Trabalho de historia ok

1.639 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.639
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.043
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de historia ok

  1. 1. Nome: Débora Brandão n° 7 Iago Folgoni n° 9 Maria Julia n° 168° Ano EProfessor Leonardo
  2. 2. IntroduçãoA Revolta dos Malês foi um movimento para acabar com duas práticas comuns herdadas do sistema colonial português: a escravidão e a intolerância religiosa. Ocorreu na cidade de Salvador (província da Bahia) entre os dias 25 e 27 de janeiro de 1835. Os principais personagens desta revolta foram os negros islâmicos que exerciam atividades livres.Eles eram conhecidos como malês, negros de ganho, eram alfaiates, pequenos comerciantes, artesãos e carpinteiros. Apesar de livres, sofriam muita discriminação por serem negros e seguidores do islamismo .
  3. 3. Causas e objetivos da revoltaQueriam também acabar como catolicismo (religião impostaaos africanos desde omomento em que chegavamao Brasil), o confisco dos bens Os revoltosos, cerca dedos brancos e mulatos e a 1500, estavam muitoimplantação de uma república insatisfeitos com aislâmica. escravidão africana, a imposição do catolicismo e com a preconceito contra os negros. Portanto, tinham como objetivo principal à libertação dos escravos.
  4. 4. ConsequênciasEssa revolta ainda foi resultado do desmando político e da miséria econômica do período regencial. Com o deslocamento do eixo econômico admininstrativo do Brasil para a região sudeste e as constantes crises da economia açucareira, a sociedade baiana do período tornou-se um sinônimo de atraso econômico e desigualdade socioeconômica. Além desses fatores, devemos também destacar que as prescrições religiosas incentivadas pelas autoridades locais promoveram a mobilização desse grupo étnico- religioso específico.
  5. 5. Desenvolvimento da revolta De acordo com o plano, os revoltosos sairiam do bairro de Vitória (Salvador) e se reuniriam com outros malês vindos de outras regiões da cidade. Invadiriam os engenhos de açúcar e libertariam osArrecadaram dinheiro e escravos.compraram armas para oscombates. O plano domovimento foi todo escritoem árabe.
  6. 6. O fim da revoltaUma mulher contou o plano da revolta para um Juiz de Paz de Salvador. Os soldados das forças oficiais conseguiram reprimir a revolta. Bem preparados e armados, os soldados cercaram os revoltosos na região da Água dos Meninos. Violentos combates aconteceram. No conflito morreram sete soldados e setenta revoltosos. Cerca de 200 integrantes da revolta foram presos pelas forças oficiais. Todos foram julgados pelos tribunais. Os líderes foram condenados a pena de morte. Os outros revoltosos foram condenados a trabalhos forçados, açoites e degredo (enviados para a Africa). O governo local, para evitar outras revoltas do tipo, decretou leis proibindo a circulação de muçulmanos no período da noite bem como a prática de suas cerimônias religiosas.

×