Platelmintos & Nematódeos

11.165 visualizações

Publicada em

Platelmintos e Nematódeos: tipos, formas, como funciona, estilo de vida, como se alimentam, importância biológica e risco para o ser humano.

Publicada em: Educação, Tecnologia
1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
368
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Platelmintos & Nematódeos

  1. 1. Platelmintos Camila Daniele Leandro Rayane Vanessa Vitória № 09 № 11 № 31 № 42 № 48 № 49
  2. 2. Características Gerais  Corpo achatado dorsoventralmente.  Vida livre (aquática ou terrestre).  Vida Parasitária (de vertebrados e Invertebrados).  Triblásticos.  Acelomados.  Simetria bilateral.  Protostômios.  Eumetazoários.  Hermafroditas.  Necrófagos.  Primeiros com cefalização.
  3. 3. Classificação Os Platelmintos são divididos em três classes: Classe Turbellaria (turbelários): Animais de vida livre, sendo a maioria de ambiente aquático, apenas alguns terrestres, são predadores e necrófagos. Exemplo: Planárias. Planária terrestre Planária marinha
  4. 4. Classificação Os Platelmintos são divididos em três classes: Classe Trematoda (Trematódeos): Parasitas, a maioria dos ciclos de vida inclui a presença de um hospedeiro intermediário. Exemplo: Schistosoma mansoni; Gyrodactylus sp Fasciola hepatica Schistosoma mansoni
  5. 5. Classificação Os Platelmintos são divididos em três classes: Classe Cestoda (Cestoides): endoparasitas, geralmente com hospedeiros intermediários. Exemplo: tênias ou Solitárias. Taenia solium Taenia sagitana Dibothriocephalus latus
  6. 6. Sistema dos Platelmintos  Sistema digestório: Ocorre de forma intracelular e extracelular. O sistema é incompleto, apresentando apenas uma abertura em todo sistema. Possuem boca, faringe e intestino.  Sistema nervoso: Possuem sistema nervoso central formado por um anel. Possuem filetes nervosos que percorrem o corpo todo através de ramificações.  Sistema excretor: A excreção é realizada através das células-flama (protonefrídios), que realizam a excreção para a superfície do corpo. Os platelmintos secretam amônia.  Sistema respiratório: Não possuem sistema respiratório. Nos platelmintos de vida livre as trocas são feitas por difusão. Já nos parasitas ela é feita de forma anaeróbica, ou seja, não utiliza oxigênio.  Sistema circulatório: Também não possuem sistema circulatório. Os alimentos são distribuídos pelo corpo através das ramificações do sistema digestivo.  Sistema muscular: A musculatura é do tipo lisa, que favorece a movimentação e locomoção do animal, podendo ter a colaboração de cílios, caso estejam presentes. Essa musculatura
  7. 7. Alimentação  As Planárias são carnívoras e se alimentam de moluscos, camarão, ver mes e outros pequenos invertebrados vivos ou mortos.  Obs: Já as tênias e a schistosoma mansoni se alimentam de alimentos digeridos do animal ou do ser humano.
  8. 8. Formato do corpo
  9. 9. Formato do corpo
  10. 10. Formato do corpo
  11. 11. Reprodução dos Platelmintos  Bastante diversificada  Alternam fases de produção sexuada e assexuada  Parasitas monogenéticas (um hospedeiro)  Parasitas digenéticas (dois hospedeiros distintos)  Hospedeiro de fase adulta (Hospedeiro definitivo)  Hospedeiro de fase larval (Hospedeiros intermediário)
  12. 12. Reprodução das planárias As planárias podem se reproduzir: Reprodução Assexuada As planárias tem grande poder de regeneração. Cortando-se o animal em alguns pedaços, cada um deles pode dar origem a uma planária inteira.
  13. 13. Reprodução das planárias As planárias podem se reproduzir:  Monoicas (espécie em que o mesmo indivíduo apresenta órgãos sexuais dos dois sexos).  Ocorre cópula (justaposição de órgãos genitais, com troca de espermatozoides)  Casulos são expelidos e fixados a substratos submersos.  Fecundação interna e desenvolvimento direto. Reprodução Sexuada
  14. 14. Ciclo Reprodutivo do Schistosoma masoni  A fêmea do esquistossomo vive alojada no sulco do corpo do macho ( canal ginecóforo ) e deposita seus ovos no intestino da pessoa doente (hospedeiro definitivo).  Os ovos são eliminados com as fezes do hospedeiro e, ao cair na água, liberam larvas chamadas Miracídios .  Essas larvas penetram no corpo do caramujo do gênero Biomphalaria (hospedeiro intermediário) e nele se reproduzem assexuadamente, gerando larvas chamadas Cercárias .  A cercária deixa o corpo do caramujo e nada até penetrar na pele de um ser humano. Ao penetrar na pele a cercária pode causar irritação.
  15. 15. Ciclo Reprodutivo das Tênias  Cada proglótide produz gametas masculino e femininos que se fecundam, formando muitos ovos.  As proglótides cheias de ovos se destacam do corpo da tênia e são eliminados com as fezes da pessoa infectada (hospedeiro definitivo).  Os ovos podem contaminar a água ou os alimentos e, se forem ingeridos por bovinos e suínos (hospedeiros intermediários), irão se alojar na carne desses animais, formando larvas chamadas cisticercos .  Ao comer carne mal cozida de animais infectados, o ser humano ingere cisticercos, que em seu intestino darão origem a tênias adultas , causando a doença: TENÍASE  OBS: A ingestão de ovos origina a doença conhecida por CISTECERCOSE
  16. 16. Importância biológicas  A importância biológica está relacionada à associação parasitária.  Entretanto, existem espécies de cestoides relativamente raras, em infectarem seres humanos, que têm sido bastante estudadas porque alguns de seus estágios têm sido cultivados in vitro e também podem ser manipulados em hospedeiros experimentais em vivo. Estes parasitos, experimentalmente acessíveis, surgem como importantes modelos para a investigação de vários aspectos da biologia dos cestoides, a exemplo do Mesocestoides corti.  Além disso, as variações nas populações de parasitas em peixes podem ser indicadores de alguma alteração ambiental.
  17. 17. Nematódeos
  18. 18. Características Gerais  Varia de menos de 1mm de comprimento  Corpo cilíndrico, alongado e afilado nas extremidades  Vida livre (ambientes aquático ou terrestre)  Endoparasitas (de plantas e animais; inclusive o ser humano)  Triblástico  Pseudocelomado  Simetria bilateral  Protostômios  Cavidade corporal preenchida de liquido
  19. 19. Sistema dos Nematódeos       Sistema digestório: os nematódeos são os primeiros animais a apresentarem sistema digestório completo, ou seja, possuem boca e ânus. Sistema nervoso: Possuem dois cordões nervosos que percorrem o corpo do animal, ventral ou longitudinalmente. Da faringe partem os cordões nervosos. O cordão nervoso dorsal é responsável pela função motora, enquanto a ventral é sensorial e motora, sendo considerada a mais importante. Sistema excretor: Possuem uma célula especializada, com um formato que lembra a letra H. Possuem dois canais longitudinais, que percorrem a lateral do corpo do verme, unidas por um canal transversal, que emite um ducto que elimina excretas pelo poro excretor. A principal excreta desses animais é a amônia. Sistema respiratório: Os nematódeos não possuem sistema respiratório, e a respiração é cutânea ou tegumentar, feita através de difusão. Sistema circulatório: Não possuem sistema circulatório. A circulação de gases, nutrientes e substâncias tóxicas é feita pelo pseudoceloma. Sistema muscular: A musculatura dos nematódeos é composta por uma única camada de células que se distribui longitudinalmente pelo corpo. Essa musculatura lisa é responsável pelos movimentos desses animais. Provocam flexões dorsoventrais. A movimentação também vai depender da elasticidade da cutícula e do esqueleto hidrostático, líquido presente no pseudoceloma.
  20. 20. Alimentação  Os nematelmintos podem se alimentar de uma grande variedade de microrganismos ou de pequenas partículas de animais ou vegetais. Alguns possuem pequenos "dentes" para triturar o alimento; outros têm, perto da boca, uma musculatura potente que lhes permite sugar o alimento.  Na forma parasita, o aparelho bucal serve para sugar os nutrientes de seu hospedeiro. Seu aparelho digestivo percorre o corpo - desde a boca, situada na extremidade anterior, até o ânus, situado na extremidade posterior.
  21. 21. Formato do corpo
  22. 22. Ciclo Reprodutivo dos Nematódeos          1- A ingestão de água ou alimento (frutas e verduras) contaminados pode introduzir ovos de lombriga no tubo digestório humano. 2- No intestino delgado, cada ovo se rompe e libera uma larva. 3- Cada larva penetra no revestimento intestinal e cai na corrente sanguínea, atingindo fígado, coração e pulmões, onde sofre algumas mudanças de cutícula e aumenta de tamanho. 4- Permanece nos alvéolos pulmonares podendo causar sintomas semelhantes ao de pneumonia. 5- Ao abandonar os alvéolos passam para os brônquios, traquéia, laringe (onde provocam tosse com o movimento que executam) e faringe. 6- Em seguida, são deglutidas e atingem o intestino delgado, onde crescem e se transformam em vermes adultos. 7- Após o acasalamento, a fêmea inicia a liberação dos ovos. Cerca de 15.000 por dia. Todo esse ciclo que começou com a ingestão de ovos, até a formação de adultos, dura cerca de 2 meses. 8-Os ovos são eliminados com as fezes. Dentro de cada ovo, dotado de casca protetora, ocorre o desenvolvimento de um embrião que, após algum tempo, origina uma larva. 9- Ovos contidos nas fezes contaminam a água de consumo e os alimentos utilizados pelo homem.
  23. 23. Importância biológica dos Nematódeos  As funções ecológicas dos nematoides no solo incluem a decomposição de matéria orgânica, a mineralização de nutrientes, a degradação de toxinas e a regulação da população de microorganismos, podendo estimular o desenvolvimento de plantas.  Outra importante função dos nematoides no solo está relacionada à redistribuição de recursos, de forma mais assimilável para outros consumidores, estimulando populações de certos microorganismos. Até 40% do carbono ingerido por nematoides bacteriófagos é liberado pela cutícula na forma de CO2, que retorna à atmosfera e é disponibilizado para a fotossíntese e o nitrogênio é excretado na forma de amônia, disponível para as plantas e para a população bacteriana no solo.
  24. 24. Referencias Bibliográficas Características Gerais dos Platelmintos Livro- Biologia V2 (pag 218) Classificação dos Platelmintos http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos2/bioplatelmintos2.php Sistema dos Platelmintos http://www.todabiologia.com/zoologia/platelmintos.htm http://www.infoescola.com/biologia/platelmintos-platyhelminthes/ Alimentação dos Platelmintos http://platelmintos2007.blogspot.com.br/2007/10/alimentao-dos-platelmintos.html Reprodução dos Platelmintos- (Planarias, schistosoma mansoni, Tênia) Livro- Biologia V2 (pag 223) http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos2/platelmintos.php http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/filo-platelmintos/filo-platelmintos-10.php Importância Biológica http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/filo-platelmintos/filo-platelmintos-2.php http://www.ebah.com.br/content/ABAAABhIsAF/platyhelminthes
  25. 25. Referencias Bibliográficas            Características Gerais dos Nematódeos Livro-Biologia V2 (pag 230) Sistema dos Nematódeos http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos2/bionematelmintos.php Alimentação dos Nematódeos http://www.klickeducacao.com.br/conteudo/pagina/0,6313,POR-871-4296-,00.html Reprodução dos Nematódeos http://www.infoescola.com/biologia/nematelmintos-nematoda/ http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos2/Ascaridiase.php Importância Biológica http://nematobrasil.blogspot.com.br/2011/08/importancia-dos-nematoides-emprocessos.html

×