Transcrição gênica

1.227 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.227
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
823
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transcrição gênica

  1. 1. A síntese de RNA
  2. 2.  O processo por meio do qual a ordem de bases é passada do DNA para o RNA é chamado de transcrição.  A transcrição é realizada por um complexo enzimático cuja enzima chave é a RNA polimerase, composta de várias subunidades e que realiza a polimerização do RNA a partir de um molde de DNA.  Em procariotos existe apenas um tipo de RNA polimerase enquanto nos eucariontes existem três.
  3. 3. A transcrição também ocorre no sentido 5’3’
  4. 4.  Ao contrário da replicação, envolve certos trechos do DNA, os genes, e ocorre durante toda a vida normal da célula.  É o primeiro passo para a expressão gênica, que significa a transformação do que é informação (DNA) para o que é uma característica do organismo.  Esse processo ocorre em três etapas principais, a iniciação, o alongamento e o término, cada um contendo fatores específicos.
  5. 5. INICIAÇÃO DA TRANSCRIÇÃO  Enzimas específicas desfazem da dupla-hélice do DNA.  Este processo ocorre apenas no gene que deverá ser transcrito.  A síntese de RNA começa em regiões do DNA chamadas de promotoras - sequências específicas reconhecidas pela RNA-pol - que direcionam a transcrição dos genes.  Essas sequências podem ser bastante variáveis, porém, mantêm conservadas regiões responsáveis pela função promotora.
  6. 6.  Em procariotos, duas dessas regiões estão presentes a cerca de 10 e 35 pares de bases acima do ponto de início da transcrição.  São elas: 5’ TATATT 3’ e 5' TTGACA 3’, respectivamente.  Nos eucariotos a principal região promotora é conhecida como TATA box.
  7. 7. Alongamento  A RNA-pol atua apenas em uma das fitas de DNA.  A fita utilizada é sempre a mesma e denominada fita codificante ou ativa.  A RNA-pol encaixa ribonucleotídeos, produzindo uma única fita de RNA, complementar à fita de DNA que serve de molde.  Por isso é importante que a RNA-pol atue em apenas uma fita, pois RNAs diferentes serão produzidos a partir da transcrição de fitas distintas do DNA.
  8. 8.  O pareamento será A → U, C → G, T → A e G → C.  Quando pelo menos dois ribonucleotídeos são colocados, a RNA-pol estabelece uma ligação entre eles: a molécula de RNA foi iniciada.  À medida que o RNA vais sendo sintetizado, o DNA é despareado à sua frente.
  9. 9. Término  O RNA recém-formado vai se desligando do DNA que lhe serviu de molde.  Quando chega ao final do gene (há uma sequência que o indica) a RNA-pol se desprende do DNA e a molécula de RNA é liberada.  A molécula de DNA é pareada e se fecha.  OBSERVAÇÃO: para cada tipo de RNA há uma RNA-pol diferente.
  10. 10. Estrutura,propriedades e funções
  11. 11.  Localizam-se tanto no núcleo quanto no citoplasma.  São formados por uma só cadeia simples de nucleotídeos com ribose e uracila ( no lugar de timina).  Todos participam da síntese de proteínas em uma série de reações controladas pela seqüência de bases do DNA, que determina a seqüência de bases dos três tipos de RNA.  Há três tipos de RNA: RNA-m (RNA mensageiro), RNA-t (RNA transportador ou de transferência) e RNA-r (RNA ribossomal ou sintetizador).
  12. 12. RNA-mensageiro (RNA-m)  Determina a posição dos aminoácidos nas proteínas, através da sequência de bases de sua molécula.  É o único que será traduzido.  Ocorre tanto no núcleo (onde é sintetizado) quanto no citoplasma, onde se associa aos ribossomos para a síntese de proteínas.  É formado sempre que for necessário e depois de exercer sua função é degradado para que os nucleotídeos possam ser reciclados.
  13. 13.  Cada conjunto de 3 bases do RNA-m é chamado códon e codifica apenas um determinado aminoácido.  1 códon = 1 aminoácido  1 aminoácido = 1 ou mais códons  O CÓDIGO GENÉTICO É DEGENERADO.
  14. 14. RNA ribossomal (RNA-r)  É o que ocorre em maior quantidade.  É encontrado no nucléolo, onde é produzido e no citoplasma, associado a proteínas, formando os ribossomos.  Os ribossomos se combinam com o RNA-m para formar os polissomos ou polirribossomos.  Nos ribossomos ocorrerá a síntese das proteínas.  Os ribossomos são os sítios da tradução.
  15. 15. RNA transportador (RNA-t)  É o que ocorre em menor quantidade.  Capaz de se combinar de modo reversível, com certos aminoácidos que serão transportados por ele para formar as proteínas.  Sintetizado no núcleo e passa imediatamente para o citoplasma.  Cada RNA-t é capaz de reconhecer um determinado aminoácido e um determinado códon no RNA-m.
  16. 16. RNA-t
  17. 17. Tradução do código genético  Cada região do DNA que produz uma molécula de RNA funcional constitui um gene.  No DNA, cada trinca de nucleotídeos constitui um triplet ou códon.  Cada triplet é transcrito e formará um códon do RNA-m.  300 triplets no DNA  300 códons no RNA  300 aas  300 bases nitrogenadas = 100 códons  100 aas
  18. 18. O código genético  Cada grupo de 3 nucleotídeos do RNA-m constitui um códon.  Como há 4 tipos de nucleotídeos no RNA (A, U, G e C), existem 64 agrupamentos possíveis.  Em 1961, foi decifrado qual aminoácido é codificado por cada códon.  O CÓDIGO GENÉTICO É UNIVERSAL E DEGENERADO (REPETITIVO).
  19. 19.  Apenas a sequência compreendida entre o códon de início (inclusive) e o códon de término (exclusive) dá origem a proteína.  O RNA-m é destruído imediatamente após a tradução.  Se mais proteínas tiverem de ser produzidas, uma nova transcrição deve acontecer.  Um único RNA-m pode ser traduzido por vários ribossomos ao mesmo tempo. Isso acontecerá se várias moléculas de uma mesma proteína tiverem que ser produzidas.  A vida média do RNA-t e do RNA-r é maior.
  20. 20. Processamento (splicing) do RNA-m  Ocorre somente em células eucariotas.  As sequências de DNA que serão expressas (vão aparecer no produto final) são chamadas de éxons.  As sequências de DNA que não serão expressas (não vão aparecer no produto final) são chamadas de íntrons.  O gene inteiro é transcrito em um RNA-m precursor.  No processamento os íntrons são retirados e os éxons são unidos para formar o RNA-m maduro que será traduzido no citosol.

×