Flúor ii

565 visualizações

Publicada em

Odontopediatria

Publicada em: Internet
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
565
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Flúor ii

  1. 1. FLÚOR IIFLÚOR II Auxiliar em Saúde Bucal – EADAuxiliar em Saúde Bucal – EAD Prof.: Catarine GrisaProf.: Catarine Grisa
  2. 2. MECANISMO DE AÇÃO DOMECANISMO DE AÇÃO DO FLÚORFLÚOR Durante o processo de formação de umaDurante o processo de formação de uma lesão cariosa ocorre inicialmente uma queda dolesão cariosa ocorre inicialmente uma queda do pH no meio ambiente da placa e esmalte,pH no meio ambiente da placa e esmalte, condição esta em que a hidroxiapatita pode secondição esta em que a hidroxiapatita pode se dissolver. O Flúor estando presente no meio édissolver. O Flúor estando presente no meio é depositado sobre a área desmineralizada dodepositado sobre a área desmineralizada do dente sob a forma de fluorapatita oudente sob a forma de fluorapatita ou fluorhidroxiapatita. Portanto aomesmo tempo fluorhidroxiapatita. Portanto aomesmo tempo  em que estiver ocorrendo  a desmineralizaçãoem que estiver ocorrendo  a desmineralização da hidroxiapatita estará ocorrendo a formaçãoda hidroxiapatita estará ocorrendo a formação da fluorhidroxiapatita.da fluorhidroxiapatita.
  3. 3. O Flúor atua na remineralização ao mesmoO Flúor atua na remineralização ao mesmo tempo que inibe a desmineralização. Ele interfere notempo que inibe a desmineralização. Ele interfere no crescimento, multiplicação e metabolismo dascrescimento, multiplicação e metabolismo das bactérias.bactérias. A administração constante de flúor pode levar aA administração constante de flúor pode levar a mudanças no tipo de bactéria predominante no meiomudanças no tipo de bactéria predominante no meio bucal favorecendo aquelas que são menos ácido-bucal favorecendo aquelas que são menos ácido- produtoras.produtoras. LEITURAS OBRIGATÓRIAS: Artigo 1: O PROCESSO DES-RE (Artigo 1) Artigo 2: Cárie dentária e flúor: uma relação do século XX
  4. 4.  a. Ao ser ingerido, o flúor entra em contato com o esmalte e a placa dentais e, já neste momento exerce sua ação.  b e c. Em seguida, é absorvido pelo trato gastrointestinal, inicialmente no estômago e, em seguida, no intestino.   d. No sistema gastro-intestinal, o flúor passa para a corrente sanguínea onde é distribuído para várias partes do corpo, inclusive para a cavidade oral, através da saliva, onde também entra em contato com os dentes e exerce seu efeito preventivo.   e. O flúor é armazenado no osso renovável.   f e g. O flúor em excesso é, então, metabolizado pelos rins (f), armazenado na bexiga (g) e excretado pela urina.   h. Excreção fecal do flúor. 
  5. 5. CONCLUSÕESCONCLUSÕES  Alto conteúdo de flúor nos tecidos dentaisAlto conteúdo de flúor nos tecidos dentais duros é menos importante que presençaduros é menos importante que presença moderada e constante de flúor no meio oralmoderada e constante de flúor no meio oral  É importante manter flúor na saliva e no fluidoÉ importante manter flúor na saliva e no fluido da placa para o controle da dissolução doda placa para o controle da dissolução do esmalte/dentinaesmalte/dentina  Ao contrário do que se acreditava antigamente,Ao contrário do que se acreditava antigamente, o flúor importante é aquele presenteo flúor importante é aquele presente constantemente na cavidade bucal,constantemente na cavidade bucal, participando do processo de cárie e agindoparticipando do processo de cárie e agindo diretamente na DES/REdiretamente na DES/RE
  6. 6. REFERÊNCIASREFERÊNCIAS BARROS, R.C. de. O Processo Des-Re.BARROS, R.C. de. O Processo Des-Re. RGORGO, 37 (3) : 181-184,, 37 (3) : 181-184, mai/jun, 1989.mai/jun, 1989. ELLWOOD, R., FEJERSKOV, O. Uso Clínico do Flúor In:ELLWOOD, R., FEJERSKOV, O. Uso Clínico do Flúor In: FEJERSKOV, O,; KIDD, E.FEJERSKOV, O,; KIDD, E. Cárie Dentária: A Doença e SeuCárie Dentária: A Doença e Seu Tratamento Clínico.Tratamento Clínico. São Paulo: Santos, 2005. Cap.13, p.189-São Paulo: Santos, 2005. Cap.13, p.189- 222.222. ISSÁO, M., GUEDES-PINTO, A. C.ISSÁO, M., GUEDES-PINTO, A. C. Manual de Odontopediatria.Manual de Odontopediatria. 11ª edição. São Paulo, SP, 2006, pág. 111-124.11ª edição. São Paulo, SP, 2006, pág. 111-124. NARVAI, P. C. Cárie dentária e flúor: uma relação do século XX.NARVAI, P. C. Cárie dentária e flúor: uma relação do século XX. Ciência & Saúde ColetivaCiência & Saúde Coletiva, 5(2):381-392, 2000., 5(2):381-392, 2000.

×