Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano

877 visualizações

Publicada em

Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
877
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
502
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Profª Márcia Lídia | Gramática | Aulas 21 e 22 | 1º Ano

  1. 1. 1.º Ano - 2015 Aulas 21 e 22 Gramática Apostila caderno 2015
  2. 2. Funções da linguagem 1. É certo que, antes de tudo, a linguagem serve à comunicação. O processo de comunicação se constitui de vários fatores. As mensagens, normalmente, pretendem destacar um desses fatores, originando as diferentes funções da linguagem. Podemos usar a linguagem para •expressar emoção; •influenciar o pensamento e a vontade das pessoas; •comentar outras formas de linguagem ou usos e operações da própria linguagem; •testar se a mensagem está de fato chegando aos ouvidos ou aos olhos do interlocutor; •proporcionar lazer; •informar.
  3. 3. Funções da linguagem Todas essas funções foram analisadas pelo linguista Roman Jakobson, que as associou a cada um dos polos do esquema da comunicação e lhes deu um nome técnico: •Função referencial (ou informativa) foco: o assunto; •Função conativa (ou apelativa) foco: o destinatário; •Função emotivativa (ou expressiva) foco: o emissor; •Função metalinguística foco: o código linguístico; •Função fática foco: o canal de comunicação; •Função poética foco: a mensagem.
  4. 4. Funções da linguagem 2. A linguagem serve para informar. Por meio de uma reportagem, por exemplo, os indivíduos são informados sobre os acontecimentos do mundo, alargando sua percepção e adquirindo novos conhecimentos. Para a coletividade, a linguagem torna possível a transmissão, o aperfeiçoamento e o acúmulo dos conhecimentos através das gerações. Função referencial (ou informativa/ utilitária)  foco: o assunto Usada para transmitir, de forma objetiva, dados, notícias, conhecimentos; predomina nos textos informativos (jornais, revistas de informação, textos técnicos, contratos, mapas etc.)
  5. 5. Funções da linguagem 3. A linguagem serve para que se possa influenciar e ser influenciado. Às vezes, a intenção da comunicação é influenciar o comportamento do público, associando certos comportamentos a valores sociais desejáveis ou indesejáveis. Isso é bastante perceptível na publicidade, por exemplo. Função conativa (ou apelativa) foco: o destinatário Usada para influenciar, envolver e convencer o interlocutor; predomina nos anúncios publicitários, nas placas de advertências, horóscopos, por exemplo.
  6. 6. Funções da linguagem 4. A linguagem serve para expressar a subjetividade. Quando alguém desabafa com um amigo, expondo sua raiva diante de uma injustiça ou seu arrependimento por causa de uma atitude inconveniente, está usando palavras para exteriorizar seu universo interior, delineando uma certa imagem de si para os que o rodeiam. Função emotiva (ou expressiva) foco: o emissor; Diz-se que a linguagem está sendo usada em função emotiva quando, por meio dela, o enunciador pretende manifestar sentimentos, emoções (de raiva, de alegria, de aflição, de indignação, de angústia ...).
  7. 7. Funções da linguagem 5. A linguagem serve para falar sobre a própria linguagem. Toda vez que alguém tenta explicar melhor algo que disse antes, sempre que se tenta desfazer um mal-entendido provocado pelo uso das palavras, a linguagem está sendo usada para enfocar a si mesma. Função metalinguísticafoco: o código linguístico Caracteriza-se pelo fato de se utilizar uma linguagempara comentar, explicar ou descrever fatos ou características de outra linguagem ou dela própria.
  8. 8. Funções da linguagem 5. A linguagem serve para criar e manter laços sociais. A simples intenção de manifestar a disposição de dialogar dá origem a muitas mensagens. Os cumprimentos cotidianos, por exemplo, servem para manifestar o apreço pelo outro, fortalecendo a ideia de que pertencemos a uma comunidade. Função fáticafoco: o canal A função fática ocorre quando utilizamos a linguagem para manter contato com o destinatário, mantendo-nos assim conectados durante a comunicação
  9. 9. Funções da linguagem 7. A linguagem como fonte de prazer. Os jogos de sentido, de sonoridade e de ritmo produzidos com as palavras, seja por diversão, seja para encantar o receptor, são exemplos de que a linguagem pode ser fonte de prazer estético. Nesse caso, importa mais o modo de dizer do que aquilo que se diz. Ou, em outros termos, o modo de arquitetar o texto é usado para enriquecer seu plano de conteúdo. Função poéticafoco: a mensagem; Presente nas poesias, nos slogans publicitários, nas cantigas, ditados…
  10. 10. Funções da linguagem Função referencial (ou informativa) • As palavras são usadas em seu sentido próprio, ou seja, no sentido denotativo; • Evitam-se opiniões do enunciador, isto é, daquele que fala ou escreve. • As propriedades mais valorizadas nesse uso são a clareza, a precisão e a neutralidade. • Há a predominância do discurso na terceira pessoa com prioridade para a ordem direta, ou seja, sujeito + predicado + complemento.
  11. 11. Funções da linguagem Função REFERENCIAL ou INFORMATIVA
  12. 12. Funções da linguagem Função CONATIVA ou APELATIVA Essa função caracteriza-se pela presença •das formas tu, você, vocês; •dos vocativos; •de formas verbais no imperativo.
  13. 13. Funções da linguagem Função CONATIVA ou APELATIVA
  14. 14. Funções da linguagem Função EMOTIVA ou EXPRESSIVA “Através dessa função, o emissor imprime no texto as marcas de sua atitude pessoal: emoções, avaliações, opiniões. O leitor sente no texto a presença do emissor.”
  15. 15. Funções da linguagem Função EMOTIVA ou EXPRESSIVA Essa função caracteriza-se pela presença •de verbos e pronomes na 1.ª pessoa (eu, me, ando, vivo); •das interjeições ( Oh! Nossa! - responsáveis por revelar o estado emocional do emissor) ; •de expressões exclamativas (É um absurdo!); •de sinais de pontuação como reticências e ponto de exclamação.
  16. 16. Funções da linguagem Função EMOTIVA ou EXPRESSIVA Paty, Arrependi de ter ido na festa! Credo! Que chatice, hein? Que som mais sem graça! A galera então… Na próxima, tô fora! Beijão, Rô Almir Sater e Renato Teixeira
  17. 17. Funções da linguagem Função METALINGUÍSTICA Essa função caracteriza-se pela pelo fato de se utilizar uma linguagem para comentar, explicar ou descrever fatos ou características de outra linguagem ou dela própria.
  18. 18. Funções da linguagem Função METALINGUÍSTICA
  19. 19. Funções da linguagem Função FÁTICA “A palavra fático significa “ruído, rumor”. Foi utilizada inicialmente para designar certas formas usadas para chamar a atenção (ruídos como “psiu”, “ahn”, “ei”). Essa função ocorre quando a mensagem se orienta sobre o canal de comunicação ou contato, buscando verificar e fortalecer sua eficiência.
  20. 20. Funções da linguagem Função fática Quando usamos a linguagem para estabelecer contato com o interlocutor ou para não perder o contato já estabelecido, dizemos que está em uso a função fática. Caracteriza-se pelo uso de palavras e expressões como •Alô! Oi! Certo? Fui! Tchau! •Tudo bem? Tá ligado?
  21. 21. Funções da linguagem Função FÁTICA
  22. 22. Funções da linguagem Função POÉTICA Ocorre quando o modo como se elabora o texto é tão importante quanto a informação que ele traz. Compare: 1. "Deve ser legal ser negão no Senegal” Mamma África", Chico César. 2.É possível que seja agradável ser negro no Senegal. As duas frases têm praticamente o mesmo sentido, mas há uma diferença básica: na frase 1, mais do que o sentido, chamam atenção os recursos de ritmo e a combinação de sons feita pelo compositor.
  23. 23. Funções da linguagem Função POÉTICA “Na função poética, a mensagem é elaborada de forma inovadora e imprevista, utilizando combinações sonoras ou rítmicas, jogos de imagem ou de ideias. Essa função é capaz de despertar no leitor prazer estético e surpresa.”
  24. 24. Funções da linguagem Função POÉTICA Na frase 2, apreende-se o sentido e praticamente não se dá atenção ao modo como as palavras foram escolhidas e combinadas. Na frase 1, qualquer mudança é inaceitável, mesmo que não afete o sentido. Não tem o mesmo efeito dizer, por exemplo: No Senegal, ser negão deve ser legal. O sentido se manteve, mas o modo de dizer se alterou, e o texto não tem o mesmo efeito.
  25. 25. Funções da linguagem Função poética Na frase 2, desde que se mantenha o sentido, aceitam-se alterações. É quase indiferente dizer: No Senegal, é possível que seja agradável ser negão ou Talvez seja vantajoso ser negão no Senegal. No primeiro caso, a linguagem está sendo usada em função poética; no segundo, em função referencial (ou informativa ou utilitária).
  26. 26. Funções da linguagem Função POÉTICA • Recurso sonoro E o ângelus plange ao longe em doloroso dobre. Esse é um verso famoso do soneto de Olavo Bilac intitulado "Vila Rica", antigo nome da cidade de Ouro Preto. Fala do fim de tarde, simulando o toque dos sinos, enquanto se reza o ângelus, tipo de prece das seis horas da tarde. As consoantes momentâneas (p, d, b) sugerem as badaladas; as vogais nasais (an, an, on) e as consoantes mais demoradas (g, s, l) lembram o reboar do som ao longo da tarde.
  27. 27. Funções da linguagem Função POÉTICA • Recurso gráfico Tocadas, nossas chagas dóem, dóem, dóem e não há sino que suporte mortes tão constantes Alcides Villaça O acento agudo colocado sobre a vogal tônica (dóem), embora não prevista pelas regras do acordo ortográfico vigente, está cumprindo uma função importante: marcar a intensidade maior com que a dor se repete, como se fosse uma pulsação semelhante à de uma chaga latejante. Lembra ainda o som torturante de um sino que bate incessantemente.
  28. 28. Funções da linguagem Função POÉTICA • Recurso do duplo sentido Orion A primeira namorada, tão alta que o beijo não a alcançava, o pescoço não a alcançava, nem mesmo a voz a alcançava. Eram quilômetros de silêncio. Luzia na janela do sobradão. Andrade, Carlos Drummond de. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: J. Aguilar, 1992. p. 581.
  29. 29. Funções da linguagem Função POÉTICA Na poesia "Orion" (uma constelação muito distante e bela), o poeta coloca a namorada num plano tão elevado, que não há meio de atingi–Ia. Há quilômetros de silêncio entre ele e ela. Sobra o consolo da contemplação da amada na janela da mansão em que ela mora. A palavra Luzia pode ser interpretada como uma forma do verbo luzir (= "brilhar") ou como o nome da namorada. A fusão dos dois conceitos sugere a sensação de esplendor que a visão da namorada provocava no poeta e a distância inatingível que os separava.
  30. 30. Funções da linguagem Visite: http://slideplayer.com.br/slide/52662/

×