INSATISFAÇÃO CONTRA AESCRAVIDÃO E IMPOSIÇÃO        RELIGIOSA
O que foi a Revolta dos Malês?        A situação dos negros em Salvador era horrível. Muitos delesexerciam pequenos trabal...
Como, Quando, Quem, Onde e Porquê...        Durante as primeiras décadas do século XIX várias rebeliõesde escravos explodi...
Motivações         Os revoltosos, cerca de 1500, estavam muito insatisfeitoscom a escravidão africana, a imposição do cato...
Quem participou?        Participaram da revolta, mais ou menos, 1500negros, liderados pelos muçulmanos Manuel Calafate,Apr...
Pacificação      Apesar de rapidamente controlada, a Revolta dosMalês serviu para demonstrar às autoridades e às elites op...
Integrantes do Grupo – 8º ano F     Gabriel Luiz – Nº 09     Gabriel Olim – Nº 10  Giovanna Strufaldi – Nº 11  Guilherme F...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revolta dos malês ok

7.528 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.528
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.424
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
242
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revolta dos malês ok

  1. 1. INSATISFAÇÃO CONTRA AESCRAVIDÃO E IMPOSIÇÃO RELIGIOSA
  2. 2. O que foi a Revolta dos Malês? A situação dos negros em Salvador era horrível. Muitos delesexerciam pequenos trabalhos, como vendedores ambulantes,alfaiates, carpinteiros. Esses trabalhadores tinham que dar a maiorparte de seus ganhos aos seus senhores e chegavam, em algunscasos, a comprar a liberdade. Mas mesmo quando libertos, os negros ainda eram tratadoscom desprezo. Isso os levou a se revoltarem.Uma dessas revoltas foi ‘A Revolta dos Malês’, que aconteceu entre24 e 27 de janeiro de 1835, e foi um movimento de escravosmuçulmanos (os malês). A revolta foi controlada pelas tropas do governo, com o apoiodas classes mais ricas da Bahia. Muitos negros foram presos,torturados e até mesmo mortos, e foram proibidos de circular à noitepelas ruas da capital e de praticar suas cerimônias religiosas típicas.
  3. 3. Como, Quando, Quem, Onde e Porquê... Durante as primeiras décadas do século XIX várias rebeliõesde escravos explodiram na província da Bahia. A mais importantedelas foi a Revolta dos Malês, uma rebelião contra a escravidão e aimposição da religião católica. Ocorreu em Salvador, em janeiro de 1835. Nessa época, acidade de Salvador tinha metade de sua população composta pornegros escravos ou libertos, das mais variadas culturas eprocedências africanas, dentre as quais a islâmica, comoos haussas e os nagôs. Foram eles que protagonizaram a rebelião, conhecida comodos malê (termo que designava os negros muçulmanos, que sabiamler e escrever o árabe). Sendo a maioria deles composta por "negrosde ganho", ou seja, tinham mais liberdade que os negros dasfazendas, podendo circular por toda a cidade com certa facilidade,embora tratados com desprezo e violência.Alguns escravos que economizavam a pequena parte dos ganhosque seus donos lhes deixavam, conseguiam comprar a alforria.
  4. 4. Motivações Os revoltosos, cerca de 1500, estavam muito insatisfeitoscom a escravidão africana, a imposição do catolicismo e com apreconceito contra os negros. Portanto, tinham como objetivoprincipal à libertação dos escravos. Queriam também acabar como catolicismo (religião imposta aos africanos desde o momento emque chegavam ao Brasil), o confisco dos bens dos brancos emulatos e a implantação de uma república islâmica.
  5. 5. Quem participou? Participaram da revolta, mais ou menos, 1500negros, liderados pelos muçulmanos Manuel Calafate,Aprígio, Pai Inácio, dentre outros. Setenta negros morreram, e duzentos foram levadosaos tribunais. As condenações variaram entre a pena demorte, os trabalhos forçados, o degredo e os açoites.Todos foram torturados, e alguns até a morte. Mais de quinhentos africanos foram expulsos doBrasil e levados de volta à África.
  6. 6. Pacificação Apesar de rapidamente controlada, a Revolta dosMalês serviu para demonstrar às autoridades e às elites opotencial de contestação e rebelião que envolvia amanutenção do regime escravocrata, ameaça que estevesempre presente durante todo o Período Regencial e seestendeu pelo Governo de D. Pedro II.
  7. 7. Integrantes do Grupo – 8º ano F Gabriel Luiz – Nº 09 Gabriel Olim – Nº 10 Giovanna Strufaldi – Nº 11 Guilherme Fideles – Nº 12 Mariana Xavier – Nº 19 Professor Leonardo

×