Clarice lispector

1.011 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.011
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Clarice lispector

  1. 1. Trabalho dePortuguêsNome: Luciano Tadeu Ferraz Nº24Escola: E.E Maestro Callia
  2. 2. ClariceLispector
  3. 3. nasce em Tchetchelnik, naUcrânia, no dia 10 de dezembro,tendo recebido o nome de HaiaLispector, terceira filha dePinkouss e de Mania Lispector.Seu nascimento ocorre durantea viagem de emigração dafamília em direção à América.
  4. 4. Seu pai consegue, emBucareste, um passaporte paratoda a família no consulado daRússia. Era fevereiro foram paraa Alemanha e, no porto deHamburgo, embarcam no navio"Cuyaba" com destino ao Brasil.Por iniciativa de seu pai, àexceção de Tânia — irmã, todosmudam de nome: o pai passa a sechamar Pedro; Mania, Marieta;Leia — irmã, Elisa; e Haia, em
  5. 5. A família muda-se para Recife,Pernambuco, onde Pedro pretendeconstruir uma nova vida. A doençade sua mãe, Marieta, que ficouparalítica, faz com que sua irmãElisa se dedique a cuidar de todose da casa.
  6. 6. Passa a freqüentar o GrupoEscolar João Barbalho, naquelacidade, onde aprende a ler.Durante sua infância a famíliapassou por sérias crisesfinanceiras.
  7. 7. Morre a mãe de Clarice no dia21 de setembro. Nessa época,com nove anos, matricula-se noColégio Hebreo-Idisch-Brasileiro, onde termina oterceiro ano primário. Estudapiano, hebraico e iídiche. Uma idaao teatro a inspira e ela escreve"Pobre menina rica", peça emtrês atos, cujos originais foramperdidos. Seu pai resolve adotara nacionalidade brasileira.
  8. 8. Inscreve-se para o exame deadmissão no GinásioPernambucano. Já escrevia suashistorinhas, todas recusadas peloDiário de Pernambuco, que àquelaépoca dedicava uma página àscomposições infantis. Isso sedevia ao fato de que, ao contráriodas outras crianças, as históriasde Clarice não tinham enredo efatos — apenas sensações.
  9. 9. É aprovada no exame deadmissão e, junto com sua irmãTânia e sua prima Bertha,ingressa no tradicional GinásioPernambucano, fundado em 1825.Passa a visitar a livraria do pai deuma amiga. Lê "Reinações deNarizinho", de Monteiro Lobato,que pegou emprestado, já que nãopodia comprá-lo.
  10. 10. Seu pai prospera e mudam-separa casa própria, no mesmo bairro. Em dezembro desse ano, o paide Clarice decide transferir-separa a cidade do Rio de Janeiro.
  11. 11. Vão morar numa casa alugadaperto do Campo de São Cristóvão.Ainda nesse ano, mudam-se parauma casa na Tijuca, na rua Marize Barros. No colégio Sílvio Leite,na mesma rua de sua casa, cursa oquarta série ginasial. Lê romancesadocicados, próprios para suaidade.
  12. 12. Às voltas com dificuldadesfinanceiras, dá aulas particularesde português e matemática. Aomesmo tempo, aprendedatilografia e faz inglês naCultura Inglesa.
  13. 13. Inicia seus estudos naFaculdade Nacional de Direito.Faz traduções de textoscientíficos para revistas em umlaboratório onde trabalha comosecretária. Trabalha, tambémcomo secretária, em umescritório de advocacia.
  14. 14. Seu conto, Triunfo, é publicadoem 25 de maio no semanário "Pan",de Tasso da Silveira. Em outubrodesse ano, é publicado na revista"Vamos Ler!", editada porRaymundo Magalhães Júnior, oconto Eu e Jimmy. Após a mortede seu pai, no dia 26 de agosto, aescritora — talvez motivada poresse acontecimento — escrevediversos contos: A fuga, Históriainterrompida e O delírio.
  15. 15. Consegue um emprego detradutora no temido Departamentode Imprensa e Propaganda – DIP.Como não havia vaga para essetrabalho, Clarice ganha o lugar deredatora e repórter da AgênciaNacional. Inicia-se, ai, sua carreirade jornalista. No novo emprego,convive com Lúcio Cardoso, porquem nutre durante tempos umapaixão não correspondida: oescritor era homossexual. Com seuprimeiro salário, entra numa livrariae compra "Bliss - Felicidade", de
  16. 16. Em 19 de janeiro, publica areportagem "Onde se ensinará a serfeliz", no jornal "Diário do Povo", deCampinas (SP). Cursando o terceiroano de direito, colabora com arevista dos estudantes de suafaculdade, "A Época", com os artigosObservações sobre o fundamento dodireito de punir e Deve a mulhertrabalhar? Passa a freqüentar o bar"Recreio", na Cinelândia, centro doRio de Janeiro, ponto de encontrode autores como Lúcio Cardoso,Vinicius de Moraes, Rachel de
  17. 17. Começa a namorar com MauryGurgel Valente, seu colega defaculdade. Nesse ano, escreve seuprimeiro romance, Perto do coraçãoselvagem. Casa-se com Maury GurgelValente e termina o curso deDireito. Seu marido, por concurso,ingressa na carreira diplomática.
  18. 18. O casal muda-se para Nápoles, emplena Segunda Guerra Mundial, onde omarido da escritora vai trabalhar. Jána saída do Brasil, Clarice mostra-sedividida entre a obrigação deacompanhar o marido e ter de deixar afamília e os amigos. Quando chega àItália, depois de um mês de viagem,escreve: "Na verdade não sei escrevercartas sobre viagens, na verdade nemmesmo sei viajar." Termina seusegundo romance, O lustre. Recebe oprêmio Graça Aranha com Perto docoração selvagem, considerado o
  19. 19. Clarice fica grávida de seuprimeiro filho. Para ela, a vidaem Berna é de misériaexistencial. A Cidade Sitiada,após três anos de trabalho, ficapronto. Terminado o últimocapítulo, dá à luz. Ela escrevecom a máquina no colo, paracuidar do filho.
  20. 20. Clarice volta ao Rio. Seumarido é removido para aSecretaria de Estado, no Rio deJaneiro. A cidade sitiada épublicado pela editora "ANoite". O livro não obtémgrande repercussão entre opúblico e a crítica.
  21. 21. Cola grau na faculdade dedireito, depois de muitosadiamentos. Volta a trabalhar emjornais, no período de maio aoutubro, assinando a página "EntreMulheres", no jornal "Comício", sobo pseudônimo de "TerezaQuadros". Nesse setembro, jágrávida, embarca para a capitalamericana onde permanecerá poroito anos. Clarice inicia o esboçodo romance A veia no pulso, queviria a ser A Maçã no Escuro, livro
  22. 22. Em 10 de fevereiro, nascePaulo, seu segundo filho. Elacontinua a escrever A Maçã noEscuro, em meio a conflitosdomésticos e interiores. Divide seutempo entre os filhos, A Maçã noEscuro, os contos de Laços deFamília e a literatura infantil. NosEstados Unidos, Clarice conhece orenomado escritor Erico Veríssimoe sua esposa Mafalda, dos quaistorna-se grande amiga. O escritore sua esposa são escolhidos para
  23. 23. Separa-se do marido e, emjulho, regressa ao Brasil com seusfilhos. A escritora resolve compraro apartamento onde estáresidindo, no bairro do Leme, e,para isso, busca aumentar seusganhos. Sob o pseudônimo de"Helen Palmer", inicia, em agosto,uma coluna no jornal "Correio daManhã", intitulada "Correiofeminino — Feira de utilidades".
  24. 24. Publica Laços de Família, seuprimeiro livro de contos, pela editoraFrancisco Alves. Publica o romance A maçã noescuro. Recebe o Prêmio Jabuti, daCâmara Brasileira do Livro, porLaços de família..
  25. 25. Dedica-se à educação dosfilhos e com a saúde de Pedro,que apresenta um quadro deesquizofrenia, exigindo cuidadosespeciais. Apesar de traduzidapara diversos idiomas e darepublicação de diversos livros,a situação financeira de Clariceé muito difícil.
  26. 26. Clarice morre, no Rio, no dia 9de dezembro de 1977, um diaantes do seu 57 aniversáriovitimada por uma súbita obstruçãointestinal, de origem desconhecidaque, depois, veio-se a saber, tersido motivada por umadenocarcinoma de ovárioirreversível. O enterro aconteceuno Cemitério Comunal Israelita, nobairro do Caju, no dia 11.
  27. 27. O trabalho da escritora écomplexo e identificado como oponto mais alto da segunda fasedo Modernismo. O temadominante versa sobre anecessidade que o homem tem deamparar-se na linguagem parasuportar o desamparo diante douniverso, recoberto pelo silêncio
  28. 28. Nas obras de Clarice sedestacam: o emprego intenso dametáfora, o fluxo da consciência eo rompimento com o enredo. Noconjunto, essa técnica colaborapara a visitação do mundo interiordas personagens, sempremanifestado pela subjetividade emcrise. A memória serve de elocondutor entre o subjetivo e o"real", favorecendo à auto-análise,numa espécie de "um contínuodenso de experiência existencial". Seus temas mais comuns são:a relação entre o bem e o mal, a
  29. 29. Romances:- Perto do Coração Selvagem (1943);- O Lustre (1946);- A Cidade Sitiada (1949);- A Mação no Escuro (1961);- A Paixão Segundo GH (1964);- Uma Aprendizagem (1969);- Água Viva (1973);- A Hora da Estrela (1977).
  30. 30. Contos:- Alguns Contos (1952);-Laços de Família (1960);-A Legião Estrangeira (1964);- Felicidade Clandestina (1971);- A Imitação da Rosa (1973);- A Via Crucis do Corpo (1974);- Onde Estivestes de Noite? (1974);- A Bela e a Fera (1979).
  31. 31. Crônicas e entrevistas:- De Corpo Inteiro (1975);- Visão do Esplendor (1975);- A Descoberta do Mundo (1984).
  32. 32. Infantil:- O Mistério do Coelho Pensante (1967);- A Mulher que Matou os Peixes (1969);- A Vida Íntima de Laura (1973);- Quase de Verdade (1978).
  33. 33. Conclusão Conclua-se que as características Literária dotrabalho da escritora é complexo e identificado como o ponto mais alto da segunda fase do Modernismo. O tema dominante versa sobre a necessidade que o homem tem de amparar-sena linguagem para suportar o desamparo diante do universo, recoberto pelo silênciointraduzível.Nas obras de Clarice se destacam: o emprego intenso da metáfora, o fluxo da consciência e o rompimento com o enredo. Noconjunto, essa técnica colabora para a visitação do mundo interior das personagens, sempre manifestado pela subjetividade em crise. A memória serve de elo condutor entre o subjetivo e o "real", favorecendo à auto-análise, numa espécie de "um contínuo denso de experiência existencial". Seus temas mais
  34. 34. É curioso como não sei dizer quem sou. Querdizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudotenho medo de dizer porque no momento em que tentofalar não só não exprimo o que sinto como o que sintose transforma lentamente no que eu digo...

×