P R O F . L U I S F E L I P E C A V A L C A N T E
PROCESSO SELETIVO NAS
REDES SOCIAIS
PROF. LUIS FELIPE CAVALCANTE
• Formado em Administração e pós-graduado em Marketing.
• Sete anos de experiência na área de...
MERCADO DE TRABALHO
Todos os dias milhares de pessoas buscam espaço no mercado de
trabalho ao mesmo tempo em que inúmeras ...
RECRUTAMENTO
O recrutamento é uma prática usada para atrair candidatos a vagas
existentes ou potenciais. O recrutamento po...
RECRUTAMENTO
Você indicaria alguém para trabalhar na sua empresa?
SELEÇÃO
O processo seletivo é realizado por meio de instrumentos que variam
de acordo com a filosofia da empresa. Como exe...
SELEÇÃO
Na hora da contratação, de acordo com o Ricardo Bevilacqua, as
empresas costumam avaliar quatro pontos, principalm...
ETAPAS DO PROCESSO DE SELEÇÃO
1. Preenchimento do pedido de emprego
2. Entrevista Inicial no Departamento de RH
3. Teste d...
INTERNET E REDES SOCIAIS
Quando a Internet chegou, a rede tornou-se um meio preferencial
não só para informações e pesquis...
INTERNET E REDES SOCIAIS
No entanto, antes de conceber uma estratégia própria para o uso
dessas redes, é necessário separa...
NÚMEROS DAS REDES SOCIAIS
Recentemente, mais de 300 profissionais de contratação foram
entrevistados para determinar o qua...
NÚMEROS DAS REDES SOCIAIS
Além disso, cerca de 69% rejeita um candidato dependendo do
conteúdo do seu perfil. Os principai...
• É a única das grandes redes sociais voltada para o uso profissional. É
uma ferramenta muito valorizada pelos técnicos de...
• Visão corporativa: as empresas que pesquisam as redes sociais,
profundamente costumam avaliar em quais discussões o prof...
• Por ser a mais pessoal das três principais redes sociais do momento,
é o lugar certo para o utilizador mostrar outras fa...
• Visão corporativa: quando as empresas procuram por alguém no
Facebook, geralmente estão interessadas em traços da sua pe...
• Misto de rede profissional e pessoal. Permite ao profissional
partilhar dicas do seu dia-a-dia e de conteúdos que julga
...
• Visão corporativa: a empresa só levará em conta o Twitter do profissional
no seu processo de seleção se isso fizer parte...
CASES DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO
Pontofrio.com vai contratar novos
funcionários pelas redes sociais.
• A seleção será realizada para o cargo de analista de redes sociais. Os
candidatos devem ter conhecimento do catálogo de ...
CASES DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO
Trident escolhe
fã para viajar
com R$ 10 mil e
atualizar redes
sociais
• A Trident selecionará um consumidor para atualizar as redes sociais
da marca com experiências de diversão. O Profissiona...
PESSOAS QUE FORAM DEMITIDAS POR
CAUSA DO TWITTER
MAYARA PETRUSO
A estudante de Direito Mayara
Petruso, os comentários feitos por ela
em 2010, depois da vitória de Dilma
Ro...
CONNOR RILEY
O caso da americana de 22 anos ficou tão famoso que se tornou
sensação na internet em 2009. Connor havia rece...
CONCLUSÃO
Hoje em dia, as redes sociais são excelentes instrumentos para o
recrutador avaliar melhor o seu futuro funcioná...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Processo seletivo nas redes sociais

387 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
387
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processo seletivo nas redes sociais

  1. 1. P R O F . L U I S F E L I P E C A V A L C A N T E PROCESSO SELETIVO NAS REDES SOCIAIS
  2. 2. PROF. LUIS FELIPE CAVALCANTE • Formado em Administração e pós-graduado em Marketing. • Sete anos de experiência na área de propaganda e marketing. • Experiência de mais de 10 anos em Internet, incluindo desenvolvimento e consultoria. • Experiência em administração de empresas, incluindo Gestão de Pessoas.
  3. 3. MERCADO DE TRABALHO Todos os dias milhares de pessoas buscam espaço no mercado de trabalho ao mesmo tempo em que inúmeras organizações procuram profissionais que atendam às suas reais necessidades. Em plena época da Tecnologia da Informação, hoje quem é responsável pelo recrutamento e seleção conta com um aliado para agilizar o processo: as redes sociais.
  4. 4. RECRUTAMENTO O recrutamento é uma prática usada para atrair candidatos a vagas existentes ou potenciais. O recrutamento pode ser tanto de candidatos internos como externos à organização. Vários métodos são usados para recrutá-los: anúncios em mídia, informações em quadro de avisos ou em tabuletas na porta, agências de emprego, indicações e sites da internet especializados em oferta e procura de mão de obra.
  5. 5. RECRUTAMENTO Você indicaria alguém para trabalhar na sua empresa?
  6. 6. SELEÇÃO O processo seletivo é realizado por meio de instrumentos que variam de acordo com a filosofia da empresa. Como exemplos, podem ser citados: as entrevistas, a análise de currículo, os formulários de proposta de emprego, as busca de referências, as dinâmicas de grupo, os testes psicotécnicos, os testes de desempenho, dentre outros. Identificar as razões de escolher uma pessoa para trabalhar em uma determinada área implica conhecer qual a contribuição desse indivíduo para a organização e conhecer as possibilidades de sua participação em um processo de recrutamento e seleção. O grau de acerto na escolha dos candidatos pode ser aumentado através da análise da network dos candidatos em questão.
  7. 7. SELEÇÃO Na hora da contratação, de acordo com o Ricardo Bevilacqua, as empresas costumam avaliar quatro pontos, principalmente: • Experiências profissionais, • Qualificações, • Fluência em outros idiomas, e • Formação acadêmica. É necessário, ainda, que essas informações sejam apresentadas em um bom currículo, de forma clara em, no máximo, duas páginas. Mas não vale inventar informações para impressionar. “Mais de 45% dos contratantes partem do princípio que o candidato está aumentando ou mentindo nestes aspectos. Após a entrevista, a maioria busca referências ou questionam em detalhes as informações”, alerta o diretor.
  8. 8. ETAPAS DO PROCESSO DE SELEÇÃO 1. Preenchimento do pedido de emprego 2. Entrevista Inicial no Departamento de RH 3. Teste de admissão 4. Investigação da formação 5. Seleção preliminar no RH 6. Entrevista com o supervisor 7. Exame médico 8. Decisão de contratar Fonte: Bohlander, Snell & Shermam (2003, p. 104)
  9. 9. INTERNET E REDES SOCIAIS Quando a Internet chegou, a rede tornou-se um meio preferencial não só para informações e pesquisas, mas também para a busca do sonhado emprego. Através dela, os profissionais e aspirantes a empregados passaram a pesquisar empresas, a encontrar novos contatos e a testar formas cada vez mais personalizadas de abordar possíveis empregadores. Com as redes sociais, surgiu uma maneira ainda mais fácil de relacionar, descobrir vagas e conquistar contatos mais profundos nas empresas. As empresas e as agências já começam a encarar as redes sociais como poderosas ferramentas de recrutamento e seleção de profissionais.
  10. 10. INTERNET E REDES SOCIAIS No entanto, antes de conceber uma estratégia própria para o uso dessas redes, é necessário separar o trigo do joio. As redes sociais dividem-se por tipo e foco. Mas a atitude e o comportamento de cada indivíduo [tentando manter uma boa imagem online perante os empregadores] devem permear todos os meios. Além de realizar um planejamento e de incluir as redes sociais como estratégia para melhorar a posição na carreira, é recomendável respeitar as regras de ouro de manutenção da imagem online, como evitar abordar temas polêmicos e envolver-se em discussões que possam afetar a imagem do profissional ou enfrentar valores de empresas.
  11. 11. NÚMEROS DAS REDES SOCIAIS Recentemente, mais de 300 profissionais de contratação foram entrevistados para determinar o quanto e como recrutadores estão fazendo a triagem de seus candidatos a emprego em diferentes redes sociais. O que o estudo constatou foi que mais de 90% dos recrutadores e gerentes de contratação visitam o perfil dos candidatos como parte do processo de seleção. Durante o processo de contratação, as redes mais acessadas pelos recrutadores são o Facebook, com quase 80%, o Twitter (53%) e o LinkedIn, com 48% das pesquisas. As buscas pelos perfis nas redes sociais são feitas especialmente depois de receber um currículo.
  12. 12. NÚMEROS DAS REDES SOCIAIS Além disso, cerca de 69% rejeita um candidato dependendo do conteúdo do seu perfil. Os principais motivos que levam um recrutador a fazer isso são mentiras sobre as qualificações profissionais (13%), seguidas de falta de habilidade em se comunicar, posts com conteúdo negativo sobre os empregadores antigos, comentários inapropriados e fotos inapropriadas, todos empatados com 11%. Em compensação, 68% dos recrutadores que participaram do estudo afirmam contratarem candidatos com base no conteúdo visto nas redes sociais. O principal motivo para isso é a impressão positiva a respeito da personalidade e da boa organização. Fonte: Portal Universia
  13. 13. • É a única das grandes redes sociais voltada para o uso profissional. É uma ferramenta muito valorizada pelos técnicos de recursos humanos, além de permitir ao utilizador manter atualizado o networking virtual. • Como usar: deve ser atualizada com todas as informações profissionais possíveis, realizações relevantes e resultados alcançados, dando uma dimensão exata da experiência do candidato a emprego. Pode ser usada também como uma forma de pesquisar contatos, além de demonstrar que possui uma rede de pessoas ampla e abrangente, coerente com o próprio perfil profissional.
  14. 14. • Visão corporativa: as empresas que pesquisam as redes sociais, profundamente costumam avaliar em quais discussões o profissional se envolve e a qualidade da sua participação, de preferência em temas relevantes à vaga para a qual ele está se candidatando. Por isso, é importante manter uma atividade constante na rede, discutindo aspectos importantes do mercado em que atua. • Cuidados: muitos profissionais acham importante obter recomendações pessoais num campo do LinkedIn destinado a isso, mas os recrutadores não lhe dão tanta importância, por saberem que, em geral, ele está “viciado”, recheado de opiniões de pessoas que, na verdade, desenvolveram relações de amizade com o candidato nas empresas nas quais estiveram juntos.
  15. 15. • Por ser a mais pessoal das três principais redes sociais do momento, é o lugar certo para o utilizador mostrar outras faces da sua personalidade, como hobbies, gostos musicais, além de publicar atualizações de cultura geral, participar em movimentos sociais não relacionados com a atividade profissional e retomar contatos de todos os tipos. • Como usar: não há muitas regras para esta rede, mas se o objetivo for criar uma imagem profissional, vale a pena participar em páginas e comunidades que sejam relacionadas com o trabalho e integrar discussões aprofundadas sobre esses temas.
  16. 16. • Visão corporativa: quando as empresas procuram por alguém no Facebook, geralmente estão interessadas em traços da sua personalidade e se os valores pessoais do indivíduo estão de acordo com os da empresa. Cabe a cada utilizador refletir o que vale a pena deixar como informação pública. Também vale a pena lembrar que as opções de privacidade do Facebook permitem esconder todas as informações de quem não se é amigo na rede social. • Cuidados: uma simples diretriz pode evitar muitos problemas: jamais expressar na rede social aquilo que não seria expresso ao vivo, para pessoas em carne e osso. É também de evitar participar em páginas polémicas ou que possam prejudicar a sua imagem pessoal. E, assim como no LinkedIn, é necessário tomar cuidado para não publicar informações confidenciais da empresa.
  17. 17. • Misto de rede profissional e pessoal. Permite ao profissional partilhar dicas do seu dia-a-dia e de conteúdos que julga interessante, além de informar sobre a sua presença online com links para as suas atividades. Serve também para contatos rápidos, incluindo eventuais oportunidades de emprego. • Como usar: apesar de menos importante que o LinkedIn, o profissional que julgar a ferramenta como essencial para as suas pretensões pode apostar num cliente para o Twitter, no qual poderá registar pesquisas, fazer listas com os geradores de conteúdo mais interessantes e com perfis que divulgam oportunidades, procurando o máximo aproveitamento do seu potencial.
  18. 18. • Visão corporativa: a empresa só levará em conta o Twitter do profissional no seu processo de seleção se isso fizer parte da sua estratégia de recrutamento. Caso isso ocorra, terá em conta o número de seguidores, a rede que o profissional conseguiu criar, a qualidade e a relevância do conteúdo postado e a clareza com a qual as ideias são expostas. • Cuidados: o Twitter é um meio muito rápido para expressar e exibir opiniões. • E é por isso que ele é responsável por algumas das maiores gafes de empresas e profissionais, não são raros os casos de demissões que ocorreram por conta de frases totalmente inadequadas escritas “no calor do momento”. A recomendação mais importante é planejar um post no Twitter como se fosse enviar um e-mail, com revisão e após ter refletido sobre o seu conteúdo, principalmente quando o assunto em questão é polémico ou controverso.
  19. 19. CASES DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Pontofrio.com vai contratar novos funcionários pelas redes sociais.
  20. 20. • A seleção será realizada para o cargo de analista de redes sociais. Os candidatos devem ter conhecimento do catálogo de produtos da rede, além de experiência em redes sociais, blogs e ferramentas de gerenciamento de rede. Além disso, é necessário redação de bom nível e também estar cursando ou ser recém-formado em comunicação, jornalismo, publicidade, marketing ou rádio e TV. • “Já temos um trabalho bastante intenso de interagir com os clientes na rede social. Então, onde seria o melhor lugar para contratar um profissional de mídia social senão a própria rede social? Nada mais natural do que continuar esta relação com o público do que fazer este tipo de ação. Acreditamos que esta foi a melhor forma de buscar um profissional com as características necessárias para o cargo, que tivesse conhecimento e traquejo em redes sociais”, avaliou Vicente Rezende, diretor de marketing da Nova Pontocom, empresa responsável pelo site da companhia.
  21. 21. CASES DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Trident escolhe fã para viajar com R$ 10 mil e atualizar redes sociais
  22. 22. • A Trident selecionará um consumidor para atualizar as redes sociais da marca com experiências de diversão. O Profissional do Verão ganhará R$ 10 mil em um mês para ir a festas, viajar, visitar praias, conhecer pessoas e comidas típicas e relatar seu dia a dia por meio de posts no Facebook, Twitter e YouTube.
  23. 23. PESSOAS QUE FORAM DEMITIDAS POR CAUSA DO TWITTER
  24. 24. MAYARA PETRUSO A estudante de Direito Mayara Petruso, os comentários feitos por ela em 2010, depois da vitória de Dilma Rousseff, custaram caro. Mayara foi condenada, a um ano e cinco meses de prisão por crime de racismo depois de postar críticas a nordestinos (a quem ela atribuía a eleição da presidente Dilma). A pena da jovem foi convertida em prestação de serviços comunitários e multa de 500 reais justamente por conta da repercussão do caso. O caso repercutiu tão negativamente na vida da jovem que o escritório de advogados onde ela estagiava acabou desligando-a.
  25. 25. CONNOR RILEY O caso da americana de 22 anos ficou tão famoso que se tornou sensação na internet em 2009. Connor havia recebido uma proposta de emprego da Cisco, empresa de tecnologia, e não se conteve ao tuitar: “Cisco acabou de me oferecer um emprego! Agora eu tenho de pesar a utilidade de um cheque gordinho contra a viagem diária até São José e odiar o trabalho”. Um funcionário da Cisco viu o tweet, que era público, e respondeu para a Connor: “quem foi o gerente de contratação? Eu tenho certeza que ele adoraria saber que você vai odiar o trabalho. Nós aqui na Cisco sabemos mexer bem na internet”.
  26. 26. CONCLUSÃO Hoje em dia, as redes sociais são excelentes instrumentos para o recrutador avaliar melhor o seu futuro funcionário, conhecer o lado pessoal e avaliar suas atitudes. Vale a pena ressaltar que este processo não deve ser o único item a se levar em consideração, e sim mais uma ferramenta a favor tanto dos recrutadores como dos candidatos.

×