Gregory

417 visualizações

Publicada em

Leia gratuitamente a versão do meu livro e para comprá-lo basta ir no link: http://clubedeautores.com.br/book/43737--Gregory

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
417
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gregory

  1. 1. Este livro foi escrito em fonte INFORMAL ROMAN tamanho 16.AVISO: Todos os direitos desse livro pertencem ao autor Luan SantosFigueiredo, e cópia sem a autorização do autor é crime!
  2. 2. Gregory Luan Santos I – O início O sol ardente fazia os moradores de Vintown sofrerem com otempo ensolarado e quente que fazia naquela Terça-feira que podia serigual qualquer outra, exceto por uma coisa que o jornal daquela pequena epacata cidade parecia já prever quando em sua primeira página estampouque a justiça local havia soltado 100 presos para passarem o Dia das Mãesem suas respectivas casas. A causa? A juíza Sarah disse que havia feitoisso pelo bom comportamento dos presos. Antes de contá-los a série de trágicos acontecimentos que tornaramaquele mês de Maio marcante, vamos dar uma passadinha no passado?Ver os acontecimentos marcantes dos últimos dias que os fará entendertudo o que teremos pela frente... Quarta-feira antecedente... Um belo e sem igual nascer do Sol, fazendo o céu aparentar estaralaranjado, com as nuvens todas mescladas, e um clima ameno, tornavamaquele dia um dos mais bonitos do mês, os únicos que não podiampresenciar aquela bela cena eram os “moradores” do presídio Alexis, quese entusiasmavam, apenas, pelo fato de saber que, como toda Quarta eSábado, naquele dia eles teriam direito á tão sonhada visita intima, umdos poucos direitos que lhes restavam. Porém, Gregory, um dos presidiários, sabia muito bem que,retirando as 2 horas que teria direito de passar mantendo relaçõesafetivas com sua amada, Jane, aquele dia seria tedioso e sem novidades,como sempre ocorre no Alexis. O que ele não esperava era que sua amada parceira não iriaaparecer nem naquele dia, nem nos outros que viriam pela frente... OGregory [Luan Santos] Página 2
  3. 3. Gregory Luan Santosmotivo? Assassinato! Assassinato esse que Gregory veio saber apenas nodia seguinte, Quinta-feira. Os assassinos? Bem, ninguém ainda sabia, mas Gregory faria detudo para descobrir e vingar-se do maldito que tirou sua amada de seusbraços. Segunda-feira, o dia do anuncio dos 100 presos que iriam sersoltos... “100 presos, incluindo Gregory, o namorado de Jane, que foi mortana semana passada, foram soltos pela juíza Sarah para passar o Dia dasMães com a família.” Dizia à manchete que estava logo na primeirapágina do VINTOWNJORNAL, onde, por um simples aposto, o jornalparecia antecipar o que causaria a falta de bom-senso da decisão judicialde soltar Gregory em uma sociedade de vários inocentes e um assassinoque matou a mulher, motivo este suficiente para o mesmo jurar vingançaeterna. Junto à matéria, vinha a foto de Gregory que melhor o retratava.O mesmo era um rapaz forte, físico bastante avantajado, o que chamavaatenção de várias mulheres por onde ele passava, de estatura acima dos170 cm e pele mulata. Na época de sua prisão, ele foi acusado de assalto,sequestro, abuso sexual e homicídio doloso, que é aquele tipo de homicídioem que há a intenção de matar. Com uma ficha criminal bastante grande e a habilidade de tornardifícil a sua captura e prisão, Gregory sempre foi visto pelas autoridadespoliciais como uma espécie de “troféu”, pois aquele que o pegasse e ofizesse ser preso era visto, pelos colegas de profissões, como um herói,quase um Deus. Por este motivo, quando o mesmo jornal que agora anuncia aliberdade dada aos presos, anunciava a prisão de Gregory, executada pelaequipe do Comandante Jonas juntamente com o delegado Gustavo, todos osGregory [Luan Santos] Página 3
  4. 4. Gregory Luan Santospersonagens desta raridade foram vistos por uns com olhos de adoração,por outros com olhos de inveja, e por Gregory com os olhos da fúria. De volta ao presente, Gregory tinha acabado de ser solto, e jácomeçava a pensar como ia fazer para achar o assassino de Jane, e o queele faria quando estivesse cara a cara com a pessoa que matou a suaamada. Iria ele matá-lo? Primeiro faria ajudá-lo a achar o cadáver deJane? Perguntaria como o assassino matou sua parceira? Enfim... Aúnica coisa que veio em sua mente foi novamente o desejo de vingança. Chegava a noite, começava a ventar forte em Vintown, o clima, queantes era ensolarado e quente, tornava-se cada vez mais frio. Mas essefrio não tirou os pensamentos maliciosos de nosso protagonista, afinal, elemesmo sabia que aquilo era normal em Vintown, por ser uma cidademuito próxima de um deserto, o dia era cruelmente quente, e a noite,demasiadamente fria. Gregory decidiu ligar a televisão de seu humilde apartamento paraassistir o jornal que estava passando, e, como se fosse propositalmente, apróxima manchete falava de sua liberdade e trazia pequenos “flashbacks”de quando ele foi preso, e da morte de Jane. Logo, como num passe demágica, seu momento de calma e paz foi embora, dando lugar apenas aosseus pensamentos de vingança, que foram interrompidos apenas pelobadalar do sino anunciando às 9 da noite. Quando ele finalmente “despertou” e voltou-se para a televisão aindaligada, estava passando um filme de comédia, mas sabia que não tinhacabeça, nem humor, para soltar ao menos um riso, por esse motivo decidiudesligar a televisão e ir dormir, sempre em mente de que no dia seguinteiria começar a sua “caçada”.Gregory [Luan Santos] Página 4
  5. 5. Gregory Luan Santos II – Gozando a liberdade Antes do soar do sino das 6 da manhã, Gregory já haviaacordado, e estava na rua, passeando e pensando um pouco até chegar aoseu primeiro destino diferente de sua casa depois que foi solto, ele estavapegando um caminho que há muito tempo não havia pegado, o caminho deonde ficavam as prostitutas mais próximas. Ele rapidamente chegou a uma casa, não muito grande, porém com2 andares – sem contar com o térreo –com janelas rústicas, algumastinham até a aparência de enferrujadas, e, as que não estavam,encontravam-se emperradas, a porta era o único “adjetivo” daquela casa, amadeira em bom estado e de boa qualidade, trinco de plástico comgotículas de um minério, que, pela baixa iluminação no local, Gregory nãopode ao certo afirmar qual era. Ao entrar, foi recebido por uma simpática senhora, que aparentavater pouco mais de 40 anos, mas ainda tinha feições de uma bela jovemque ela foi. - Olá cavalheiro, meu nome é Jasmine, e sou a proprietária destacasa. Aqui está o nosso catálogo, o senhor pode escolher a vontade, e assimque se decidir é só me avisar, que eu lhe encaminho para a sua escolhida. Gregory tomou o catálogo em suas mãos. Tinha em torno de 100mulheres ali, mas uma em si lhe chamou muita atenção. Na foto, elaaparecia “vestida” de um sutiã vermelho, com um belo decote mostrandoparte de seus fartos seios, seu cabelo loiro vinha na altura da cintura, comum rosto “desenhado” por um belo artista, olhos azuis, sem a parte debaixo completamente coberta, apenas com um tapa-sexo também emvermelho, e seu enorme bumbum a mostra.Gregory [Luan Santos] Página 5
  6. 6. Gregory Luan Santos Sem excitar duas vezes, ele rapidamente chamou Jasmine e lheindicou a jovem. - Hum, percebi que o senhor tem bom gosto... Ela é nova aqui,disse que tem apenas 19 aninhos de vida... Porém para não lhe enrolarmais, me siga que eu lhe mostro o caminho. O corredor era escuro, com algumas luzes no chão – única fonte deiluminação do local – em que, na porta de cada quarto, as luzes estavamdispostas no formato de uma seta, quase convidando a pessoa a entrar.Gregory andou bastante, até o penúltimo quarto daquele enorme corredor. - Pronto senhor, daqui pra frente é com o senhor, aviso que serácobrado por cada 30 minutos, então se divirta... - Senhora Jasmine, qual o nome dessa jovem? - Yasmin, cavalheiro... O nome dela é Yasmin.Gregory [Luan Santos] Página 6

×