Geografia Agrária

1.536 visualizações

Publicada em

Geografia Agrária

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • OBRIGADA POR COMPARTILHAR O SEU TRABALHO E PERMITIR QUE POSSAMOS BAIXAR PRA USARMOS TAMBEM COMO FERRAMENTA
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.536
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
220
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
147
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia Agrária

  1. 1. GGeeooggrraaffiiaa -- 22ª sséérriiee EEMM GEOGRAFIA AGRÁRIA  PPrrooff..º LLuucciiaannoo PPeessssaannhhaa www.lucianopessanhageo.blogspot.com
  2. 2. AGROPECUÁRIA A finalidade principal da agropecuária é produzir alimentos e derivados, mas apesar dos esforços e progressos realizados pelo homem a fome assola grande parte da humanidade. Enquanto vc está lendo este texto 4 crianças morreram de fome no mundo e 1 bilhão estão com fome. A fome mata mais pessoas do que a AIDS, a Malária e a Tuberculose juntas. Josué de Castro em 1946 escreveu “ Geografia da Fome” .( A fome é uma expressão biológica de uma doença social )
  3. 3. Por que existe fome em alguns lugares do Brasil ? Quais serão as verdadeiras causas da FOME ? A falta de alimentos em alguns lugares?... A falta de produção que sustente a todos?... A falta de uma política econômica adequada?... A falta de tecnologia?...
  4. 4. Equívocos 1) A fome é causada porque existe muita população. Mentira : A China é muito populosa e todos consomem alimentos. Já a Bolívia é pouco habitada e muitos passam fome. OBS: Até 2050 a demanda por alimentos aumentará 70% 2) O Mundo não pode produzir alimentos suficientes. “Por enquanto pode” 3) No mundo há poucas terras cultiváveis. Brasil
  5. 5. Principais Causas da Fome no Mundo Causas Naturais  Clima;  Seca;  Inundações;  Terremotos;  As pragas de insetos e as enfermidades das plantas. Causas Humanas  Presença de Monoculturas  Má distribuição de renda  Concentração da Terra  Dívida Externa  Conflitos Armados com gastos em armamentos.  Expansão do Capitalismo Rural : boias-frias e sem-terra.  Guerras e Conflitos Civis. 1/3 dos alimentos é desperdiçado As As mudanças mudanças climáticas, climáticas, uma uma população população crescente crescente e e suprimentos suprimentos de de água água cada cada vez vez mais mais escassos escassos causam causam uma uma crescente crescente escassez escassez global global de de alimentos alimentos que que fez fez com com que que o o preço preço da da comida comida dobrasse dobrasse nos nos últimos últimos anos. anos.
  6. 6. RELAÇÕES CAMPO x CIDADE  FOI-SE O TEMPO EM QUE A ECONOMIA RURAL COMANDAVA AS ATIVIDADES URBANAS  ATUALMENTE, OBSERVA-SE EM ESCALA PLANETÁRIA A SUBORDINAÇÃO DO CAMPO Á CIDADE. SUA DEPENDÊNCIA SE DÁ NA NECESSIDADE DAS TECNOLOGIAS INDUSTRIAIS DE USO AGROPECUÁRIO.  A PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA NÃO É OBTIDA EM CONDIÇÕES IGUAIS NO MUNDO.  ESSAS RELAÇÕES SE DÃO DEVIDO A VÁRIOS FATORES COMO:  Terra disponível  Fertilidade dos Solos  Clima Favorável  Mão de obra disponível (cada vez menos)  Investimentos e Subsídios  Tecnologia (Mecanização do Campo)  Disponibilidade de Insumos (Sementes, Fertilizantes, Agrotóxicos, etc.)  Engenharia Genética.
  7. 7. EVOLUÇÃO DA HISTÓRICA DO DIREITO FUNDIÁRIO BRASILEIRO DE ONDE VEM A MÁ DISTRIBUIÇÃO DE TERRAS NO BRASIL? 1530 (COLONIZAÇÃO) A TERRA ERA PROPRIEDADE DO REI DE PORTUGAL E PODIA DOÁ- LAS (SESMARIAS) 15 CAPITANIAS HEREDITÁRIAS (DOAÇÃO DE TERRAS A UM CAPITÃO DONATÁRIO TINHA DE FAZER A TERRA PROSPERAR DUROU 17 ANOS GOVERNADOR GERAL: DUROU 300 ANOS APROXIMADAMENTE.
  8. 8. LEI DE TERRAS DE 1850: (PÓS INDEPENDÊNCIA) REGENCIA DE D. PEDRO II A COMPRA PASSOU A SER A ÚNICA MANEIRA DE ACESSO Á TERRA (TERRA VIRA MERCADORIA) ABOLIU O REGIME DE SESMARIAS TODOS OS QUE JÁ ESTAVAM NELA, RECEBERAM O TÍTULO DE PROPRIETÁRIO, PORÉM, TINHA QUE RESIDIR E PRODUZIR NA TERRA. AS TERRAS AINDA NÃO OCUPADAS (DEVOLUTAS) PASSAVAM A SER PROPRIEDADE DO ESTADO E SÓ PODERIAM SER ADQUIRIDAS ATRAVÉS DA COMPRA NOS LEILÕES MEDIANTE PAGAMENTO À VISTA OS ESCRAVOS LIVRES E IMIGRANTES AGORA TERIAM DE COMPRÁ-LA NASCE A CONCENTRAÇÃO FUNDIÁRIA CONSTITUIÇÃO DE 1946 (PÓS GETULIO VERGAS) INICIA O CONCEITO DE FUNÇÃO SOCIAL DA TERRA
  9. 9. ESTATUTO DA TERRA DE 1964 (APROVADO PELO GOLPE MILITAR)  FOI CONCEBIDA COMO A FORMA DE COLOCAR UM FREIO NOS MOVIMENTOS CAMPESINOS QUE SE MULTIPLICAVAM DURANTE O GOVERNO JOÃO GOULART. GARANTIA O DIREITO A REFORMA AGRÁRIA MAS ENTRAVA EM CONFLITO COM O CÓDIGO CÍVIL DA ÉPOCA Reforma Agrária - é o conjunto de medidas que visem a promover melhor distribuição da terra, mediante modificações no regime de sua posse e uso, a fim de atender aos princípios de justiça social e ao aumento de produtividade. CONSTITUIÇÃO DE 1988 (CIDADÃ)  LEGITIMOU A DESAPROPRIAÇÃO DA TERRA PARA FINS DE REFORMA AGRÁRIA
  10. 10. SSiisstteemmaass ddee PPrroodduuççããoo && PPrrááttiiccaass AAggrrííccoollaass Retirada do site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Agricultura
  11. 11. AAggrriiccuullttuurraa TTrraaddiicciioonnaall CCaarraacctteerrííssttiiccaass:: • Técnicas rudimentares; • Mão-de-obra direta; • Policultura. Retiradas do site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Agricultura_tradicional
  12. 12. AAggrriiccuullttuurraa MMooddeerrnnaa CCaarraacctteerrííssttiiccaass:: • Produto da Revolução Industrial; • Aperfeiçoamento de instrumentos agrícolas; • Aplicação da ciência; • Aumento de produção. (Revolução Verde)
  13. 13. AAggrriiccuullttuurraa CCoonntteemmppoorrâânneeaa CCaarraacctteerrííssttiiccaass:: • Fase mais evoluída da agricultura; • Pouca mão-de-obra, porém assalariada; • Industrialização das atividades agropecuárias; • Produção de transgênicos; • Desemprego estrutural.
  14. 14. Agricultura ddee SSuubbssiissttêênncciiaa ÉÉ aa aaggrriiccuullttuurraa qquuee aatteennddee ààss nneecceessssiiddaaddeess bbáássiiccaass ddee ccoonnssuummoo aalliimmeennttaarr ddee ppeeqquueennooss aaggrriiccuullttoorreess.. CCaarraacctteerrííssttiiccaass:: • Ocorre em regiões pobres do planeta; • Está desaparecendo; • Serve para abastecer o próprio cultivador DDeeffiinniiççããoo::
  15. 15. AAggrriiccuullttuurraa IIttiinneerraannttee AAggrriiccuullttuurraa Itinerante éé uumm ddooss mmééttooddooss uuttiilliizzaaddooss nnaa aaggrriiccuullttuurraa.. CCoonnssiissttee eemm aatteeaarr ffooggoo nnaa mmaattaa,, oouu sseejjaa,, ppaarraa ffeerrttiilliizzaarr aa tteerrrraa aattrraavvééss ddaass cciinnzzaass.. CCaarraacctteerrííssttiiccaass:: • Esgotamento do solo; • Não associado à criação de gado; • Destruição da floresta. DDeeffiinniiççããoo:: http://www.greenpeace.org/raw/image_full/brasil/photosvideos/as-queimadas-s-o-comuns- na-ind.jpg
  16. 16. AAggrriiccuullttuurraa ddee JJaarrddiinnaaggeemm DDeeffiinniiççããoo:: AA aaggrriiccuullttuurraa ddee jjaarrddiinnaaggeemm ccoonnssiissttee nnoo ppllaannttiioo eemm ffoorrmmaa ddee mmuuddaass,, ttííppiiccaa ddoo SSuull ee SSuuddeessttee ddaa ÁÁssiiaa ((cchhuuvvaa ddee mmoonnççõõeess)) CCaarraacctteerrííssttiiccaass:: • Intensa mão de obra; • Alta produtividade • Típicas de Planícies irrigadas; • Permite a fixação de famílias a propriedade. Retirada do site:www.ambienteonline.pt/.../detalhes.php?id=3665 Retirada do site:www.cultivoonline.org/
  17. 17. AAggrriiccuullttuurraa ddee TTeerrrraacceeaammeennttoo DDeeffiinniiççããoo:: é uma técnica agrícola e geográfica de conservação do solo, destinada ao controle de erosão hídrica, utilizada em terrenos muito inclinados. Baseia-se no parcelamento de rampas niveladas CCaarraacctteerrííssttiiccaass:: Muita mão de obra Grande conhecimento técnico Pouca mecanização Reduz a erosão laminar do solo
  18. 18. AAggrriiccuullttuurraa ddee PPLLAANNTTAATTIIOONN DDeeffiinniiççããoo:: AA aaggrriiccuullttuurraa ddee ppllaannttaattiioonn ccoonnssiissttee eemm uumm ssiisstteemmaa ddee mmoonnooccuullttuurraa eemm ggrraannddeess llaattiiffúúnnddiiooss.. CCaarraacctteerrííssttiiccaass:: • Sistema voltado à exportação de gêneros tropicais; • Utilizado na América do Sul e países subdesenvolvidos. Retiradas do site:www.ambienteonline.pt
  19. 19. A Produção Agropecuária no Brasil
  20. 20. AAGGRROOPPEECCUUÁÁRRIIAA BBRRAASSIILLEEIIRRAA  O BRASIL possuí uma área total de: 885511 mmiillhhõõeess ddee hheeccttaarreess dos quais:
  21. 21. • A produção de laranja é bastante associada à agroindústria, principalmente às empresas que produzem sucos. A cultura da laranja predomina nas regiões de Limeira, Araraquara e Bebedouro em São Paulo.
  22. 22. • A cana-de-açúcar pode ser considerada o primeiro grande produto de exportação brasileiro. Seu cultivo iniciou-se no Nordeste no século XVI. A partir da década de 1970 a produção em São Paulo aumentou bastante impulsionada pelos investimentos associados ao pro-álcool (programa de substituição em larga escala dos combustíveis veiculares derivados de petróleo por álcool) e hoje é o maior produtor nacional. Também ocorreu uma expansão desta cultura para a região Centro-Oeste (Mato Grosso e Goiás). O destino das lavouras de cana-de-açúcar também é diferenciado: No Centro Sul (principalmente São Paulo) destina-se à produção de álcool combustível, no Nordeste destina-se à produção de açúcar.
  23. 23. • Há duas variedades de arroz: o de várzea que é cultivado em vales fluviais, e o de sequeiro, que depende de irrigação ou água das chuvas. Os maiores produtores de arroz se localizam na região Centro-Sul (Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Santa Catarina) onde o rendimento por hectare é bastante elevado e pode ser associado aos investimentos, insumos e defensivos químicos utilizados na produção, por isso, os preços também são mais elevados.
  24. 24. • O feijão é um produto destinado prioritariamente ao mercado interno, daí sua dispersão pelo Brasil. As maiores produtividades de feijão são encontradas em Goiás e São Paulo, e a maior área ocupada com a produção de feijão é a Bahia.
  25. 25. • O milho é cultivado em praticamente todas as regiões brasileiras. É utilizado tanto para alimentação humana quanto como ração para animais. A produção de milho se encontra nos estados do Centro-Sul e o grande produtor é Goiás.
  26. 26. • O café teve sua cultura introduzida na Amazônia, porém com poucos resultados. Inicia-se então o seu cultivo no Vale da Paraíba e avança para o Oeste de São Paulo encontrando na fertilidade da “terra roxa” causa rápida expansão e elevada produtividade. Os estados que antes eram os maiores produtores (São Paulo e Paraná) hoje perderam suas posições e Minas Gerais além de maior produtor nacional, produz variedades de maior valor internacional. Também há grande produção na Rondônia e atualmente no Pará.
  27. 27. • A soja expandiu-se com maior vigor no país, durante os anos 70, notadamente nos estados do Paraná e do Rio Grande do Sul. Cultura típica de exportação, está cada vez mais voltada para o mercado interno em razão do crescente consumo de margarinas e óleos na alimentação do brasileiro. Atualmente, verifica-se sua expansão nas áreas do cerrado, sobretudo nos estados do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e Bahia.
  28. 28. Pecuária brasileira • A pecuária é uma atividade fundamental para nossa economia, tendo sido, historicamente, um dos fatores responsáveis pelo processo de interiorização. • Na pecuária utiliza-se orientação técnica, realiza-se uma seleção genética dos animais aproveitando de suas viabilidades econômicas, inseminação artificial, uso de medicamentos, rações especiais para ganho de peso, ordenha mecânica para dinamizar o trabalho e melhorar a qualidade, entre outros.
  29. 29. • Região Centro-Oeste onde encontramos o maior rebanho bovino do Brasil, ao passo que, em relação à produção de leite, a predominância é da região Sudeste destacando MG. Nestas regiões aparecem raças européias e mistas, destinadas tanto ao corte como a produção de leite. As principais áreas de gado de corte são: SP: Alta Sorocabana (Presidente Prudente) e Alta Nordeste (Araçatuba); MG: Triângulo Mineiro e Centro - Norte do estado (Monte Claros); ES: Norte do estado (bacia do rio S. Mateus) As principais áreas de gado leiteiro estão em: SP: Vale do Paraíba, encosta da Mantiqueira (S. João da Boa Vista, S. José do Rio Pardo e Mococa) e região de Araras Araraquara; MG: Zona da Mata, região de Belo Horizonte e Sul do estado RJ: Vale do Paraíba e norte do estado ES: Sul do estado (Cachoeiro de Itapemirim) OBS: A região Sudeste possui a maior bacia leiteira e a maior concentração industrial de laticínios no país, abastecendo os maiores mercados consumidores, representados por SP, RJ e BH.
  30. 30. • Em relação ao rebanho suíno, podemos observar sua predominância na região Sul, sobretudo porque está associado às agroindústrias de beneficiamento de carnes e embutidos( Sadia, Perdigão, Swift, entre outras). • A gripe suína pode ser, no fim das contas, um bom negócio para o setor no Brasil. Caso a doença não chegue ao Brasil, a própria indústria de carne suína pode ter efeitos positivos. A analista explica que os Estados Unidos e o Canadá têm 40% do comércio internacional de suínos, enquanto o Brasil tem 17% de participação. Se a carne desses países for barrada em várias nações, o produto nacional pode conquistar novos mercados. E mesmo que haja alguma restrição para a carne suína brasileira – afetando negativamente este segmento –, o Brasil produz todos os eventuais substitutos para o produto. O país poderá contribuir para uma eventual substituição do produto porque é o líder mundial na produção de carne bovina e disputa o primeiro lugar no setor de aves. Além disso, é o principal produtor de soja, proteína vegetal que substitui a carne.
  31. 31. • Para o rebanho de caprinos e ovinos, o destaque é para a região Nordeste, que possui os maiores rebanhos desses animais no Brasil. Porém, é preciso destacar que, se a região Nordeste apresenta também o maior rebanho de ovinos, os maiores índices de produtividade assim como os principais municípios produtores localizam-se na região Sul.
  32. 32. • Em relação ao rebanho de aves, observa-se seu excessivo crescimento desde a década de 1990. Também localiza-se na região Sul o maior rebanho de aves do Brasil, com destaque para os estados de Santa Catarina e Paraná.
  33. 33. Estrutura fundiária Estrutura fundiária é a divisão de terras. No Brasil as grandes propriedades correspondem a quase metade das terras cultiváveis
  34. 34. Concentração fundiária no Brasil A reforma agrária inclui várias medidas que visam manter o trabalhador, como: · criar escolas para os filhos; · construir rede de energia; · construir rede de transporte para escoar a produção; · dar condições de construir casas; · financiar sementes e equipamentos agrícolas; · fornecer alimentos até a primeira colheita.
  35. 35. A busca por terra sempre foi importante no Brasil e até hoje gera conflitos...
  36. 36. Principais áreas de violência no 1 - área conhecida como "bico do papagaio", na fronteira entre os estados de Tocantins, Maranhão e Pará. O conflito envolve posseiros e latifundiários; 4 - área de fronteira entre o sul-sudoeste do Pará e o norte do Mato Grosso. Conflito envolve posseiros, garimpeiros, madeireiros e grupos indígenas; 5 - área correspondente ao norte de Rondônia, em que se destacam conflitos fundiários envolvendo madeireiros, grupos indígenas e posseiros; 8 - área de fronteira entre o noroeste gaúcho e oeste catarinense, com problemas fundiários e conflitos entre grandes proprietários rurais e trabalhadores sem terra. Entre os numerosos fatores responsáveis pela ocorrência de conflitos fundiários no Brasil, destacam-se a estrutura fundiária altamente concentradora e o estabelecimento de relações trabalhistas excessivamente exploratórias.
  37. 37. Ocupação do espaço agrário Cerca de 70% do solo brasileiro é constituído por solos agricultáveis, porém apenas 10% desta área está ocupada por lavoura ou pecuária. De cada 7 hectares bons para o plantio, apenas 1 está produzindo.
  38. 38. O Espaço Agropecuário Brasileiro Agropecuária Indústria Serviços 7,75 % 37,16 % 58,88 % Composição do PIB Brasileiro por setor – 2000 • Características : a)Predomínio da agricultura extensiva → grande propriedade e baixo uso de maquinas, fertilizantes, adubos e capitais. b)Subutilização do espaço agrícola → Menos de 10% do espaço brasileiro é utilizado na lavoura c)Predominância da Produção de gêneros agrícolas destinados a exportação → com destaque para a soja, a laranja e a cana-de-açúcar. O Lucro gerado pela exportação desses gêneros não é revertido p/ o setor (ajuda a pagar a divida externa e comprar tecnologia de ponta para o parque industrial) d)Industrialização da agricultura → todas as etapas da produção são controladas pela indústria (Centro-Sul) .Subordinação da cidade ao campo .
  39. 39. Há grandes proprietários em nosso país, que detém áreas quase do tamanho de alguns países da Europa, e outros pequenos proprietários, que não têm o mínimo necessário para plantar o suficiente para manter a família. A Lei nº 8.629, de 25 de janeiro de 1993, reafirmou que a terra tem de cumprir a função social e estabeleceu novos conceitos em relação às dimensões e à classificação dos imóveis rurais. Para entender essa classificação é importante diferenciar os termos módulo rural e módulo fiscal. O módulo rural é uma área que varia entre 2 e 120 hectares (ha), de acordo com a região. Essa área deve ser suficiente para manter a subsistência de uma família de 4 pessoas. O módulo fiscal é uma área variável, pois depende das características das atividades agrícolas, do clima, do solo e varia de 5 a 110 hectares.
  40. 40. Propriedades rurais As propriedades rurais são classificadas com base nesses conceitos e são consideradas: Minifúndios, quando a dimensão é menor do que o módulo fiscal fixado para o município; Pequena propriedade, quando a área está entre 1 e 4 módulos fiscais; Média propriedade, quando a área está entre 4 e 15 módulos fiscais; Grande propriedade, quando a área é superior a 15 módulos fiscais. Há duas formas básicas de exploração da terra no Brasil: Exploração direta (predominante no Brasil) é quando as terras são exploradas pelos donos ou herdeiros. Exploração indireta: quando as terras são exploradas por quem não é o dono, como os parceiros, os arrendatários ou os ocupantes.
  41. 41. Relações de trabalho no meio rural As relações de trabalho no meio rural podem acontecer de várias formas: Trabalhadores sazonais: São trabalhadores contratados para um curto espaço de tempo, viajam todos os dias para o local de trabalho, levando a comida em marmita, que é ingerida fria, daí o nome de "bóias frias", conhecidos também como volantes, corumbas ou peão de trecho. Arrendatários: Trabalhadores que pagam uma renda fixa pela utilização da terra. Parceiros, Terceiros, Meeiros: Pagam o uso da terra com uma parte do lucro ou da produção. Posseiros: são invasores de terras, que atualmente estão organizados no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Para a invasão são escolhidas fazendas improdutivas, que se encaixem nos critérios constitucionais da realização da reforma agrária. Algumas áreas de assentamento deram certo e prosperaram, enquanto as invasões desorganizadas, fracassaram. Grileiros: são invasores que trabalham a mando de grandes fazendeiros e quase sempre conseguem, através da corrupção, escrituras falsas de propriedade de terra.
  42. 42. Produtos importantes na pauta de exportação
  43. 43. Produtos importantes na pauta de exportação

×