Redação aulas 25 e 26

979 visualizações

Publicada em

Redação aulas 25 e 26

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
979
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
248
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redação aulas 25 e 26

  1. 1. RedaçãoRedação 20152015 Aulas 25 e 26 Turmas 101, 103 e 104 -07/08 Turma 102 – 04/08
  2. 2. Meios Impressos - I O jornal e a revista são suportes de gêneros, já que diversos textos podem aparecer neles, como a entrevista, o artigo e a reportagem.
  3. 3. Meios Impressos - I Quanto aos assuntos abordados em cada suporte: a temática de um jornal, em geral, é mais abrangente do que a de uma revista, além de mais voltada para os fatos do cotidiano. Apesar de ambos poderem portar os mesmos gêneros, são suportes distintos, diferenciando-se, por exemplo, pelo formato, pelo aspecto gráfico, pelo preço, pela periodicidade, pela resistência, pela durabilidade, pela temática e pela profundidade.
  4. 4. Meios Impressos - I  O jornal abarca mais temas do que a revista, por ter um compromisso maior em retratar o dia a dia (vai da política à economia, da cultura aos esportes, da previsão do tempo à moda, da receita culinária à dica de informática) razão pela qual os apresenta de forma mais superficial.  A revista, em muitos casos, é especializada em um tema determinado (revista de moda, de música, de games etc.) e, em geral, trata de um único assunto, com mais profundidade do que o jornal.
  5. 5. Meios Impressos - I REVISTA x JORNAL • Quanto ao formato, a revista em geral é menor do que o jornal. • Quanto ao aspecto gráfico, apresenta maior qualidade e definição das imagens, além de melhores recursos de cores. • Quanto ao preço, custa mais caro que ele. • Quanto à periodicidade, não é diária como o jornal.
  6. 6. Meios Impressos - I • Quanto à resistência, não se deteriora tão rápido quanto ele: por isso, em relação à durabilidade, permanece por mais tempo em circulação. • Quanto à temática, em geral as revistas são menos abrangentes do que o jornal, além de voltadas para determinados públicos ou segmentos da sociedade (as chamadas revistas segmentadas). • Quanto à profundidade, ela é normalmente mais “analítica” do que o jornal, ou seja, pode desenvolver os temas de forma mais extensa e minuciosa.
  7. 7. Meios Impressos - I A "REVISTA-JORNAL” • Há revistas que se assemelham muito aos jornais do ponto de vista da temática. Publicações como lstoé, Época, CartaCapital e Veja, por exemplo, tratam dos mais diversos assuntos, como os jornais em geral. São as "revistas- jornal".
  8. 8. Meios Impressos - I  O jornal, por ser diário, é mais ágil do que a revista, pois consegue transmitir os fatos com maior rapidez, parecendo sempre mais atual do que ela. Assim, quanto ao critério da atualidade, a revista “perde” para o jornal.  O jornal, como suporte, abriga diversos gêneros, como o editorial, a carta do leitor, a reportagem, a entrevista, a propaganda, o horóscopo, a charge, a crônica, a fotografia etc. Cada gênero apresenta uma determinada estrutura (isto é, um formato), aborda determinados temas e tem certo estilo.
  9. 9. Meios Impressos - I Cada gênero tem uma finalidade específica: • o editorial é o texto que expressa o ponto de vista “oficial” do jornal (que não é necessariamente o mesmo dos jornalistas); •a carta do leitor manifesta a opinião deste sobre textos veiculados; •a reportagem é um texto informativo sobre fatos do cotidiano (cria efeito de objetividade);
  10. 10. Meios Impressos - I •a entrevista é um texto em forma de diálogo entre o jornal e uma personalidade (perguntas do primeiro, respostas da segunda); •a propaganda serve, em linhas gerais, para vender e comprar algo etc.
  11. 11. “Carta do leitor” - gênero de texto, bastante comum nos jornais e revistas, que serve para expor opiniões dos leitores sobre as matérias, as entrevistas, os artigos e outros, permitindo, assim, a participação ativa do leitor, que então se converte em enunciador, estabelecendo um diálogo com a publicação.
  12. 12. “Carta do leitor” - modelo vocativo despedida assinatura posicionamento social contextualização do leitor posicionamento ideológico posicionamento e argumento / estrutura *cinquenta
  13. 13. As “cartas de leitor” escritas para o vestibular possuem uma estrutura um pouco diferente daquelas que lemos nos jornais ou nas revistas, pois as redações dos jornais/revistas, muitas vezes, parafraseiam as cartas originais e sintetizam as suas ideias. Além disso, no vestibular, não pode haver identificação do autor na carta, com a assinatura do nome completo.
  14. 14. http://praticasescrita.blogspot.com.br/2011/05/carta-de- leitor-contexto-jornalistico.html
  15. 15. Exercícios1. Se for escrever a Joaquim, pode refletir, por exemplo, sobre o seguinte: A mudança de escola implica de fato distanciar-se dos amigos? Para ser bem-visto na nova escola, é necessário ficar amigo de todos? Quais são as vantagens e as desvantagens de escolas grandes e pequenas? Se for escrever a Sílvia, pode tentar responder às seguintes questões: Concorda que a mudança de escola é uma das situações mais terríveis que podemos vivenciar? Será que o melhor, para encarar a mudança, é levar um amigo? Isso seria sempre possível e tornaria mais fácil fazer novos amigos?

×