O atendimento numa
sessão de desobsessão
“livra” o obsidiado?
Sexta feira – 25 de abril de 2014
Rose Campos
“O tratamento
de obsessões (...)
não é trabalho excêntrico,
em nossos círculos de fé
renovadora.
Constitui simplesmente
a ...
O Espiritismo, orienta o tratamento das obsessões,
abre novo entendimento acerca
do obsessor e do obsidiado
e demonstra o ...
O médium de incorporação
O médium esclarecedor
O espírito obsessor
A Espiritualidade amparadora
Nem toda sessão de desobse...
“No que diz respeito ao problema
das obsessões espirituais,
o paciente é, também o
agente da própria cura.”
(Do livro “Gri...
Muitos recorrem aos Centros trazendo o pensamento
preconcebido de que todos os seus problemas serão ali
resolvidos, como p...
O VALOR DA PRECE
“Em todos os casos de obsessão, a prece é o mais poderoso meio de que se dispõe para
demover de seus prop...
A IMPORTÂNCIA DA FLUIDOTERAPIA
“Nos casos de obsessão grave, o obsidiado fica
como que envolto e impregnado de um
fluído p...
O PODER DA LEITURA E DAS BOAS PALAVRAS
“Recorre aos recursos espíritas: permuta conversação enobrecida, pois que as boas
p...
Fim
“Amai aos vossos inimigos.”
“Perdoai para serdes perdoados.”
“Fazei brilhar a vossa luz.”
“Tua fé te curou.”
“Vá e não...
25 abril 2014 O OBSIDIADO E A DESOBSESSÃO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

25 abril 2014 O OBSIDIADO E A DESOBSESSÃO

623 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
623
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

25 abril 2014 O OBSIDIADO E A DESOBSESSÃO

  1. 1. O atendimento numa sessão de desobsessão “livra” o obsidiado? Sexta feira – 25 de abril de 2014 Rose Campos
  2. 2. “O tratamento de obsessões (...) não é trabalho excêntrico, em nossos círculos de fé renovadora. Constitui simplesmente a continuidade do esforço de salvação aos transviados de todos os matizes, começado nas luminosas mãos de Jesus.” (Pão Nosso, Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, capítulo 175.)
  3. 3. O Espiritismo, orienta o tratamento das obsessões, abre novo entendimento acerca do obsessor e do obsidiado e demonstra o quanto é importante a participação do enfermo como condição básica para o êxito do tentame, em qualquer tempo em que esse se realize. Cena de uma sessão de desobsessão no filme “O Filme dos Espíritos” de 2011)
  4. 4. O médium de incorporação O médium esclarecedor O espírito obsessor A Espiritualidade amparadora Nem toda sessão de desobsessão conta com a presença do obsidiado. Isso irá depender da dinâmica adotada pela Instituição. Médiuns de apoio Médium de apoio
  5. 5. “No que diz respeito ao problema das obsessões espirituais, o paciente é, também o agente da própria cura.” (Do livro “Grilhões Partidos”, de Manoel Philomeno de Miranda, psicografia de Divaldo Pereira Franco) Ninguém se engane: o obsidiado só se libertará quando ele mesmo se dispuser a promover a sua autodesobsessão. O Espiritismo não poderá fazer por ele o que ele não fizer por si mesmo. (Do livro “Obsessão e Desobsessão” de Suely Caldas Schubert)
  6. 6. Muitos recorrem aos Centros trazendo o pensamento preconcebido de que todos os seus problemas serão ali resolvidos, como por encanto. Julgam que, pelo fato de buscar auxílio espiritual, passam de imediato toda a responsabilidade de seu tratamento para os Espíritos e para os espíritas. Aos primeiros sinais de que seus problemas não estão sendo resolvidos com a presteza que imaginavam, desiludem-se e vão buscar ajuda em outra parte. A primeira coisa a ser feita, portanto, é esclarecer ao paciente o quanto a sua participação é fundamental para o tratamento. E nisso reside quase toda a possibilidade de êxito. “Muitos” não quer dizer TODOS...
  7. 7. O VALOR DA PRECE “Em todos os casos de obsessão, a prece é o mais poderoso meio de que se dispõe para demover de seus propósitos maléficos o obsessor.” (A Gênese, Allan Kardec, capítulo 14º, item 46.) A NECESSIDADE DA REFORMA INTERIOR “(...) É, pois, indispensável que o obsidiado faça, por sua parte, o que se torne necessário para destruir em si mesmo a causa da atração dos maus Espíritos.” (O Livro dos Espíritos, Allan Kardec questão 479.) A AÇÃO DO PENSAMENTO “Pensar é criar. A realidade dessa criação pode não exteriorizar-se, de súbito, no campo dos efeitos transitórios, mas o objeto formado pelo poder mental vive no mundo íntimo, exigindo cuidados especiais para o esforço de continuidade ou extinção.” (Pão Nosso, Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, capítulo 15.) Afinal, quais seriam essas orientações, segundo o Espiritismo?
  8. 8. A IMPORTÂNCIA DA FLUIDOTERAPIA “Nos casos de obsessão grave, o obsidiado fica como que envolto e impregnado de um fluído pernicioso, que neutraliza a ação dos fluídos salutares e os repele. (A Gênese, Allan Kardec, capítulo 14º, item 46.) “Utiliza o recurso do passe socorrista, rearticulando as forças em desalinho.” “Sorve um vaso de água fluidificada, restaurando a harmonia das células em desajustamento.” (Florações Evangélicas, Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, capítulo 51.)
  9. 9. O PODER DA LEITURA E DAS BOAS PALAVRAS “Recorre aos recursos espíritas: permuta conversação enobrecida, pois que as boas palavras E A LEITURA EDIFICANTE renovam as disposições espirituais.” (Florações Evangélicas, Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco,) A TERAPIA DA CARIDADE ..... A PRÁTICA DO BEM “As imperfeições morais dão lugar aos espíritos obsessores, e o meio MAIS SEGURO de se desembaraçar dessa obsessão é atraindo os bons espíritos pela prática do bem.” (“O Livro dos Médiuns”, de Allan Kardec, questão 252) “Tive fome e me deste de comer; tive sede e me deste de beber; careci de teto e me hospedastes; estive nu e me vestistes; achei-me doente e me visitastes; estive preso e me fostes ver. Em verdade vos digo, todas as vezes que isso fizestes a um destes mais pequeninos dos meus irmãos, foi a mim que o fizestes.” —Jesus. (Mateus, capítulo 25 versículos 35, 36 e 40.) E, segundo os Espíritos amigos, a medida mais importante é...
  10. 10. Fim “Amai aos vossos inimigos.” “Perdoai para serdes perdoados.” “Fazei brilhar a vossa luz.” “Tua fé te curou.” “Vá e não peques mais!”

×