1 42     4 ,, 1 --4 2João 4João
Um projeto de catequese de cunhomistagógico sabe que tem por meta o      caráter experiencial .   Inspirar-se no modo peda...
O catequista é o comunicador da Palavra de Deus. Ele experimenta aPalavra de Deus em sua boca, na medida    em que, servin...
ç ã om     do                     c e n as u s c o - 4 2               E nquista Je 4 , 1             o C at J o ã o Cat e...
cio e                    silên o         to de zaçãM o m e ne r i o r o     int              tra ta a      De que         ...
-nosDei xemo      erpe lar!  int
CENA I: dados descritivos: Em direção a GalileiaCENA I: dados descritivos: Em direção a Galileia        passando por Samar...
 A Samaritana vem buscar água (7) Jesus pede de beber (7)- Sedento A mulher estrangeira (9) Conflito cultural (2Rs17, 2...
- Vai buscar seu marido (16)- Não tenho marido (17ª)- Tivestes cinco e agora o que tens não é teu(17b)- Profissão da mulhe...
CENA IV : Diálogo com os Discípulos            (Jo 4, 27-38)-Saem a mulher e entra em cena osDiscípulos (v.27)- Diálogo se...
-A MULHER deixou o cântaro e correu àcidade ANUNCIAR para os SEUS (v. 28)-Os samaritanos saem ao encontro deJesus (v. 30)-...
- Pediram a Jesus para ficar/permanecercom eles (v. 39)- Jesus permanece por dois dias(v.40)- Profissão de fé dos samarita...
sso  s do             Pa                  iciá tico       c ess o InP ro
A Comunidade Joanina tem um   estilo próprio de catequizar.Diferente dos outros evangelistas.
Ir ao encontro das               pessoas Jesus tinha saido da  Galileia, andou pelaJudeia, foi até Jerusalémpor ocasião d...
Superar as barreiras de    Gênero, religião, raça e            classe Para um judeu observante da leiera proibido passar ...
Superar as barreiras de     Gênero, religião, raça e             classeJesus ficou dois dias na Samaria emuita gente se c...
Encontro e Diálogo Jesus chega na Samaria,cansado da viagem sentou-sea beira do POÇO (JACÓ- HERANÇA-TRADIÇÃO Gn 33, 18-20...
Encontro e Diálogo  O poço era, para ossamaritanos, um lugarsagrado. Além de matar asede, significa a herançados seus anc...
Encontro e Diálogo Naverdade, o poço pode ser entendido como o lugar do  encontro das tradições. Opoço do qual todos proc...
Encontro e Diálogo Mulher é anônima- traz apenas o nome de seu povo:Samaria    Vem buscar água (v. 7) – Encontro entre d...
Encontro e              Diálogo  Jesus faz umpedido à mulher:“Dá-me de beber”!
Encontro e Diálogo  Ela se espanta quandoJesus lhe pede água e diz:“como é que tu, sendojudeu, pedes a mim, quesou samari...
Encontro e Diálogo  Jesus respondeu: “seconhecesse o dom de Deus,e quem lhe está pedindo debeber, você é que lhe pediria....
O diálogo vai progredindogradativamente esignificativamente.                    Jesus, o Catequista, Pedagogo             ...
A     mulher    vaibuscar água, com oseu cântaro, todosos dias.               Jesus lhe oferece outro tipo               d...
Buscar água todos                           os dias fazia parte da                            rotina da mulher.As pergunta...
O segredo da                    Catequese Iniciática é                    sair da rotina… saber                     sabore...
Para a comunidade Joanina a simbologia da água é muito  significativa. A água é o símbolo da vida enquanto se             ...
Encontro e Diálogo Para pensar: Nossa Catequese há espaço parao diálogo? Vamos ao encontro das pessoas e dialogamoscom e...
O Diálogo em torno do marido,         O Diálogo em torno do marido,           da família e ou da Religião           da fam...
O Diálogo em torno do marido,       O Diálogo em torno do marido,         da família e ou da Religião         da família e...
Profissão de fé da MulherProfissão de fé da Mulher       Samaritana.       Samaritana.      O    diálogo   conduziu     a ...
O Diálogo em torno do lugar          O Diálogo em torno do lugar                 da adoração.                 da adoração....
O Diálogo em torno do lugar                 O Diálogo em torno do lugar                        da adoração.               ...
 Catequeticamente ele vai afirmando quetanto os judeus como samaritanos, devemadorar a Deus; E oferece o conteúdo da ado...
-Jesus retoma a   RUAH de Deus desde acriação.-O que adoram em Espírito e verdade são osnascido do Espírito (Jo 3, 3-8);- ...
Encontro dos Samaritanos com Jesus- A mulher foi à cidade contar aosdiscípulos a alegria do encontro.- Os samaritanos entu...
Encontro dos Samaritanos com Jesus- Creram em Jesus;- Pediram a Jesus para ficar/permanecercom eles;- Jesus permanece por ...
Encantar é sair de si… entusiasmar outros                     …
TRIPÉ que sustenta o        CATEQUISTA  da Iniciação a Vida CristãMística (experiência-encontro)Comunidade (relação-doação...
Sem Paixão e Mística , aCatequese    Iniciática   ficaanêmica-  Mantém   apenas suasfórmulas mas não experiência. Sem Espi...
Algumas pistas de           ação As Diretrizes da Evangelizadoras (2011-2015) acentua a IGREJA como CASA da Iniciação à   ...
Algumas pistas de           ação2º- Investir na formação de novoscatequistas      com      dimensãocatecumenal.  3º- Acent...
Algumas pistas de          ação 4º- Cultivar a Leitura Mistagógica dos 4º- Cultivar a Leitura Mistagógica dos             ...
Algumas pistas de         ação6º- Repensar e propor uma pedagogiainiciática e de acompanhamento. 7 -- Acentuar um Método V...
Algumas pistas de          ação8 -Opção urgente pela Pastoral Orgânica. 9 - Criar uma nova consciência discipular       e ...
Releitura mistagógica do texto jo 4, 1 42
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Releitura mistagógica do texto jo 4, 1 42

2.054 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.054
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
491
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Releitura mistagógica do texto jo 4, 1 42

  1. 1. 1 42 4 ,, 1 --4 2João 4João
  2. 2. Um projeto de catequese de cunhomistagógico sabe que tem por meta o caráter experiencial . Inspirar-se no modo pedagógico e Inspirar-se no modo pedagógico emistagógico com que Jesus formou seusmistagógico com que Jesus formou seusdiscípulos, é para nós, hoje, um grandediscípulos, é para nós, hoje, um grande desafio e uma tarefa, que o momento desafio e uma tarefa, que o momento histórico nos impõe. histórico nos impõe.Daí a importância da Leitura Mistagógica dos Textos Bíblicos.
  3. 3. O catequista é o comunicador da Palavra de Deus. Ele experimenta aPalavra de Deus em sua boca, na medida em que, servindo-se da SagradaEscritura e dos ensinamentos da Igreja, vivendo e testemunhando sua fé nacomunidade e no mundo, transmite para seus irmãos esta experiência de Deus.
  4. 4. ç ã om do c e n as u s c o - 4 2 E nquista Je 4 , 1 o C at J o ã o Cat e qu a e n t ro d x t oEnco t e a izand e (Mulh r Sa mari tana)
  5. 5. cio e silên o to de zaçãM o m e ne r i o r o int tra ta a De que rrat iva? na
  6. 6. -nosDei xemo erpe lar! int
  7. 7. CENA I: dados descritivos: Em direção a GalileiaCENA I: dados descritivos: Em direção a Galileia passando por Samaria (Jo 4, 1-6) passando por Samaria (Jo 4, 1-6) • Jesusdeixa a Judeia e vai em direção a Galileia (1-3) • Jesus atravessa a samaria (4) • Jesus chega a uma cidade de Samaria (5) SYCAR: Ler Gn 33, 18-20 e Js 24, 32- herança- tradição • Jesus, fatigado da viagem, se assenta diante do poço.
  8. 8.  A Samaritana vem buscar água (7) Jesus pede de beber (7)- Sedento A mulher estrangeira (9) Conflito cultural (2Rs17, 24-28) Jesus revela o mistério de sua pessoa e dom daágua Viva (10-14) A Samaritana pede de beber (15) Para que ela não tenha mais necessidade detirar do poço (15)
  9. 9. - Vai buscar seu marido (16)- Não tenho marido (17ª)- Tivestes cinco e agora o que tens não é teu(17b)- Profissão da mulher (19)MONTANHA – ADORAÇÃO: (20)- Lugar da adoração (21-22)- Conteúdo da adoração (23-24)-Profissão da mulher (25)- Revelação de Jesus (26)
  10. 10. CENA IV : Diálogo com os Discípulos (Jo 4, 27-38)-Saem a mulher e entra em cena osDiscípulos (v.27)- Diálogo se dá em torno não doalimento mas do Projeto de Jesus- Metáfora: Semear e colher (vv. 31-38)
  11. 11. -A MULHER deixou o cântaro e correu àcidade ANUNCIAR para os SEUS (v. 28)-Os samaritanos saem ao encontro deJesus (v. 30)- Creram em Jesus
  12. 12. - Pediram a Jesus para ficar/permanecercom eles (v. 39)- Jesus permanece por dois dias(v.40)- Profissão de fé dos samaritanos(v.41)
  13. 13. sso s do Pa iciá tico c ess o InP ro
  14. 14. A Comunidade Joanina tem um estilo próprio de catequizar.Diferente dos outros evangelistas.
  15. 15. Ir ao encontro das pessoas Jesus tinha saido da Galileia, andou pelaJudeia, foi até Jerusalémpor ocasião da festa (Jo 4,45) e, passando pela Samaria, voltaria para a Galileia (Jo 4,3-4).
  16. 16. Superar as barreiras de Gênero, religião, raça e classe Para um judeu observante da leiera proibido passar pela Samaria,nem era costume conversar com ossamaritanos (Jo 4,9).
  17. 17. Superar as barreiras de Gênero, religião, raça e classeJesus ficou dois dias na Samaria emuita gente se converteu (Jo 4,40).Depois disso ele resolveu voltar para aGalileia.
  18. 18. Encontro e Diálogo Jesus chega na Samaria,cansado da viagem sentou-sea beira do POÇO (JACÓ- HERANÇA-TRADIÇÃO Gn 33, 18-20 e Js 24, 32) Chega uma mulher daSamaria veio buscar água.
  19. 19. Encontro e Diálogo O poço era, para ossamaritanos, um lugarsagrado. Além de matar asede, significa a herançados seus ancestrais.
  20. 20. Encontro e Diálogo Naverdade, o poço pode ser entendido como o lugar do encontro das tradições. Opoço do qual todos procuramsaciar sua sede. É o encontro do próprio Deus com o seu povo.
  21. 21. Encontro e Diálogo Mulher é anônima- traz apenas o nome de seu povo:Samaria  Vem buscar água (v. 7) – Encontro entre dois povos: Judeus e Samaritanos- Cultura e costumes diferentes mas se entendem.  Vai embora sem água (v. 27) Poço lugar de encontro, diálogo e partilha de vida.
  22. 22. Encontro e Diálogo Jesus faz umpedido à mulher:“Dá-me de beber”!
  23. 23. Encontro e Diálogo Ela se espanta quandoJesus lhe pede água e diz:“como é que tu, sendojudeu, pedes a mim, quesou samaritana?” (Jo 4,9) samaritana Romper com as estruturas que não favorecem o Processo Iniciático da fé.
  24. 24. Encontro e Diálogo Jesus respondeu: “seconhecesse o dom de Deus,e quem lhe está pedindo debeber, você é que lhe pediria.E ele daria a você águaviva” (Jo 4,10).
  25. 25. O diálogo vai progredindogradativamente esignificativamente. Jesus, o Catequista, Pedagogo e Mistagogo vai conduzindo a catequizanda samaritana ao Processo Iniciático da fé.
  26. 26. A mulher vaibuscar água, com oseu cântaro, todosos dias. Jesus lhe oferece outro tipo de água. Ele convida a Samaritana a passar no material/físico para o místico espiritual.
  27. 27. Buscar água todos os dias fazia parte da rotina da mulher.As perguntas de Jesus surpreendema mulher. O diálogo se tornaenvolvente e profundo. Aos poucosela vai descobrindo que Jesus éSenhor (v. 11), Profeta (v. 19), Messias(v.25) e o Salvador do mundo (v. 42).
  28. 28. O segredo da Catequese Iniciática é sair da rotina… saber saborear as coisas.Mais do que dar respostas aoscatequizandos faz-se necessário,ESCUTAR- DIALOGAR- PRESENÇA-TESTEMUNHO-PAIXÃO-ENCANTAR...
  29. 29. Para a comunidade Joanina a simbologia da água é muito significativa. A água é o símbolo da vida enquanto se comunica ao ouvinte. No capítulo anterior, no diálogo com Nicodemos, Jesus diz que “é preciso nascer da água e do espírito (Jo 3,5).Para os samaritanos, Jesus se anuncia como “uma fonte de água que jorra para a vida eterna”(4, 10-15).Trata- se do dom da fé, entendido como dinamismo para vida eterna.
  30. 30. Encontro e Diálogo Para pensar: Nossa Catequese há espaço parao diálogo? Vamos ao encontro das pessoas e dialogamoscom elas? Valorizamos o tempo, a cultura e a Pessoa doCatequizando?
  31. 31. O Diálogo em torno do marido, O Diálogo em torno do marido, da família e ou da Religião da família e ou da Religião-Vai buscar seu marido (v. 16) Na tradição bíblica marido está também ligado àreligião: Iahweh esposo e Israel a esposa )-O tema de Iahweh como esposo de Israel éinteiramente bíblico: Os 2, 18-25; Jr 2, 2; Ez 16, 1-4) 2
  32. 32. O Diálogo em torno do marido, O Diálogo em torno do marido, da família e ou da Religião da família e ou da Religião- No Livro dos Cânticos dos Cânticos –temos a relação do Amado com a amada.- Jesus retoma esta imagem comoverdadeiro esposo assim como a Vinha (Jo15);- Os cinco maridos poderiam evocamsimbolicamente os cinco ídolos do povosamaritano (2 Rs 17,29-30).
  33. 33. Profissão de fé da MulherProfissão de fé da Mulher Samaritana. Samaritana. O diálogo conduziu a mulher ao processo iniciático. Ela agora identifica Jesus e diz: “Senhor, vejo que és um profeta ". Este foi o momento decisivo na vida da mulher. O momento da descoberta da fé. Ela agora se situa na no diálogo e tomar a iniciativa
  34. 34. O Diálogo em torno do lugar O Diálogo em torno do lugar da adoração. da adoração.Ela muda o rumo do diálogoe inicia um outro assunto.O tema da religião: “ Nossospais adoraram nestamontanha, mas vós dizeis:é em Jerusalém que está olugar onde é precisoadorar ”. Onde devemosadorar a Deus? Lá emJerusalém ou aqui no
  35. 35. O Diálogo em torno do lugar O Diálogo em torno do lugar da adoração. da adoração.Jesus pedagogicamente seapropria da abertura damulher e responde: “Nemnesta montanha e nem emJerusalém”.
  36. 36.  Catequeticamente ele vai afirmando quetanto os judeus como samaritanos, devemadorar a Deus; E oferece o conteúdo da adoracão: Adorarme Espírito e Verdade”. A religião do coração.
  37. 37. -Jesus retoma a RUAH de Deus desde acriação.-O que adoram em Espírito e verdade são osnascido do Espírito (Jo 3, 3-8);- O verdadeiro Culto é aquele que provoca oencontro com o Senhor que é Espírito eVerdade.
  38. 38. Encontro dos Samaritanos com Jesus- A mulher foi à cidade contar aosdiscípulos a alegria do encontro.- Os samaritanos entuasiasmado saem aoencontro de Jesus;
  39. 39. Encontro dos Samaritanos com Jesus- Creram em Jesus;- Pediram a Jesus para ficar/permanecercom eles;- Jesus permanece por dois dias;- Profissão de fé dos samaritanos.
  40. 40. Encantar é sair de si… entusiasmar outros …
  41. 41. TRIPÉ que sustenta o CATEQUISTA da Iniciação a Vida CristãMística (experiência-encontro)Comunidade (relação-doação)Missão (anúncio e testemunho)
  42. 42. Sem Paixão e Mística , aCatequese Iniciática ficaanêmica- Mantém apenas suasfórmulas mas não experiência. Sem Espiritualidade eEntuasiasmo os catequistas sedescaracteriza em seu ministério, perde avisibilidade e a sua razão de ser. Sem Discipulado e Missão osCatequistas/evangelizadores se
  43. 43. Algumas pistas de ação As Diretrizes da Evangelizadoras (2011-2015) acentua a IGREJA como CASA da Iniciação à Vida Cristã.1º- Assumir na formação dos catequistas e nacomunidade eclesial, a Iniciação Cristã com umametodologia adequada, despertando-os para ocompromisso missionário e vivencial.
  44. 44. Algumas pistas de ação2º- Investir na formação de novoscatequistas com dimensãocatecumenal. 3º- Acentuar a Palavra de Deus como fonte, 3º- Acentuar a Palavra de Deus como fonte,inspiração e fundamento da Catequese, beminspiração e fundamento da Catequese, bem como de toda Pastoral. como de toda Pastoral.
  45. 45. Algumas pistas de ação 4º- Cultivar a Leitura Mistagógica dos 4º- Cultivar a Leitura Mistagógica dos textos bíblicos. textos bíblicos.5- Passar de uma catequese orientada somente paraos sacramentos, à uma catequese que introduza ao mistério de Cristo e à vida eclesial.
  46. 46. Algumas pistas de ação6º- Repensar e propor uma pedagogiainiciática e de acompanhamento. 7 -- Acentuar um Método Vivencial e Processual. 7 Acentuar um Método Vivencial e Processual.
  47. 47. Algumas pistas de ação8 -Opção urgente pela Pastoral Orgânica. 9 - Criar uma nova consciência discipular e missionária nos catequistas.

×