Aprwesentação vida adulta (1)

9.443 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.443
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
125
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
263
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aprwesentação vida adulta (1)

  1. 1. ESCOLA TÉCNICA EM SAÚDE NO HCPA CURSO NUTRIÇÃO E DIETÉTICA – NDN 11 – 2013/2 Disciplina – Psicologia Aplicada Professora Lígia Coppetti Alunas: Alessandra Amaral Ana Paula Amaral Cristina Silva das Virgens Inajara Fabres FASES DA VIDAADULTA Porto alegre – RS 2013
  2. 2. FASES DA VIDA ADULTA  Considerada como fase de estabilidade, maturidade, marcada por várias transições, transformações e perspectivas de desenvolvimento profissional, pessoal e também social.  Tendência a haver mudanças em alguns aspectos como na maneira de pensar e agir distinguindo-se de comportamentos  infantis pelas atitudes que envolvem compromissos e responsabilidades a serem cumpridas, sem que outros respondam por seus atos diretamente, como no caso dos pais para com os filhos.  Porém, podemos dizer que o indivíduo nunca está pronto, acabado ou estático, ele está sempre num processo pelo qual cria e recria a si mesmo e a sua espécie.  O desenvolvimento humano na fase adulta varia de acordo com a faixa etária e também com sexo e condição social e o meio em que vive
  3. 3. A vida adulta pode ser dividida em 3 fases:  ADULTO JOVEM dos 18 anos aos 30 anos;  ADULTO MÉDIO dos 30 anos aos 40 anos;  ADULTO MADURO dos 40 anos aos 60 anos.
  4. 4. ADULTO JOVEM DOS 18 AOS 30 ANOS Esta fase é cheia de energia, transição da adolescência para a vida adulta. DESENVOLVIMENTO FÍSICO E MOTOR  Auge do desenvolvimento cardiovascular.  O corpo está maduro fisicamente e sexualmente.  Auge da atividade reprodutora e sexual  Normalmente o corpo feminino sofre mudanças pela gravidez.  Nesta fase há mais tecido muscular, um máximo de cálcio nos ossos, mais massa cerebral, melhor visão, melhor audição e olfato, há ainda uma maior capacidade de oxigenação e o sistema imunológico é mais eficiente.
  5. 5.  DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM E COGNITIVO  Uma das tarefas do adulto é superar o egocentrismo do pensamento experimentado na adolescência.  Há um desenvolvimento no lidar com mais objetos no nível operatório formal (raciocínio lógico), desenvolve- se, por exemplo, a habilidades de fala e escrita para situações formais.
  6. 6.  DESENVOLVIMENTO AFETIVO E SOCIAL  Ocorre a formalização dos valores pessoais e objetivos de um modelo de vida em relação a trabalho, casamento e família.  Há uma busca por níveis educacionais mais avançados, luta pela carreira e objetivos de trabalho, independência, estabilidade, sabedoria, autonomia na tomada de decisões.  Compromisso com outra pessoa pelo casamento e movimento em direção aos papéis parentais.  Raio de Relações Significantes: Companheiros na amizade e no sexo.
  7. 7.  ALIMENTAÇÃO E METABOLISMO  Uma dieta equilibrada, sem muitas restrições. Afinal, é nesse período que normalmente acumulam-se inúmeras atividades relacionadas ao trabalho e aos estudos, que consomem muita energia.  O metabolismo, em geral, ainda funciona em ritmo acelerado, o que diminui um pouco a preocupação com a manutenção do peso.  O indicado é consumir Carboidratos de baixo índice glicêmico: os carboidratos são a principal fonte de energia para o corpo. Sempre dando preferência para as versões integrais dos pães, biscoitos e massas em geral, além de leguminosas, frutas, verduras e legumes.  É importante repor as reservas de ferro. É comum que a mulher tenha deficiência do nutriente, devido às perdas na menstruação. Para prevenir o problema, a saída é ingerir boas quantidades de carne vermelha, feijão e folhas verde-escuras combinados com sucos de frutas ricas em vitamina C, como o limão e o abacaxi.
  8. 8. ADULTO MÉDIO DOS 30 AOS 40 ANOS  Para muitos adultos esta fase da vida é de grande preocupação, pois é nela que surge aos poucos o peso da responsabilidade.  O indivíduo se vê formado, trabalhando e com outra pessoa ao seu lado.  Mas nem sempre é assim, para muitos a idade aumentou, mas ainda permanecem na casa dos pais, sem ter a total certeza do que fazer da vida. O que é bem comum nos dias atuais.
  9. 9.  DESENVOLVIMENTO FÍSICO E MOTOR Uma série de mudanças pode preocupar o adulto nessa fase, é o período de alterações corporais:  Diminuição da densidade óssea;  Regeneração limitada da cartilagem em articulações levando ao aumento de queixas relativas à artrite;  Ganho de peso natural independente do aumento do consumo calórico;  Aumento em 35% na gordura corporal e diminuição em 17% da massa corporal magra e teor de água;  Decréscimo linear no funcionamento dos órgãos;  Presbiopia (dificuldade de distinguir com nitidez os objetos próximos);  A prática de exercícios físicos e o metabolismo diminuem;  A partir dos 40 anos as doenças passam a ser a causa mais comum de morte.  Mas é também o ponto da vida sexual. É evidente também a influência do estilo de vida sobre as condições de saúde, como por exemplo, nas doenças cardiovasculares, hipertensão, depressão, etc. Nesta fase também são estabelecidos alicerces do funcionamento físico para a vida inteira.
  10. 10.  DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM E COGNITIVO  Não há grandes alterações frente ao período anterior.  Podemos considerar que esta fase tende a ser auge da habilidade intelectual.
  11. 11.  DESENVOLVIMENTO AFETIVO E SOCIAL  Ocorre o reajustamento de vínculos com crianças em crescimento e os pais idosos.  Há a definição maior de papéis no trabalho, na manutenção da casa, luta quanto ao reconhecimento do trabalho e promoções.  Estabilização da identidade pessoal.  Há também a preocupação em estabelecer e guiar a próxima geração, tanto em termos da própria família quanto de jovens da cultura em geral. É a fase de maior produtividade e criatividade, possibilidade de mudar escolhas feitas anteriormente, vida mais racional e menos provisória.  Raio de relações significantes: Trabalho e lar.
  12. 12.  ALIMENTAÇÃO E METABOLISMO  As necessidades calóricas diminuem dependendo do estilo de vida  A queima calórica basal diminui em torno de 1% ao ano, o que vai tornando cada vez mais difícil perder ou mesmo manter o peso.  A massa magra começa a diminuir gradativamente, assim como a produção de colágeno, fibra que dá sustentação à pele.  Proteínas magras: as carnes magras, o leite e seus derivados em versões desnatadas são boas fontes de proteínas, matéria-prima essencial para a construção dos músculos e a reparação da pele.  Com a baixa de colágeno, a pele perde elasticidade e as rugas aparecem. Uma alimentação com nutrientes adequados e fontes de vitamina “C” pode desacelerar esse processo.  Compostos antioxidantes: os flavonóides, presentes nas frutas vermelhas, combatem os radicais livres, que aceleram o processo de envelhecimento. Alimentos com vitamina E, como as oleaginosas, potencializam esse efeito. Os radicais livres são produzidos em grande quantidade nesta fase.  Se houver necessidade de suplementação de vitaminas e minerais, é bom procurar orientação de um profissional responsável.
  13. 13. ADULTO MADURO DOS 40 AOS 60 ANOS Quando se chega aos 40 anos, o juízo sobre si e os outros ficou mais objetivo. É o momento de aprofundar e refletir sobre a vida. Nesta fase há a preocupação com o cuidado dos filhos e educação isto é transmitir a eles o legado da cultura, conhecimentos gerais. Preocupação relativa a firmar e guiar a nova geração. Abrange também a idéia de produtividade e criatividade (não ter filhos, mas realizar a capacidade de gerar através de sua criatividade na produção artística, literária ou científica). Quando falha essa capacidade, há o sentimento de estagnação e de infecundidade pessoal. É o período mais longo da vida.
  14. 14.  DESENVOLVIMENTO FÍSICO E MOTOR  Algumas mudanças são resultados do envelhecimento biológico e da constituição genética, mas o acúmulo de fatores comportamentais e de estilo de vida, afetam a probabilidade e o momento de ocorrência das mudanças físicas:  Redistribuição dos depósitos de gordura, mudanças de pele, início da perda da integridade musculoesquelética, diminuição na massa e densidade corporal;  Mudança nos padrões hormonais, menopausa ou climatério;  Tendência ao aumento de peso independentemente da diminuição da massa corporal, gradual compressão vertebral;  Perda da acuidade auditiva;  O tempo de acionamento dos reflexos é mais lento;  Diminuição do tônus e força muscular;  Maior prevalência de doenças crônicas.
  15. 15.  DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM E COGNITIVO  Não há alterações significativas em relação ao período anterior em relação ao desenvolvimento da linguagem.  Quanto ao desenvolvimento cognitivo é lento o declínio na perspicácia intelectual, mais suscetíveis de interferência pelo processo de envelhecimento normal (diminuição da visão, tempo menor de reflexo).
  16. 16.  DESENVOLVIMENTO AFETIVO E SOCIAL  Ajustamento ao crescimento dos filhos como adultos: reação frente à síndrome do “ninho vazio” (saída dos filhos de casa). Neste período, a ajuda dos filhos é de extrema importância, sendo que deve haver uma inversão de papéis, com os filhos passando a “consolar” os pais, especialmente a mãe.  A morte do cônjuge ou de parentes leva a enfrentar a morte de modo mais direto.  Fica evidente a necessidade de rever todas as condutas sociais e buscar modos significativos de viver pessoalmente.  Os motivos internos de tornar-se útil aos demais, talvez pela disponibilidade de tempo, ou por motivações externas de sentir-se bem, assim como a busca por uma qualidade de vida não descoberta, podem ser alguns dos aspetos que possibilitem novas vivências nesta idade.
  17. 17. ALIMENTAÇÃO E METABOLISMO  Enfatiza fazer escolhas de alimentos mais saudáveis, para promover o bem estar e prover os sistemas orgânicos de maneira que tenham um funcionamento ótimo até o envelhecimento.  Será preciso reforçar o consumo de cálcio, para afastar o risco de osteoporose.  Ocorre perda de massa magra de forma ainda mais rápida, o que também compromete a velocidade do funcionamento do metabolismo.  Com uma queima de calorias mais lenta, uma dieta de baixas calorias diárias é uma boa solução.  Há baixa do hormônio estrogênio, característica da menopausa. Compostos químicos semelhantes ao estrogênio: como é o caso da soja e da semente de linhaça. Esses alimentos são fontes de fito-hormônio, como a isoflavona, que ajudam a minimizar os incômodos frequentes da menopausa, como os calores, a baixa na libido, a perda de elasticidade da pele, entre outros.
  18. 18.  Fontes de cálcio: ele é essencial para a formação óssea e está presente no leite e derivados, nos vegetais folhosos verde- escuros e no gergelim.  O fósforo (encontrado em carnes, ovos e leguminosas), o magnésio (abundante nos cereais integrais, nas nozes e na castanha-do-pará) e a vitamina A (que está nos vegetais folhosos verde-escuros, nas frutas e nos legumes amarelos) também são grandes aliados.  Uma dieta bem elaborada e equilibrada, aliada a exercícios físicos bem dosados pode ter um impacto positivo sobre o envelhecimento pela redução do risco de doenças como o diabetes, o câncer, a obesidade e problemas cardiovasculares.  Não se esquecendo do consumo de boas quantidades de água, e ter bons hábitos como evitar o uso do tabaco e de álcool,.

×