Caso Clínico de Freud: Miss Lucy

2.344 visualizações

Publicada em

Um dos casos Clínicos mais importantes de Sigmund Freud.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.344
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caso Clínico de Freud: Miss Lucy

  1. 1.  Era uma governanta Britânica de 30 anos.  Sofria de rinite purulenta crônica, já havia perdido completamente o olfato e sofria de analgesia no nariz.  Afundava-se num estado depressivo acompanhado de alucinações olfativas de cheiros de pudim queimado.
  2. 2.  Freud resolveu tomar como ponto de partida de sua análise o odor de pudim queimado que Miss Lucy vinha sentindo.
  3. 3.  Miss Lucy não cedeu ao sonambulismo e nem a Hipnose.  Freud então, pedia para que Miss Lucy deitasse, fechasse os olhos e se concentrasse.  Assim, colocava as mãos sobre a testa da paciente, como estímulo para que a mesma se recordasse da cena traumática.
  4. 4.  Freud notou, que os sintomas continuavam ali, assim como o estado de depressão e angústia de Miss Lucy.  Porém, ocorreu um “enfraquecimento dos sintomas” conforme a paciente falava deles, ligando-o a outros fatos, outros acontecimentos.
  5. 5.  Freud então, fez Miss Lucy reconhecer que estava apaixonada por seu patrão.  Porém, ao vê-la novamente percebera que não havia apresentado melhora, mas substituído o cheiro de pudim queimado pelo cheiro de fumaça de charuto.
  6. 6.  Sob a pressão das mãos de Freud, uma outra cena em que o patrão a recriminava por não ter impedido que uma visita beijasse seus filhos, demonstrou que ela tinha compreendido que o viúvo (seu patrão) não a amava...
  7. 7.  ...Nessa lembrança, durante um almoço, a sala foi invadida pela fumaça de charutos.  E estava ligada a uma outra cena, que seria a verdadeira causadora do trauma.  Esse reconhecimento acarretou, então, a cura completa, em fins de janeiro de 1893.
  8. 8.  Referência: SORIANO, Marcos Inhauser; GIORGION, Mariana; BALLIS, Thomas Ferrari. NOTÓRIOS DA PSICANÁLISE: MISS LUCY R. 2012. Disponível em: <http://www.revistavortice.com.br/2012/12/notorios-da-psicanalise-miss-lucy- r.html>. Acesso em: 16 maio 2014.
  9. 9.  Adriana de Aquino  Ana Flávia Toledo  Bárbara Palhuzi  Larissa Gomes  Vanessa Dias

×