O sucesso e a felicidade nada têm                       a ver com o acaso                                                 ...
Ninguém enriquece por acaso            Um entendimento definitivo sobre os gênios que vai mudar o rumo da sua história“Há ...
gerenciar suas ações a fim de realizar aquilo que você busca na vida.Este capítulo mostra como ter, não apenas um propósit...
Desenvolva sua paixãoFocando nos seus pontos fortes para desenvolver seu verdadeiro talentoEste capítulo surpreendente tra...
O Princípio da Ordem EspontâneaBuscar algo intensamente e de forma determinada faz toda a diferençaAo analisar a criação d...
Poucas coisas na vida causam mais estresse do que a falta de dinheiro. Nenhum sentimento émais universal do que o desejo d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ninguém enriquece por acaso

5.321 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.321
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.011
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
131
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ninguém enriquece por acaso

  1. 1. O sucesso e a felicidade nada têm a ver com o acaso Jacob PétryA onda dos caminhos fáceis apoiados no pensamento positivo e na lei da atração revela, empouco tempo, sua fragilidade, apesar de continuar atraindo tanta gente. Em 2001, logo após o atentado ao World Trade Center, o presidente dos Estados Unidos, George W.Bush, temendo que o país caísse numa recessão, pediu aos americanos que fossem às compras. Cinco anosdepois, no dia em que assumiu a presidência no lugar de Bush, já diante de uma das maiores crises recentesdo país, Barack Obama também fez um apelo ao povo americano. Diferente de seu antecessor, Obama pediusacrifício à nação e disse que era hora de cada um dar o melhor de si. Os conceitos estabelecidos nessas duas formas de apelo delineiam duas maneiras tradicionais docomportamento humano. Uma é a busca de soluções impulsivas, superficiais e simples, que desconsideramos efeitos de longo prazo. A outra é o caminho mais duro e desafiador, que exige enorme concentração deesforços de nossa parte e prevê, ainda no presente, os resultados que teremos lá adiante. Há anos, temos usado esses mesmos princípios na explicação do sucesso. Assim como Bush, amaioria das pessoas é incapaz de resistir à tendência natural de optar pelo caminho mais fácil, semconsidera as consequências em longo prazo. Poucos são os que se entregam ao sacrifício, dando o melhor desi agora em prol de benefícios futuros. Ultimamente, porém, o problema se agravou ainda mais. Por umestranho motivo, autores passaram a ignorar por completo a segunda tendência, passando a explicar osucesso inteiramente através da primeira. Se analisarmos a literatura que trata a questão do sucesso, veremos que há duas correntes emmoda, e ambas integram a tendência da linha de Bush. De um lado, há um grupo que diz que tudo dependedo acaso, que estamos à mercê de circunstâncias que estão fora do nosso controle; de outro, há o grupo queprega princípios como a lei da atração. Para estes, tudo é possível e depende exclusivamente de nós; basta,para isso, atrair as coisas certas com o poder do pensamento. O problema desses dois conceitos é que eles estão nos afundando num oceano de comodismo,frustração e fracasso. O primeiro conceito nos aniquila pelo seu determinismo. Se tudo depende do acaso ouda sorte, então, não há o que fazer a não ser esperar para ver o que acontecerá. Afinal, se formos osescolhidos, as coisas acontecerão automaticamente. Se não, pouco adiantará nos empenhar. O segundoconceito peca por seu positivismo irrealista. De acordo com O Segredo, um dos livros mais vendidos nomundo nos últimos anos, que representa a essência dessa linha de pensamento, comer, por exemplo, nãoengorda; o que engorda é o pensamento. Se você comer como um elefante, e continuar engordando, oproblema não é a comida, é o seu pensamento que está errado. Ou seja: a falta de vontade para fazer dieta eexercícios físicos não é o problema, o problema é como você pensa. Basta olhar para a biografia dos gênios de qualquer época, para ver que genialidade é umaqualidade desenvolvida com esforço, disciplina e rigor. Os gênios descobrem em si uma habilidade naturale trabalham duro, durante longos anos, para desenvolver o que há de melhor nessa sua habilidade. Foiexatamente isso que levou Michelangelo a dizer que se as pessoas soubessem o esforço necessário para levá-lo aonde ele chegou, não o chamariam de gênio. Ou ainda, Thomas Edison a considerar que sucesso énoventa por cento de transpiração e dez por cento de inspiração. É verdade: os problemas no mundo real são ambíguos e quase sempre indefinidos, e o contextoestá sempre mudando; regras e molduras raramente funcionam. Poucas vezes conseguimos prever o futurocom exatidão. É claro que a qualidade dos nossos pensamentos é fundamental, mas o sucesso é um caminhoque precisa ser construído entre as rochas da imprevisibilidade.Para construí-lo, precisamos de uma energiaotimista, mas sem o sacrifício da ação prática, que faz com que exploremos o melhor que há em nós, ir àscompras quase sempre é a pior coisa que podemos fazer.
  2. 2. Ninguém enriquece por acaso Um entendimento definitivo sobre os gênios que vai mudar o rumo da sua história“Há uma genialidade em cada um de nós esperando para ser desenvolvida”Por que algumas pessoas têm uma incrível capacidade de ver oportunidades e outras nãoconseguem ver nada além de obstáculos?Este livro trata de uma ideia bem simples: se gênio é alguém com habilidade e perspicáciapara encontrar uma solução simples para um problema incomum, todos podemosdesenvolver a genialidade em algum campo.Ninguém enriquece por acaso mostra que a genialidade não é privilégio dos bem-nascidos, masresultado de uma atitude mental diferenciada. Pessoas geniais não são favorecidas poroportunidades ocultas; pelo contrário, elas buscam seu espaço. Um gênio, além dedesenvolver seu talento, consegue, por sua atitude mental, agrupar em torno de uma ideiaum estado de espírito que conspira em prol dessa ideia. Em outras palavras, toda genialidadeque nos conduz à riqueza começa com uma simples ideia; mas é preciso mais que uma ideiapara desenvolver a genialidade. Essa ideia precisa ser germinada em um contexto, e essecontexto pode ser criado.Por meio de exemplos práticos (como Steve Jobs, Michelangelo, o criador da Sony e o doGoogle e muitos outros gênios reais e impressionantes da humanidade) e comprovaçõescom base científica, Ninguém enriquece por acaso mostra que nossa herança genética e culturalnão é, necessariamente, fator determinante na composição daquilo que somos.Estruturado sobre a fé inabalável de que é possível mudar; de que as pessoas são capazes detransformar radicalmente suas vidas;e de que todos nós somos mais fortes, mais inteligentese mais capazes do que imaginamos, Jacob Pétry nos mostra o caminho possível para agenialidade, revelando que o que diferencia as pessoas que obtêm resultados extraordináriossão princípios simples e óbvios, mas ignorados pela maioria.O objetivo deste livro é estimular você a mudar sua postura diante da vida; a olhar para simesmo; e a compreender como é possível alterar os resultados que obtemos ao longo dosanos. Eis os estágios apresentados pelo autor:A lição de George BushEntenda por que o sucesso não é privilégio de alguns, e sim uma semente que todos podemos preparar ecultivarVocê já se perguntou por que algumas pessoas muito inteligentes não conseguem sucessoprofissional, enquanto outras, consideradas menos inteligentes, surpreendem? Qual é osegredo dessas pessoas? Jacob Pétry inicia seu livro nos mostrando que a resposta está emtrês atitudes básicas: ser pró-ativo, ter um propósito definido e desenvolver a disciplina diária para
  3. 3. gerenciar suas ações a fim de realizar aquilo que você busca na vida.Este capítulo mostra como ter, não apenas um propósito, mas um propósito definido,focado, determinado e forte o suficiente para desafiar suas convicções e sua autoimagem.Autossugestão: o poder do monólogo interiorO grande duelo entre a nossa determinação e os vícios que habitam a nossa menteNeste capítulo, você é convidado a perceber que entendemos o sucesso dos outros como umevento, quase como um fato instantâneo; que vemos esforço como sinônimo de falta deinteligência e talento, e assim passamos a acreditar que o sucesso tem algo de mágico.O poder de escolhaMudando a realidade a partir da mudança de pensamentos e atitudesNo terceiro capítulo, você vai entender que a maioria de nós não consegue desenvolver seuspotenciais porque encara o sucesso como resultado da perfeição. Na verdade, o sucesso éfeito de erros, fracassos e imperfeições que, na maioria das vezes, nunca são completamenteeliminados.Também vai entender que, quando acreditamos que para sermos reconhecidos e valorizadosprecisamos ser perfeitos, criamos um ressentimento interno, que nada mais é do que umanão aceitação de um fato que já aconteceu. Esperneando como uma criança diante do quenão pode ser mudado, perdemos o rumo do sucesso. É aí que entra o poder da escolha: ascircunstâncias em que nascemos têm pouco ou nada a ver com o nosso futuro. Elas podeminfluenciar de forma positiva ou negativa, mas a escolha é nossa.A invenção de nós mesmosComo tornar-se o verdadeiro protagonista de sua históriaNeste capítulo, o autor faz uma análise sobre o que define nossa personalidade e por queagimos da maneira como costumamos agir. Ao compreender esses dois pontos, você teráuma noção simples e clara de quem realmente é.Através de exemplos práticos, você vai compreender que a memória não é como umconjunto de arquivos no computador, pois vamos, involuntária ou inconscientemente,adicionando ou omitindo detalhes cruciais, alterando constantemente o conteúdo do queestá armazenado. E da mesma forma que criamos uma história sobre os fatos e ascircunstâncias que nos envolvem, também criamos uma história sobre nós mesmos. Sesomos nossa própria criação, podemos nos reinventar e nos construir da forma comogostaríamos de ser.Neste capítulo aprendemos que, embora sejamos condicionados pelo nosso pensamento,somente o pensamento pode perceber nosso condicionamento e nos libertar dele.
  4. 4. Desenvolva sua paixãoFocando nos seus pontos fortes para desenvolver seu verdadeiro talentoEste capítulo surpreendente traz algumas chaves importantes que vão mudar a sua forma dever as coisas.Você vai descobrir que corrigir suas fraquezas jamais o levará a um desempenhoextraordinário. Vai ver que há uma grande diferença entre fazer algo que é agradável e fazeralgo que, por meio da prática constante, aprendemos a executar bem. Talento não é omesmo que competência, pois talento é a capacidade de fazer uma coisa com facilidadenatural superior à das demais pessoas. Você só desenvolve a sua genialidade quando foca noseu talento, na sua vocação natural.Finalmente, vai entender que, no processo de escolha, as emoções são muito maisimportantes do que poderíamos imaginar. As melhores e mais acertadas decisões não passamapenas pelo racional, mas se deixam tocar por uma boa dose de impulso e emoção.A paixão verdadeira quebra todos os limites e fronteiras, porque é contagiante e magnética.A melhor aplicação para a razão está justamente depois da descoberta da paixão, comogrande aliada para desenvolvê-la ainda melhor.O poder da percepçãoA grande chave para mudar os efeitos do passado e do futuro e reinventar-sePessoas geniais entendem a forma como o cérebro se relaciona com as noções de tempo,eliminando dúvidas e angústias, como o pensamento negativo.Este capítulo nos coloca em contato com o poder da percepção, com a qual podemos mudaros efeitos do passado e do futuro sobre o presente. Assim, alterar nossa autoimagem,livrando-a das opiniões acumuladas no passado e mantidas na nossa memória.Através de conceitos surpreendentemente simples, você vai entender que tem poder de criaro concreto com o abstrato, o que também pode ser chamado de Fórmula Mágica daRiqueza.A irrefutável influência das relaçõesQuebrando o mito dos gênios solitários: o poder do pluralNesta parte do livro, o autor nos mostra que a genialidade precisa da força que existe nainteração de duas ou mais mentes, focadas no mesmo propósito. Se você estiver interessadoem desenvolver sua própria genialidade, precisa aliar-se a energias que tenham um propósitoem harmonia com o seu.O autor destrói a imagem do gênio isolado em seu casulo, capaz de ter suas ideias sempresozinho. E mostra que as grandes invenções tecnológicas e inovações científicas e culturaissão, na verdade, descobertas de equipe, resultado de redes de pessoas trabalhando emcolaboração, em diferentes estágios, durante anos.
  5. 5. O Princípio da Ordem EspontâneaBuscar algo intensamente e de forma determinada faz toda a diferençaAo analisar a criação da rede social Facebook, o autor nos apresenta a Lei do Magnetismo:somos atraídos por pessoas que compartilham a nossa paixão. São encontros provocadospor forças que, quase sempre, são o resultado de nossas escolhas. Mas a mesma força queune duas pessoas em torno do mesmo propósito provoca a separação quando esse propósitodeixa de estar em perfeita harmonia.Você vai aprender que, quando uma pessoa deseja realizar um propósito tão intensamenteque não hesita em colocar toda a sua vida em jogo, ela está forçosamente predestinada arealizá-lo, seja ele o que for.Trata-se do Princípio da Ordem Espontânea: você busca algo intensamente e, quandomenos espera, no lugar em que menos espera e da forma como menos espera, atinge seuobjetivo. Acidentes positivos são resultado desse princípio: são fenômenos que semanifestam apenas por meio da persistência; são criados ao longo de anos de esforço oucom extrema intensidade.O segredo da origem das riquezasDetalhes que fazem a diferença na busca da riquezaNo último capítulo, Jacob Pétry nos abre os olhos para três detalhes importantes sobre aspessoas que alcançam o sucesso: - Elas têm uma autoestima livre de convicções que as deixem vulneráveis à opinião própria ou alheia; - São mais interessadas em aprender do que em ensinar; - Não culpam os outros por suas adversidades e seus contratempos, muito menos a si próprias.Sobre o autor:Nascido no Brasil, Jacob Pétry formou-se em filosofia, especializando-se na obra de KarlPopper. Depois de morar na Holanda e Espanha, radicou-se nos Estados Unidos. Ali, nosúltimos anos, dedicou-se ao estudo de psicologia cognitiva e fenomenologia epistemológica,relacionando-as ao comportamento das pessoas que alcançam resultados extraordinários navida. Entre os livros de sua autoria, destacam-se: O céu é de pedra, Ilusões rebeldes, As gêmeas e Oóbvio que ignoramos.4ª capa:
  6. 6. Poucas coisas na vida causam mais estresse do que a falta de dinheiro. Nenhum sentimento émais universal do que o desejo de ficar rico. No entanto, poucas pessoas conseguem adquirirestabilidade financeira ao longo da vida.Por que ficar rico é tão difícil?Ninguém Enriquece por Acaso apresenta uma compreensão nova dos motivos que fazem comque uma pequena minoria pareça não ter limites para suas realizações enquanto muitos denós dificilmente conseguem sair do lugar.Através da análise da vida de dezenas de pessoas que começaram do nada e construíramfortunas, Jacob Pétry desafia a crença de que a riqueza é resultado do acaso e beneficiaalguns escolhidos. Por meio de histórias relatadas no livro, ele mostra que em todas asépocas pessoas comuns têm construído suas fortunas, e que qualquer pessoa pode mudara si mesma e transformar o seu destino. Nos 10 capítulos presentes no livro ele mostra, entreoutras coisas, como a crença que você tem sobre suas possibilidades geralmente éequivocada. E como mudar isso.Neste livro, o autor não apenas nos convence de que o caminho para a riqueza pode serexplorado por qualquer um, mas também nos oferece as ferramentas necessárias para darinício a esse processo imediatamente.

×