1
A HERMENÊUTICA COMO FERRAMENTA NA BUSCA DA VERDADE EM UMA
PERSPECTIVA EDUCACIONAL1
Ladja Maria de Lima Silva2
ladjalima@...
2
1 INTRODUÇÃO
A intenção do presente artigo é demonstrar a relevância da hermenêutica para o campo
da educação. O texto p...
3
Diversos são os conceitos de hermenêutica, uma vez que a mesma pode ser analisada
através do viés filosófico, religioso,...
4
procedimento válido para produzir conhecimento. (FÁVERO e TAUCHEN,
2012, p. 105).
Vale ressaltar que no decorrer do pres...
5
um único caminho para o acesso à verdade” (ALVES, 2011, p. 18). Todavia, a abordagem
prioritária deste trabalho, é o uni...
6
interpretativo sem limites. A hermenêutica aponta para a busca de um diálogo com outras
interpretações (HERMANN, 2002).
...
7
5 CONSIDERAÇÕES FINAIS
A partir das reflexões apresentadas neste artigo, conclui-se que a hermenêutica tem
como signific...
8
REFERÊNCIAS
ALVES, Marcos Alexandre. Da hermenêutica filosófica à hermenêutica da educação. Acta
Scientiarum. Education....
9
SCHLEIERMACHER, F. D. E. Hermenêutica: Arte e técnica da interpretação. 2. ed.
Petrópolis: Vozes, 2000. IN: ALVES, Marco...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

LADJA HISTÓRIA DA HERMENÊUTICA

102 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
102
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

LADJA HISTÓRIA DA HERMENÊUTICA

  1. 1. 1 A HERMENÊUTICA COMO FERRAMENTA NA BUSCA DA VERDADE EM UMA PERSPECTIVA EDUCACIONAL1 Ladja Maria de Lima Silva2 ladjalima@hotmail.com RESUMO O objetivo principal deste artigo é mostrar a importância da hermenêutica na construção do saber e na busca da verdade, assim como a sua aplicação no universo educacional, tendo como foco principal a busca de praticas educacionais consistentes, priorizando a verdade cientifica. Para tanto, foram utilizadas referências bibliográficas e artigos que apresentem conceitos sobre a hermenêutica, a sua relevância para a educação e seus diversos segmentos, a exemplo da abordagem religiosa, jurídica, filosófica e educacional. Destacam-se neste trabalho os conceitos de Gadamer para demonstrar a possibilidade de ampliação do conhecimento a partir da hermenêutica da educação. Os achados apresentados neste artigo apontam para a relevância da hermenêutica na busca do conhecimento, através da ampliação de formas, conceitos e definições, baseando-se na racionalidade e na busca pela verdade, que possibilita a multiplicidade do conhecimento a partir da utilização do diálogo entre os sujeitos educacionais. Palavras Chave: Educação. Hermenêutica. Saber. RESUMEN El objetivo de este artículo es mostrar la importancia de la hermenéutica en la construcción del conocimiento y la búsqueda de la verdad, así como su aplicación en el mundo de la educación, centrándose principalmente en la búsqueda de prácticas educativas coherentes, dando prioridad a la verdad científica. Por lo tanto, las referencias y artículos que se utilizaron conceptos actuales de la hermenéutica, su relevancia a la educación y sus diferentes segmentos, como el enfoque religioso, jurídico, filosófico y educativo. También en el trabajo de los conceptos de Gadamer para demostrar la posibilidad de ampliar el conocimiento de la hermenéutica de educación. Los resultados presentados en este artículo muestran el impacto de la hermenéutica en la búsqueda del conocimiento, a través de la expansión de formas, conceptos y definiciones, basado en la racionalidad y la búsqueda de la verdad, lo que permite la multiplicidad de conocimiento a partir de la utilización del diálogo entre temas educativos. Palabras Clave: Educación. Hermenéutica. Saber. 1 Trabalho apresentado ao programa de Mestrado em Ciências da Educação da UNASUR, como requisito parcial de avaliação da disciplina Hermenêutica, ministrada pelo Profº MsC. José Carlos dos Santos. 2 Mestranda em Ciências da Educação UNASUR. Especialista em Gestão em Educação PIO DÉCIMO, 2014. Especialista em Psicopedagogia Institucional e Clinica SERIGY, 2011. Especialista em Gestão Ambiental ATLÂNTICO, 2004. Especialista em Pedagogia do Movimento ATLÂNTICO, 2003. Licenciada em Geografia UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – UFS, 2002.
  2. 2. 2 1 INTRODUÇÃO A intenção do presente artigo é demonstrar a relevância da hermenêutica para o campo da educação. O texto possui um caráter introdutório, baseado em referenciais bibliográficos, as quais foram utilizadas para apresentar um breve levantamento histórico da hermenêutica, a qual apresentou uma tendência religiosa, jurídica, filosófica para desmembrar a hermenêutica da educação. Salienta-se que a utilização da hermenêutica na educação possibilitou uma abertura de horizontes e ampliação das bases para a formação de professores. Destacam-se neste trabalho os conceitos de Gadamer para demonstrar a possibilidade de ampliação do conhecimento a partir da hermenêutica da educação. A hermenêutica trás para a educação a necessidade de buscar sempre novas formas, conceitos e definições e possibilitar a ampliação de sentidos da educação. Logo, a hermenêutica é uma forma de busca do saber. 2 HERMENÊUTICA: ALGUNS CONCEITOS E SIGNIFICADOS Analisar o conceito de hermenêutica é sem sombra de dúvidas, analisar as modificações dos pensamentos e técnicas de busca do conhecimento do ser humano. Isso porque, a hermenêutica é um exemplo da influência dos acontecimentos ao longo da história nas concepções do homem. O termo “hermenêutica” é de “origem grega que significa literalmente, ‘interpretar’, guardando íntima relação com o Deus Hermes, responsável pela comunicação entre o Olimpo e os humanos”. (KISSE, 2012, p. 83). Os pensamentos e teorias que foram surgindo trouxeram novas formas de enxergar a realidade. A hermenêutica acompanhou este processo à medida que foi apresentando novas discussões, visões e abordagens. “A segunda metade do século XX tem sido muito fecunda no debate e na publicação de temas relacionados à hermenêutica nos campos literário, jurídico, teológico e filosófico” (FÁVERO, TAUCHEN, 2012. p. 103). Em sua origem, a hermenêutica era utilizada para interpretar a arte, as palavras, os contextos e os símbolos baseada na realidade humana. Hoje, já apresenta uma abordagem educacional, “a hermenêutica demonstra, desde a filosofia e a literatura, a multiplicidade de formas de se pensar e entender a educação como força cultural – história e linguagem” (ALVES, 2011, p. 17).
  3. 3. 3 Diversos são os conceitos de hermenêutica, uma vez que a mesma pode ser analisada através do viés filosófico, religioso, jurídico e educacional. No campo teológico a hermenêutica continuou a se desenvolver como “técnica de interpretação de textos, cujo sentido não se apreendia de imediato, à medida que se passou a refletir justamente sobre essa tarefa de interpretação”. (KISSE, 2012, p. 84). Ainda segundo Kisse (2012) Santo Agostinho é considerado o primeiro a utilizar-se da hermenêutica de forma restrita, para a interpretação dos textos bíblicos. Com a sua modernização, é utilizada na busca do conhecimento, e, sobretudo, da verdade. Atualmente, a hermenêutica parece como um método para buscar novas visões, formas de raciocinar e ampliar os horizontes da realidade humana seja no campo da educação ou em outra ciência. Essa definição fica muito clara diante da afirmação de Alves (2011): A hermenêutica, em sua primeira acepção, foi utilizada como interpretação do significado das palavras, arte de interpretar o que está nos símbolos e também interpretação científica baseada na realidade humana. Para além dessa significação, a hermenêutica ressurge modernamente no contexto da luta contra a pretensão de haver um único caminho para o acesso à verdade. (p. 18). Dentro do universo educacional, a hermenêutica constitui-se em um termo que simboliza um método ou a arte de interpretar textos e discursos através de uma interpretação de mundo. Em um conceito mais objetivo, pode-se definir a hermenêutica como arte ou técnica de interpretar e explicar um texto ou discurso (INWOOD, 2007). A hermenêutica salienta para a necessidade de buscar novas formas de se chegar ao conhecimento, nesse método, questiona-se o acesso ao mundo por um tipo apenas de procedimento. Ela também aponta para a utilização da história e da linguagem como elementos essenciais para a obtenção do conhecimento verdadeiro. (ALVES, 2011). Neste sentindo, para a educação, a hermenêutica possibilita diversas reflexões, sobretudo em um contexto voltado a interdisciplinaridade, métodos de avaliação e aprendizagem. Ela não aceita por si só regras engessadas, pré definidas, mas, compenetrada em um sentido técnico-filosofico questiona estruturas engessadas. Como já mencionado a hermenêutica defende a busca por novas visões, formas de raciocinar, além de ampliar os horizontes, o que significa que a hermenêutica: se contrapõe à concepção da existência de um único caminho de acesso à “verdade”, ou que existe uma “linguagem única para a ciência”, ou ainda que somente os dados “objetivos” são capazes de constituir um
  4. 4. 4 procedimento válido para produzir conhecimento. (FÁVERO e TAUCHEN, 2012, p. 105). Vale ressaltar que no decorrer do presente texto serão priorizados os conceito da hermenêutica voltada ao questionamento, a busca da verdade, a educação e a compreensão, e não a hermenêutica voltada a um procedimento metodológicos e interpretação textual e de símbolos. Isso porque, a proposta defendida neste trabalho salienta a importância e contribuições da hermenêutica como caminho para a descoberta da verdade, principalmente, no campo da educação. Dessa, forma, no subtópico seguinte, serão apresentados os segmentos da hermenêutica identificados através das pesquisas bibliográficas, em autores como: Alves (2011), GADAMER (2006). 3 OS DIVERSOS SEGMENTOS DA HERMENÊUTICA A hermenêutica não iniciou suas discussões voltadas ao universo educacional, apresentou uma tendência religiosa, jurídica, filosófica para desmembrar a hermenêutica da educação. “Sem dúvida, a hermenêutica provém de uma longa tradição humanística, relacionada à interpretação dos textos bíblicos, à jurisprudência e à filosofia clássica” (SCHLEIERMACHER, 2000 apud ALVES, 2011, p. 18). O pesquisador Gadamer, aponta para um novo segmento da hermenêutica: a jurisprudência. Para ele, outro campo de concentração de produções ligada à hermenêutica, foi a jurisprudência, tendo como objetivo solucionar problemas jurídicos através de seus textos objetivos (GADAMER, 2006). Os procedimentos e técnicas utilizados pela hermenêutica priorizam a racionalidade, o questionamento e a dúvida na busca da verdade: Diante dessa nova forma de pensar, a hermenêutica, aparece como um método para levar a racionalidade, ao questionamento, a ampliação de discussões e uso da racionalidade da educação. Todavia é importante relevar que hermenêutica não pretende questionar o estatuto da própria ciência, mas a instauração de um novo sentido a mesma a partir da reflexão do homem com o mundo (ALVES, 2011, p. 18). Ressalta-se, portanto, o uso da hermenêutica na busca da verdade e na solução de problemas. Isso porque, a busca da verdade pode ser associada a todos os segmentos da hermenêutica, a qual “ressurge modernamente no contexto da luta contra a pretensão de haver
  5. 5. 5 um único caminho para o acesso à verdade” (ALVES, 2011, p. 18). Todavia, a abordagem prioritária deste trabalho, é o universo educacional, que deve utiliza-se da hermenêutica par formular novas praticas educacionais voltadas a racionalidade ao questionamento a multiplicidade e interdisciplinaridade de saberes, possibilitando assim, um diálogo entre as ciências e a troca de experiências entre professor e aluno. Essas e outras reflexões serão apresentadas no tópico seguinte, o qual tem como objetivo principal salientar a grande relevância da relação entre hermenêutica e educação na busca pela verdade. 4 HERMENÊUTICA : A BUSCA DA VERDADE Oriunda da filosofia clássica, a hermenêutica traz em si, uma gama de questionamentos, que resultam da sua busca pela verdade, não uma verdade superficial, mas, plena, experimentada, testada e comprovada por diversos métodos, e não apenas uma verdade singular obtida por apenas um caminho ou uma experiência. Na educação, como dito anteriormente, a hermenêutica subsidia o pesquisador, professor ou estudante na inquietação fundamental para a construção do conhecimento, que o levará a sua verdade sobre aquilo que por ventura questiona através de seus estudos e pesquisas. E mesmo diante desta “verdade” sabe-se que a hermenêutica, não a consagrará como inconteste, pelo contrario, em sua essência, possibilitará novas reflexões, a descoberta de novos caminhos que poderão levar a conclusões correlatas ou não, mas, essa é a essência do seu existir.“A hermenêutica expõe essa abertura e aponta a história e a linguagem como elementos essenciais de acesso ao mundo e ao aprendizado”. (ALVES, p.17) Na perspectiva da hermenêutica é necessário a existência do dialogo entre as ciências, possibilitando uma multiplicidade de conhecimentos e saberes, além da a ampliação das formas de se pensar e compreender o processo educacional. Segundo ALVES (2011), em uma abordagem da educação com aproximação na hermenêutica, as práticas educacionais não devem estar centradas pela via científico- metodológico, pois isso seria um equivoco, uma vez que, dessa forma as concepções pedagógicas seriam analisadas por apenas uma vertente, ou seja, havia apenas um caminho para na busca de praticas educacionais. E na perspectiva hermenêutica, a compreensão das praticas educacionais devem ter um caráter de multiplicidade, com diferentes modos de socialização, valorização do conhecimento e da linguagem, possibilitando assim, um espaço
  6. 6. 6 interpretativo sem limites. A hermenêutica aponta para a busca de um diálogo com outras interpretações (HERMANN, 2002). Nas praticas educacionais a luz da hermenêutica, não há uma dominação das categorias do sujeito e objeto, em que a capacidade do aluno é medida por avaliação sem a possibilidade de ampliação e troca de experiências. Na abordagem hermenêutica da educação, é preciso se colocar no lugar do outro, em que os limites e possibilidades do aluno sejam analisados a partir da troca e ampliação das experiências. É necessário pressupor que aquele que compreende não adota uma atitude de superioridade (ROHDEN, 2002). Com a globalização, a disseminação de informações que possibilitam paradoxalmente a fragilidade e a potencializarão dos debates educacionais, por um lado nunca se falou tanto em educação, interdisciplinaridade, especialização educacional, por outro, o acesso a dados resumidos e de fácil acesso, tem desvirtuado o processo de leitura tão fundamental para a construção de novos saberes. Os processos educativos da atualidade, desafiados pela globalização, democratização e universalização, igualdade e equidade, desafiam-nos não apenas a tratar de modo igualitário os múltiplos sujeitos escolares, mas de modo desigual os desiguais, isto é, uma didática que acolha a pluralidade das demandas educativas, refazendo-se como campo de estudos na (inter) relação com as diferentes linguagens, realidades sociais e saberes (FÁVERO, TAUCHEN, 2012. p. 103). Dessa forma, ressalta-se a teoria de Gadamer, o qual defende uma ampliação dos horizontes, uma busca constante por novos métodos e abordagem metodológicas, o diálogo entre professor e aluno, saberes e ciências para se alcançar um verdadeiro saber, capaz de atender aos anseios de uma nova sociedade, uma nova educação e um novo aluno advindos da globalização e demais transformações sociais da atualidade. A experiência educativa, enquanto educar é educar-se, pressupõe reconhecer que o processo de educação é vulnerável e que se educar é uma exposição ao risco. (ALVES, 2011, p. 25). Portanto, não é necessário apenas baseia-se na formação inicial e em praticas educacionais engessadas, sem alterações e modificações, é preciso ter um método a seguir, no entanto, é imprescindível também está preparado para as diversidades do universo educacional e somente a partir da busca por novos conhecimentos, saberes, do constante questionamento da realidade e das praticas educacionais é possível obter um saber voltado a verdade e ao ensino de qualidade para professores, aluno e toda sociedade.
  7. 7. 7 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS A partir das reflexões apresentadas neste artigo, conclui-se que a hermenêutica tem como significado literal a arte de interpretar, mas que diante de uma perspectiva educacional a hermenêutica apresenta seu conceito mais voltado a multiplicidade de formas de se pensar, entender, interpretar, questionar compreender e busca do saber verdadeiro e racional. Também foram apresentados segmentos da hermenêutica como a filosófica, a religião, a jurisprudência e a educação, que por sua vez apresentou-se como foco principal deste trabalho. Demonstrou-se que a verdade é um elemento voltado a perspectiva cultural do ser humano, que precisa está atenta a realidade social do ser humano. A perspectiva da hermenêutica da educação pressupõe um caráter dialógico, voltado a troca de experiências e a possibilidade de entender o outro a partir da compreensão dos limites e possibilidades do ser humano, a partir do diálogo e da ampliação das formas de se obter o conhecimento. Destaca- se o diálogo como primordial na busca por novas experiências e a utilização da hermenêutica na educação. Vale destacar também que a hermenêutica constitui-se atualmente, como método capaz de atender os anseios de uma sociedade emergida pelo aspecto da globalização, universalização, democratização, inclusão e dos diferentes saberes e realidades. Diante disso, verificou-se que o diálogo é a melhor forma de se chegar a uma educação de qualidade, capaz de atender aos limites do aluno e professor, os quais precisam buscar novas formas de adquirir conhecimentos, deixando de lado apenas a abordagem cientifico-metodologico para buscar a ampliação de horizontes e novos métodos de ensino, ampliando as possibilidades de compreensão do homem e do mundo.
  8. 8. 8 REFERÊNCIAS ALVES, Marcos Alexandre. Da hermenêutica filosófica à hermenêutica da educação. Acta Scientiarum. Education. Maringá, v. 33, n. 1, p. 17-28, 2011 APOLINÁRIO, José Antônio Feitosa. Nietzsche e Gadamer: Patologia da História e Hermenêutica. A Revista do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Sergipe. Ano 4 - fasc. X - vol.3 Janeiro-Junho/2008 FÁVERO, Altair Alberto; TAUCHEN, Gionara. Didática, hermenêutica e pluralidade em educação. Revista Educação, v. 35, n. 1, p. 102-109. Porto Alegre: 2012 GADAMER, Hans-Georg. O problema da consciência histórica. 3. ed. Org.: Pierre Fruchon.Tradução: Paulo César Duque Estrada. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 2006 GADAMER, Hans-Georg. A virada hermenêutica. Petrópolis: Vozes, 2007. HERMANN, Nadja. Hermenêutica e Educação. Rio de Janeiro: DP & A.2002. KISSE, Eduardo Henrique Silveira. O conceito de hermenêutica e sua aplicação no pensamento de W. Dilthey. Revista Litteris – ISSN: 19837429 n. 10, Filosofia, setembro 2012. Disponível em: http://revistaliter.dominiotemporario.com/doc/O_conceito_de_hermeneutica_e_sua_aplicacao __no_pensamento_de_Wilhelm_Dilthey_RL10_EDUARDO_HEN_RIQUE_SILVEIRA_KIS SE.pdf INWOOD, Michael. Hermenêutica. Critica. ISSN 1749-8457, 2007. Disponível em: http://criticanarede.com/hermeneueutica.html ROHDEN, L. Hermenêutica filosófica: Entre linguagem da experiência e a experiência da linguagem. São Leopoldo: Unisinos, 2002.
  9. 9. 9 SCHLEIERMACHER, F. D. E. Hermenêutica: Arte e técnica da interpretação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. IN: ALVES, Marcos Alexandre. Da hermenêutica filosófica à hermenêutica da educação. Acta Scientiarum. Education. DOI: 10.4025/actascieduc.v33i1.11265. Maringá, v. 33, n. 1, p. 17-28, 2011.

×