Custo de vida, inflação e indices de preços
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Custo de vida, inflação e indices de preços

on

  • 7,025 visualizações

 

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
7,025
Visualizações no SlideShare
7,025
Visualizações incorporadas
0

Actions

Curtidas
2
Downloads
105
Comentários
0

0 Incorporações 0

No embeds

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Custo de vida, inflação e indices de preços Custo de vida, inflação e indices de preços Presentation Transcript

  • CUSTO DE VIDA, INFLAÇÃO E ÍNDICE DE PREÇOS
  • OBJETIVO GERAL Apresentar os conceitos de custos de vida e inflação bem como suas formas de mensuração e a importância das medidas de inflação para correção de valores. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Apresentar os conceitos de custo de vida e inflação. Discutir a inflação e seus efeitos na economia. Apresentar e trabalhar a forma de calcular o custo de vida e o índice de preços ao consumidor. Identificar e treinar o uso de índices de inflação para correção de valores monetários.
  • CUSTO DE VIDA: IMPORTÂNCIA E PROPÓSITO Mensurar o custo de vida ao longo do tempo é importante para termos um ideia do “poder de compra” dos indivíduos. Ou seja, identificar se a capacidade das pessoas de adquirirem os bens que consomem aumentou ou diminuiu. Ficou mais “fácil” ou mais “difícil” adquirir estes bens. É uma informação relevante de identificação do bem- estar da população e fundamental para o planejamento do governo.
  • CUSTO DE VIDA: IMPORTÂNCIA E PROPÓSITO Com base na informação do custo de vida podemos identificar ainda se uma determinada renda ou salário tem maior ou menor poder de compra ao longo do tempo. Para mensurar este custo de vida foi criado um conjunto de indicadores chamados índices de preços. Sendo o mais famoso deles o índice de preços ao consumidor. Este indicador geralmente é calculado por institutos de pesquisa do governo, como é o caso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
  • MENSURANDO CUSTO DE VIDA (CV) Passo 1: O instituto de pesquisa do governo primeiro identifica o conjunto populacional “relevante” e aplica entre estes uma pesquisa de orçamento familiar (POF).  A pesquisa é realizada dentro de uma região geográfica definida, em uma periodicidade fixa, e para um conjunto de rendas representativo.  Esta pesquisa identifica quais produtos são consumidos pelos consumidores “típicos” e em que quantidade eles são consumidos.  O objetivo desta pesquisa é determinar uma cesta de bens e serviços que o consumidor típico consome. Pesquisa de Índice de Pesquisa de Orçamento Preços ao Preços Familiar Consumidor
  • MENSURANDO CUSTO DE VIDA (CV) Passo 2: Periodicamente no intervalo de tempo definido o instituto pesquisa o preço de cada um dos bem da cesta para definir quanto custa para adquiri-la.  A pesquisa periódica (ex: mensalmente) de preços é realizada em todos os estabelecimentos “relevantes” que vendem os produtos da cesta.  Os objetivos são identificar quanto custa para viver ou comprar a cesta do consumidor “típico” e quais os conjuntos de itens da cesta que representam maior ou menor parte deste custo de vida. Pesquisa de Índice de Pesquisa de Orçamento Preços ao Preços Familiar Consumidor
  • MENSURANDO CUSTO DE VIDA (CV) Passo 3: Periodicamente com base na pesquisa de preços podemos calcular o custo de vida dos consumidores típicos.  Com base no custo de vida podemos calcular um índice ou indicador do nível de preços.  Podemos ainda identificar quais componentes da cesta são mais representativos e quais apresentaram os maiores aumento de preços ao longo do tempo.  Ex: Identificar que o feijão foi o grande “vilão” da inflação em um período. Pesquisa de Pesquisa de Custo de Orçamento Preços Vida Familiar
  • ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR É um número calculado (normalmente de base 100) com base na POF e na contabilização periódica do custo de vida que indica a mudança de magnitude entre dois valores separados por um determinado período de tempo. O índice de preço ao consumidor indica as mudanças no custo de vida, quanto maior o índice mais as famílias têm que gastar para manter o mesmo padrão de vida. O objetivo desses índices é medir a mudança no custo de vida, em termos de um índice percentual.
  • CÁLCULO DO ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR(IPC) Com base no custo de vida calculado para cada ano podemos calcular o índice de preços ao consumidor. Primeiro, defini-se uma ano base com referencia para os preços pelos quais os outros anos serão comparados. Em seguida, calcule a mudança percentual de cada índice entre os períodos desejados com base no método de proporção (regra de três).
  • CÁLCULO DO ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR(IPC) IPC = (CVano atual/CVano base)x100 Exemplo:  Ano Base (1990)  Cesta em 1990: R$ 120.00  Cesta em 1991: R$ 123.60  Índice de Preço em 1990: 100 (ano base)  Índice de Preço em 1991: (123.60 ÷ 120.00) x 100 = 103  Os preços subiram 3% entre 1990 e 1991
  • APLICAÇÕES COMUNS DOS IPC’S Calcula valores reais para bens e serviços (real x nominal) Utilizado para ajuste da renda dos indivíduos. Comparar valores ao longo do tempo. Indicador da variação de preços e inflação.
  • ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO (IPCA) É um índice de preços calculado pelo Sistema Nacional de Preços ao Consumidor (SNPC) do IBGE. O cálculo tem como base a POF elaborada pelo IBGE e é realizado do dia 1 à 30 de cada mês. O cálculo considera:  Famílias com rendimentos mensais compreendidos entre 1 (hum) e 40 (quarenta) salários-mínimos.  Áreas urbanas das regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, Brasília e município de Goiânia.
  • ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO (IPCA)  Composição do IPCA em 2012: Composição relativa do IPCA-IBGE definida em 2012 5% 4% Alimentação e bebidas 5% Transportes 23% 7% Habitação Saúde e cuidados pessoais Despesas pessoais 10% Vestuário Comunicação Artigos de residência 11% 20% Educação 15%Fonte: IBGE, Diretoria de pesquisas, SNPC
  • ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO (IPCA) Série temporal do IPCA entre 1985 e 20103000250020001500 IPCA1000 500 0 1980 1985 1990 1995 2000 2005 2010 2015 Fonte: IBGE, Diretoria de pesquisas, SNPC
  • ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO (IPCA) Série temporal do IPCA entre 1995 e 2010252015 IPCA10 5 0 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Fonte: IBGE, Diretoria de pesquisas, SNPC
  • ÍNDICE GERAL DE PREÇOS – DISPONIBILIDADE INTERNA(IGP-DI/FGV) É um índice de preços calculado pela Fundação Getúlio Vargas. O cálculo é realizado por uma média ponderada do Índice de Preços no Atacado (IPA), Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e Índice Nacional da Construção Civil (INCC). Cálculo: IGP-DI = (0,6xIPA)+ (0,3xIPC)+(0,1xINCC)
  • ÍNDICE GERAL DE PREÇOS – DISPONIBILIDADE INTERNA(IGP-DI/FGV) Série temporal do IGP-DI entre 1985 e 20103000250020001500 IGP-DI1000 500 0 1980 1985 1990 1995 2000 2005 2010 2015-500Fonte: IBRE-FGV
  • ÍNDICE GERAL DE PREÇOS – DISPONIBILIDADE INTERNA(IGP-DI/FGV) Série temporal do IGP-DI entre 1995 e 201030252015 IGP-DI10 5 0 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012-5Fonte: IBRE-FGV
  • OUTROS ÍNDICES DE PREÇOS Existem índices calculados para outras regiões especificas dentro do País.  http://www.ipead.face.ufmg.br/  http://www.dee.ufv.br/?area=BoletinsIPC Existem cálculos para produtos específicos ou classes de produtos apenas. Existem cálculos voltados para preços ou custos de produção ao invés de consumo.  http://www.sinduscon-mg.org.br/site/cub_tabela.php Existe o índice de preços para todo o produto do país.  Deflator do PIB.
  • LIMITAÇÕES E PROBLEMAS DO MÉTODO DO CUSTO DEVIDA PARA MEDIR VARIAÇÃO DE PREÇOS Os índices de preço são uma medida apurada dos bens e serviços selecionados, mas não é uma medida perfeita do “custo de vida”. Problemas:  Novos produtos ou novos consumos.  Não mede-se a qualidade  Substituição de produtos
  • LIMITAÇÕES E PROBLEMAS DO MÉTODO DO CUSTO DEVIDA PARA MEDIR VARIAÇÃO DE PREÇOS Problema relacionado à “Novos produtos” e “Novos Consumos”:  A cesta de produtos não reflete a entrada de novos produtos que tendem a alterar a relação de preços após a sua introdução no mercado ou alterar a composição de consumo.  Novos produtos indicam mais variedade, e a cesta é fixa.  Novos hábitos de consumo por si só podem alterar significativamente a composição de consumo tornando o indicador menos preciso dado que a cesta é fixa.
  • LIMITAÇÕES E PROBLEMAS DO MÉTODO DO CUSTO DEVIDA PARA MEDIR VARIAÇÃO DE PREÇOS Problema relacionado à “Qualidade dos produtos” não captada pelos preços:  Se a qualidade de um produto sobe, o valor do dinheiro (relativo a esse produto) sobe mesmo que o seu preço tenha ficado o mesmo.  Se a qualidade de um produto cai, o valor do dinheiro (relativo a esse produto) cai mesmo que o seu preço tenha ficado o mesmo.  O custo de vida verdadeiro pode ser menor mesmo que alguns produtos custem mais caro.
  • LIMITAÇÕES E PROBLEMAS DO MÉTODO DO CUSTO DEVIDA PARA MEDIR VARIAÇÃO DE PREÇOS Problema relacionado à “Efeito de Substituição”:  Consumidores tendem a substituir produtos por outros mais baratos em diversas situações.  O índice pode “exagerar” a variação dos preços ao ignorar a substituição de bens e serviços por parte dos consumidores, dado que a cesta assumida é fixa.
  • ÍNDICES DE PREÇOS E O DEFLATOR DO PIB Índices de Preços  Inclui apenas bens de consumo.  Inclui o custo de produtos importados. Índices Gerais de Preços  Buscam incluir tanto bens de consumo como bens destinados à produção. Não inclui todos os bens.  Exclui importações. Deflator do PIB  Inclui todos os bens e serviços finais.  Exclui importações.
  • ÍNDICES DE PREÇOS E O DEFLATOR DO PIB Comparando os indicadores ao longo do tempo: Séries temporais de indicadores de inflação entre 1985 e 20103000250020001500 IGP-DI IPCA1000 Deflator do PIB 500 0 1985 1990 1995 2000 2005 2010-500 Fonte: IBRE-FGV e SNPC-IBGE
  • ÍNDICES DE PREÇOS E O DEFLATOR DO PIB  Comparando os indicadores ao longo do tempo: Séries temporais de indicadores de inflação entre 1995 e 2010100 80 60 IGP-DI 40 IPCA Deflator do PIB 20 0 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012-20 Fonte: IBRE-FGV e SNPC-IBGE
  • CORRIGINDO OS EFEITOS DA INFLAÇÃO EM VARIÁVEISECONÔMICAS COM BASE EM ÍNDICES DE PREÇOS Índices de preços são utilizados para corrigir os efeitos da inflação quando comparando valores nominais (R$) entre duas épocas diferentes. Isso é necessário porque o poder de compra de rendas e valores monetários mudam ao longo do tempo. Ou seja, os preços mudam ao longo do tempo. Quando o valor nominal é corrigido automaticamente pela inflação, dá-se o nome de indexação.
  • CORRIGINDO OS EFEITOS DA INFLAÇÃO EM VARIÁVEISECONÔMICAS COM BASE EM ÍNDICES DE PREÇOS Para “corrigir” valores de datas passadas em valores em data presente:  Valor Atual = Valor Passado x (IPC Atual/IPC Passado) Para “corrigir” valore data presente em valores em datas passadas:  Valor Passado = Valor Atual x (IPC Passado/IPC Atual) Exemplo:  IPCA2000=100  IPCA2010=183,47  Salário Nominal2000= R$ 3500,00  Salário Nominal2010=R$ 5700,00
  • CORRIGINDO OS EFEITOS DA INFLAÇÃO EM VARIÁVEISECONÔMICAS COM BASE EM ÍNDICES DE PREÇOS Exemplo:  Salário Nominal2000= R$ 3500,00  Salário Nominal2010=R$ 5700,00  Salário de 2000 em valores de 2010  Cálculo: 3500x(183,47/100)=6421,45  Salário de 2010 em valores de 2000  Cálculo: 4500x(100/183,47)=3106,77  O salário de 2000 tinha um poder de compra maior do que o salário de 2010.
  • JUROS NOMINAIS E JUROS REAIS Juro representa o pagamento no futuro de uma transação no passado. Juro Nominal  A taxa cobrada pelo banco em valor atual. Juro Real  A taxa de juros ajustada pela inflação.  Ou seja, sem a variação de poder de compra gerada pela variação de preços. Juro Real = Juro Nominal - Inflação
  • JUROS NOMINAIS E JUROS REAIS Exemplo: Você toma um empréstimo de R$ 1.000,00 Taxa de juros cobrada pelo banco é de 15%. Durante o ano a taxa de inflação foi 10%. O Juro Real dessa economia é:  15% - 10% = 5%
  • JUROS NOMINAIS E JUROS REAIS Quando comparando valores expressos em dinheiro (R$) de épocas diferentes, é necessário lembrar que o Real de hoje não é o mesmo Real de ontem, nem de amanhã. Os índices de preços mostram uma das maneiras que temos para fazer ajustes em função da mudança dos preços.
  • REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo: Cengage Learning, 2009. 838 pg. VASCONCELLOS, M. S. Economia, Micro e Macro, Atlas, 2002. Insituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2013. <www.ibge.gov.br>. Instituto Brasileiro de Economia. Fundação Getulio Vargas. 2013. <http://portalibre.fgv.br/>.