Farmacologia Homeopática

5.085 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.085
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
97
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Farmacologia Homeopática

  1. 1. FARMACOLOGIA HOMEOPÁTICA Modelo terapêutico homeopático é: Filosófico vitalismo Científico experimentação pesquisa patogenética Mecanicistas : afirma que o corpo do homem é uma máquina que obedece as Leis Mecânicas. Animistas: afirma que os fenômenos da vida advém da ALMA, que seria a força que anima a matéria orgânica. Vitalistas: BARTHEZ, dizia que o homem era dotado de impulso que o anima e o mantém sob forma de vida, a força vital, que é ativa ou natural e se une à matéria orgânica. HAHNEMANN - VITALISTA FARMACOLOGIA EFEITO PRIMÁRIO OU AÇÃO PRIMÁRIA: é a modificação de maior ou menos duração provocada por uma substância na saúde do indivíduo. EFEITO SECUNDÁRIO OU REAÇÃO SECUNDÁRIA : é a reação do próprio organismo ao estímulo que o altera. Conseqüência direta por ação química Reação homeostática do organismo
  2. 2. Efeito primário: resulta da interação dos fármacos com componentes celulares (receptores, enzimas, etc) Despertam ou modificam funções orgânicas Efeito secundário: reação paradoxal do organismo, após diminuição da estimulação. LEI DOS CONTRÁRIOS LEI DOS SEMELHANTES Método alopático: tende a desenvolver no homem sadio sintomas diferentes e/ou contrários aqueles apresentados pela doença a ser curada. Método homeopático: tende a desenvolver no homem sadio sintomas semelhantes àqueles apresentados pelo paciente. Método isopático: promove a cura da doença pelo mesmo princípio que causou a doença. Homeostase do organismo
  3. 3. OBRAS LITERÁRIAS ORGANON, ARTE DE CURAR, 6ed. 1921. REPERTÓRIOS: sistematização ou catalogação dos sintomas relacionando-os aos medicamentos. Impressos ou informatizados ex.: CEFALÉIA CONTÍNUA DIREITA PIORA DE MADURGADA MELHORA AR LIVRE MATÉRIAS-MÉDICAS: reúnem as patogenesias ou sinais e sintomas desenvolvimentos pelos medicamentos administrados em certos indivíduos. Matérias médicas puras Matérias médicas semi puras Matérias médicas clínicas Matérias médicas interpretativas
  4. 4. SAÚDE versus DOENÇA Segundo Hahnemann, “ No estado de saúde, a força vital espiritual, que dinamicamente anima o corpo imaterial, reina com poder ilimitado e mantém todas as suas partes em admirável atividade harmônica, nas suas sensações e funções, de maneira que o espírito dotado de razão, que reside em nós, pode livremente dispor desse instrumento vivo e são, para atender aos mais altos fins de nossa existência.” (§9, Organon, 6ed.,1920). Segundo OMS, Saúde é o estado completo de bem estar físico, mental, social e econômico. Para a homeopatia, Doença : é estado de desequilíbrio da tríade CORPO + MENTE + FORÇA VITAL, que poderá ser recomposta pelo medicamento dinamizado, voltando-se ao equilíbrio. SAÚDE DOENÇA Doenças agudas ou quadros agudos: são episódios curtos decorrentes, muitas vezes de estados crônicos ocultos. Ex.: amigdalite aguda em indivíduos asmáticos com predisposição mórbida no sistema respiratório. Doença aguda cura morte
  5. 5. Doenças crônicas: representam um estado mórbido individual que nem sempre leva à morte. De acordo com a reação do organismo são chamadas de modo reacional crônica ou miasmas ou diáteses. São classificadas em: A) PSORA: o organismo responde a um estímulo mórbido de forma alternante, referindo-se principalmente a alergias, manifestações cutâneas e mucosas. B) SICOSE: o organismo responde a um estímulo mórbido, alterando a quantidade e qualidade das eliminações, originando neoformações, manifestando-se com retenção hídrica, crescimento de verrugas, miomas, cistos, etc. C) LUESE: o organismo responde a um estímulo mórbido com destruição ( ulceração, necrose e destruição).
  6. 6. MIASMA DA PSORA: SULPHUR E PSORINUM Gostam de viver em comunidades, são muito teóricos, tendo dificuldade para conseguir concretizar suas idéias. Grandes filósofos, vivem especulando e não se importam com a aparência. Einstein era Sulphur, até a queimação nos pés sentia, levando-o a colocá-los em uma bacia com gelo. Não se incomodam com a desordem, gostam de juntar coisas antigas e as amontoam pelos cantos.                                                                
  7. 7. Artrite, reumatismo, cistite, sinusite, otite, renite, etc. Grande inquietação das pernas, treme-as constantemente. Gonorréia aguda e crônica. Infec ões, corrimentos, neoforma ões como condilomas, têm tropismo pelos órgãos genitais Animais sicóticos também são reservados, não demonstrando suas reais intenções, se camuflam e com isso criam carapaças e excrescências externas. Sem sicose não há câncer. No estado verrucoso aparece todo tipo de tumores benignos que podem evoluir para malignos. Pessoas caladas, silenciosas, guardando mágoas e toxinas nos espaços intersticiais, gerando todo tipo de neoformações. Melhoram a beira mar. MIASMA DA SICOSE: THUYA
  8. 8. MIASMA DO LUETISMO OU SIFILINISMO: MERCURIUS SOLUBILIS E LUESINUM OU SYPHILINUM Atletas com hiperlassidão ligamentar. Sifilinismo gera uma exacerbação sexual levando a todo tipo de desarmonia. O luetismo gera propensão à criminalidade sem sentir remoso. Tendência à autodestrutividade que o leva a prática de esportes radicais onde expõe sua vida ao perigo. Toda pessoa que tentou ou cometeu suicídio estava vibrando no miasma do sifilinismo.

×