Assistência de enfermagem em traumatismo abdominal

19.634 visualizações

Publicada em

1 comentário
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Sou estudante do curso técnico de enfermagem,este trabalho me auxiliou no trabalho de apresentação
    .muito obrigado.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.634
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
297
Comentários
1
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Assistência de enfermagem em traumatismo abdominal

  1. 1. Assistência deAssistência deEnfermagem emEnfermagem emTraumatismo AbdominalTraumatismo AbdominalMaria Regiane TrincausSilvana Maria Sasso2011
  2. 2. IntroduçãoIntroduçãoO abdome é freqüentemente lesado tanto apóstraumatismos fechados como abertos, 25% dasvítimas vão necessitar de exploração abdominal.Principal causa de morte nas primeiras horas pós-trauma: choque hipovolêmico.Segunda causa: sepse.Paciente com traumatismo abdominal: deve serconsiderado politraumatizado grave oupotencialmente grave.Lesões não diagnosticadas: causa de mortesprevisíveis.Exame comprometido por:◦ Álcool, drogas ilícitas;◦ Lesões cerebrais, medula espinhal;◦ Lesões de costelas, coluna e pelve.
  3. 3. É dividido em aberto e fechado:Trauma aberto: Tem solução decontinuidade da pele , secundários a armade fogo ou arma branca.◦ Penetrante:- Com lesão interna;- Sem lesão interna.◦ Não penetrante:- Não atinge o peritônio.
  4. 4. Correspondem a 10-20% dos Casos. Principais Causas:◦ Arma Branca (60%);◦ Arma de Fogo (20%);◦ Acidentes de Trabalho.Órgãos Acometidos:◦ Int. Delgado (20-50%);◦ Fígado (24%);◦ Baço (14%).
  5. 5. Trauma fechado : Mecanismo indiretode lesão, são secundários a acidentes comveículos automotores, motocicletas,quedas, agressões, e atropelamento.Lesão pode ser de víscera oca, maciça,isolada, múltiplas, e de outras estruturascomo vasos sangüíneos, nervos,músculos, e ossos.
  6. 6. Principais Mecanismos:◦ Cisalhamento;◦ Compressão;◦ Desaceleração;◦ Esmagamento.
  7. 7. Manifestações Clínicas:◦ Dor Abdominal no local do trauma ou difusa(peritonismo);◦ Choque Hipovolêmico;◦ Rigidez de parede – abdome em tábua;◦ Irritação Peritoneal;◦ Sangramento Digestivo;◦ Fraturas de costelas inferiores;◦ Equimose de parede abdominal;◦ Ferimentos na parede abdominal,dorso e tórax;◦ Sangramento pela uretra,vagina ou reto.
  8. 8. Exame FísicoExame FísicoInspeção- distúrbiosrespiratórios;- marcas do trauma;- feridas por projétil oupor arma branca;- hematomas,escoriações;- distensão abdominal;- evisceração;- deformidade dabacia;- alterações no períneoe genitália.Auscultadetectar diminuiçãoou ausência de ruídoshidroaéreos(analisar com outrosdados clínicos dopaciente).
  9. 9. Exame FísicoExame FísicoPalpaçãodor difusa ( Ex:líquido extravasadoe irritante nacavidade);dor localizada émenos comum (Ex:hematomahepático).Percussãomacicez (presençade líquidointraperitoneal);desaparecer amacicez hepática(possibilidade depresença de arcavidade em casode lesões do tubodigestivo).
  10. 10. SITUAÇÕES ESPECIAIS:◦ Objetos Encravados◦ Evisceração◦ Trauma na Gravidez
  11. 11. Traumas abdominais maisTraumas abdominais maisimportantesimportantes Fraturas de pelveFraturas de pelve: devem ser identificados porpossibilidade de lesões associadas principalmentea reto, bexiga e uretra. Hematomasretroperitoneais secundários à lesões ósseaspodem seqüestrar até 4 litros de sangue. Traumatismo hepático:Traumatismo hepático: podem levar a quadrosde hipovolemia e choque hipovolêmico grave senão tratado adequadamente. O tratamento éconservador.
  12. 12.  Traumatismo esplênicoTraumatismo esplênico: Também podendo levara quadro de hipovolemia importante. Seutratamento é conservador através de reposição devolume e jejum por 48 a 72h. A indicação deesplenectomia ou LAP só ocorre se houvernecessidade de transfusão de 40ml/Kg de sanguenas primeiras 24h ou em caso de sangramento queameace a vida. São de difícil diagnóstico. Traumatismo pancreáticoTraumatismo pancreático: de difícil diagnóstico,com altos índices de morbidade e mortalidade.Pode levar a fístulas pancreáticas, pancreatitespersistentes, pseudocistos, diabetes e hemorragia esepse em função de diagnósticos retardados.
  13. 13. Assistência de EnfermagemAssistência de EnfermagemDesobstrução de vias aéreas;Administração de oxigênio em alto fluxo;Elevação de MMII (posição de choque, posiçãosupina);Aquecer vítima, evitando hipotermia;Controle de hemorragias externas;Puncionar dois acessos venosos de grosso calibre(Abocath 14 ou 16);Infundir líquido aquecido (Ringer ou SF);Realizar SVD se não for contra-indicado;Realizar SNG aberta;Realizar anti-sepsia abdominal para punçãoabdominal (procedimento médico);Cobrir as vísceras com compressas estéreis eúmidas, e mantê-las umedecidas.
  14. 14. A punção abdominal ajuda adetectar hemorragias intra-abdominais.O líquido peritonial normal é de aspectoamarelo claro. Sangue grosso, bile, urina ou materialfecal indicam lesão com necessidade decirurgia.

×