Vigilância sanitária e embelezamento

3.413 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.413
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.106
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
186
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vigilância sanitária e embelezamento

  1. 1. Prefeitura Municipal de UruguaianaSecretaria Municipal de SaúdeVigilância Sanitária- Beleza com Segurança -
  2. 2. O que é Vigilância Sanitária?Conforme Lei Orgânica da Saúde 8.080/90:Entende-se por vigilância sanitária um conjunto de ações capaz deeliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nosproblemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção ecirculação de bens e da prestação de serviços de interesse dasaúde.
  3. 3. O papel da Vigilância Sanitária em locaisde embelezamentoGarantir a saúde dos clientes e dos profissionais que atuamnestes locais.Embora muitos não saibam, a maioria dos procedimentos realizadosnesta área oferece riscos à saúde. O uso demateriais não esterilizados por manicures, oreaproveitamento de ceras depilatórias, ocompartilhamento de toalhas, a ausência de materiais descartáveis, aaplicação de produtos quepossam causar alergias, são alguns exemplos.
  4. 4. Os principais cuidados que devemos ternestes locaisSalão de Beleza:A limpeza e organização geral de suas instalações, bem como oasseio dos profissionais é fundamental;Cadeiras revestidas de material impermeável;As toalhas devem ser de uso único e individual;Utilizar apenas produtos com registro na Anvisa. Isto vale para esmaltes,cremes, shampoos, tinturas, maquiagens, etc;Lavagem e desinfecção de utensílios e artigos, após o uso (pentes,escovas, bobies, toalhas, esponjas, bacias, espátulas, etc).
  5. 5. Os principais cuidados que devemos ternestes locaisManicure, Pedicure e Podologia Profissionais capacitados; Instrumentos utilizados em procedimentos que apresentem riscosde contato com sangue, devem ser esterilizados (ou individuais) entreum cliente e outro; Proteção de bacias e potes; Toalhas individuais e cor branca
  6. 6. Os principais cuidados que devemos ternestes locaisDepilação:Manter cadeiras e colchões de macas revestidos de materialimpermeável e em bom estado de conservação;As ceras quentes deverão ser descartáveis e de uso individual;As espátulas devem ser de material liso, lavável e impermeável, oudescartáveis.
  7. 7. Os principais cuidados que devemos ternestes locaisBronzeamento: Está proibida a utilização de câmaras de bronzeamento artificial,devido ao alto risco de câncer de pele, queimaduras, lesões ocularesentre outras;
  8. 8. Os principais cuidados que devemos ternestes locaisMassagista: Colchões revestidos de material lavável e impermeável; Troca de lençóis a cada cliente (individual); Conferir se o profissional é habilitado para tal atividade (e se esteprofissional é cadastrado na VISA Municipal); Os produtos utilizados devem ter registro no Ministério da Saúde.
  9. 9. Os principais cuidados que devemos ternestes locaisTatuagens: Utilização de equipamentos de proteção individual: luvas e máscaras de proteção, ambosdescartáveis; Touca e avental de cor clara; Os materiais utilizados no procedimento devem ter rotina de esterilização ou serem de usodescartável; As tintas devem ser utilizadas individualmente; As macas, cadeiras, colchões devem ser revestidos de material lavável e impermeável; As bancadas, mesas de apoio e similares devem ser de material liso e impermeável,higienizados a cada troca de cliente; Os produtos, máquinas, equipamentos, agulhas e materiais devem possuir registro noMinistério da Saúde.
  10. 10. Clinica EstéticaProcedimentos como, aplicação de Botox, preenchimento, bioplastia, entre outros,devem ser aplicados por profissional MÉDICO;Se todos os equipamentos e produtos utilizados nestes procedimentos possuemregistro na Anvisa. O registro é a única garantia de que os produtos utilizados atingema finalidade a que se propõem, sem expor o usuário aos riscos à saúde;Se o profissional é capacitado para a realização do procedimento;Se materiais como agulhas e seringas são estéreis e de uso único, devendo serdescartados após o uso.
  11. 11. Conseqüências de más práticas
  12. 12. Referênciashttp://portal.anvisa.gov.br;http://www.saude.rs.gov.br/; MINISTÉRIO DA SAÚDE. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Dispõesobre os procedimentos no âmbito da ANVISA para registro de produtos emprocesso de desenvolvimento ou de transferência de tecnologias objetos deParcerias de Desenvolvimento Produtivo público-público ou público-privado deinteresse do Sistema Único de Saúde. RESOLUÇÃO RDC Nº 50, DE 13 DESETEMBRO DE 2012; SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO SUL. Regulamentotécnico para Processamento de artigos por método físico em estabelecimentos sujeitosà Vigilância Sanitária no RS. PORTARIA Nº 500 DE 2010.

×