Conflitos familiares

1.725 visualizações

Publicada em

Família e seus conflitos, como melhorar a nossa convivência familiar. Espiritismo

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.725
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
108
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conflitos familiares

  1. 1. O que é família pra você?
  2. 2. A família é importante pra você?
  3. 3. Para que serve a família? Porque conversarmos sobre família?
  4. 4. 28/04/2012 Família Material e Família Espiritual 8 Família Material e Família Espiritual Conceito Conjunto de pessoas: pai, mãe e filhos. • Família É uma reunião de almas em processo de evolução, reajuste, aperfeiçoamento ou santificação. • Família Consanguínea É uma constelação de inteligências, cujos membros estão na Terra e nos Céus. • Família Espiritual
  5. 5. FAMILIA “A família é um núcleo de reencarnação.” O lar é moradia das almas!! Missionários da luz André Luiz/Chico Xavier
  6. 6. Joana de Ângelis nos diz no livro S.O.S. Família: “É um grupo de Espíritos normalmente necessitados, desajustados, em compromisso inadiável para a reparação, graças à contingência reencarnatória...”
  7. 7. Evangelho – cap. • Os Espíritos que se encarnam numa mesma família, sobretudo como parentes próximos, são os mais frequentemente Espíritos simpáticos, ligados por relações anteriores, que se traduzem pela afeição durante a vida terrena. Mas pode ainda acontecer que esses Espíritos sejam completamente estranhos uns para os outros, separados por antipatias igualmente anteriores, que se traduzem também por seu antagonismo na Terra, a fim de lhes servir de prova.
  8. 8. A origem dos problemas reside no grau evolutivo de cada espírito. A família concentra espíritos em reajuste, que trazem desafetos. Por sermos todos ainda imperfeitos, nossa relação familiar nem sempre é favorável. O objetivo da família é, justamente, promover a superação desses conflitos.
  9. 9. • Quando procuramos a união conjugal, sempre levamos conosco muitas fantasias em nossa mente. Acreditamos que o casamento é uma viagem ao país da felicidade plena e que o outro é uma complementação das nossas necessidades. • Quase sempre chegamos a esse momento com muitos conflitos psicológicos e acabamos por transferir para o parceiro as nossas insatisfações, esperando que ele possa suprir, por exemplo, o vazio existencial, a solidão, a necessidade de um amparo contínuo. Os problemas começam a aparecer quando o encantamento inicial da primeira fase da união conjugal vai desaparecendo e o relacionamento se aprofunda.
  10. 10. CIÚME • CIÚME é motivo de separação, de divórcio e de muita briga entre os casais. Isso é normal ou é uma doença?
  11. 11. Somente através do AMOR curamos o ciúme. As pessoas costumam dizer: Em todo amor sempre há um pouco de ciúme... É lindo, mas não é verdadeiro. Ciúme é um fenômeno psicológico de insegurança. Quando falta autoestima, a pessoa não acredita que alguém seja capaz de amá-la. Quando alguém ama ela duvida. E fica sempre com medo de perder, porque acha que não merece. Quando alguém dispuser-se a amar, creia no amor, entregue-se- lhe.
  12. 12. • Viver com ciúme, vigiar, estar com os olhos para lá e para cá, torna-se infortúnio, porque há sempre uma inquietação, aguardando alguns momentos de prazer. O amor legítimo confia. Quando não há essa tranquilidade, não é amor, mas desejo de posse, tormento. É um desvio de comportamento afetivo.
  13. 13. DIVÓRCIO • O espírita esclarecido, homem ou mulher, deve aprender a renunciar, a benefício de sua paz e do seu reajuste, pois sabe que não existem na Terra uniões legalizadas ou não, que não tenham vínculos graves no princípio da responsabilidade assumida em comum. • Sabe que se fugir hoje ao resgate, voltará amanhã, na companhia daquele ou daquela de quem procura agora afastar-se. O divórcio é lei humana que tem por objeto separar legalmente o que já, de fato, está separado. Não é contrário à lei de Deus, pois que apenas reforma o que os homens hão feito e só é aplicável nos casos em que não se levou em conta a lei divina." (Item 5, do Cap. XXII, de "O Evangelho Segundo o Espiritismo".)
  14. 14. DIVÓRCIO Em que momento o casal vai perceber que chegou ao limite, ao ponto para pedir o divórcio?
  15. 15. Quando o respeito desaparece. Em principio, quando as discussões passam da área da teimosia para as ofensas pessoais. Quando se procura humilhar o parceiro, é um momento grave, porque se não houver cuidado, passa- se para o lado da agressão. Em vez de duas pessoas continuarem juntas como inimigas, infelizes, ou envolvidas com parceiros extraconjugais, melhor será que se regularize a situação, para naturalmente continuarem amigos e prosseguirem na busca da felicidade com outrem.
  16. 16. Casais que convivem há anos falam de paciência, renúncia, compreensão. Em verdade, cada um tem sua fórmula especial...
  17. 17. No casamento,as pequenas coisas são as grandes coisas É proferir elogios e ter capacidade para perdoar e esquecer. É não só casar-se com a pessoa certa. É ser o companheiro perfeito. É saber escutar com atenção, sem interromper a cada instante.
  18. 18. É mostrar admiração e confiança, interessando-se pelos problemas e atividades do outro. O que o atormenta? O que o deixa feliz? Por que está de cenho carregado? É saber dar atenção para a família do outro pois que sempre, ao se unir o casal, as duas famílias formam uma unidade.
  19. 19. FRACASSO NO LAR “Nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar” Isto é verdade? • O lar é a primeira célula da sociedade. E, quando o lar estremece, a sociedade cambaleia. Estamos vivendo um período em que o lar desmorona. Cônjuges fogem de casa, procurando desfrutar aquilo que eles dizem que perderam na juventude. Pessoa que assim se comportam estão buscando coisa nenhuma, porque esse prazer mórbido que tanto desfrutam deixa certa frustração e vazio existencial.
  20. 20. Relação Saudável: Orientar, Amar, ensinar, impor limites, e encaminhar os filhos no sentido de reequilibrar as atitudes viciosas do passado visando a harmonia do espírito. Relação doentia: Gera indivíduos insatisfeitos, vazios de afeto ,inseguros, egoístas, dependentes, e acabam se vinculando aos seus pares de modo obsessivo e repetem as relações doentias aprendidas em casa. Pais permissivos ou excessivamente castradores podem conduzir danos na encarnação do espírito. Possíveis consequencias: depressão, transtorno de pânico, dependência de drogas, álcool, jogos, suicídio
  21. 21. Muito se fala em “harmonia familiar”, mas como conseguir se muitas vezes na família existem inimigos de existências anteriores?
  22. 22. A compreensão da vida familiar é muito auxiliada pelas cogitações acerca da reencarnação. Numa crise familiar, o Espírito Emmanuel diz: “O conhecimento da reencarnação exerce encargo de importância por trazer aos interessados novo campo de observações e reflexões, impelindo-os à tolerância, sem a qual a rearmonização acena sempre mais longe. Homem e mulher, usando a chave de semelhante entendimento, passam mecanicamente a reconhecer que é preciso desvincular e renovar sentimentos, mas em bases de compreensão e serenidade, amor e paz”.
  23. 23.  Aceite os parentes difíceis na base da generosidade e da compreensão, na certeza de que as Leis de Deus não nos enlaçam uns com os outros sem causa justa.
  24. 24. • O parente- problema é sempre um teste com que se nos examina a evolução espiritual.
  25. 25. • Muitas vezes a criatura complicada que se nos agrega à família, traz consigo as marcas de sofrimento ou deficiências que lhe foram impostas por nós mesmos em passadas reencarnações.
  26. 26. • Não exija dos familiares diferentes de você um comportamento igual ao seu, porquanto cada um de nós se caracteriza pelas vantagens ou prejuízos que acumulamos na própria alma.
  27. 27. • Não tente descartar dos parentes difíceis com internações desnecessárias em casas de repouso, à custa de dinheiro, porque a desvinculação real virá nos processos da natureza, quando você houver alcançado a quitação dos próprios débitos ante a Vida Maior.
  28. 28. • Nas provações e conflitos do lar terrestre, quase sempre, estamos pagando pelo sistema de prestações, certa dívidas contraídas por atacado.

×