Interações ecológicas

3.234 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.234
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
142
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Interações ecológicas

  1. 1. Apostila: Cap. 4; página 85 a 92
  2. 2.  Em uma comunidade, nenhuma espécie vive isolada Há uma contínua interação entre as espécies Interação: Maior força estabilizadora dentro dascomunidades Mecanismos naturais de controle das densidadespopulacionais
  3. 3. INTERAÇÕES (RELAÇÕES , ASSOCIAÇÕES) INTRAESPECÍFICAS: indivíduos da mesma espécie INTERESPECÍFICAS: indivíduos de espécies diferentes HARMÔNICAS (+/+ ou +/0): benefícios para um ouambos os associados DESARMÔNICAS (+/-): prejuízos para pelo menos umdos associados
  4. 4. RELAÇÕES INTRAESPECÍFICAS HARMÔNICASCOLÔNIA Indivíduos ligados fisicamente entre si Profundo grau de interdependência Pode ou não ocorrer divisão do trabalho Pode ser móvel ou fixaEx.: corais, esponjas, fungos, bactérias, algas
  5. 5. Caravelas : colônias móveis,heteromorfas, ocorreespecialização de funçõesFlutuação;Alimentação;Defesa.
  6. 6. SOCIEDADE Indivíduos independentes fisicamente Organização cooperativa Divisão do trabalho Separação em castas sociaisEx.: abelhas, cupins, formigasRainha Zangão Operária
  7. 7. AbelhasA rainha é a única fêmea fértil (2n), responsável pela reprodução epostura de ovosAs operárias são fêmeas diplóides (2n) e estéreis. Encarregadas dedefenderem a colméia, obter alimento, produzir a cera e o melOs zangões são machos férteis haplóides (n) e sua principal função éfecundar a rainha
  8. 8. GREGARISMO Indivíduos vivem juntos Sem organização social ProteçãoEx.: peixes que vivem em cardumes, manadas de animais
  9. 9. RELAÇÕES INTRAESPECÍFICAS DESARMÔNICASCOMPETIÇÃO INTRAESPECÍFICA Indivíduos competem por recursos do meio Recursos não suficientes para todos
  10. 10. CANIBALISMO Predatismo intraespecífico O indivíduo canibal se alimenta de outro da mesmaespécie Pode ocorrer quando espaço e alimento são limitadosEx.: escorpiões, peixes, aranhas, planárias etc.
  11. 11. RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS HARMÔNICASPROTOCOOPERAÇÃO Indivíduos se beneficiam mutuamente Associação NÃO É OBRIGATÓRIA
  12. 12. PROTOCOOPERAÇÃOCaranguejo eremita e anêmonas do mar
  13. 13. MUTUALISMO OU SIMBIOSE  Indivíduos se beneficiam mutuamente  Associação é OBRIGATÓRIA  Dependência entre os indivíduos Liquens = (algas + fungos)Algas• Fotossíntese• Produção de compostos orgânicos usados pelofungoFungos• Absorção de água e sais minerais para as algas
  14. 14. Micorrizas = (raízes de plantas + fungos)Plantas• Pinheiros, tomateiros, orquídeas• Fotossíntese• Produção de compostos orgânicos usados pelofungoFungos• Absorção de água e sais minerais para a planta
  15. 15. Bactérias Rhizobium e raízes de leguminosas• Fixação biológica no nitrogênio
  16. 16. Microrganismos que vivem no intestino de cupins e animais ruminantes e digerem a celulose ingerida por eles
  17. 17. COMENSALISMO Uma espécie é beneficiada e a outra é indiferenteBenefício pode ser:• Restos de alimentos•Transporte (Forésia)• Moradia (Inquilinismo/ Epifitismo)
  18. 18. INQUILINISMO EPIFITISMOObs: NÃO HÁ PARASITISMO!!
  19. 19. PLANTAS EPÍFITASSão tipos de vegetais que não enraízam no solo, fixam-se em outras árvores.Têm porte discreto, se fixam nos tecidos superficiais dos troncos e galhos parareceber luz solar e umidade com mais facilidade do que diretamente no solo.Dispõem de sistemas específicos para absorver umidade do ar e extrair suaalimentação mineral da poeira que recai sobre si; necessitam de grandequantidade de umidade e de luz.As epífitas jamais buscam alimento nos organismos hospedeiros. Suas raízessuperficiais não absorvem a seiva da planta hospedeira, não há qualquer relaçãode parasitismo. Ou seja, a presença de epífitas não prejudica a árvore ouarbusto onde elas vegetam.No caso das bromélias, existem as epífitas e as não epífitas, todas têm seucálice em forma de rosa no ponto onde as folhas se juntam, chamada dedisposição rosácea; este mecanismo faz com que recebam água da chuva,poeira e pequenos insetos mortos, que decompostos pela água e misturados àpoeira serão aproveitados em sua nutrição.As orquídeas têm as raízes revestidas com uma espécie de velame, este é umtecido formado por células mortas que atuam como uma esponja absorvendo aumidade e nutrientes.
  20. 20. RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS DESARMÔNICASCOMPETIÇÃO INTERESPECÍFICA Ocorre superposição de nichos ecológicos Espécies competem por recursos do meio Corujas, cobras e gaviões são predadores que competementre si pelas mesmas espécies de presas (ratos, preás, coelhosetc...) Árvores de diferentes espécies crescendo umas muitopróximas das outras competem entre si pelo espaço para ascopas das árvores se desenvolverem e assim obterem mais luzsolar para realizarem a fotossíntese Períodos de estiagem ou seca prolongada: animais de diversasespécies passam a competir pela água que ainda resta empequenas poças d´água
  21. 21. RELAÇÕES INTERESPECÍFICAS DESARMÔNICASPREDAÇÃO (PREDATISMO) Animais carnívoros matam e devoram animais deoutras espécies Relação Predador/ Presa: controle populacional
  22. 22. HERBIVORIA Animais herbívoros Prejuízos ou benefícios???
  23. 23. PARASITISMO Um indivíduo vive às custas de outro, causando-lheprejuízos O parasita não necessariamente provoca a morte de seuhospedeiro Coadaptação: equilíbrio das relaçõesparasita/hospedeiro Ectoparasitas Endoparasitas
  24. 24. HOLOPARASITAS HEMIPARASITAS• Raízes sugadoras (haustórios) • Raízes sugadoras (haustórios) atingem o floema atingem o xilema• Retirada da seiva elaborada • Retirada da seiva bruta• Parasita não precisa realizar • Parasita precisa realizar fotossíntese fotossíntese• Ex.: cipó-chumbo • Ex.: erva-de-passarinho
  25. 25. AMENSALISMO OU ANTIBIOSE Um dos indivíduos é capaz de produzir substâncias quepodem inibir o desenvolvimento do outro ou mesmo causar suamorte A substância produzida pela espécie inibidora pode não terefeito letal sobre a espécie amensal (espécie cujodesenvolvimento é inibido) Fungos e bactérias produzem substâncias – os antibióticos –que interrompem o crescimento de populações de outrosmicrorganismos Fungo Penicilium notatum é o responsável pela produção domais antigo antibiótico: a penicilina.
  26. 26. AMENSALISMO OU ANTIBIOSE Algas protistas (pirrófitas) de cor avermelhada e produtorasde substâncias altamente tóxicas apresentam intensaproliferação, formando enormes manchas vermelhas no oceano.Com isso, a concentração dessas substâncias tóxicas aumenta,provocando um fenômeno conhecido como “maré vermelha”.
  27. 27. ESCLAVAGISMO OU SINFILIA Uma das espécies se beneficia das atividades ou do “trabalho”de outra espécie Pássaros que botam seus ovos no ninho de outras espécies,que os chocam como se fossem seus. “O chupim - bota ovos muito parecidos com os do tico-tico, e dentro do ninho do tico-tico; a fêmea do tico-tico - vai chocando os ovos de chupim junto com os dela própria. Não bastasse essa situação "desleal", os filhotes de chupim nascem em prazo menor do que os de tico-tico, e vão logo tomando conta do pedaço: chegam a jogar fora os ovos de tico-tico, matando-os - ou, então, bem mais fortes, jogam para baixo os próprios tico-tiquinhos que tenham nascido; e a mãe adotiva ainda os alimenta com todo desvelo. Quando ficarem adultos, esses mesmos chupinzinhos chegarão a uns 23cm e serão imponentes - os machos, negros e brilhantes, com reflexos avermelhados; as fêmeas, de um castanho bem escuro, quase preto.” Fonte: Revista Meu Sítio - Guia Rural - Editora Abril
  28. 28.  Adaptações evolutivas  Dificultar a captura pelos predadoresMIMETISMO  padrão imitativo em relação a outros seres vivos Monarca Vice-rei impalatável palatável
  29. 29. Erythrolamprus aesculapii Micrurus brasiliensis Coral falsa Coral verdadeira
  30. 30. CAMUFLAGEM  padrão imitativo em relação ao ambiente

×