Liçao1 rm gl ef

1.001 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.001
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
407
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A palavra gentio designa um não israelita e deriva do termo latino gens (significando "clã" ou um "grupo de famílias") e é, muitas vezes, usada no plural.
  • Forum - e era centro de interesse comercial, cívico e cultural dos romanos. Os melhores templos, palácios, circos, balneários, monumentos, anfiteatros e edifícios do governo estavam nos arredores do Foro. Toda a vida romana se centralizava ali, e todas as ruas saíam do marco dourado localizado no Foro. Paulo, Lucas, Pedro e outros grandes cristãos devem ter visitado o Foro com freqüência. É provável que tenha sido o local em que Paulo tenha sido sentenciado a morte. Mas as guerras, os terremotos, os incêndios e a passagem do tempo converteram em ruínas essas antigas estruturas, e o pó dos séculos as cobriu.
  • 1. Uma igreja heterogênea. A lista de saudações de Paulo (no capítulo 16) evidencia que a igreja em Roma tinha um caráter heterogêneo. Havia judeus (convertidos), gentios e escravos. A menção de Paulo a seus “parentes” pode referir-se a seus irmãos de raça — judeus, agora convertidos a Cristo (9.3,4). É bem provável que estes fossem cristãos que o apóstolo conhecera em outros lugares durante suas extensas e prolongadas viagens evangelísticas, pastorais e administrativas e que, na ocasião em que escreveu a carta, residissem em Roma. Áquila e Priscila, queridos irmãos, amigos e colaboradores de Paulo, foram obrigados a deixar Roma anteriormente. Mas, agora, estavam de volta, e sua casa era um dos locais de reunião da igreja (era prática comum na igreja primitiva a reunião nas casas dos próprios cristãos). Uma igreja respeitada. Os crentes de Roma eram fiéis e dedicados seguidores de Cristo, segundo o evangelho (Rm 1.8,12; 6.17; 7.4; 15.14; 16.19). Conforme se lê em Rm 15.24, Paulo, por ocasião da epístola, contava com a assistência daqueles irmãos para a realização de uma obra missionária na Espanha. Em Romanos 16.16, Paulo transmite uma saudação das demais igrejas dirigida exclusivamente à igreja de Roma.
  • 1. Uma igreja heterogênea. A lista de saudações de Paulo (no capítulo 16) evidencia que a igreja em Roma tinha um caráter heterogêneo. Havia judeus (convertidos), gentios e escravos. A menção de Paulo a seus “parentes” pode referir-se a seus irmãos de raça — judeus, agora convertidos a Cristo (9.3,4). É bem provável que estes fossem cristãos que o apóstolo conhecera em outros lugares durante suas extensas e prolongadas viagens evangelísticas, pastorais e administrativas e que, na ocasião em que escreveu a carta, residissem em Roma. Áquila e Priscila, queridos irmãos, amigos e colaboradores de Paulo, foram obrigados a deixar Roma anteriormente. Mas, agora, estavam de volta, e sua casa era um dos locais de reunião da igreja (era prática comum na igreja primitiva a reunião nas casas dos próprios cristãos). Uma igreja respeitada. Os crentes de Roma eram fiéis e dedicados seguidores de Cristo, segundo o evangelho (Rm 1.8,12; 6.17; 7.4; 15.14; 16.19). Conforme se lê em Rm 15.24, Paulo, por ocasião da epístola, contava com a assistência daqueles irmãos para a realização de uma obra missionária na Espanha. Em Romanos 16.16, Paulo transmite uma saudação das demais igrejas dirigida exclusivamente à igreja de Roma.
  • O envio da epístola ocorreu através de Febe, de Cencreia suburbio de corinto. Estava de viagem marcada para roma (rm 16.1-2) e levou-a a pedido de paulo. Não existia serviço postal no Império, a não ser para correspondencias do governo. As cartas particulares dependiam de amigos ou viajantes.
  • Judaizantes – defendiam as leis cerimoniais mosaicas e a salvação pelas obras, formalidades e ritos religiosos. Doutrinarias – abuso da liberdade cristã participando de alimentos oferecidos aos ídolos e outros comportamentos ofensivos para cristãos.
  • Judaizantes – defendiam as leis cerimoniais mosaicas e a salvação pelas obras, formalidades e ritos religiosos. Doutrinarias – abuso da liberdade cristã participando de alimentos oferecidos aos ídolos e outros comportamentos ofensivos para cristãos.
  • Judaizantes – defendiam as leis cerimoniais mosaicas e a salvação pelas obras, formalidades e ritos religiosos. Doutrinarias – abuso da liberdade cristã participando de alimentos oferecidos aos ídolos e outros comportamentos ofensivos para cristãos.
  • Judaizantes – defendiam as leis cerimoniais mosaicas e a salvação pelas obras, formalidades e ritos religiosos. Doutrinarias – abuso da liberdade cristã participando de alimentos oferecidos aos ídolos e outros comportamentos ofensivos para cristãos.
  • Judaizantes – defendiam as leis cerimoniais mosaicas e a salvação pelas obras, formalidades e ritos religiosos. Doutrinarias – abuso da liberdade cristã participando de alimentos oferecidos aos ídolos e outros comportamentos ofensivos para cristãos.
  • Judaizantes – defendiam as leis cerimoniais mosaicas e a salvação pelas obras, formalidades e ritos religiosos. Doutrinarias – abuso da liberdade cristã participando de alimentos oferecidos aos ídolos e outros comportamentos ofensivos para cristãos.
  • Timóteo e João pastorearam Tres cartas de Paulo dizem respeito a Éfeso: Efésios, 1 e 2 Tm
  • Liçao1 rm gl ef

    1. 1. Cartas Paulinas e Gerais Lição 1 ROMANOS, GÁLATAS E EFÉSIOSProfª Loyde Capellari email: loydecapellari@yahoo.com.br
    2. 2. Local onde Paulo nasceu15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    3. 3. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    4. 4. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    5. 5. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    6. 6. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    7. 7. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    8. 8. Epístola aos RomanosResumoPaulo escreve aos cristãos de origem judaica egentílica em Roma, aos quais esperava visitarem breve, tratando dos grandes temas da lei, fé esalvação.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    9. 9. A Cidade de Roma Na época de Paulo, Roma era a capital do império (Inglaterra à Arábia) Roma fica sobre sete colinas próximas ao rio Tibre. Tinha mais de um milhão de habitantes. Tinha grande quantidade de templos. Augusto afirmou em um único ano, 28 a.C. restaurou 82 templos.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    10. 10. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    11. 11. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    12. 12. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    13. 13. Maquete da Roma Antiga – Capitólio15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    14. 14. A maior parte da população morava emgrandes edifícios, chamados insulae 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    15. 15. O Fórum – coração Coliseuadministrativo de Roma 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    16. 16. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    17. 17. A origem da Igreja em Roma Tanto judeus como gentios de Roma participaram do dia de Pentecostes, e voltaram a sua cidade testemunhado a fé e formando a igreja. Outro fato, foram as perseguições contra a igreja de Jerusalém. Intercâmbio entre Roma e as províncias.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    18. 18. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    19. 19. A Igreja em Roma1. Uma igreja heterogênea. A lista de saudações de Paulo (cap. 16) evidencia que a igreja em Roma tinha um caráter heterogêneo.1. Uma igreja respeitada. Os crentes de Roma eram fiéis e dedicados seguidores de Cristo, segundo o evangelho (Rm 1.8,12; 6.17; 7.4; 15.14; 16.19).15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    20. 20. Data e local da escrita Ao escrever essa Epístola Paulo estava em Corinto, na casa de Gaio (16.23) cristão rico daquela cidade, por ocasião de sua terceira viagem missionária. A carta não é escrita de próprio punho, Tércio se apresenta como o escritor (16.22). Quanto à data, existem pequenas divergências, mas a mais provável é entre 55 e 57 d.C.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    21. 21. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    22. 22. Propósitos da Epístola Apresentar a doutrina cristã a uma comunidade que não foi fundada por um dos apóstolos, talvez por esse motivo, todos os pormenores doutrinários. Preparar os irmãos para uma visita sua a cidade de Roma (15.23-33); Explicar o relacionamento entre judeus e gentios dentro do plano global de redenção traçado por Deus. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    23. 23. Conteúdo da Epístola Escrita para fins apologéticos, pois fazia oposição aos judaizantes que atuavam em Roma; Para corrigir dificuldades doutrinárias dos crentes da cidade. Epístola tem caráter didático, pois o objetivo era dar solução a algum problema.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    24. 24. Conteúdo da Epístola Por isso, escreveu sobre doutrina da graça e da fé (Rm 1-5); vida piedosa e graça divina (Rm 6); o matrimônio (Rm 7), moral e conduta cristã (Rm 12-15). Também para avisá-los de que ia visitá-los. Não sabia se sairia vivo de Jerusalém (Rm 15.31), por isso deixa registrado um texto sobre o evangelho de Cristo.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    25. 25. Conteúdo da EpístolaA justiça de Deus Romanos 1 a 3 mostra a acusação de Deus contra a raça humana (judeus e gentios), todos são culpados. Dois homens são apresentados no texto: Adão (morrem) e Cristo (vivem). Jesus tem o poder de redenção espiritual. Através do seu Santo Espírito são geradas: justificação, regeneração e santificação. A justificação do indivíduo depende da graça de Cristo e não da lei mosaica.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    26. 26. Conteúdo da EpístolaA fé A fé é meio pelo qual as bênçãos fluem de Cristo para o fiel. Consiste de uma entrega confiante de alma, resultando do Espírito Santo que age por graça. A fé produz arrependimento, conversão e regeneração. A salvação é uma experiência viva e não mera doutrina teórica e sem vida.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    27. 27. Conteúdo da EpístolaA identificação espiritual com Cristo A identificação do fiel com Cristo ocorre mediante um batismo espiritual que proporciona ao fiel participar de sua morte e ressurreição (Rm 6). Essa doutrina pressupõe um contato real, ao nível de alma, com o espírito, que capacita o fiel a ser vencedor e desfrutar desse contato que produz vida transformada.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    28. 28. Conteúdo da EpístolaTransformação segundo a imagem de Cristo O conflito entre a antiga natureza, inclinada ao pecado, e a nova natureza, inclinada para Deus, existe apenas no ser humano regenerado Rm 7). Em Rm 8, são apresentados os mais profundos temas da epístola: doutrina da chamada, da eleição, da predestinação, da glorificação, da herança e a segurança eternas.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    29. 29. Epístola aos Gálatas Resumo Uma carta escrita às pressas em que Paulo lida com problemas sérios. A questão básica diz respeito a mestres que insistiam que os cristãos de origem gentílica deviam ser circuncidados e guardar a lei judaica.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    30. 30. A Província da Galácia Na época do NT, “Galácia” podia referir-se à região centro-norte da Ásia Menor (hoje Turquia) ou a uma província romana na Ásia Menor central. Antioquia da Pisídia, Icônio, Listra e Derbe eram cidades da província e Paulo visitou a todas na primeira viagem missionária (At 13 e 14).15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    31. 31. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    32. 32. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    33. 33. A Província da Galácia Os gálatas eram gálios, oriundos do norte do mar Negro. Separaram-se da migração principal que foi para o oeste e acabaram ficando na região que agora é a França (nos dias de Paulo chamada Gália). Eles se estabeleceram na Ásia Menor no séc. III a.C.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    34. 34. A importância da Epístola Essa epístola foi escrita a uma comunidade de gentios convertidos e perturbados por indivíduos legalistas, com o objetivo de servir de documento que assegurasse a liberdade cristã que os fiéis podem desfrutar em Jesus. (Ler At 10)15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    35. 35. A importância da EpístolaPrimeira visita de Paulo Foi motivada por doença física (Gl 4.13), permanecendo ali vários meses.Segunda visita de Paulo Foi menos animadora, pois a situação entre os cristãos da Galácia o fez sentir-se pouco à vontade.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    36. 36. A importância da EpístolaData provável Alguns estudiosos acreditam que a epístola foi escrita em 57 d.C. no final da terceira viagem missionária, quando estava em Éfeso, na Macedônia, ou em Corinto, pouco antes de escrever Romanos. Outros acreditam que foi escrita em Antioquia em 49 d.C. antes do Concílio de Jerusalém, sendo assim, seria a primeira epístola a ser escrita.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    37. 37. Concílio Eclesiástico em Jerusalém A controvérsia legalista provocou o primeiro Concílio Universal a Igreja Cristã, realizado em Jerusalém e registrado historicamente em Atos 15. O concílio foi a favor de Paulo e de suas idéias de liberdade cristã, mas a história mostra que isso não solucionou a controvérsia, pois os judaizantes começaram a perseguir Paulo. Posteriormente, Paulo foi à Galácia levando a declaração do concílio e declarando a circuncisão desnecessária.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    38. 38. Objetivos da Epístola Mostrar a unidade da Igreja As igrejas estavam lutando entre si e contra Paulo. Paula argumenta que em Cristo, todos os remidos se tornam um só, sem distinção.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    39. 39. Objetivos da EpístolaUniversalidade da mensagem cristã Em Cristo, os israelitas não desfrutavam de posição privilegiada (At 1.1-8). Prever privilégio para os judeus em detrimento dos gentios era argumento do legalismo que já tinha afetado até mesmo os apóstolos (Gl 2). Essa epístola tornou-se um tipo de defesa da suficiência de Cristo,bem como da nova fé, que liberta a todos os seres humanos.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    40. 40. Objetivos da Epístola Defesa do apostolado de Paulo Paulo defendeu a legitimidade do seu apostolado, a autoridade do evangelho pregado por ele, a doutrina da justificação pela fé sem qualquer combinação de obras ou rituais legalistas e a eficiência dos princípios cristãos como base para a vida de liberdade em Cristo.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    41. 41. Objetivos da EpístolaCombater a ação dos judaizantesQuem eram os judaizantes? Os judaizantes eram uma seita de cristãos primitivos que acreditavam que os gentios deveriam se converter ao Judaísmo a fim de aceitar Jesus como Messias. Isto significava, dentre outras coisas, observar a circuncisão, os dias das festividades judaicas e as dietas alimentares previstas na Lei [de Moisés]. Os representantes perseguiam Paulo em suas viagens missionárias, tentando destruir seu trabalho.15/03/13
    42. 42. O que é Circuncisão? Nome do rito físico de iniciação ao Judaísmo. Operação cirúrgica que consiste na remoção do prepúcio,com o objetivo de distinção entre povos,praticada por razões higiênicas e/ou religiosas”.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    43. 43. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    44. 44. Epístola aos Efésios Resumo Carta circular de Paulo às igrejas da região de Éfeso.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    45. 45. A primeira epístola da “prisão”Carta Circular Muitos estudiosos supõem que esta era uma “epístola circular”, enviadas para algumas igrejas da Ásia, provavelmente as mencionadas no Apocalipse: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia, incluindo outras localidades não mencionadas no NT.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    46. 46. A cidade de Éfeso  Cidade mais importante da Ásia com 250 mil habitantes Metrópole e centro comercial da Ásia Possuía o porto mais importante da região Possuía um teatro (25 mil pessoas – At 19.29) Uma ágora (praça central) Uma biblioteca e vários templos Paulo fundou a igreja que veio a ser o centro evangelístico da Ásia
    47. 47. 15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    48. 48. Religião de Éfeso Templo de Diana O templo de Diana era uma das sete maravilhas do mundo antigo, servido por inúmeras sacerdotisas- prostitutas. O culto à deusa gerava muito comércio (talismãs e lembranças) e Éfeso tornou-se um local deDeusa Diana peregrinação para seus adoradores.
    49. 49. A primeira epístola da “prisão” Essa igreja foi fundada por Paulo em sua segunda viagem missionária (At 18.19-21). Paulo escreveu a epístola quando estava preso em Roma (61 ou 62 d.C.) Enviou- a Ásia juntamente com as epístolas de Colossenses e Filemon.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    50. 50. A primeira epístola da “prisão”Essa epístola difere das demais: não há saudação pessoal, embora Paulo tivesse passado muitos anos ali e tivesse muitos amigos (At 19) Não há assunto específico; Faltam as saudações comuns e as referências pessoais que situam a carta em uma determinada localidade.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    51. 51. Objetivo da Epístola aos Efésios Paulo não queria que houvesse duas igrejas rivais: uma judia e outra gentílica. Desejava que ambas fossem unidas em Cristo. Provou isto diante das ofertas arrecadadas entre os gentios e enviadas aos judeus pobres de Jerusalém (At 21)15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    52. 52. Conteúdo de Efésios Efésios é uma das epístolas que combatem heresias, o que lhe dá um caráter apologético. A epístola possui elevada Cristologia com que Paulo procura combater o Gnosticismo. O conteúdo da epístola forma dois grupos: (1) doutrinário (cap. 1-3) aborda a riqueza do crente. (2) Prático (cap. 4-6) que aborda o andar do crente em Cristo.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    53. 53. GnosticismoConjunto de ensinos heréticos que a igreja primitiva teve que enfrentar nos dois primeiros séculos. Entre eles:1. Cristo não era humano, apenas aparentemente (fantasma)2. O Espírito de Cristo não habitou no Jesus humano, a não ser a partir do seu batismo. Antes da morte de Jesus, o Espírito de Cristo o abandonou.15/03/13 Lição 1 - Romanos, Gálatas e Efésios
    54. 54. Gnosticismo3. Cristo não sofreu e morreu, mas sim Simão de Cirene, que se dispôs a levar a cruz por Ele. Reverenciar o crucificado é continuar es-cravo dos anjos inferiores cujo chefe é o deus dos judeus. É desconhecer o Pai Inigê- nito, cuja Mente primogênita é Cristo. 55
    55. 55. GnosticismoA postura cristológica do gnosticismo “cristão” gerou dois tipos de comportamento:1. Ascetismo (abstenção de toda e qualquer sensualidade) ou2. Antinomia (vida sem lei, libertinagem).* O Cristianismo corria riscos. Os fundamentos da esperança cristã estavam sendo lançados fora, visto que a gnose não aceitava a encarnação, morte e ressurreição do Cristo como realidade. O fundamento da redenção prometida em Cristo (1Co 15. 1-8) estava sendo ocultado por um sincretismo filosófico.

    ×