UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - FUNDAÇÃO VANZOLINI CEGP T 54 - Simulação de Um Projeto 
04 – PLANO SUMÁRIO DE GERENCIAMENTO 
P...
04.Plano Sumário de Gerenciamento 
Emitido por: Nome do Arquivo: # da Revisão: Página: 
André Borges 04. Plano Sumário de ...
04.Plano Sumário de Gerenciamento 
Emitido por: Nome do Arquivo: # da Revisão: Página: 
André Borges 04. Plano Sumário de ...
04.Plano Sumário de Gerenciamento 
Emitido por: Nome do Arquivo: # da Revisão: Página: 
André Borges 04. Plano Sumário de ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

04. plano sumario de gerenciamento

737 visualizações

Publicada em

Plano sumario de gerenciamento

Publicada em: Alimentos
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
737
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
122
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

04. plano sumario de gerenciamento

  1. 1. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - FUNDAÇÃO VANZOLINI CEGP T 54 - Simulação de Um Projeto 04 – PLANO SUMÁRIO DE GERENCIAMENTO PROJETO LAR SÃO JOSÉ Alessandro Dias André Gustavo Carvalho Borges José Roberto Terada Júlio Achcar Luís Gustavo Campos Otto Engler Tamm de Lima Sílvia Martinuzzo São Paulo, 1° Semestre de 2014
  2. 2. 04.Plano Sumário de Gerenciamento Emitido por: Nome do Arquivo: # da Revisão: Página: André Borges 04. Plano Sumário de Gerenciamento 00 Página 2 de 4 1. INTRODUÇÃO I. Objetivo deste Plano de Gerenciamento O objetivo deste plano é alinhar todos os procedimentos, políticas e práticas vigentes na execução do Projeto Lar São José. Este projeto possui características especiais e específicas que devem ser observadas, pois é um projeto de caráter não lucrativo, com o intuito de ajudar uma instituição de caridade. Alguns procedimentos serão simplificados e desconsiderados no gerenciamento deste projeto, uma vez que o trabalho é menor e não exige formas competitivas usuais de mercado para sua execução. II. Sumário Executivo do Termo de Abertura O termo de abertura define o escopo e as limitações deste projeto, em acordo com os requisitos das partes interessadas. Está detalhado no documento integral, que pode ser visto em 02.Termo de Abertura.pdf. O termo de abertura define que o produto de nosso projeto é um folder tamanho A4, impresso em duas faces com uma campanha de sensibilização ampla, definida pela equipe na declaração de escopo. III. Restrições do Projeto e Premissas Algumas restrições são relevantes e merecem atenção; São elas: 1. O projeto deve proteger a integridade de todos durante o processo, da maneira mais respeitosa e ética possível; 2. Todo tipo de procedimento deve levar em conta que estamos tratando de um grupo de crianças que advém de uma camada mais vulnerável da sociedade e deve ser protegida de qualquer tipo de dano, de qualquer natureza; 3. Todo o projeto deve estar de acordo com as necessidades da parte interessada do Lar São José, o Sr. José, que deve ser atendido em todas suas exigências e é a prioridade absoluta deste projeto. 4. Todos os cuidados legais e jurídicos devem ser tomados ao longo da execução para proteger a instituição e a execução do projeto de quesitos legais próprios, como processos e suspensões jurídicas, pois se trata de representação de menores de idade, que estão subordinados às permissões e vontades de seus responsáveis legais. 2. GERENCIAMENTO DA INTEGRAÇÃO Não haverá documento próprio de integração: A equipe de projeto é pequena e o número de partes interessadas é reduzido. Desta maneira, é responsabilidade do gerente de projeto ser o papel de documentação viva, sempre observando as politicas e práticas deste plano de gerenciamento. 3. GERENCIAMENTO DO ESCOPO O escopo será gerenciado de maneira fluida, através dos documentos; 1. Declaração de Escopo; 2. WBS
  3. 3. 04.Plano Sumário de Gerenciamento Emitido por: Nome do Arquivo: # da Revisão: Página: André Borges 04. Plano Sumário de Gerenciamento 00 Página 3 de 4 Os requisitos gerais devem ser capturados pela declaração do escopo, mas entendemos que neste caso específico uma liberdade maior deve ser concedida ao executor da arte para que possa adaptar ás soluções de produção midiática sem muitas restrições (como formato de folha, gramatura de papel, acabamento, método de impressão, paleta de cores, etc.) I. Declaração do Escopo A declaração de escopo e regida pelo documento 05. Declaração de Escopo.pdf e deve ser assinada pela parte interessada do Lar São José para que o projeto possa ser desenvolvido. II. WBS A WBS é a base para o entendimento do projeto e deve ser usada como ferramenta de comunicação, não devendo, no entanto ser restritiva no processo criativo da produção de marketing, podendo ser flexibilizada desde que não acarrete custos adicionais. Seu documento é o 06. WBS.pdf III. Plano de Desdobramento Não haverá plano de desdobramento para as atividades deste projeto e de suas etapas por conta do tamanho reduzido do projeto. IV. Plano de Gerenciamento de Mudanças Não haverá plano de gerenciamento de mudanças para este projeto. É responsabilidade do gerente de projeto observar e manter a integridade do projeto e dialogar com a instituição para manter a integridade do projeto ao longo de sua execução. Não serão aceitas mudanças relativas ao orçamento e para toda variação de custos que exceda o original previsto, uma nova solução deve ser adotada pois não há tempo hábil nem fundo de contingência para este projeto. 4. GERENCIAMENTO DO CRONOGRAMA O cronograma deve ser gerenciado por marcos, e não por tarefas. Os marcos estão definidos dentro do termo de abertura e correspondem às etapas que devem ser atendidas dentro do prazo estipulado. O quadrimestre está instituído e de maneira fixa, sendo assim o cronograma deverá ser atendido e não serão aceitas variações dentro dos prazos. É responsabilidade do gerente de projeto observar o atendimento aos prazos e monitorar a equipe e suas atividades para manter o projeto dentro da linha de base original do cronograma, assim como convocar a equipe para traçar estratégias alternativas para o não atendimento dos marcos pré-estabelecidos. O arquivo para gerenciamento do cronograma é o 07.Cronograma do Projeto.pdf 5. GERENCIAMENTO DOS CUSTOS O gerenciamento dos custos será efetuado de maneira simplificada e deve obedecer a política existente no documento 08. Orçamento.pdf 6. GERENCIAMENTO DA QUALIDADE Os procedimentos de qualidade serão geridos pelo documento 09. Plano de Gerenciamento da Qualidade.pdf
  4. 4. 04.Plano Sumário de Gerenciamento Emitido por: Nome do Arquivo: # da Revisão: Página: André Borges 04. Plano Sumário de Gerenciamento 00 Página 4 de 4 7. GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES AS comunicações internas e externas ao projeto serão regidas pelo documento 10. Plano de Gerenciamento das Comunicações.pdf. 8. GERENCIAMENTO DOS RISCOS Os riscos serão tratados de maneira simplificada, através de sua avaliação qualitativa e serão monitorados durante o projeto, sem a execução formal de planos de contingência individuais. É responsabilidade de a equipe monitorar os riscos e seu surgimento durante o projeto. O documento que rege a observação e práticas referentes aos riscos é o 11. Plano de gerenciamento dos Riscos.pdf. 9. GERENCIAMENTO DE PENDÊNCIAS Não será utilizado um diário de pendências para este projeto. Todas as questões estarão centradas no gerente de projeto que manterá a equipe atualizada das informações. Ficará um dos membros da equipe responsável por ser o ponto focal junto ao cliente para todas as questões relativas ao projeto, permitindo a distribuição de tarefas de maneira mais equilibrada. 1. Diário De Projeto Não utilizaremos um diário de pendências para o projeto, dado o reduzido número de canais de comunicação existentes e simplicidade deste escopo. 10. GERENCIAMENTO DAS AQUISIÇÕES As aquisições serão geridas pelo documento 12. Plano de Gerenciamento das Aquisições.pdf 11. GERENCIAMENTO DAS PARTES INTERESSADAS As partes interessadas serão geridas pelo bom senso e pelo contato pessoal frequente. Neste projeto, o entendimento e engajamento à causa se sobrepõe ás formalidades e devem ser consideradas prioritárias. A satisfação do cliente não só é imperativa, mas é o requisito essencial do sucesso do projeto. Portanto, a única métrica deste projeto para o gerenciamento das partes interessadas é o feedback imediato em cada contato junto aos representantes do lar.

×