática acima referida, aqui articulada com as novas discussões sobre etnias e identidades. 22 23 Comunidade dos Arturos Comunidade dos Arturos Estudo sobre a tradição religiosa oral e musical, mítica e sagrada, da Festa do Rosário, vivida, revivida, recriada e conservada pelos Arturos como elemento de resistência e de identidade cultural do grupo. Camilo Silvério, Felisbina Rita Cândida, Arthur Camilo Silvério, Carmelinda Maria da Silva – vovó Carmela, Antônio Maria da Silva, Conceição Natalícia, José Bonifácio, Tiago Antônio Silva dos Santos, Estefany, Festa do Rosário Estudo sobre a tradição religiosa oral e musical, mítica e sagrada, da Festa do Rosário, vivida, revivida, recriada e conservada pelos Arturos como elemento de resistência e de identidade cultural do grupo. Camilo Silvério, Felisbina Rita Cândida, Arthur Camilo Silvério, Carmelinda Maria da Silva – vovó Carmela, Antônio Maria da Silva, DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Não se aplica todo todo Não se aplica http://w ww.biblio tecadigita l.ufmg.br/ dspace/h andle/184 3/ZMRO7JHJNE A23 Lugar Casa da Cultura. Páginas 162. A7 Celebração Casa da Cultura. Páginas 162. A7 23 SOARES, Marisley Silva. A linguagem oral e musical, mítica e sagrada como formadora da “Identidade Cultural” dos Arturos. 2007. 62f. Monografia (Conclusão de Pós-graduação) – Universidade do Estado de Minas Gerais, Escola Guignard, Belo Horizonte. SOARES, Marisley Silva. A linguagem oral e musical, mítica e sagrada como formadora da “Identidade Cultural” dos Arturos. 2007. 62f. Monografia (Conclusão de Pós-graduação) – 21 Trata-se de um estudo seccional transversal para verificar a prevalência da doença periodontal em uma população da raça negra, que, segundo a literatura, apresenta maior prevalência da doença. A comunidade selecionada para o estudo chama-se Arturos, tendo sido criada em 1917 por um escravo alforriado. Página SEGUNDO, Takishi Kato. A doença periodontal na comunidade negra dos Arturos, Contagem-MG. Dissertação de Mestrado em Odontologia da UFMG. Belo Horizonte, 2002.
  25. 25. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS 24 Comunidade dos Arturos Pretende investigar a sutil passagem da memória oral para a corporal, dentro do ritual do Congado, na Comunidade dos Arturos, situada na cidade de Contagem, próximo a Belo Horizonte, em Minas Gerais. A Comunidade se caracteriza pela manutenção de suas tradições, que vêm sendo transmitidas de geração para geração. Os ensinamentos são passados dos mais velhos para os mais jovens através da oralidade, dos cânticos, da dança e do reviver o ritual sagrado. Ao realizar as festas da Libertação, que acontecem no mês de maio, em que comemoram a abolição da escravatura, e a Festa do Rosário, no mês de outubro, em que celebram o nascimento de Nossa Senhora do Rosário, os Arturos estão refazendo sua própria história, partilhando uma memória social de um passado histórico, apontando para ressignificações no presente. Todo Lugar http://w ww.teses. usp.br/te ses/dispo niveis/8/8 134/tde04052010 114040/p t-br.php A24 24 VIEIRA, Camila Camargo. No giro do rosário: dança e memória corporal na Comunidade dos Arturos. 2003. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003. Conceição Natalícia, José Bonifácio, Tiago Antônio Silva dos Santos, Estefany. Página Universidade do Estado de Minas Gerais, Escola Guignard, Belo Horizonte. DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  26. 26. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Vídeos 1 Identificação Comunidade dos Arturos Arturos - 13 de maio. Cor 2 Festa da Abolição Arturos - 13 de maio. Direção: Liliane Pelegrini e Élcio Paraíso; Cor 3 Comunidade dos Arturos Descrição Vídeo feito a partir de fotos, abordando a Comunidade dos Arturos, focando em festas e celebrações do grupo. Registro da festa de 13 de maio na Comunidade dos Arturos, em Contagem (MG). Na data, os descendentes do escravo Artur Camilo Silvério se vestem como seus antepassados e rememoram o sofrimento do tempo da escravidão e, também, a alegria da libertação. A Festa da Abolição, realizada desde 1972, também é marcada por encenações que retratam a época do cativeiro. Registro da festa de 13 de maio na Comunidade dos Arturos, em Contagem (MG). Na data, os descendentes do escravo Artur Camilo Silvério se vestem como seus antepassados e rememoram o sofrimento do tempo da escravidão e, também, a alegria da libertação. A Festa da Abolição, realizada desde 1972, também é marcada por DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Assunto Bem Cultural Onde encontrar Acervo todo Celebração http://goo.gl/tp vbh A16 todo Celebração http://goo.gl/Ki OmY A16 todo Lugar http://goo.gl/Ki OmY A16 25 ABREU, Consuelo. Comunidade dos Arturos- Festa do Rosário 2009. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG.2009. 1’57’’. Formato digital. color. som. Item Página Referência, Título ou Localizador
  27. 27. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS encenações que retratam a época do cativeiro. Comunidade dos Arturos Vídeo feito a partir de fotos e filmagens sobre as diversas manifestações da Comunidade dos Arturos. todo Celebração http://goo.gl/YY 3OO A16 5 Comunidade dos Arturos Vídeo feito a partir de fotos e filmagens sobre as diversas manifestações da Comunidade dos Arturos. todo Expressão http://goo.gl/YY 3OO A16 6 Comunidade dos Arturos Vídeo jornalístico sobre a Festa do Rosário na Comunidade dos Arturos. todo Lugar http://goo.gl/eV wfQ A16 7 Festa do Rosário Vídeo jornalístico sobre a Festa do Rosário na Comunidade dos Arturos. todo Celebração http://goo.gl/eV wfQ A16 8 Festa da Abolição Vídeo jornalístico abordado a comemoração dos 121 da abolição da escravatura, realizado pela Comunidade dos Arturos todo Celebração http://goo.gl/zN m5U A16 Comunidade dos Arturos "Negras Memórias" é um relato sobre a história da comunidade. Realização do Grupo Trama de Teatro em parceria com a Comunidade dos Arturos Contagem/MG e da Oficina de Iniciação Teatral com jovens e adolescentes da comunidade. todo Lugar http://goo.gl/Dr LFt A16 9 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural 26 GOMES, Núbia Pereira de M; Edimilson de Almeida Pereira. Negras raízes mineiras: Os Arturos. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2000. 4 Página BRASIEL, Israel. Arturos 2010. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG.2010.5’21’’.Formato digital. color. som. BRASIEL, Israel. Arturos 2010. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG. 2010.5’21’’.Formato digital. color. som. Comunidade dos Arturos faz festa para N.S. Rosário. Diário de Contagem; cor. Comunidade dos Arturos faz festa para N.S. Rosário. Diário de Contagem; cor. Diário de Contagem. Arturos Festejam 121 anos de Abolição. Comunidade dos Arturos,Contagem-MG.2009. 9’46’’.Formato digital. color. som.
  28. 28. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Prefeitura Municipal de Contagem/Ministério da Cultura Comunidade dos Arturos 11 Comunidade dos Arturos O vídeo aborda a Comunidade dos Arturos como um todo, explicando a origem e mostrando as principais celebrações da comunidade. todo Celebração http://goo.gl/tL bCg A9 12 Oficina de Culinária dos Arturos Vídeo filmado na Comunidade dos Arturos abordando o modo de se fazer biscoitos. todo Saber http://goo.gl/lOI 8M A16 13 Oficina de Culinária dos Arturos Vídeo filmado na Comunidade dos Arturos abordando o modo de se fazer biscoitos. todo Saber http://goo.gl/lOI 8M A16 14 Comunidade dos Arturos Vídeo jornalístico a que aborda a Comunidade dos Arturos e as festividades realizadas pela comunidade, em celebração dos 129 anos da comunidade. todo Lugar http://goo.gl/Hc 7cl A16 15 Comunidade dos Arturos Lugar Acervo IEPHA: Pasta "Arturos" na caixa de mesmo nome. A21 Projeto Vídeo Registro - 15'20". 1997 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural todo Expressão http://goo.gl/Dr LFt A16 todo 27 HENRIQUE, Rogério. Programa Papo Afinado . Comunidade dos Arturos. [Filme-vídeo]. Produção de Caturra Digital, direção de Rogério Henrique. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG,2011. 12’18’’. Formato digital. color. som. Jardim Produções. Oficina de Culinária dos Arturos. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG. 2011. 4’46’’. Formato digital. Colos som. Jardim Produções. Oficina de Culinária dos Arturos. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG. 2011. 4’46’’. Formato digital. Cor. som. Jornal Minas TV. 129 anos da Comunidade dos Arturos. [Filmevídeo]. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG,2012. 2’38’’.Formato digital. color. som. 10 Página GOMES, Núbia Pereira de M; Edimilson de Almeida Pereira. Negras raízes mineiras: Os Arturos. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2000. "Negras Memórias" é um relato sobre a história da comunidade. Realização do Grupo Trama de Teatro em parceria com a Comunidade dos Arturos Contagem/MG e da Oficina de Iniciação Teatral com jovens e adolescentes da comunidade.
  29. 29. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Comunidade dos Arturos Projeto Vídeo Registro - 15'20". 1997 todo Celebração 17 Comunidade dos Arturos Vídeo instrutivo constituído de fotos e imagens da Comunidade dos Arturo e suas manifestações culturais e religiosas. todo Lugar http://goo.gl/x8l 3Q A16 18 Comunidade dos Arturos Vídeo instrutivo constituído de fotos e imagens da Comunidade dos Arturo e suas manifestações culturais e religiosas. todo Lugar http://goo.gl/x8l 3Q A16 19 Arthur Camilo Silvério Vídeo produzido a partir de fotografias com as músicas tocadas e cantadas nas festividades e celebrações da comunidade. todo Mestre http://goo.gl/AF Aa0 A16 20 Festa do Reinadinho Vídeo produzido a partir de fotografias com as músicas tocadas e cantadas nas festividades e celebrações da comunidade. todo Celebração http://goo.gl/AF Aa0 A16 Festa do Rosário Vídeo produzido a partir de fotografias com as músicas tocadas e cantadas nas festividades e celebrações da comunidade. todo Celebração http://goo.gl/AF Aa0 A16 Vídeo produzido a partir de fotografias com as músicas tocadas e cantadas nas festividades e celebrações da comunidade. todo Celebração http://goo.gl/AF Aa0 A16 Vídeo produzido a partir de fotografias com as músicas tocadas e cantadas nas festividades e celebrações da comunidade. todo Expressão http://goo.gl/AF Aa0 A16 21 22 23 Folia de Reis Guarda de Congo e Moçambique DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural A21 28 Quíron Bh Turismo. Quilombola dos Arthuros. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG. 2007. 5min.Formato digital. color. Som. Quíron Bh Turismo. Quilombola dos Arthuros. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG. 2007. 5min.Formato digital. color. Som. RIBEIRO, Antonio Mendes. Tambores de Minas. ContagemMG. 2007. 4’42’’. Formato digital. color. som. RIBEIRO, Antonio Mendes. Tambores de Minas. ContagemMG. 2007. 4’42’’. Formato digital. color. som. RIBEIRO, Antonio Mendes. Tambores de Minas. ContagemMG. 2007. 4’42’’. Formato digital. color. som. RIBEIRO, Antonio Mendes. Tambores de Minas. ContagemMG. 2007. 4’42’’. Formato digital. color. som. RIBEIRO, Antonio Mendes. Tambores de Minas. ContagemMG. 2007. 4’42’’. Formato digital. color. som. 16 Página Prefeitura Municipal de Contagem/Ministério da Cultura Acervo IEPHA: Pasta "Arturos" na caixa de mesmo nome.
  30. 30. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS todo Lugar http://goo.gl/AF Aa0 A16 Vídeo produzido a partir de fotografias com as músicas tocadas e cantadas nas festividades e celebrações da comunidade. todo Expressão http://goo.gl/AF Aa0 A16 25 Congado 26 Festa da Abolição Vídeo produzido a partir de fotografias com as músicas tocadas e cantadas nas festividades e celebrações da comunidade. todo Celebração http://goo.gl/AF Aa0 A16 27 Comunidade dos Arturos Documentário datado do ano de 2005 contendo dez minutos que retrata a Comunidade dos Arturos todo Lugar http://goo.gl/8w S82 A16 28 Jorge Antonio dos Santos Vídeo de um depoimento do membro dos Arturos Jorge Antônio dos Santos em um seminário realizado pelo Ministério da Cultura em 2009. todo Lugar http://goo.gl/Tl Akx A16 29 Comunidade dos Arturos O vídeo aborda a Comunidade dos Arturos como um todo, explicando a origem e mostrando as principais celebrações da comunidade. todo Lugar http://goo.gl/Br HX7 A16 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural 29 The Arturos (Os Arturos). Direção: Thereza Jessouroun. Produção: Kinofilmes. Cor; 5'21"; 24 Vídeo produzido a partir de fotografias com as músicas tocadas e cantadas nas festividades e celebrações da comunidade. Comunidade dos Arturos Página RIBEIRO, Antonio Mendes. Tambores de Minas. ContagemMG. 2007. 4’42’’. Formato digital. color. som. RIBEIRO, Antonio Mendes. Tambores de Minas. ContagemMG. 2007. 4’42’’. Formato digital. color. som. RIBEIRO, Antonio Mendes. Tambores de Minas. ContagemMG. 2007. 4’42’’. Formato digital. color. som. RODRIGUES,A. G. ; VALGAS, R.; CRISTINA,Talita. Arturos Dois Olhares. Direção e Produção de Ana Angélica Rodrigues, Raquel Valgas e Alita Cristina. ContagemMG. 2010. 10min. Formato digital. color. som. Secretaria da Diversidade e Identidade Cultural-MINC. Jorge Antonio dos Santos- Membro da Comunidade dos Arturos conta a sua história. Seminário da Diversidade Cultural, São PauloSP.2009.28min.Formato digital. Cor. som
  31. 31. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Comunidade dos Arturos 31 Comunidade dos Arturos Vídeo produzido no dia 13/05/2012, durante as celebrações festivas na Comunidade dos Arturos. todo Lugar http://goo.gl/HG qQd A16 32 Comunidade dos Arturos Vídeo produzido no dia 13/05/2012, durante as celebrações festivas na Comunidade dos Arturos. todo Celebração http://goo.gl/HG qQd A16 33 Comunidade dos Arturos Vídeo que aborda a dança da Guarda Catopê de pandeiros, da Comunidade dos Arturos. todo Expressão http://goo.gl/sjS kp A16 todo Celebração http://goo.gl/Br HX7 A16 30 Vídeo amador. Comunidade dos Arturos - Contagem- 13/05/2012. [Filme-vídeo].Comunidade dos Arturos,Contagemmg,2012.12’55’’.Formato digital. color. som. Vídeo amador. Comunidade dos Arturos - Contagem- 13/05/2012. [Filme-vídeo].Comunidade dos Arturos,Contagemmg,2012.12’55’’.Formato digital. color. som. Vídeo amador. Comunidade dos Arturos – Guarda Catopé de Pandeiros em Contagem. Comunidade dos Arturos, Contagem-MG.2011.2’24’’.Formato digital. color. som. 30 O vídeo aborda a Comunidade dos Arturos como um todo, explicando a origem e mostrando as principais celebrações da comunidade. Página The Arturos (Os Arturos). Direção: Thereza Jessouroun. Produção: Kinofilmes. Cor; 5'21"; DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  32. 32. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Fotos e Artes Visuais 1 Identificação Comunidade dos Arturos Descrição Assunto Bem Cultural Um dos seis notáveis catálogos em fólio publicados para a exposição temática do título (v.), contendo imagens dos "Arturos", descendentes de uma família da antiga comunidade negra mineira, imagens que não se apresentam abstratas mas em interessantes planos sob ângulos pouco comuns. Todo Lugar Onde encontrar Acervo A17 31 NEVES, Eustáquio. Arte e religiosidade no Brasil: heranças africanas: Eustáquio Neves Arturos - fotografias. Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1997 Item Página Referência, Título ou Localizador DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  33. 33. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Gravação Sonora Referência, Título ou Localizador Item Identificação Descrição Assunto Bem Cultural Onde encontrar Acervo 1 Moçambique Gravação com 03'29" feito com o Maçambique Mirim dos Arturos saudando o Reinado de Nossa Senhora do Rosário. Faixa 15 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 2 Reinado 03'14" Faixa 22 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 3 Comunidade dos Arturos Gravação com 01'40" fita pelo congado com o agradecimento a mesa. Faixa 16 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 CD duplo que acompanha o livro Cantando e Reinando com os Arturos. O CD 01 tem 22 faixas e o CD 02 com 30 faixas todas cantadas por membros da comunidade e com temas de sua vivencia. Todo Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 Congo das crianças. In. Congado Mineiro. São Paulo: Itaú Cultural: [2002]. Vol. 1. CD (58 min.): Faixa 23. Itaú Cultural. Documentos Sonoros Brasileiros. Acervo Cachuera. 5 Faixa 23 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 4 Congado Página Congado 32 Cantando e Reinando com os Arturos. CD 01 e 02; Comunidade Negra dos Arturos; Coord. Glaura Lucas e José Bonifácio da Luz. Cantando e Reinando com os Arturos. CD 01 e 02; Comunidade Negra dos Arturos; Coord. Glaura Lucas e José Bonifácio da Luz. Cantando e Reinando com os Arturos. CD 01 e 02; Comunidade Negra dos Arturos; Coord. Glaura Lucas e José Bonifácio da Luz. Cantando e Reinando com os Arturos. CD 01 e 02; Comunidade Negra dos Arturos; Coord. Glaura Lucas e José Bonifácio da Luz. DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  34. 34. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Congo 00'48'' Faixa 07 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 7 Candombe 00'48'' Faixa 07 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 8 Moçambique 00'48'' Faixa 07 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 9 Congo 01'21'' Faixa 06 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 10 Moçambique 01' 29'' Faixa 04 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 11 Congo 2' 14 '' Faixa 03 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 12 Moçambique 2' 14 '' Faixa 03 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural 33 6 Página Diferença entre Candombe, Congo e Moçambique. Oficina "Os sons do Rosário"00'48'', cd 01. In: Músicas africanas e indígenas no Brasil. Editora UFMG 2006 Diferença entre Candombe, Congo e Moçambique. Oficina "Os sons do Rosário"00'48'', cd 01. In: Músicas africanas e indígenas no Brasil. Editora UFMG 2006 Diferença entre Candombe, Congo e Moçambique. Oficina "Os sons do Rosário"00'48'', cd 01. In: Músicas africanas e indígenas no Brasil. Editora UFMG 2006 Exemplo de Congo. Oficina "Os sons do Rosário". 01'21'' cd 01 In: Músicas africanas e indígenas no Brasil. Editora UFMG, 2006. Exemplo de Moçambique. Oficina "Os sons do Rosário", 01'29'' cd 1. In: Músicas africanas e indígenas no Brasil. Editora UFMG, 2006 Explicações sobre Congo e Moçambique. Oficina "Os sons do Rosário", 2' 14'', cd 1. In. Músicas africanas e indígenas no Brasil. Editora UFMG, 2006. Explicações sobre Congo e Moçambique. Oficina "Os sons do Rosário", 2' 14'', cd 1. In. Músicas africanas e indígenas no Brasil.
  35. 35. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Moçambique 04'23'' Faixa 05 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 14 Candombe 52' Faixa 14 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 34 13 Página Editora UFMG, 2006. Explicações sobre músicas do Reinado e exemplos das diferenças entre o ritmo do Dobrado antigo e o atual. Oficina "Os sons do Rosário". 4'23'', cd 01. In: Músicas africanas e indígenas no Brasil". Editora UFMG, 2006. Ponto pedindo excelência na cantoria, Faixa 14. In: Batuques do Sudeste. São Paulo: Itaú Cultural: [2002]. Vol. 2. CD (56 min.): Itaú Cultural. Documentos Sonoros Brasileiros. Acervo Cachuera. DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  36. 36. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Livros Atlas Escolar, Histórico, Geográfico e Cultural do Município de Contagem. Prefeitura Municipal de Contagem, 2010. 1 2 Identificação Descrição Comunidade dos Arturos O autor analisa o mito da democracia racial no Brasil pelo viés cultural abordando a diáspora africana nas diversas temáticas culturais. Cita a Comunidade dos Arturos pela abordagem do pesquisador Edimilson Pereira. Comunidade dos Arturos Assunto A publicação tem por objetivo constituir-se num recurso para educadores e educandos conhecerem e trabalharem com a história de Contagem. O Capítulo V trata do Patrimônio Cultural da cidade e no texto Contagem: Negras Raízes é feita referência aos Arturos. Atlas Escolar, Histórico, Geográfico e Cultural do Município de Contagem. Prefeitura Municipal de Contagem, 2011. 3 Comunidade dos Arturos Atlas Escolar, Histórico, Geográfico e Cultural do Município de Contagem. Prefeitura Municipal de 4 Congado Páginas 331, 332, 334, 393, 403, 407, 408. A publicação tem por objetivo constituir-se num recurso para educadores e educandos conhecerem e trabalharem com a história de Páginas Contagem. O Capítulo V trata do Patrimônio 73,74. Cultural da cidade e no texto Contagem: Negras Raízes é feita referência aos Arturos. A publicação tem por objetivo constituir-se num recurso para educadores e educandos conhecerem e trabalharem com a DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Bem Cultural Onde encontrar Acervo Lugar ISBN 978158046 2624 158046262 6 A1 Lugar Casa da Cultura. A7 Lugar Casa da Cultura. A7 Expressão Casa da Cultura. A7 35 AFOLABI, Niyi. Afro-Brazilians: Cultural Production in a Racial Democracy. Rochester Studies in African History and the Diaspora. Rochester, NY: University of Rochester Press, 2009. Item Página Referência, Título ou Localizador
  37. 37. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS 5 Congado CAMPOS, Adalgisa; ANASTASIA, Carla Junho. Contagem: “Origens”. Belo Horizonte: Mazza, 1991. 150p. 6 Comunidade dos Arturos CAMPOS, Adalgisa; ANASTASIA, Carla Junho. Contagem: “Origens”. Belo Horizonte: Mazza, 1991. 150p. 7 Congado CAMPOS, Adalgisa; ANASTASIA, Carla Junho. Contagem: “Origens”. Belo Horizonte: Mazza, 1991. 150p. 8 Irmandade do Rosário DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Expressão Casa da Cultura. A7 Lugar Casa da Cultura. A7 Expressão Casa da Cultura. A7 Lugar Casa da Cultura. A7 36 Atlas Escolar, Histórico, Geográfico e Cultural do Município de Contagem. Prefeitura Municipal de Contagem, 2011. história de Contagem. O Capítulo V trata do Patrimônio Cultural da cidade e no texto Contagem: Negras Raízes é feita referência aos Arturos. A publicação tem por objetivo constituir-se num recurso para educadores e educandos conhecerem e trabalharem com a história de Páginas Contagem. O Capítulo V trata do Patrimônio 73,74. Cultural da cidade e no texto Contagem: Negras Raízes é feita referência aos Arturos. Capela de Nossa O livro trata da história de Contagem. No Senhora do capítulo II, intitulado Cultura Material as Rosário autoras falam sobre a Capela de Nossa Páginas: 59Senhora do Rosário. No capítulo IV, intitulado 63. Arturos – Vida e morte em São Gonçalo da Contagem, Páginas: 120há um subitem chamado A Sociedade, os N 121. Foto – Página: 150. Capela de Nossa O livro trata da história de Contagem. No Senhora do capítulo II, intitulado Cultura Material as Rosário autoras falam sobre a Capela de Nossa Páginas: 59Senhora do Rosário. No capítulo IV, intitulado 63. Arturos – Vida e morte em São Gonçalo da Contagem, Páginas: 120há um subitem chamado A Sociedade, os N 121. Foto – Página: 150. O livro trata da história de Contagem. No Capela de capítulo II, intitulado Cultura Material as Nossa autoras falam sobre a Capela de Nossa Senhora do Senhora do Rosário. No capítulo IV, intitulado Rosário - Página Contagem, 2010.
  38. 38. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Missa Conga CAMPOS, Adalgisa; ANASTASIA, Carla Junho. Contagem: “Origens”. Belo Horizonte: Mazza, 1991. 150p. 10 Capela de Nossa Senhora do Rosário CARAMELLA Elaine; NAKAGAWA Fábio Sadao; KUTSCHAT Daniela; FOGlIANO Fernando. Mídias Multiplicação e Convergências. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2009. 11 Congado Celebração Casa da Cultura. A7 Arquitetura Casa da Cultura. A7 http://goo. gl/QWx1g A1 Expressão 37 9 Página CAMPOS, Adalgisa; ANASTASIA, Carla Junho. Contagem: “Origens”. Belo Horizonte: Mazza, 1991. 150p. Vida e morte em São Gonçalo da Contagem, Páginas: 59há um subitem chamado A Sociedade, os N 63. Arturos – Páginas: 120121. Foto – Página: 150. Capela de Nossa O livro trata da história de Contagem. No Senhora do capítulo II, intitulado Cultura Material as Rosário autoras falam sobre a Capela de Nossa Páginas: 59Senhora do Rosário. No capítulo IV, intitulado 63. Arturos – Vida e morte em São Gonçalo da Contagem, Páginas: 120há um subitem chamado A Sociedade, os N 121. Foto – Página: 150. Capela de Nossa O livro trata da história de Contagem. No Senhora do capítulo II, intitulado Cultura Material as Rosário autoras falam sobre a Capela de Nossa Páginas: 59Senhora do Rosário. No capítulo IV, intitulado 63. Arturos – Vida e morte em São Gonçalo da Contagem, Páginas: 120há um subitem chamado A Sociedade, os N 121. Foto – Página: 150. "Apropriações, entretenimentos, tradições" a autora Adriana Vaz Ramos participa com o Parte 4 do texto Da festa ao Teatro: as tradições do auto livro Página das congadas e suas caracterizações visuais, 703 retratando a realidade do congo e suas caracterizações na Comunidade dos Arturos. DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  39. 39. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS FONSECA, Geraldo. Contagem perante a história. Contagem: Prefeitura Municipal de Contagem, 1978. 512p. 13 14 15 Comunidade dos Arturos Livro cita as imagens de Eustáquio Neves. The Página 131. Arturos Community Congado Traz a letra de algumas características dos Arturos. Comunidade dos Arturos Irmandade do Rosário canções O livro pretende contribuir para o aprofundamento da discussão dos processos de invisibilidade das diferenças produzidos pela sociedade brasileira, quando, de alguma forma, procura apaziguar os conflitos étnicoraciais para fortalecer-se enquanto totalidade harmônica e integrada. Revigorada por um conjunto de visões e pontos de vista voltados para a questão racial brasileira, a publicação insiste sobre os modos como a população de descendentes de escravos, os afrodescendentes, pode ser percebida, mesmo quando é defendida a imagem da mistura racial e estampada a cara de país mestiço que o Brasil não pode mesmo esconder. Sobre os Arturos. O livro trata sobre a história de Contagem. Na unidade 4 intitulada Religião, o autor fala sobre a demolição da Igreja do Rosário de Contagem e a Irmandade do Rosário, incluindo cópia do Compromisso da Irmandade. Fala sobre os Arturos no subitem Centro Comunitário dos Arturos da mesma unidade, cita ainda a posse de Arthur Camilo DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Lugar Página 308 Expressão Páginas 46, 53, 57 Lugar Irmandade do Rosário Páginas: 98115. Arturos – Páginas: 123125. Agente A1 http://goo. gl/JR25w http://goo. gl/gdmRx Casa da Cultura. A1 A1 A7 38 FONSECA, Maria Nazaré Soares. Brasil afro-brasileiro. Autêntica, 2000. 12 Página CARVALHO, Maria Luiza, Novas travessias: Contemporary Brazilian Photography, editora Verso, London, NY, 1996. p.191 CHAVES, Rita; SECCO, Carmem; MACÊDO, Tânia. Brasil /África: como se o mar fosse bonito. São Paulo: Editora UNESP, 2006
  40. 40. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS no posto de Capitão Colado do Congado, em 1955. Trata-se de uma obra analítica, etnográfica e informativa a respeito da Comunidade dos Toda obra Arturos como um todo. Lugar http://goo. gl/2Ag3q A1 17 Comunidade dos Arturos Trata-se de uma obra analítica, etnográfica e informativa a respeito da Comunidade dos Toda obra Arturos como um todo. Celebração http://goo. gl/2Ag3q A1 18 Comunidade dos Arturos Trata-se de uma obra analítica, etnográfica e informativa a respeito da Comunidade dos Toda obra Arturos como um todo. Mestre http://goo. gl/2Ag3q A1 19 Comunidade dos Arturos Trata-se de uma obra analítica, etnográfica e informativa a respeito da Comunidade dos Toda obra Arturos como um todo. Saber http://goo. gl/2Ag3q A1 20 Comunidade dos Arturos Trata-se de uma obra analítica, etnográfica e informativa a respeito da Comunidade dos Toda obra Arturos como um todo. Expressão http://goo. gl/2Ag3q A1 21 Comunidade dos Arturos Álbum que mostra, através de imagens fotográficas, outra face do negro em Minas Toda obra Gerais. No mesmo momento em que Lugar http://goo. gl/KVo6G A1 e A7 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural 39 16 Comunidade dos Arturos Página GOMES, Núbia Pereira de M; Edimilson de Almeida Pereira. Negras raízes mineiras: Os Arturos. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2000. GOMES, Núbia Pereira de M; Edimilson de Almeida Pereira. Negras raízes mineiras: Os Arturos. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2000. GOMES, Núbia Pereira de M; Edimilson de Almeida Pereira. Negras raízes mineiras: Os Arturos. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2000. GOMES, Núbia Pereira de M; Edimilson de Almeida Pereira. Negras raízes mineiras: Os Arturos. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2000. GOMES, Núbia Pereira de M; Edimilson de Almeida Pereira. Negras raízes mineiras: Os Arturos. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2000. GOMES, Núbia Pereira de M; PEREIRA, Marcelo; PEREIRA, Edimilson de Almeida. Arturos:
  41. 41. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS olhos do Rosário. Belo Horizonte: Mazza, 1990. 345p 23 24 Folia de Reis Celebração A6 Bandeiras de São Benedito e Santa Cecília Cópia do excerto icnográfico que reúne 34 fotos do Candombe na Comunidade dos Arturos, sem especificação de datas. Reúne 5 todo fotos do Candombe da comunidade em 1991 e outras 11 fotos do Candombe de 1988. Expressão A1 Arthur Camilo Silvério Cópia do excerto icnográfico que reúne 34 fotos do Candombe na Comunidade dos Arturos, sem especificação de datas. Reúne 5 todo fotos do Candombe da comunidade em 1991 e outras 11 fotos do Candombe de 1988. Mestre A1 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural 40 GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religiosos no ritual de candombe [i.e candomblé]: excerto icnográfico. 1997. 359f (Minas & Mineiros; 6) GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religiosos no ritual de candombe 22 ACERVO: Pontifícia Universida de Católica de Minas Gerais Coração Eucarístico Página GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Do Presépio a balança: representações sociais da Horizonte: Mazza, 1995.451p. (Minas & Mineiros;5) resgatam o perfil do grupo dos Arturos, com a sua experiência histórica enriquecida pela religiosidade, em cujo exercício se revela estar o sagrado a serviço do homem, as imagens funcionam como um modo de resistência ao mundo imposto pelo escravismo do passado. Análise da Folia de Reis e discurso fúnebre. Uma análise que vincula a estrutura social que o gerou. Trata do confronto e da interrelação entre o mundo sagrado e o mundo secularizado. Dos temas abordados pela publicação, emergem perguntas como: Páginas 83 e Até que ponto os valores religiosos do 453. passado persistem, são reelaborados ou desaparecem? Qual significado social da vida religiosa das camadas populares? O livro traz ainda uma foto do Senhor Mario Braz da Cruz.
  42. 42. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS 26 27 28 Festa do Reinadinho Festa do Rosário Folia de Reis Guarda de Congo e Moçambique Celebração A1 Cópia do excerto icnográfico que reúne 34 fotos do Candombe na Comunidade dos Arturos, sem especificação de datas. Reúne 5 todo fotos do Candombe da comunidade em 1991 e outras 11 fotos do Candombe de 1988. Celebração A1 Cópia do excerto icnográfico que reúne 34 fotos do Candombe na Comunidade dos Arturos, sem especificação de datas. Reúne 5 todo fotos do Candombe da comunidade em 1991 e outras 11 fotos do Candombe de 1988. Celebração A1 Cópia do excerto icnográfico que reúne 34 fotos do Candombe na Comunidade dos todo Arturos, sem especificação de datas. Reúne 5 fotos do Candombe da comunidade em 1991 Expressão A1 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural 41 25 Cópia do excerto icnográfico que reúne 34 fotos do Candombe na Comunidade dos Arturos, sem especificação de datas. Reúne 5 todo fotos do Candombe da comunidade em 1991 e outras 11 fotos do Candombe de 1988. Página [i.e candomblé]: excerto icnográfico. 1997. 359f (Minas & Mineiros; 6) GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religiosos no ritual de candombe [i.e candomblé]: excerto icnográfico. 1997. 359f (Minas & Mineiros; 6) GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religiosos no ritual de candombe [i.e candomblé]: excerto icnográfico. 1997. 359f (Minas & Mineiros; 6) GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religiosos no ritual de candombe [i.e candomblé]: excerto icnográfico. 1997. 359f (Minas & Mineiros; 6) GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo
  43. 43. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS 29 30 31 Comunidade dos Arturos Cópia do excerto icnográfico que reúne 34 fotos do Candombe na Comunidade dos Arturos, sem especificação de datas. Reúne 5 todo fotos do Candombe da comunidade em 1991 e outras 11 fotos do Candombe de 1988. Lugar A1 Festa da Abolição Cópia do excerto icnográfico que reúne 34 fotos do Candombe na Comunidade dos Arturos, sem especificação de datas. Reúne 5 todo fotos do Candombe da comunidade em 1991 e outras 11 fotos do Candombe de 1988. Celebração A1 Comunidade dos Arturos O livro Negros do Rosário faz um estudo das estratégias de como os negros utilizaram e mantiveram uma identidade dentro das irmandades e da devoção a Nossa senhora do Rosário. A autora faz citação a Comunidade Paginas 150, dos Arturos, principalmente dos estudos de 159, 270, Glaura Lucas e Edimilson Pereira. No resumo 273, 281. em Ingles temos: Blacks of the Rosary tells the story of the Afro-Brazilian communities that developed within lay religious brotherhoods dedicated to Our Lady of the Rosary in Minas Gerais. It shows how these Lugar A1 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural 42 KIDDY, Elizabeth W. Blacks of the rosary: memory and history in Minas Gerais, Brazil. University Park: Penn State University Press, 2005. e outras 11 fotos do Candombe de 1988. Página religiosos no ritual de candombe [i.e candomblé]: excerto icnográfico. 1997. 359f (Minas & Mineiros; 6) GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religiosos no ritual de candombe [i.e candomblé]: excerto icnográfico. 1997. 359f (Minas & Mineiros; 6) GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edmilson de Almeida. Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religiosos no ritual de candombe [i.e candomblé]: excerto icnográfico. 1997. 359f (Minas & Mineiros; 6)
  44. 44. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS brotherhoods functioned as a social space in which Africans and their descendants could rebuild a communal identity based on a shared history of an African past and an ongoing devotional practice, thereby giving rise to enduring transnational cultures that have survived to the present day. In exploring this intersection of community, identity, and memory, the book probes the Portuguese and African contributions to the brotherhoods in Part One. Part Two traces the changes and continuities within the organizations from the early eighteenth century to the end of the Brazilian Empire, and the book concludes in Part Three with discussion of the twentieth-century brotherhoods and narratives of the participants in brotherhood festivals in the 1990s. 33 Jongo Trata-se de um livro de registro das canções e Jongos brasileiros gravados em 1949 pelo Pagina 28 historiador norte-americano Stanley J. Stein. Comunidade dos Arturos Livro trata das musicas africanas e indígenas no Brasil e é resultado de uma oficina dos Sons do Rosário. O texto de Glaura Lucas traz uma reflexão sobre o Congado com citação dos Arturos. DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Páginas 82, 104, 106, 110, 111, 345, 352. Expressão http://goo. gl/QnFeT A1 Lugar http://goo. gl/AQvRy A1 43 32 Página LARA, Silvia Hunold; PACHECO, Gustavo. Memórias do Jongo: As gravações históricas de Stanley J. Stein, Vassouras, 1949. CECULT, 2007. LUCAS, Glaura. Diferentes perspectivas sobre o contexto e o Congado mineiro. In.: TUGNY, Rosângela Pereira; QUIROZ, Ruben Caixeta. Músicas Africanas e Indígenas no Brasil. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.
  45. 45. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS 35 36 Congado Festa do Rosário Comunidade dos Arturos Páginas 82, 104, 106, 110, 111, 345, 352. Expressão http://goo. gl/AQvRy A1 Trata-se de um registro das canções executadas pelos Arturos em suas ocasiões Toda obra de festividades à Nossa Senhora do Rosário. Celebração Acervo IEPHA - GPI A7 e A21 Este livro é a reprodução com modificações, da dissertação de Mestrado Os sons do rosário - um estudo etnomusicológico do congado - Arturos e Jatobá apresentada em abril de 1999 do Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Os rituais do Reinado de Nossa Senhora do Rosário se cumprem pela música, cuja força emana dos sons dos instrumentos sagrados, Toda obra dinamizando os textos cantados e os gestos do corpo, num ato único de oração. Esta obra faz uma análise do Congado das Irmandades de Contagem (Arturos) e do Jatobá a partir de sua paisagem sonora e musical, com ênfase na linguagem rítmica dos instrumentos sagrados, por ser essa referência musical que mais identifica cada grupo - o Congo, Moçambique e o Candombé. Lugar Acervo IEPHA - GPI A21 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural 44 LUCAS, Glaura. Os Sons do Rosário: o congado mineiro dos Arturos e Jatobá. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002 34 Livro trata das musicas africanas e indígenas no Brasil e é resultado de uma oficina dos Sons do Rosário. O texto de Glaura Lucas traz uma reflexão sobre o Congado com citação dos Arturos. Página LUCAS, Glaura. Diferentes perspectivas sobre o contexto e o Congado mineiro. In.: TUGNY, Rosângela Pereira; QUIROZ, Ruben Caixeta. Músicas Africanas e Indígenas no Brasil. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006. LUCAS, Glaura; LUZ, José Bonifácio da. Cantando e Reinando com os Arturos. Belo Horizonte: Ed. Rona, 2006.
  46. 46. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Festa do Rosário LUCAS, Glaura. Os Sons do Rosário: o congado mineiro dos Arturos e Jatobá. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002 38 Congo DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Celebração Acervo IEPHA - GPI A21 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 45 37 Página LUCAS, Glaura. Os Sons do Rosário: o congado mineiro dos Arturos e Jatobá. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002 Este livro é a reprodução com modificações, da dissertação de Mestrado Os sons do rosário - um estudo etnomusicológico do congado - Arturos e Jatobá apresentada em abril de 1999 do Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Os rituais do Reinado de Nossa Senhora do Rosário se cumprem pela música, cuja força emana dos sons dos instrumentos sagrados, Toda obra dinamizando os textos cantados e os gestos do corpo, num ato único de oração. Esta obra faz uma análise do Congado das Irmandades de Contagem (Arturos) e do Jatobá a partir de sua paisagem sonora e musical, com ênfase na linguagem rítmica dos instrumentos sagrados, por ser essa referência musical que mais identifica cada grupo - o Congo, Moçambique e o Candombé. Este livro é a reprodução com modificações, da dissertação de Mestrado Os sons do rosário - um estudo etnomusicológico do congado - Arturos e Jatobá apresentada em abril de 1999 do Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Toda obra Universidade de São Paulo. Os rituais do Reinado de Nossa Senhora do Rosário se cumprem pela música, cuja força emana dos sons dos instrumentos sagrados, dinamizando os textos cantados e os gestos do corpo, num ato único de oração. Esta obra
  47. 47. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Moçambique LUCAS, Glaura. Os Sons do Rosário: o congado mineiro dos Arturos e Jatobá. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002 40 Candombe DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 Expressão Acervo IEPHA - GPI A21 46 39 Página LUCAS, Glaura. Os Sons do Rosário: o congado mineiro dos Arturos e Jatobá. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002 faz uma análise do Congado das Irmandades de Contagem (Arturos) e do Jatobá a partir de sua paisagem sonora e musical, com ênfase na linguagem rítmica dos instrumentos sagrados, por ser essa referência musical que mais identifica cada grupo - o Congo, Moçambique e o Candombé. Este livro é a reprodução com modificações, da dissertação de Mestrado Os sons do rosário - um estudo etnomusicológico do congado - Arturos e Jatobá apresentada em abril de 1999 do Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Os rituais do Reinado de Nossa Senhora do Rosário se cumprem pela música, cuja força emana dos sons dos instrumentos sagrados, Toda obra dinamizando os textos cantados e os gestos do corpo, num ato único de oração. Esta obra faz uma análise do Congado das Irmandades de Contagem (Arturos) e do Jatobá a partir de sua paisagem sonora e musical, com ênfase na linguagem rítmica dos instrumentos sagrados, por ser essa referência musical que mais identifica cada grupo - o Congo, Moçambique e o Candombé. Este livro é a reprodução com modificações, da dissertação de Mestrado Os sons do Toda obra rosário - um estudo etnomusicológico do congado - Arturos e Jatobá apresentada em
  48. 48. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS abril de 1999 do Departamento de Música da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Os rituais do Reinado de Nossa Senhora do Rosário se cumprem pela música, cuja força emana dos sons dos instrumentos sagrados, dinamizando os textos cantados e os gestos do corpo, num ato único de oração. Esta obra faz uma análise do Congado das Irmandades de Contagem (Arturos) e do Jatobá a partir de sua paisagem sonora e musical, com ênfase na linguagem rítmica dos instrumentos sagrados, por ser essa referência musical que mais identifica cada grupo - o Congo, Moçambique e o Candombé. Comunidade dos Arturos 42 Candombe Benzeção 43 todo Lugar A1 Texto analítico sobre o ritual do candombe e Paginas 90, sua trajetória no Brasil. Os arturos são 105, 336 citados em algumas passagens. Celebração A1 Os autores pesquisaram a prática da benzeção, em 198 municípios do Estado, no Pagina 133 que se refere aos seus ensalmos e a relação entre o benzedor, seus gestos e palavras Expressão DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Acervo Particular Leonardo 47 41 A1 Página PEREIRA, E. A. . Malungos na escola: questões sobre culturas afrodescendentes e educação. 1. ed. São Paulo: Paulinas, 2007. v. 1. 312p . PEREIRA, E. A. . Os tambores estão frios: herança cultural e sincretismo religioso no ritual de Candombe. 1. ed. Belo Horizonte/ Juiz de Fora: Mazza Edições e Funalfa Edições, 2005. v. 1000. 624 p. PEREIRA, E. A. ; Gomes, Núbia Pereira de Magalhães . Assim se benze em Minas Gerais: notas sobre a cura através da palavra.
  49. 49. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS PEREIRA, E. A. ; Gomes, Núbia Pereira de Magalhães . Ouro Preto da Palavra: narrativas de preceito do Congado em Minas Gerais. 1. ed. Belo Horizonte: Mazza Edições e Editora PU-MG, 2003. v. 1000. 128p . PEREIRA, E. A. ; GOMES, Núbia Pereira de Magalhães. No mar com os devotos: o Congado e Candombe como pontes culturais entre Brasil e África. In: Rita Chaves; Carmen Tindó Secco; Tânica Macedo. (Org.). Brasil/ África: como se o mar fosse mentira. 1ed.Maputo: Imprensa Universitária Universidade Eduardo Mondlane, 2003, v. 1, p. 44 Comunidade dos Arturos 45 Comunidade dos Arturos 46 Comunidade dos Arturos todo Texto apresenta o candombe e o congado como elementos de ligação entre África e Paginas 307 e Brasil cita os estudos realizados na 308. Comunidade dos Arturos. Lugar Acervo Particular Leonardo A1 Lugar A1 Lugar A1 Página PEREIRA, E. A. ; Gomes, Núbia Pereira de Magalhães . Assim se benze em Minas Gerais: notas sobre a cura através da palavra. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2004. v. 1000. 392p . sagradas, o benzido e o Divino. A comunidade dos Arturos é citada para exemplificar a relação entre liderança religiosa e a liderança em outros setores da comunidade. Os autores pesquisaram a prática da benzeção, em 198 municípios do Estado, no que se refere aos seus ensalmos e a relação entre o benzedor, seus gestos e palavras sagradas, o benzido e o Divino. A Pagina 133 comunidade dos Arturos é citada para exemplificar a relação entre liderança religiosa e a liderança em outros setores da comunidade. 48 Belo Horizonte: Mazza Edições, 2004. v. 1000. 392p . DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  50. 50. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS 299-327. Candombe 48 Comunidade dos Arturos A memória popular e as suas transformações Páginas: 53, : América Latina y/e países luso africanos. 56, 61 Candombe O livro tem como objetivo oferecer subsídios aos educadores na implementação da Lei nº 10.639 que torna obrigatório o ensino sobre história e cultura afro-brasileira nas escolas. o cap t lo “ d cação na pr tica rit al do on ado” analisa as pr ticas do andom e 49 DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Páginas 86, 97,103, 104, 105, 106, 107. Celebração A1 Lugar http://goo. gl/9tQuf A1 Celebração Casa da Cultura. Gaveta Arturos – Pasta Referências A7 49 PEREIRA, Edmilson de Almeida. Malungos na escola: questões sobre culturas afrodescendentes e educação. São Paulo: Paulinas, 2007. 47 Texto apresenta o candombe e o congado como elementos de ligação entre África e Paginas 307 e Brasil cita os estudos realizados na 308. Comunidade dos Arturos. Página PEREIRA, E. A. ; GOMES, Núbia Pereira de Magalhães. No mar com os devotos: o Congado e Candombe como pontes culturais entre Brasil e África. In: Rita Chaves; Carmen Tindó Secco; Tânica Macedo. (Org.). Brasil/ África: como se o mar fosse mentira. 1ed.Maputo: Imprensa Universitária Universidade Eduardo Mondlane, 2003, v. 1, p. 299-327. PEREIRA, Edimilson de A. e GOMES, Núbia Pereira. Janelas em movimento: cultura popular e processos de transformação. In: LIENHARD, Martín (coord.). La memória popular y sus transformaciones: América Latina y países luso-africanos. Frankfurt:Vervuert; Madrid: Iberoamericana. 2000, p. 53-64.
  51. 51. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS PEREIRA, Edmilson de Almeida. Malungos na escola: questões sobre culturas afrodescendentes e educação. São Paulo: Paulinas, 2007. PEREIRA, Edmilson de Almeida; GOMES, Núbia Pereira de Magalhães. Ouro Preto da palavra: narrativas de preceito do Gerais. Belo Horizonte: Ed. PUC Minas,2003. 127p. 50 51 52 Páginas 86, 97,103, 104, 105, 106, 107. Mestre Congado O livro tem como objetivo oferecer subsídios aos educadores na implementação da Lei nº 10.639 que torna obrigatório o ensino sobre história e cultura afro-brasileira nas escolas. o cap t lo “ d cação na pr tica rit al do on ado” analisa as pr ticas do andom e Geraldo Arthur Camilo (Rei Congo dos Arturos e de Minas Gerais - falecido). Páginas 86, 97,103, 104, 105, 106, 107. Expressão Congado Reúne narrativas que transitam na fronteira entre a mitologia e historiografia, mostrando experiências que, embora vivenciadas em Páginas. Minas, sugerem a possibilidade de serem 13,20,44,45,4 compreendidas como experiências 8,116 e 117. fundamentais do ser humano situado em diferentes épocas e locais. Geraldo Arthur Camilo DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural Expressão A7 A7 A6 50 PEREIRA, Edmilson de Almeida. Malungos na escola: questões sobre culturas afrodescendentes e educação. São Paulo: Paulinas, 2007. O livro tem como objetivo oferecer subsídios aos educadores na implementação da Lei nº 10.639 que torna obrigatório o ensino sobre história e cultura afro-brasileira nas escolas. o cap t lo “ d cação na pr tica rit al do on ado” analisa as práticas do Candombe Geraldo Arthur Camilo (Rei Congo dos Arturos e de Minas Gerais - falecido). Bibliográfic as Arturos. (Cópia xerox). Casa da Cultura. Gaveta Arturos – Pasta Referências Bibliográfic as Arturos. (Cópia xerox). Casa da Cultura. Gaveta Arturos – Pasta Referências Bibliográfic as Arturos. (Cópia xerox). ACERVO: Pontifícia Universida de Católica de Minas Gerais Coração Eucarístico Página Geraldo Arthur Camilo (Rei Congo dos Arturos e de Minas Gerais - falecido).
  52. 52. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS A Autora narra o processo de construção de Páginas 30, sua metodologia que tem a Comunidade dos 129 e 130 Arturos como fonte de pesquisa. Celebração A1 54 Comunidade dos Arturos Obra de referência sobre a temática do Congado e da devoção a Nossa Senhora do p. 362 e 375 Rosário a autora faz 02 referencias a Comunidade dos Arturos no livro. Lugar A1 55 Comunidade dos Arturos Erico Stickel, nessa obra, cita a exposição de Eustáquio Neves que tem como tema a p. 433 Comunidade dos Arturos. Lugar A1 51 53 Festa João do Mato Página RODRIGUES, Graziela. Bailarino pesquisador - intérprete: Processo de formação. Rio de Janeiro: Funarte, 1997. SOUZA, Marina de Mello e. Reis negros no Brasil escravista: história de coroação de Rei Congo. Belo Horizonte. Editora UFMG, 2002. STIKEL. Erico João Siriuba. Uma pequena biblioteca particular: subsídios para o estudo da iconografia no Brasil. São Paulo: EDUSP, 2004. 731 p. DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
  53. 53. INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM/MG INVENTÁRIO PARA FINS DE REGISTRO DA COMUNIDADE DOS ARTUROS Publicações Seriadas "Arturos comemoram abolição de escravatura". Jornal Perfil, ano XVII, Nº 527, Contagem, 29/04 a 05/05/2002. 01 02 Identificação Descrição Assunto Bem Cultural Comunidade dos Arturos Livreto infantil ilustrado sobre a história de Páginas: Contagem alguns personagens que 5,10,11,1 constituem importantes referências para a 4,15. cidade. Lugar Comunidade dos Arturos Fala sobre os festejos e comemoração dos 114 anos de Abolição da Escravatura do Foto, Brasil. Arturos é a única comunidade negra Texto de Minas localizada em área urbana. Lugar Onde encontrar Acervo IEPHA: caixa de referências bibliográficas dos Arturos - Pasta: "Textos - Arturos – Imaterial". Casa da Cultura. Acervo da Casa da Cultura Nair Mendes Moreira Museu Histórico de Contagem- CA 08Jornal 2002 Acervo A21 A7 52 ANDRADE, Noêmia Rosana de. Conhecendo Contagem com a Turma do Contagito. Contagem: Prefeitura Municipal de Contagem, 2006. 18p. Item Página Referência, Título ou Localizador DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM - FUNDAC Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural

×